Politicamente Correta Análise da cobertura dos jornais baianos sobre a votação do STF à união                         civi...
1.     HISTÓRICO          SOBRE        O    Gays, Lésbicas e Travestis. Os objetivosMOVIMENTO            EM      PROL    D...
- Em 1990, nas leis orgânicas de 73                       o      MHB     deveria       encaminhar        aomunicípios (inc...
a discriminação quanto à orientação                IV. Preterimento quando da ocupaçãosexual.                             ...
incluir a proibição da discriminação por       Congresso.    O   Projeto    propõe   aorientação sexual na Lei Orgânica   ...
2. ANÁLISE DAS EDIÇÕES         2.4 Dia 06 de maio de 2011 – SextaJORNAL                    A TARDE                        ...
GERAL                     Matéria com tom         Mesma matéria de agência       Visivelmente construída                  ...
Jobim (ministro da Defesa),                                                   David Washington de Oliveira                ...
3. RESULTADO GERAL DA ANÁLISEO que se conclui da cobertura realizada pelos jornais impressos baianos é que existeainda uma...
quer compreender a extensão de cada assunto, quer muito mais que meramente aestampa do perfil do veículo em cada texto ou ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Zé Ricardo Oliveira Artigo Uniao Civil Análise dos jornais baianos sobre votação no STF

204 visualizações

Publicada em

Resumo: Análise que busca compreender como os jornais baianos A Tarde, Correio e Tribuna da Bahia, noticiaram, em sua versão impressa, a votação pelo Supremo Tribunal Federal, da lei sobre a união estável entre pessoas do mesmo sexo, realizada entre os dias 04 e 05 de maio de 2011. Foram analisadas as edições dos dias 06 e 07 de maio de 2011.

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
204
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Zé Ricardo Oliveira Artigo Uniao Civil Análise dos jornais baianos sobre votação no STF

  1. 1. Politicamente Correta Análise da cobertura dos jornais baianos sobre a votação do STF à união civil dos homossexuais Zé Ricardo OliveiraResumo: Análise que busca compreender como os jornais baianos A Tarde, Correio eTribuna da Bahia, noticiaram, em sua versão impressa, a votação pelo SupremoTribunal Federal, da lei sobre a união estável entre pessoas do mesmo sexo, realizadaentre os dias 04 e 05 de maio de 2011. Foram analisadas as edições dos dias 06 e 07 demaio de 2011.Palavras-chave: união homoafetiva, homossexuais, união civil, lei, votação.Introdução tanto jurídica, ao que se refere aos direitos como cidadão, assegurados pelaNão é de hoje que os homossexuais Constituição, quanto pela integridadereivindicam por seus direitos. Dos EUA física, ponto focado atualmente peloem Stonewall ao Brasil com a movimento.aprovação da união civil de pessoas domesmo sexo, entre diversos outros Antes de apresentar o proceder e omarcos conquistados pelo movimento resultado da análise realizada,estão, por exemplo, a retirada da gostaríamos de traçar um breve perfil dahomossexualidade da lista de doenças luta do movimento homossexualmentais, em abril de 1974, num brasileiro, trazendo alguns conceitosreferendo interno promovido pela básicos e um pouco de sua trajetóriaAssociação Americana de Psiquiatria, histórica. Desde já, deixamos claro queaprovado com 58% dos votos, o direito não entraremos a fundo nesse ponto eao nome social em hospitais adquirido não trataremos de assunto comopara as travestis e transexuais. preconceito em conceitos mais profundos acerca do tema. A idéia aquiUma grande luta haveria ainda de ser é apenas introduzir o leitor deste estudotravada durante anos, sendo o ao tema básico, para que tenha umamovimento apoiado por uma série de compreensão do assunto abordado -instituições que defendem os direitos como os jornais baianos impressoshumanos e também esbarrado numa noticiaram a votação pelos direitosmuralha construída por algumas outras civis dos homossexuais no STFrepresentações políticas e religiosas. analisando os jornais dos dias 06 e 07Mas a prova da coerência prol de maio de 2011.humanismo e da necessidade deassistência legal à minoria homossexualé que, aos poucos, vão surgindo maisconquistas garantindo a integridade
  2. 2. 1. HISTÓRICO SOBRE O Gays, Lésbicas e Travestis. Os objetivosMOVIMENTO EM PROL DOS do Movimento Homossexual BrasileiroDIREITOS DOS HOMOSSEXUAIS são: lutar contra todas as expressões de homofobia; divulgar informaçõesO Movimento de Defesa dos Direitos corretas e positivas a respeito dados Homossexuais começou na Europa, homossexualidade; conscientizar gays,no final do século passado. Sua luta era lésbicas, travestis e transexuais dapela descriminalização da importância de se organizar parahomossexualidade e o reconhecimento defender plenos direitos de cidadania edos direitos civis dos homossexuais. política.Dia 28 de Junho de 1969 é datamarcante para esse movimento e é 2. OBJETIVOS DO MOVIMENTOconsiderada como "Dia Internacional do HOMOSSEXUAL BRASILEIROOrgulho Gay e Lésbico”. A data é Os grupos homossexuais, através deimportante porque no Bar Stonewall, reuniões com seus membros eem New York, os homossexuais se visitantes, discutem e planejam ações derevoltaram realizando assim um grande divulgação de seus objetivos comomanifesto contra a perseguição e os informações de prevenção damaus tratos da policia. AIDS/HIV e das demais DSTs, além de funcionar como grupo de apoioNo Brasil este movimento se deu de individual a cada homossexual naoutra forma. Em 1978 foi fundado o conquista de sua auto-estima.jornal O Lampião. Ele foi o principalcanal de comunicação da comunidade Entre as conquistas do Movimentohomossexual. E em Março de 1979, Homossexual Brasileiro podemossurge em São Paulo o primeiro grupo de destacar:homossexuais de forma organizada: o - Em 1985 o Conselho Federal deSomos. A partir daí o surgimento de Medicina do Brasil declarou que aoutras manifestações prol direitos dos homossexualidade não mais poderia serhomossexuais foram surgindo. Em 1980 classificada como "desvio e transtornoaconteceu em São Paulo, o 1° Encontro sexual".Brasileiro de Homossexuais; em 1984 - Em 1989 foi incluída a proibição derealizou-se o segundo EBHO em discriminação por orientação sexual noSalvador; em 1995 realizou-se em Código de Ética dos Jornalistas.Curitiba o VIII° Encontro Brasileiro de
  3. 3. - Em 1990, nas leis orgânicas de 73 o MHB deveria encaminhar aomunicípios (inclusive salvador) e nas Conselho Federal de Medicina o abaixoconstituições dos Estados de Sergipe, assinado com mais de 16 mil assinaturasMato Grosso e Distrito Federal, foi pela suspensão do 302.0 queincluída a expressa proibição de classificava a homossexualidade comodiscriminar por orientação sexual. desvio e transtorno sexual; lutar pela inclusão de cursos de educação sexualDenúncias de violação dos direitos em todas as escolas e por um tratamentohumanos e assassinatos de positivo da mídia em relação à questãohomossexuais publicados no Relatório homossexual; pela aprovação deAnual do Departamento de Estado dos legislação anti-discriminatória,Estados Unidos (1992). inclusive pela legalização do- Em 1995 realizou-se no Brasil a 17ª "casamento gay" e como o momento eraConferência da Associação de luta política, pelas Diretas Já.Internacional de Gays e Lésbicas, - Em 05 de maio de 2011 é aprovada(ILGA). pelo STF a lei que dá direito aos casaisII EBHO – Encontro Brasileiro de homossexuais a união civil garantindo-Homossexuais (Salvador, BA. 25 a 26/1 lhes os mesmo direitos de casaisde 1981) Com o fim do Jornal O heterossexuais.Lampião da Esquina, em meados de Na Bahia esse movimento é atualmente1981, os homossexuais brasileiros representado por instituições comoperderam seu principal canal de Grupo Gay da Bahia (GGB) ecomunicação nacional, pois os Associação de Travestis de Salvadorpequenos boletins de alguns grupos não (ATRAS).conseguiram a mesma comunicaçãohomossexual do continente sul- 3. LEIS VÁLIDAS EMamericano. TERRITÓRIO NACIONALFoi o EBHO que contou com a melhor 3.1 NA CONSTITUIÇÃOcobertura jornalística, com matérias BRASILEIRAgrandes nos principais jornais nacionais A Constituição brasileira de 1988e até um bom resumo na "Nación" de proíbe qualquer forma de discriminaçãoBueno Aires. Este II EBHO marcou o de maneira genérica. Contudo há umainício das comemorações do "Ano necessidade de especificar as leis contraInternacional Gay", deliberando-se que
  4. 4. a discriminação quanto à orientação IV. Preterimento quando da ocupaçãosexual. e/ou imposição de pagamento de mais de uma unidade nos hotéis e similares;“Objetivo fundamental da República”(art. 3º, IV) o de “promover o bem de V. Preterimento quanto a aluguel outodos, sem preconceitos de origem, aquisição de imóvel para finsraça, sexo, cor, idade, ou quaisquer residencial, comercial ou de lazer.outras formas de discriminação”. 3.1.1 Lei 5685/1999 3.2 EM SÃO PAULOArt. 181 - Fica proibida a colocação de A lei estadual 10.948/2001 pune comqualquer meio ou exibição de anúncio, multas e outras penas para aseja qual for sua finalidade, forma ou discriminação contra homossexuais,composição nos seguintes casos: bissexuais e transgêneros. São puníveisII - Quando favoreça ou estimule pessoas, organizações e empresas,qualquer espécie de ofensa ou privadas ou públicas (art. 3º). A leidiscriminação racial, sexual ou proíbe, em razão da orientação sexualreligiosa. (art. 2º): violências, constrangimentos e intimidações, sejam morais, éticas, filosóficas ou psicológicas; a vedação 3.1.2 Lei 5275/1997 de ingresso a locais públicos ouArt. 1º - Os estabelecimentos privados abertos ao público; selecionarcomerciais, industriais, culturais e de o atendimento; impedir ou sobretaxar aentretenimentos, bem como as hospedagem em hotéis ou motéis, assimrepartições públicas municipais que como a compra, venda ou locação dediscriminarem pessoas, em virtude de imóveis; demitir do emprego ou inibir asua opção sexual, sofrerão as sanções admissão. A lei também pune quemprevistas nesta Lei. "proibir a livre expressão eParágrafo Único - Entende - se por manifestação de afetividade", se estasdiscriminação, para efeitos desta Lei. forem permitidas aos demais cidadãos.I. Constrangimento;II. Proibição de ingresso ou 3.3 EM SALVADORpermanência; Em 1990, a capital baiana foi aIII. Atendimento selecionado; primeira cidade da América Latina a
  5. 5. incluir a proibição da discriminação por Congresso. O Projeto propõe aorientação sexual na Lei Orgânica criminalização dos preconceitosMunicipal. Exemplo seguido por mais motivados pela orientação sexual e pelade 72 municípios em todo o país. identidade de gênero, equiparando-os aos demais preconceitos. 3.3.1 Lei Orgânica de SalvadorArt. 1º O Município de Salvador, 1. CORPUS E METODOLOGIACapital do Estado da Bahia, reger-se-á PARA ANÁLISEpor esta Lei Orgânica e pelas leis que Optamos por criar um corpus paraadotar, respeitados os princípios análise seguindo a lógica de seleção das edições dos três principais jornais deconstitucionais. referência de Salvador, com as datasParágrafo Único Ninguém será mais próximas do evento a ser analisado, por existir aí uma maiordiscriminado, prejudicado ou possibilidade de publicação de materialprivilegiado em razão de nascimento, sobre o assunto. Como a votaçãoidade, etnia, raça, cor, sexo, estado civil, ocorreu nos dias 04 e 05, analisamos os jornais dos dois dias de votação, mais aorientação sexual, atividade edição do dia anterior (03), e mais doisprofissional, religião, convicção dias posteriores (06 e 07), totalizandopolítica, filosófica, deficiência física, totalizou 15 edições. Estudamos as matérias, assim como a chamada demental, sensorial, aparência pessoal, ou capa, espaço do leitor, editoriais,qualquer singularidade ou condição colunas, opinião, etc.social, ou ainda por ter cumprido pena. A análise se dará através de estudo individual de cada edição selecionada, onde levaremos em consideração os3.2 EM TRAMITAÇÃO títulos das matérias, editoria, chapéu, tamanho das matérias, palavras-chave, 3.2.1 LEI (PCL) 122/2006 fontes e tamanho das matérias. Ao final,Existe um Projeto de Lei da Câmara realizaremos uma análise geral avaliando todo o conteúdo levantado.(PLC) 122/2006, em tramitação no
  6. 6. 2. ANÁLISE DAS EDIÇÕES 2.4 Dia 06 de maio de 2011 – SextaJORNAL A TARDE CORREIO* TRIBUNA DA BAHIATÍTULO Capa: Casais gays têm Capa: União Gay aprovada no Capa: Aprovada a união mesmos direitos dos STF civil gay heterossexuais Matéria: STF aprova união Matéria: União Matéria: Por unanimidade, estável gay homossexual é ministros do STF aprovam reconhecida união civil homossexualEDITORIA Brasil/ Nacional Brasil/ Nacional PolíticaCHAPÉU CidadaniaPÁGINA B5 11 05TAMANHO Meia página ¼ de página ¼ de página, sem contar fotoFONTES Marcelo Cerqueira (GGB), Ellen Gracie (Ministra do Ministros Luiz Fux, Almiro Sena (Secretário STF; na matéria não é citada Carmen Lúcia, Ricardo Estadual dos Direitos sua função ministerial), Lewandowski, Joaquim Humanos), Bia Trípodi Janaina Stabenow (especialista Barbosa. (coordenadora de Gestão, em direitos de família); Monitoramento e avaliação de Políticas de Direitos Humanos da Secretaria Estadual de Justiça), bispos que participam da 49ª Assembléia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, Edney Matoso (bispo de Nova Friburgo-RJ);PALVRAS- Unanimidade, união civil Unanimidade, união estável União homossexual,CHAVE homossexual, casais gay, casais homossexuais, união civil gay, homossexuais, casamento casamento civil, pessoas do julgamento histórico, civil, uniões homoafetivas, mesmo sexo, uniões unanimidade, uniões legislação, casais gays, homoafetivas, novo tipo de estáveis de direitos e deveres, obrigações família, direitos, homossexuais, casais e cautelas, proteção do discriminação legal, gays, desfrutar direitos, Estado, legislação, violar, homossexuais, humilhadas, casais do mesmo sexo, princípios constitucionais, direitos ignorados, dignidade pessoas do mesmo sexo, igualdade, não discriminação, ofendida, identidade negada, “famílias espontâneas”, justiça, direitos fundamentais, liberdade oprimida, proteção direitos, homoafetivos, historicamente discriminadas, do Estado, obrigações e preconceito, Constituição novo tipo de família, casais cautelas, primeiro passo, Federal, novo tipo de homo e heterossexuais, casais homoafetivos, família, proteção do conquistas, conviver, casamento homossexual, Estado. diferenças, militância, princípios fundamentais, gays, avanço; Código Civil, documentar;
  7. 7. GERAL Matéria com tom Mesma matéria de agência Visivelmente construída esclarecedor, aparentemente publicada pelo jornal A Tarde, em cima de matérias de escrita para informar sobre o com o texto levemente agência, assim como os tema. Usa a expressão “casal adaptado à linguagem menos demais jornais gay” como alternativa à formal, com mudanças na analisados. Matéria leve repetição de “casal estrutura e ordenação dos e de fácil compreensão. homossexual”. Matéria de parágrafos. As fontes foram Palavra gay em destaque agência. Texto formal. Uma modificadas. na capa. Foto do prefeito charge de autoria de Cau Uso da expressão gay. João Henrique ao lado da Gomes, mostrando um bolo chamada de capa. de casamento com um casal homossexual em cima e com a espada simbolizando a justiça, como se cortasse o bolo, foi apresentada na página A3.ANÁLISE: Os três jornais apresentaram nesse dia, textos baseados na mesma matéria de agencia.Todos fazem alterações de fontes e uma ordenação diferente de parágrafos. O texto leve e informativo éeficaz e consegue trazer muitas informações relevantes, mas percebe-se ainda que os veículos poderiamexplorar mais o fato dos direitos ainda não estarem de fato claros aos olhos do público geral,interessado no resultado da votação ou não. Percebe-se nitidamente um cuidado com as expressões aserem utilizadas numa aparente preocupação em não parecer preconceituosa ou depreciativa, fatorpositivo, pois isso caracteriza a preocupação com a informação e não com ideologias internas ouinfluenciadas por organizações e grupos terceiros. Apenas dois pontos negativos chamam atenção: 1. acharge apresentada pelo jornal A Tarde, sugere significado duvidoso, se em crítica ao STF por possuiralgum tipo de interesse em aprovar a união civil, ou se em crítica à união homossexual em si; 2. a fotodo prefeito João Henrique Carneiro sobre outra matéria estar posicionada ao lado do título sobre aunião civil, podendo isso caracterizar alguma associação com o político referido. 2.5 Dia 07 de maio de 2011 – SábadoJORNAL A TARDE CORREIO* TRIBUNA DA BAHIATÍTULO Pedaço de bolo para o STF Espaço do leitor: União Gay Duas notas: União e União gay Matéria: Novos direitos Coluna Merval Pereira: conquistados Decisão PolíticaEDITORIA Opinião/ Espaço do Leitor Leitor e Brasil/ Nacional Política e CidadesCHAPÉU Direitos de FamíliaPÁGINA A2 02 e 28/29 02, 04TAMANHO 1/3 de coluna Matéria – 2 meias páginas Pouco mais que ¼ de páginaFONTES Paulo Lobo (presidente do Lúcio Vieira Lima Instituto Brasileiro de Direitos (deputado federal), da Família), Maurício Brasil Lídice da Mata (Juiz titular das 8ª Vara de (senadora). Família de Salvador), Nelson
  8. 8. Jobim (ministro da Defesa), David Washington de Oliveira (homossexual)PALAVRAS- Originalidade, “casamento União gay, presente, pessoas Proteção do Estado,CHAVE gay”, escandaloso escore, do mesmo sexo, gays, casais homossexuais, homossexuais, palavra de sociedade, justa, igual, alteração constitucional, Deus, Bíblia, religião, violência, casais unanimidade, professam, adeptos ou homossexuais, conviveu, evangélicos, católicos, participantes, segmento reconhecimento jurídico, política, interpretação, religioso, excrescência moral, união estável, direitos, união respeito, direitos dos apologia ao catolicismo, homossexual, casais homossexuais, “proibição da prática do homossexuais, submetidas, modernizando, homossexualismo”, “os que sistema constitucional. Constituiçao, pressões, dão direitos a estas práticas”, “ativismo judicial”, deferir, compaixão, precedente jurídico, influência. mesmos direitos, união estável heterossexuais.GERAL Manifestação de opinião do Comentário favorável A coluna traz uma leitor à respeito da votação apresentado a partir da voz de análise mais da relação com total de 205 palavras. O um leitor com total de 61 político judiciária no país texto apresenta a indignação palavras. nos dias atuais que do do mesmo em relação ao A matéria, uma das poucas próprio tema em si que é resultado positivo do STF. produzidas na redação do utilizado apenas como Texto foi escrito a partir da jornal, apresenta perfil de gancho para a construção interpretação do mesmo à serviço. Esclarece de maneira do texto. charge apresentada na página eficiente sobre os direitos 03 da edição do dia 06 de adquiridos pelos maio. homossexuais e habilmente consegue inserir uma fonte representante do público homossexual e não apenas fontes oficiais. Matéria traz um quadro apresentando os direitos adquiridos pelos homossexuais.ANÁLISE: Enquanto a cobertura factual da votação à união civil ter sido feita por todos os veículos,resta para o dia seguinte, na maioria dos veículos a opinião do público sobre o tema e sobre as matériasapresentadas no dia anterior. Os jornais A Tarde e Correio* apresentaram a opinião do leitor. No casodo primeiro, a opinião, escrita em 205 caracteres, é uma crítica negativa clara ao resultado positivo davotação, aos parlamentares que votaram, aos relatores e aos homossexuais. O leitor expõe uma visãoconservadora elogiando o que interpretou da charge apresentada pelo veículo no dia anterior. O que seinterpreta aí é que a provocação da charge trouxe na voz de um “leitor”, sem identificação de bairro oucidade, o que poderia ser a opinião tradicional típica do perfil do jornal. Já o segundo, apresentou umacrítica positiva à união civil, aparentemente próxima à opinião geral do veículo, escrita em 61caracteres. O Correio* trouxe também uma matéria especial, produzida em redação local, sobre osdireitos adquiridos pelos homossexuais a partir da aprovação da união homoafetiva. A matéria de duasméis páginas traz as informações que faltaram na matéria publicada no dia anterior, sabiamenteapresentada como desdobramento do fato principal. A Tribuna da Bahia traz na página dois, duasnotas de política sobre o tema.
  9. 9. 3. RESULTADO GERAL DA ANÁLISEO que se conclui da cobertura realizada pelos jornais impressos baianos é que existeainda uma certa fragilidade quando se trata de temas tão delicados quanto ahomossexualidade. De maneira geral, os veículos não se esforçam em realizar umacobertura eficaz, trazendo dados numéricos, variedades de fontes e confrontamento deidéias. O que se vê hoje é uma forte tendência a reprodução de textos comprados e deapenas sobre o fato do dia, sem pensar em complementar as informações trazendo algoa mais.Pelo menos a questão da homossexualidade não foi tratada com preconceito, salvaexceção para a charge publicada por A Tarde no dia 06, de mensagem poliinterpretativa, e a divulgação do email enviado à redação do veículo, com opiniãopreconceituosa do leitor baseado em uma das possíveis interpretações da mesma charge,publicado no dia 07. Já nas capas, o tema foi tratado, aparentemente, de maneira nãopreconceituosa. Pois nas edições do dia 06, os três jornais utilizaram a palavra “gay” nacapa. Talvez pela amplitude do tema o uso da palavra “homossexual” fosse maisadequada. Mais existem outras coisas ao que se refere aos básicos do jornalismo queprecisam ser analisadas.Exemplo disso são as matérias que foram apresentadas no dia 06 de maio. Iguais. Todosos três veículos publicaram textos baseados em matérias de agencia. Caracteriza-se quenão existe um cuidado em apresentar algo mais particular à realidade local. O máximoque se chega disso é a estratégia das fontes, que variou de um veículo a outro, sendo queos jornais A Tarde e Tribuna da Bahia nem a isso se deram ao trabalho, publicandoapenas fontes de relevância nacional, sem reflexão sobre os efeitos locais da decisãojudicial. O Correio* trouxe uma fonte diferencia, mas não local, que opinou sobre ofato.Outro ponto percebido e que merece destaque é que na verdade, muitos veículos se atemao fato em si e não se preocupar em desdobramentos. No caso do Correio*, umaexceção entre os três, trouxe logo após a cobertura dos fatos, no dia 07 de maio, maisinformações tanto de interesse dos homossexuais, quanto dos heterossexuais, e demaneira clara, de fácil entendimento. Jornais como a Tribuna da Bahia que poderiaassumir hoje um papel mais independente entre os jornais, e talvez assim, abraçar boaparte de um público que não se identifica com a mídia impressa atual no estado, se atevetambém a apenas o factual. O A Tarde trouxe o que aparentemente, seria a opinião dopróprio veículo, na voz conservadora do leitor, numa postura de defesa do que eleconsidera moral e bons costumes. A Tribuna da Bahia trouxe apenas duas notas depolítica comentando idéias de personalidade políticas sobre o tema.Uma pena ter que reconhecer que o jornalismo feito na Bahia esteja ainda preso àquestões político-partidárias e religiosas, expressadas a través do perfil tradicionalistados alguns veículos. Por outro lado, de acordo com existe uma perspectiva de mudançaspositivas e isso acontece quando os veículos permite em sua rotina básicos dojornalismo como critérios de noticiabilidade ou mesmo percebendo que o público hoje
  10. 10. quer compreender a extensão de cada assunto, quer muito mais que meramente aestampa do perfil do veículo em cada texto ou mesmo somente a apresentação de umfato.BibliografiaOLIVEIRA, José Ricardo, RANGEL, Marcos, SUEDDE, Juliana. ComunicaçãoComunitária – Artigo ATRAS X Comunicação LGBT. Faculdade Social. Salvador,2010.Salvador, 06 de junho de 2011.

×