Evolução da Lingua

26.019 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
26.019
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
690
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
213
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Evolução da Lingua

  1. 2. Evolução da língua <ul><li>Sistematização </li></ul><ul><li>A principal influencia na forma da língua portuguesa é o latim. Mas se muitos termos chegaram até nós através do latim clássico, o latim culto, o latim dos escritores (via erudita), muitos outros chegaram através do latim vulgar, o latim falado sobretudo pelos soldados e comerciantes fixados nos territórios conquistados (via popular). </li></ul>
  2. 3. <ul><li>Evolução fonética (palavras divergentes e convergentes): </li></ul><ul><li>Pela existência dessas duas vias de formação da língua, por vezes, encontramos no português palavras que, apesar de partirem do mesmo étimo latino, deram origem a palavras com formas e sentidos diversos - são por isso designadas palavras divergentes . </li></ul><ul><li>Exemplos: </li></ul><ul><li>- Catedra (m) do latim originou em português cátedra e cadeira , que tem sentidos aproximados, mas distintos, uma vez que cátedra é a cadeira do bispo (daí «Sé catedral») ou a cadeira do professor (daí a designação de «professor catedrático»). </li></ul><ul><li>- Plenu (m) do latim deu origem em português a pleno e cheio , que tem sentidos aproximados, mas distintos, uma vez em que pleno significa total, inteiro, absoluto. ( Plenitude e plenário são também palavras da mesma família, porque provêm do mesmo étimo latino.) </li></ul>
  3. 4. <ul><li>Por outro lado, há palavras que, partindo de étimos latinos diferentes, apresentam a mesma forma na língua actual, embora tenha significados muito diferentes - são as palavras convergentes . </li></ul><ul><li>Exemplos: </li></ul><ul><li>- Eles são bons alunos. (forma verbal) </li></ul><ul><li>- O campo tem um ambiente são. (adjectivo) </li></ul><ul><li>- Ele há-de vir no dia de São Nunca. (abreviatura de santo) </li></ul>
  4. 5. <ul><li>Fenómenos fonéticos </li></ul><ul><li>Muitas das transformações anteriormente verificadas resultaram da mudança de sons pela alteração da pronúncia das palavras. Essas mudanças designam-se por fenómenos fonéticos. </li></ul><ul><li>Estes fenómenos podem ser de queda, adição ou permuta (mudança ou troca). </li></ul><ul><li>Há fenómenos de queda no início da palavra ( aférese: avantagem por vantagem ), no meio ( síncope: rivo por rio ) e no fim ( apócope: amore por amor ). </li></ul><ul><li>Há fenómenos de adição no início da palavra ( prótese: inda por ainda ), no meio ( epêntese: humile por humilde ) e no fim ( paragoge: ante por antes ). </li></ul><ul><li>Os fenómenos de permuta verifica-se sempre que há uma troca de som dentro da mesma palavra ( auga em vez de água ) ou mudança de som ( clamar por via popular originou chamar ). </li></ul>
  5. 6. <ul><li>Quais são os Fenómenos Fonéticos? </li></ul><ul><li>R: De adição são: -Prótese; </li></ul><ul><li>-Epêntese; </li></ul><ul><li>-Paragoge </li></ul><ul><li>De queda são: -Aférese </li></ul><ul><li>-Síncope </li></ul><ul><li>-Apócope </li></ul>
  6. 7. Especificação dos Fenómenos Fonéticos de Permuta Designação Exemplos Assimilação Mudança de som para outro que lhe está próximo. Completa: mudança total. Incompleta: mudança total. Completa: ipsu (m) no latim evolui para isso . Incompleta: lavaram- lo evolui para levaram- no . Dissimulação Mudança de som para evitar a semelhança com outro Liliu (m) no latim evolui para lírio . Palatalização Mudança de um grupo de fonemas para um som palatal. Flamma (m) no latim (deu inflamar por via erudita) mas chama (por via popular). Nasalação Mudança de um som devido à aquisição das vibrações nasais de outro. Canes (no latim) evolui para cães .
  7. 8. Sonorização Passagem de consoante surda a sonora. Acutu (m) no latim (dá acutilante por via erudita) evolui para agudo por via popular. Vocalização Passagem de uma consoante a vogal Nocte (m) no latim (dá nocturno por via erudita) evolui para noite . Crase / Sinérese Transformação de duas vogais iguais numa só (crase) ou em ditongo (sinérese). Pede (no latim) evolui para pee (por síncope) que evolui para pé (por crase). Lege (no latim) evolui para lee (por síncope) que evolui para lei (por sinérese). Metátese Troca de sons dentro da palavra. Semper (no latim) evolui para sempre .
  8. 9. <ul><li>Renovação do léxico </li></ul><ul><li>Estrangeirismos – vocábulos que fazem parte de outras línguas e que foram introduzidas no português ou foram incorrectamente aportuguesadas. </li></ul><ul><li>Exs.: chauffage » aquecimento – do francês; </li></ul><ul><li>Suspense » expectativa – do inglês, etc. </li></ul><ul><li>Nota : A utilização da maioria dos estrangeirismos não é aconselhada, devendo estes ser substituídos, sempre que possível, pelo vocabulário existente correspondente na nossa língua. </li></ul><ul><li>Neologismos - novas palavras que foram criadas perante o desenvolvimento técnico, cientifico e artístico. </li></ul><ul><li>Ex.: cosmonauta </li></ul><ul><li>Nota: o tempo de duração de um neologismo é extremamente curto, durando apenas até ao momento em que o objecto ou o conceito se torna habitual. </li></ul>
  9. 10. Neologismos A partir do léxico português A partir de léxicos estrangeiros Polissemia (adição de sentidos) Abreviaturas, siglas e acrónimos Estrangeirismos (mantém a grafia original) Empréstimos (adapta-se à grafia portuguesa) Rato (ladrão) Foto (fotografia) Surf Futebol Gato (erro) ONU (Organização das nações unidas Bodyboard Boné Papagaio (tagarela) CTT (Correios, Telégraficos e Telefones) Pizza Ecrã
  10. 11. <ul><li>Arcaísmos – palavras que já não se usam. Desaparecem com o objecto, a actividade ou o conceito que definiam. Muitas vezes simplesmente substituídas por outras. </li></ul><ul><li>Exs.: asinha – depressa </li></ul><ul><li>Calafeteiros – homens que recuperavam o mau estado dos navios </li></ul><ul><li>Formação de palavras: composição </li></ul><ul><li>Composição – processo que consiste na união de duas ou mais palavras numa só. Pode fazer-se de dois modos: </li></ul><ul><li>- Justaposição , quando se juntam os elementos por um traço de união, mantendo cada um deles a sua ortografia e acentuação inalteráveis; </li></ul><ul><li>Ex.: couve-flor; chapéu de sol; vice-rei </li></ul><ul><li>- Aglutinação , quando os elementos se unem e ficam restritos a um único acento tónico. </li></ul><ul><li>Ex.: aguardente (agua+ardente); pernalta (perna+alta) </li></ul><ul><li>Onomatopeias – conjunto de palavras que são criadas com o objectivo de reproduzir sons, vozes de animais e ruídos da natureza. </li></ul><ul><li>Ex.: miar; tiquetaque; zumbir… </li></ul>

×