Fundamentos I

691 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
691
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fundamentos I

  1. 1. FUNDAMENTOS I ENSINO MINISTERIAL DE LOUVOR E ADORAÇÃO PRS. WANDERCLAYSON E CLAUDIA MARQUES 1
  2. 2. ÍNDICE Introdução Amando Deus Culto Racional Verdadeiros Adoradores Intimidade Permanecendo em Deus Comunhão Bibliografia 03 04 09 14 18 23 27 32 2
  3. 3. INTRODUÇÃO “Finalmente, irmãos, vos rogamos e exortamos no Senhor Jesus que, como aprendestes de nós de que maneira deveis andar e agradar a Deus, assim como estais fazendo, nisso mesmo abundeis cada vez mais.;" I Tessalonicenses 4:1 C remos que hoje em dia precisamos retornar ao aprendizado correto sobre a verdadeira adoração. Adoração é render-se em submissão e declarar quem Deus é. O Louvor é a gratidão pela ação de Deus em nosso favor. Fomos chamados para proclamar boas novas (ref.) por isso nossos lábios precisam declarar daquilo que estamos cheios em nossos corações (ref). Louvor e Adoração não se resumem em música, apesar da música ter sido criada para isso em sua essência. Não devemos idolatrá-la porque senão corremos o risco de adorar a “adoração” e não o “Senhor da Adoração”. Louvor e Adoração estão mais ligados ao coração e às atitudes do que a música. Cremos que a música inspirada pelo Espírito Santo pode transformar vidas, porque a mesma mexe com as emoções e com o pensamento do homem fazendo-o voltar-se para Deus. Tudo o que formos ministrar (servir) precisa vir de um coração quebrantado, sem orgulho. Deus está tratando com sua igreja a voltar às primeiras obras (ref.). Cremos que os princípios precisam ser restabelecidos com o fim do templo do Espírito Santo seja edificado e ali a sua presença seja palpável. Queremos nos unir a você neste momento para que juntos conheçamos às profundezas do conhecimento de Deus. Deus te abençoe! Prs. Wanderclayson e Claudia Marques 3
  4. 4. AMANDO A DEUS 4
  5. 5. AMANDO DEUS “Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de todas as tuas forças..” Marcos. 12:30 N ossa disposição em adorar a Deus depende da motivação que vem dentro de nós mesmos. Adoração é uma expressão profunda de relacionamento com Deus. Não podemos considerar a presença de Deus com indiferença, pois muitas vezes nós fazemos isso, quando somos frios e formais a ponto de darmos mais ênfase às programações de culto do que o próprio Deus do culto. O verdadeiro amor flui espontaneamente, não pode ser programado. Caso isso aconteça a pessoa na qual você “projetou para amar” se sentirá usada (o). Deus sempre nos considerou como filhos, participantes da sua grande família, quando estamos em família tudo é espontâneo, tudo praticamente é casual. Por isso quando olhamos para este texto podemos considerar que Deus espera de nós um amor intenso envolvendo todas as dimensões do nosso ser (Ef. 3:17-19). Uma das propostas do amor é remover o egoísmo tão pertinente nos nossos dias que nada mais é do que o mundo, quem ama o mundo o amor do pai não está nele (ref.) então tudo o que provém de auto-satisfação pessoal, isso é egocentrismo. AMARÁS O SENHOR TEU DEUS DE: 1. TODO O TEU CORAÇÃO: Quando falamos de coração falamos de sentimentos que são acumulados de dentro de nós, sentimentos que nos vinculam a pessoas do nosso convívio. Estamos falando também do bom senso e não do sentimentalismo. Nossos sentimentos são os que mais pesam quando vamos tomar qualquer decisão. Onde está o nosso bom tesouro ali está o nosso coração (ref.). Por isso ele é tudo que nós devemos guardar (ref.), o nosso coração às vezes é enganoso 5
  6. 6. AMANDO DEUS (ref.) porque acaba se apegando em coisas que não precisam se apegar, isso pode abalar toda estrutura sentimental. Nossa boca fala do que o nosso coração está cheio (ref.). Nosso Deus é a pessoa em que devemos nos apegar. Na qual todos os nossos sentimentos precisam estar ligados Nele. Nossos sentidos e sensações precisam estar estabelecidos no Deus da nossa vida. 2. TODA A TUA ALMA: Até que distância nós podemos percorrer um trajeto junto com uma pessoa amada? Até que ponto dedicaria todo curso da sua vida planejando e realizando seus sonhos juntos? Nossos pensamentos e emoções são passageiros, por isso estes mesmos precisam ser direcionados da maneira correta, qualquer desvio de pensamento (gênio) pode trazer rompimento de relacionamentos, qualquer desvio emocional pode trazer atitudes irreversíveis pro relacionamento. O homem projeta, mas Deus é quem realiza (ref.), quando os nossos sonhos estão dentro dos sonhos de Deus, passamos a não ser mais egoístas, passamos a compartilhar nossos pensamentos e muitas vezes dentro de um relacionamento muitos pensamentos precisam se renunciados. Se falarmos tudo o que pensamos, as pessoas vão nos chamar de loucos, assim como se tomarmos decisões em todas as emoções que sentimos nós acabaremos sendo destruídos. Deus tem pensamentos de Paz (ref.), satanás quer sempre joga dardos inflamados (ref.) para perturbação nos nossos pensamentos assim começamos a maquinar um monte de besteiras, afim de que possamos tomar decisões com base nas nossas emoções. Quando estamos perturbados emocionalmente e tendo pensamentos errados, precisamos contrapô-los com a nossa busca por Deus. Nossas emoções precisam desprendidas com a pessoa certa, Deus é esta pessoa! Nós podemos chorar, rir, curtir 6
  7. 7. AMANDO DEUS aquele momento especial de experiências extravagantes, pois são estas marcas emocionais é que vão edificar os nossos sentimentos. E farão com que nós tomemos a única decisão, de estar mais perto de Deus, e sermos completamente apaixonados por Deus. Independente das circunstâncias. 3. TODO O TEU ENTENDIMENTO: Nosso entendimento está mais ligado ao nosso espírito. O que nos faz amadurecer espiritualmente é a quantidade de revelações que temos do conhecimento de Deus. Não basta apenas conhecer a Deus por absorção de informações conceituais, precisamos conhecer a Deus por quem Ele é (ref.). Nossa análise não pode ser com base em experiência dos outros, você precisa experimentar pessoalmente, pois só pessoalmente é que podemos entender com mais facilidade as coisas de Deus. Às vezes por mais que uma pessoa explique pra você como as coisas são você sempre usará seus pensamentos pra tentar projetar e visualizar o que a mesma está querendo decifrar pra que você entenda. Mas você só saberá mesmo quando estiver “tete a tete” com Deus. 4. TODAS AS TUAS FORÇAS: Tudo o que fazemos com garra e coragem valem à pena. O reino dos céus é conquistado com esforço(ref.). Por isso muitas vezes quando a preguiça vem, paramos por ali mesmo, não queremos ir mais fundo, achamos que as coisas de Deus precisam ser feitas relaxadamente, acabamos sendo rasos e fazemos a obra de Deus sem zelo. Sabemos que quando omitimos de agir quando sabemos que podemos fazer e não agimos isso é chamado de pecado de preguiça (ref.). Muitas vezes nos esforçamos a fazer tantas coisas fora da vontade de Deus, isso também é pecado. O pecado é formulado nos nossos pensamentos, embriaga nossas emoções e manifesta através das ações. Temos coragem de gritar em um 7
  8. 8. AMANDO DEUS estádio de futebol (goooolll) gritamos ao máximo, com toda a força da nossa voz. Mas não temos coragem de glorificar a Deus com nossas ações, não só gritando, mas também manifestando a glória de Deus no nosso físico. Nosso corpo é templo (ambulante) do Espírito Santo, é necessário que seja cuidado para expressar a glória de Deus em qualquer lugar. CONCLUSÃO: Deus deseja que o amemos de forma completa e que tudo o que há em nós bendiga o seu santo nome (ref.). 8
  9. 9. CULTO RACIONAL 9
  10. 10. CULTO RACIONAL “Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.” Rom. 12:1 C omo adoradores precisamos ter em mente o que representa um culto, de que maneira precisamos exercê-lo e o lugar onde devemos fazê-lo. O termo CULTO RACIONAL do original grego (“lógikos latréia”) que significa “adoração lógica”. Com base nisso precisamos entender profundamente, que todo o serviço que prestamos como OFERTA A DEUS precisa AGRADAR a quem está sendo adorado. Muito pelo contrário que temos visto nestes últimos dias, pessoas têm ido aos cultos para receber algo de “Deus” ou muitas vezes se alimentar daquilo que o HOMEM pode dar. Isso não está totalmente errado, quando se trata o culto como um “estado de refúgio”. Porque na verdade as pessoas vão pra aos cultos pra “recarregar as baterias” dos desgastes de toda uma semana cheia de problemas, stress e ativismo. Isso pode ser muito perigoso porque isso pode tornar-se um VÍCIO ou um RITUAL mecânico e, no entanto a verdadeira RAZÃO do culto não é nada além do que agradar a Deus. Nossas motivações ao prestarmos um culto precisam vir de um amor AGAPE (sacrificial) de entregar todo o nosso corpo como oferta viva no altar. Mesmo que muitas vezes sintamos dores, precisamos ter o prazer e alegria de entregar tudo o que temos e somos ao Senhor. Mesmo que para muitos seja um desperdício, tudo o que damos a Deus deve existir uma profunda convicção que estamos agradando-o. Os benefícios de quem presta um culto a Deus são na verdade os “GALARDÕES”, “...porque Deus é galardoador daqueles que o buscam” (Heb. 11:6c). 10
  11. 11. CULTO RACIONAL MOTIVAÇÃO PARA O CULTO A nossa motivação de prestar um serviço de culto a Deus não pode ser em receber Bênçãos. Apesar de Deus liberar bênçãos sobre um culto. Naturalmente um culto onde a presença do Espírito está já se torna um ambiente abençoado, porque a presença de Deus está ali! A nossa busca precisa vir por meio da FÉ, pois sem fé é impossível AGRADAR a Deus (Heb. 11:6a). Portanto a única maneira de agradar a Deus precisa ser por meio da FÉ, ou seja, crer que Ele existe. Mesmo que não o sintamos. Ainda que hajam dificuldades em aspectos diferenciados de pessoa pra pessoa, nossos olhos precisam estar fitos na presença de Deus. ONDE É O ENDEREÇO PARA CULTUAR A DEUS? A palavra de Deus diz que o nosso corpo é Templo do Espírito Santo (I Cor. 6:19), entendemos então que somos a habitação do Deus altíssimo. A partir disso entendemos que não importa o lugar onde estejamos nosso corpo é o LUGAR DE ADORAÇÃO. Um lugar de adoração “ambulante”, por onde quer que ele vá ali há oferta e sacrifício agradáveis a Deus. Jesus em uma passagem explicou exatamente este endereço a uma mulher samaritana: “Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que em Jerusalém é o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me, a hora vem, em que nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos; porque a salvação vem dos judeus. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e é necessário que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.” Jo. 4:20-24 11
  12. 12. CULTO RACIONAL Com base neste texto o lugar de culto fica na “Rua: espírito, n° verdade!?” Podemos entender isso de maneira bem prática. Somos um espírito que tem uma alma que habita em um Corpo. O nosso espírito é a única parte do nosso corpo que se comunica diretamente com Deus. Este é o mesmo espírito que dentro de nós clama Aba Pai (Rom. 8:15b). Definitivamente, este é o Local da Adoração, o lugar onde a bíblia chama de homem interior. Não basta apenas adorar no espírito precisamos ser transparentes com Deus. CORAÇÃO SINCERO PARA O CULTO Todo o culto que prestamos precisa ser verdadeiro em toda sua execução com o intuito de agradar a Deus. Nisso devemos ser muito transparentes com Deus! De se aproximar Dele com o coração sincero (Heb 10:22a) com FÉ crendo que tudo o que formos fazer com certeza irá agradar a Deus. Se a nossa boca estiver falando algo que seja contrário ao que queremos estamos sendo falsos com Deus. “Respondeu-lhes: Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios; o seu coração, porém, está longe de mim; mas em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens. Vós deixais o mandamento de Deus, e vos apegais à tradição dos homens.;” Mc. 7:6-8 Por isso cremos que não basta apenas prestar um culto tendo uma consciência e plena certeza de fé que desejamos agradar a Deus, precisa ser com o nosso espírito e com sinceridade. E ainda que façamos tudo isso se não for por amor (ágape: sacrificial) estaremos proclamando o nome de Deus em vão, este é o terceiro mandamento dos 10: não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão... (Ex. 20:7). E todos os 10 mandamentos foram respaldados por Jesus no Novo Testamento onde depende toda a lei e os profetas (Mateus 22:37-40). 12
  13. 13. CULTO RACIONAL PORQUE DEVEMOS AGRADAR A DEUS? Todo adorador assemelha-se com o objeto da sua adoração, então quando adoramos a Deus estamos agradando a sua vontade de ser adorado. E a nossa vontade e prazer em agradar a Deus, é que Ele venha habitar em nós continuamente sendo nós templo do Espírito Santo necessitamos de sua presença ativa. Deus tem prazer em habitar em nosso meio (Ex. 25:8 - 29:42-46) ao longo das épocas Deus sempre criou estratégias para estar mais perto do homem, por mais que o homem recusasse Ele sempre tentou mais uma vez. E sua última “chance” foi quando ele enviou Jesus para um propósito: reconciliar o homem com Deus! (II Cor. 5:18). Então queremos que venha cumprir a sua vontade de habitar conosco seja qual for o lugar... Ele está aqui! CONCLUSÃO: Entendemos que um culto precisa ser um sacrifício que agrade a Deus, não a homens e nem a nós mesmos. Que o Senhor é galardoador daqueles que o amam, pois o ambiente de culto já é abençoado, por isso não precisamos ir ao culto para receber bênçãos. O endereço da adoração está dentro do nosso corpo, no espírito ou homem interior onde é a parte do nosso corpo que se comunica diretamente com Deus. Precisamos ser sinceros com Deus que o amamos e queremos agradá-lo de todo o nosso coração. Temos prazer em agradar a Deus pois sabemos que se o agradarmos ele habitará em nosso meio. 13
  14. 14. VERDADEIROS ADORADORES 14
  15. 15. VERDADEIROS ADORADORES “No entanto, está chegando a hora, e de fato já chegou em que os verdadeiros adoradores adorarão ao Pai em espírito e em verdade.” Jo. 4:23 N esta segunda lição estaremos estudando sobre um texto muito conhecido. O mesmo abrange aspectos cruciais na vida de um filho de Deus. Não basta adorar a Deus, com a alma ou com o corpo, é necessário que seja com o espírito do homem interior. Precisamos identificar em primeiro lugar o que é espírito e o que é alma. No texto de: "Espada de dois gumes a ponto de dividir alma e espírito...". Para isso precisamos de discernimento conferindo coisas espirituais com espirituais... então adorar com o espírito se torna algo exclusivo para aqueles que tiveram a experiência do novo nascimento. Com um espírito vivificado por Jesus, seus sentidos espirituais estarão habilitados para se comunicar com Deus. Com base nisso precisamos além disso adorar com verdade, ou seja, transparência de ser quem você é genuinamente diante de Deus e diante dos homens. A autenticidade do adorador implica em ser o que ele é, seja qual for o lugar onde ele esteja além de expressar o que flui no seu espírito movido pelo Espírito Santo. SEDE ESPIRITUAL Dentro de nós há um espírito que clama ABA! Há uma sede em nosso espírito pela presença do Pai que incomoda nossa alma. Por isso entendemos que a alma/carne nunca penderá em obedecer a Deus. Então tudo que é desfavorável à verdade de Deus. Isso sim é carnal. Creio que assim seja a única maneira de sabermos quando é Deus que está falando ou se é nossa alma. Há algo no verso 13 de João 4 que diz: mas quem beber da água que eu lhe der, nunca mais terá sede ao contrário, a água que eu lhe der se tornará nele uma fonte a jorrar para a vida eterna. Jesus estava falando 15
  16. 16. VERDADEIROS ADORADORES neste Texto da pessoa do Espírito Santo. O Espírito Santo é quem ativa a adoração do homem para com Deus. Porque o espírito santo glorifica ao Pai, por isso ele é um espírito de adoração. Então quem preza ser adorador verdadeiro precisa ser cheio do Espírito Santo pois estando cheio fluirão o poder da palavra de Deus através de palavras e atitudes. A HORA DA VERDADE CHEGOU! No texto de João 4 na versão King James e no grego, existe um termo muito interessante: "A HORA DA VERDADE CHEGOU, que os adoradores..." o que dá impressão de como se a adoração fosse uma PROVA DE CARÁTER diante da presença de Deus na qual só é aprovado quem realmente é filho de Deus. É fundamental que nós como filhos espirituais nos portemos como tal diante do Pai de amor. Hoje em dia existe tantas letras, tantas músicas, tantas palavras, tanta orfandade e hipocrisia que Deus diz a isso tudo: "Esse povo se aproxima de mim com a boca e me honra com os lábios, mas seu coração está longe de mim. A adoração que prestam é feita só de regras ensinadas por homens" Is. 29:13 NVI. A Adoração não pode ser tratada como um mecanismo religioso que fabricamos do nosso jeito humano de ser. Existem pessoas que adoram a adoração e não adoram o Senhor da adoração, isso é muito sério. Porque na hora em que o Fogo vir, provará a obra de cada um se for ouro, pedras preciosas... I Cor. 3:12-15 estas sim serão aprovadas, caso contrário será motivo de morte espiritual. Os historiadores dizem que os sacerdotes quando entravam no lugar santíssimo do tabernáculo uma vez por ano, na sua veste sacerdotal havia um sino que enquanto ele desempenhava seu serviço diante de Deus o sino ficava tinindo, caso o sino parasse de tocar estando no lugar santíssimo, o mesmo estaria morto. Isso prova que se o 16
  17. 17. VERDADEIROS ADORADORES nosso coração como geração sacerdotal não estiver obediente aos mandamentos do Senhor, sem santidade na hora da adoração ao invés de contemplarmos a Vida de Deus, poderemos ter o efeito contrário causando morte de nós mesmos. CONCLUSÃO: Adoração é uma prova pelo fogo de Deus, em que nós sendo sacrifício vivo, santo e agradável a ele poderemos contemplar sua face. É tempo de arrependimento igreja, é tempo de ser transparente com Deus e de buscar santidade através da limpeza dos nossos pecados pela palavra e avivamento pessoal através do Espírito Santo. Só assim nossa adoração tende a ser agradável e verdadeira diante de Deus. Outra coisa muito importante é que "adorador" não é título mas é uma vida de temor a Deus. Não podemos pisar nas pessoas com o nosso orgulho hipócrita sendo que quem ama a Deus ama seu próximo, então precisamos entender que ser adorador é ser acima de tudo humilde sem títulos, mas que tenha um coração segundo o coração de Deus. 17
  18. 18. INTIMIDADE 18
  19. 19. INTIMIDADE “Ora, sem fé é impossível agradar a Deus; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.” Hb. 11:6 O amor de muitos tem se esfriado, inclusive os próprios escolhidos tem sido enganados por falsas doutrinas (Mat. 24:12,24). Isso deve-se ao alto teor de religiosidade que tem invadido nossas igrejas de um modo geral. Isso tem nos afastado de Deus apesar do véu que "separava" já estar rasgado (Hb.3:20), muitas pessoas preferem viver fora da graça e renunciar e não corresponder o amor que Jesus provou ali na Cruz (Fil.3:18-19). A intimidade do Senhor é para aqueles que o temem ou seja: é somente para quem reconhece a presença de Deus e rende-se a ela. Não há como ter intimidade com Deus sem ter discernimento da sua presença. Moisés estava face a face com Deus, ficava dias e dias em sua presença, um homem que marcado fortemente por Deus, apesar da glória (shekinah - brilho) que o revolvia, foi capaz de dizer: Senhor mostra-me a tua glória! (kabod – coração ou peso). Cremos que as tábuas da Lei era apenas o “estereótipo” daquilo que havia sido inscrito no coração de Moisés (II Cor. 3:3). Para alcançar este propósitos precisamos dos seguintes passos: TER FÉ “Sem fé é impossível agradar a Deus” Cremos que a fé nada mais é que crer na existência de algo ou alguém que “materialmente” não existe (Hb.11:1). É ir além do que os olhos humanos vêem, projetar um futuro promissor e confessar com os lábios que isso já se realizou. Jesus disse algo muito interessante com relação à fé: “Disse-lhes ele: Por causa da vossa pouca fé; pois em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele há de passar; e nada vos será impossível.” (Mat.17:20) 19
  20. 20. INTIMIDADE Não adianta somente crer ou ter plena convicção, é ir além... E declarar com os lábios, profetizando vida aos projetos. No nosso caso em especial a fé é exercida a partir da nossa projeção pela presença manifesta de Deus. Todas as vezes que vamos adorar precisamos visualizar com os olhos da fé o coração de Deus a fim de agradá-lo. O sonho de todo adorador é a presença manifesta de Deus! TER TEMOR “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria” O verdadeiro temor do Senhor consiste na consciência em que Deus está presente em qualquer ocasião ou situação. Cabe perfeitamente em um dos atributos de Deus que é a sua Onipresença. Jesus disse antes de ser assunto ao céu que enviaria o CONSOLADOR (Jo.15:26). A palavra “consolador” em grego: “Parakletos” que significa Presença Intensa. Jesus estava deixando um amigo Deus que iria nos exortar a qualquer momento, sendo assim não estamos sós, porque temos a presença contínua do Espírito Santo dentro ou fora de nós, cabe a nós decidirmos o que nós queremos Dele. Qual decisão precisamos tomar em meio a situações difíceis? O Espírito Santo nos fárá lembrar de sua palavra (Jo. 14:26) e com base nisso seremos sábios ao consultarmos a Ele antes de tomar qualquer atitude. Jesus disse também que estaria conosco todos os dias até a consumação dos séculos (Mat. 28:20) por isso não estamos sós. Tendo a sabedoria que os Seus olhos estão em todo lugar (Pv. 15:3). O temor do Senhor é ter a consciência que Deus está aqui! TER OUSADIA Quando estamos em um período de adoração nós temos dois caminhos com rumos diferentes. O primeiro é apesar de Deus querer revelar coisas profundas a nós, olharmos para aquilo que é natural e se contentar 20
  21. 21. INTIMIDADE somente com isso, com medo de passar vergonha. O segundo é fitar nossos olhos em Deus e expressar todo o seu amor independente das suas ações ou manifestações espirituais que Deus está promovendo naquele momento em seus coração. Tocar em Deus pra muitos pode ser um absurdo, mas todo adorador não se contenta somente em reconhecer que “Deus está aqui” ele quer ir mais fundo. Por isso quando estamos em um momento de devoção ao nos entregarmos completamente o nosso corpo como sacrifício, e ao buscarmos de todo nosso coração com quebrantamento espontâneo e profundo. Deus começa a revelar seus mistérios a estes cujo seus corações estão derramados como um vaso de alabastro. Quando estamos mergulhados na presença de Deus alguma coisa precisa acontecer dentro de nós a partir de uma posição radical e extravagante. Cremos que ao olharmos o véu rasgado podemos ir além de tudo aquilo que é natural. O corpo de Cristo foi rasgado para que nós pudéssemos contemplar além da carne a glória de Deus. Isaías quando viu a glória de Deus teve temor e disse “Ai de mim Senhor!”, Moisés muito mais ousado quando disse “ Senhor, mostra-me a tua glória!”. Como nós como filhos de Deus não podemos entrar em tal dimensão espiritual e desfrutá-lo? (II Cor.3:7-8). Como Paulo que viu “...coisas inefáveis que não é lícito um homem ouvir” Precisamos ter experiências profundas de intimidade com Deus. CONCLUSÃO: Todo adorador quando vê a Deus é profundamente marcado, por ser o objetivo principal de Deus de ir formando seu homem interior até alcançar a sua imagem e semelhança. Todas as ações de Jesus sempre tiveram um propósito, assim sabemos que 21
  22. 22. INTIMIDADE quando ele se manifesta ele está cumprindo um propósito na vida de cada adorador e tendo em vista que Ele é galardoador daqueles que o buscam recebemos dele a Vida Eterna. Sendo edificados como casa espiritual. Nosso maior presente, como adoradores, é sermos profundamente marcados por Deus. Que possamos abrir a porta dos nossos corações e deixarmos a presença de Deus se manifestar com graça mudando todo nosso interior conforme a sua palavra. 22
  23. 23. PERMANECENDO EM DEUS 23
  24. 24. PERMANECENDO EM DEUS “E quanto a vós, a unção que dele recebestes fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina a respeito de todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como vos ensinou ela, assim nele permanecei.” I Jo. 2:27 A pós termos tido uma profunda experiência com Deus, o nosso maior desafio é manter esta comunhão íntima com ele. Porém neste tempo temos visto um evangelho “consumista” se alastrar por toda a parte, de pessoas que dependem exclusivamente de um homem de Deus para se manter abastecido espiritualmente, ou até mesmo dependem de retiros espirituais, ou até mesmo conferências para manter o pique do dia-a-dia espiritual. É como se fossem zumbis que se alimentam da carne humana para se viver. Não temos nada contra estas pessoas ou estes eventos, pois cremos que são estratégias de Deus para realmente despertar o coração de um adorador, mas quando isso se torna um vício espiritual pode se tornar perigoso perde-se a identidade ministerial, e muitas vezes a nossa intensidade espiritual pode estar sendo dependente a pessoas e não diretamente a Deus. Deus quer que nós venhamos ser ministrados por homens e mulheres de Deus, mas isso não é tudo. É necessário que sejamos esta fonte a jorrar para vida eterna de mantermos nosso pique espiritual abastecido todos os dias na presença de Deus. Veremos algumas condições para se ter uma vida permanente de adoração: 1) UNÇÃO Todo adorador que é ungido por Deus acerta o alvo do coração de Deus. Pois o Espírito Santo sonda o coração de Deus (I Cor. 2:9-10) e revela-nos o que Deus quer em nosso espírito para que possamos compreender toda a plenitude de Deus. Somente através da presença do Espírito Santo em nossa vida poderemos ficar firmes em nossa posição espiritual. Sua unção nos capacita e nos adorna constantemente para que estejamos sempre 24
  25. 25. PERMANECENDO EM DEUS prontos para entrar no santíssimo lugar imediatamente. A parábola das 10 virgens (Mat. 25) fala de algo muito interessante de 5 que eram prudentes e 5 que eram insensatas. As 5 prudentes se prepararam levando azeite com reserva e as insensatas levaram apenas o que elas acharam necessário. Somente as que eram prudentes puderam entrar no banquete do Noivo porque elas tinham azeite. Comparando com a nossa vida espiritual, existem pessoas que só buscam a Unção de Deus somente quando julgam necessário, sendo que a Unção foi liberada a nós para estar conosco constantemente, para incendiar a candeia do nosso coração, para sermos luz no mundo! Não podemos entristecer o Espírito de Deus, devemos mantê-lo aceso dentro de nós para que conheçamos o Senhor em intimidade eterna. 2) REVELAÇÃO Tudo o que conhecemos em nível de palavra e conhecimento de Deus precisa ser revelado no nosso espírito. A revelação traz vida a cada palavra ministrada ou até mesmo nos dá uma direção espiritual para um ministério. Não podemos nos viciar de experiências profundas dos outros, precisamos usá-las de incentivo para que possamos buscar nossas próprias experiências com Deus em nível de revelação. Somos todos iguais somente precisamos do Espírito Santo para nos elevar a nível profundo de conhecimento. Mas, como está escrito: As coisas que olhos não viram, nem ouvidos ouviram, nem penetraram o coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam. (I Cor.2:9). Precisamos abrir nossos olhos espirituais e mergulhar na dimensão do Espírito de Deus e receber a sabedoria que vem do alto (Tg. 3:17). Somente conhecendo a Deus em sua essência poderemos ser conhecidos por Ele. Existem pessoas que querem muito ser reconhecidas pelo 25
  26. 26. PERMANECENDO EM DEUS homem, mas quem é adorador quer ser conhecido pelo Senhor pois sabe-se que o maior grau de conhecimento vem Dele. Que sejamos íntimos do Senhor para que quando formos arrebatados para a eternidade estejamos já ambientalizados com o céu. Existem pessoas que trabalham na obra de Deus, tem dons mas não busca intimidade com Deus, não tem bons frutos, estas pessoas serão apartadas de sua presença. Justamente porque Ele não as conhecerá (Mt. 7:22-23) CONCLUSÃO: Precisamos viver uma continuidade plena em nosso nível de adoração, de sermos tão dependente de Deus que nada do que fizermos venha desagradá-lo. Pois adoração é um estilo de vida e onde quer que formos precisamos irradiar esta glória e esta intimidade constante que temos com Ele (II Cor. 4:11). Permanecer em Deus é um desafio constante pois a nossa carne milita contra nosso espírito afim de que Deus seja desentronizado da nossa vida. Por isso vamos nós subjugá-la ao mover do Espírito de Deus. (II Cor. 10:5) 26
  27. 27. COMUNHÃO 27
  28. 28. COMUNHÃO “E responder-lhes-á o Rei: Em verdade vos digo que, sempre que o fizestes a um destes meus irmãos, mesmo dos mais pequeninos, a mim o fizestes.” Mat. 25:40 M uitas vezes quando alcançamos uma dimensão profunda em Deus queremos nos julgar mais espirituais do que os outros. Deus por sua graça e misericórdia nos ensina a andarmos em equilíbrio. E não é porque temos permanecido em Deus ou que tenhamos experiências profundas com Ele é que nós iremos nos orgulhar disso (Gal. 6:14), precisamos entender a profundeza do amor de Deus. Despojando de si mesmo e sendo servos um dos outros. Como podemos dizer que amamos a Deus e não amamos o nosso próximo? (I Jo. 4:20). Existem dois mandamentos que resume toda a lei e os profetas que é: Amar a Deus sobre todas as coisas e ao teu próximo com a ti mesmo (Mat. 22:37:40). Ao vermos isso podemos comparar da seguinte forma. Com a mesma intensidade que amamos Deus devemos amar nosso próximo. Ou seja, tudo o que fazemos espiritualmente precisa refletir fisicamente no nosso natural, pois por mais que não queiramos, somos como um espelho para o mundo (II Cor. 3:18) a transformação da nossa sociedade só virá quando o amor de Deus refletir em nossa imagem (caráter, identidade). Porém quando servimos ao homem seja como se fosse para Deus (Ef. 5:21 - 6:5-6; Col. 6:22). EQUILÍBRIO DA ADORAÇÃO Marta e Maria eram mulheres que tinham atitudes que eram contrárias uma da outra, mas não deixavam de serem mulheres de Deus. (Lc. 10:38-40). Marta convida Jesus para entrar em sua casa, chegando lá encontra Maria que se assenta aos seus pés para ouvir seus ensinamentos. E Marta começa a fazer uma refeição 28
  29. 29. COMUNHÃO para Jesus, porque ele havia de estar com fome e cansado também. Derrepente Marta fica incomodada com a atitude de Maria e pronuncia a sua indignação: Jesus, por favor não seria melhor que minha irmã viesse me ajudar a fazer a comida junto comigo? Então Jesus diz que a melhor parte estava em Maria ouvir a sua voz do que fazer muita coisa em favor Dele. Hoje em dia existem pessoas que fazem a obra de Deus, com o coração certo, motivações certas, mas que não ouvem a voz de Deus. Por outro lado existem pessoas que ouvem demais a Deus, mas não fazem nada para acontecer algo real. No caso de Maria e Marta podemos dizer que nenhuma das duas estavam totalmente certas, não podemos ser extremistas, apesar de que ouvir a Deus seja a melhor parte que podemos desfrutar, a adoração não só pode ser uma atitude “lunática”, é necessário que venhamos materializar o nosso amor de Deus para com as pessoas que estão no nosso círculo de amizade e além disso os que não conhecemos inclusive os nossos inimigos. Devemos fazer a obra de Deus para agradá-lo, mas antes disso, precisamos ouvi-lo para saber as instruções do que ele deseja de cada um de nós. Outro caso bem clássico é o de Moisés no Monte Sinai recebendo revelações profundas do conhecimento de Deus com relação ao tabernáculo... (Ex.31). Ele já estava lá há muito tempo buscando a face de Deus, recebendo quem sabe naquele momento a revelação de Gênesis ou coisas mais profundas que talvez ele nunca escreveu, por serem segredos particulares entre ele e Deus. Então o povo vendo que Moisés não saía mais do monte, pensou que por causa da glória de Deus que estava sobre o monte consideraram que ele estava morto (Ex.32). Então Arão talvez por algum tempo estava 29
  30. 30. COMUNHÃO indignado com Deus pela falta de Moisés, resolveu ouvir o povo que estava com a mentalidade poluída com os deuses egípcios, fizeram um bezerro de Ouro. Deus vendo isso avisou a Moisés: “...Vai, desce; porque o teu povo, que fizeste subir da terra do Egito, se corrompeu;” Quando Moisés desce do monte vê o povo totalmente perdido na sensualidade e depravação... Moisés não estava errado em buscar a Deus com intensidade, mas uma coisa que todo adorador precisa ter mediante às revelações é entender que ainda somos humanos e temos que cuidar dos nossos afazeres terrenos, enquanto ainda estamos morando aqui na terra. Existem pessoas que dependem de nós para mantê-los debaixo do ensino e cura de suas almas, servindo-os com Amor. Não podemos esquecer que ainda somos humanos, e se nós amamos a Deus que vemos espiritualmente, devemos amar ao próximo que vemos fisicamente. Conferindo coisas naturais com naturais e espirituais com espirituais. Ou seja, não adianta nós vivermos falando das coisas espirituais para quem não entende nada de espiritual, se nós amamos as pessoas carnais e queremos que elas busquem a Deus, precisamos processar todo este conhecimento e muitas das vezes transformá-lo em leite espiritual, para que eles não fiquem confundidos e não sejamos de tropeço na vida deles. Em I Coríntios diz que ainda que eu tenha dons e conheça coisas profundas em Deus se nós não amarmos as pessoas que estão a nossa volta é como se tudo isso que fazemos ou que “temos” fosse tudo em vão! Como já falamos anteriormente “adorador” não pode ser considerado como título, precisamos ter muito cuidado com o que temos feito da adoração. Muitas vezes temos usado dela para nos gloriarmos, isso é 30
  31. 31. COMUNHÃO definitivamente um perigo para quem se considera muito espiritual. Lúcifer antes de tornar-se excluído pensou da mesma maneira, ele achou que a sua adoração era muito boa e toda a glória que deveria ser de Deus ele passou a transferir a si mesmo havendo assim sua perdição eterna. CONCLUSÃO Que não sejamos acomodados na nossa zona de conforto “espiritual”, nem soberbos ou orgulhosos por causa das revelações que Deus tem nos dado. Se Deus nos tem revelado seus mistérios e segredos precisamos entender que existe um propósito para tudo isso. Principalmente de glorificar o seu santo nome através da nossa adoração de atitudes amando o nosso irmão na mesma intensidade que o Senhor tem nos amado, na mesma intensidade em que amamos o nosso irmão. Que venhamos refletir sua imagem no meio de uma geração corrompida. Trazendo a Luz de Cristo, proclamando as virtudes a cada um conforme o seu nível de conhecimento em amor. 31
  32. 32. BIBLIOGRAFIA BÍBLIA SAGRADA – ANTIGO E NOVO TESTAMENTO João Ferreira de Almeida Corrigida e Revisada – Fiel ao Texto Original 32
  33. 33. Apostila composta por: Wanderclayson e Claudia Marques Ferreira Contato para Ministrações de Louvor e Adoração: degloriaemgloria@gmail.com 33

×