Planejando os custos

175 visualizações

Publicada em

Como dividir o trabalho e estimar o tempo gasto para cobrar.

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
175
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Planejando os custos

  1. 1. Algumas dicas sobre a última aula: Transforme o máximo de custos variáveis em fixos. Planeje verbas para investimentos e transforme-as em custos fixos também.
  2. 2. Isso reduz consideravelmente os riscos de prejuízo porque você cobra um preço mais consistente e pode provisionar recursos para investimentos.
  3. 3. Custos fixos de valor oscilante, como eletricidade e telefone, calcule a média mensal dos gastos de um ano ou semestre. Use esse valor médio no planejamento.
  4. 4. Verbas para estratégias de marketing, como divulgação, apresentação, participação em eventos, cursos de aperfeiçoamento: Planeje as ações desejadas para um ano, levante os custos, divida o total por 12 e você terá uma verba mensal no planejamento.
  5. 5. PLANEJAMENTO DO TEMPO Como diria Jack: “vamos por partes”
  6. 6. Já sabemos sobre o custo-hora referente ao salário e ao operacional.
  7. 7. Precisamos também estimar a quantidade de horas para o desenvolvimento do trabalho.
  8. 8. Isso é algo que você só vai fazer realmente bem quando conhecer bem o cliente e o seu próprio ritmo de trabalho.
  9. 9. Estimar a quantidade de horas serve para duas coisas:
  10. 10. 1- ter o fator multiplicador para saber quanto custará para você o projeto (custo de fazer)
  11. 11. 2- traçar uma meta de controle para desenvolvimento do trabalho e poder melhor avaliar se, uma vez concluído, trouxe mais lucro do que o esperado (concluído antes do previsto) ou se trouxe prejuízo ( se exceder a quantidade de horas previstas).
  12. 12. Masssssss... Como fazer?
  13. 13. Pra começar, vamos dividir o problema em partes. No caso, significa dividir o projeto em etapas.
  14. 14. Procure visualizar quantas e quais etapas serão necessárias, como: -Pesquisa - geração de alternativas -Criação de layout -Alteração de layout -Arte-final -Orçamento de produção
  15. 15. Procure também atribuir uma quantidade de horas para cada etapa. Por exemplo, um folheto: Pode ser que você imagine gastar Pesquisa Geração de alternativas Layout Alterações de layout Arte final 2h 3h 10h 4h 3h Some o total de horas previstas. No caso acima, teremos 22 horas.
  16. 16. Tempo-Reserva Caso o projeto seja para um cliente novo, é bom considerar um tempo reserva. Uma vez que você não o conhece, este tempo é uma margem de segurança para você reduzir o seu risco.
  17. 17. Em média, este tempo de reserva pode ser 10 a 20% do tempo previsto, você decide em função da sua percepção com relação ao cliente. Ex.: um projeto previsto para 40 horas, calcule com base em 44 a 48 horas.
  18. 18. Essa reserva de tempo também pode ser uma margem de segurança extra para seu orçamento, caso o cliente queira negociar um desconto maior.
  19. 19. Exercício: Calcule, em uma folha de papel, quantas horas você precisa para um projeto de um logotipo para uma farmácia de manipulação.
  20. 20. O Designer e o Padeiro
  21. 21. Que conclusão tiramos com esse caso? Que erros o designer cometeu durante a negociação?
  22. 22. Formação do Preço
  23. 23. Se o seu custo é de R$100,00 e você quer um lucro de 20%, qual o seu preço de venda? (desconsidere impostos, frete, comissões, etc.)
  24. 24. Se pensou em R$120,00, errou e saiu no prejuízo.
  25. 25. Parece esquisito, mas não existe 100%, 200%, 400% de lucro. A conta é mais simples do que você pensa.
  26. 26. Tenha em mente que o lucro deve ser calculado sobre o preço de venda, e não sobre o custo.
  27. 27. De acordo com o exemplo dado, se você tirar 20% de R$120,00, vai ficar com R$96,00 para cobrir os custos.
  28. 28. Para conseguir o preço de venda correto, precisamos aplicar a Taxa de Markup:
  29. 29. Markup ou Mark Up é um termo usado em Economia para indicar quanto do preço do produto está acima do seu custo de produção e distribuição.
  30. 30. Markup ou Mark Up é um termo usado em Economia para indicar quanto do preço do produto está acima do seu custo de produção e distribuição.
  31. 31. TM = 100 / (100 – % rentabilidade + % impostos + % etc)
  32. 32. Como no nosso exemplo anterior desconsideramos os impostos, frete, comissões, o cálculo fica assim: TM = 100 / (100 – 20) = 1.25 Preço de Venda = Custo x Taxa de Markup PV = 100 x 1.25 = R$125
  33. 33. Pode testar, coloca na calculadora, R$125 – 20%, e vai sobrar os R$100 para cobrir os custos.
  34. 34. Agora vamos para a planilha de custos operacionais, vamos tentar utilizar o exemplo mais comum a todos:
  35. 35. No exemplo, o total de horas necessárias para um projeto simples é multiplicado pelo valor do nosso custo operacional já calculado.
  36. 36. O calculo de horas deve sempre considerar uma taxa de 10% de respiro, para eventuais imprevistos.
  37. 37. Calculamos uma margem fictícia para impostos, e uma margem de negociação caso o cliente chore um descontinho, e a taxa de rentabilidade ou lucro. Se cobrarmos só o custo operacional com um acréscimo de 20% o calculo de formação de preço estaria errado, e seria praticamente trabalhar para pagar as contas.

×