Indústria alimentícia rogério (1)

2.623 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.623
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
59
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Indústria alimentícia rogério (1)

  1. 1. Segurança e Saúde no Trabalho na Indústria Alimentícia
  2. 2. Segundo a ABIA (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA IDÚSTRIA DA ALIMENTAÇÃO), o número de vendas na indústria da alimentação tem aumentado bastante nos últimos anos. Em 2012 esse aumento foi de 431,9 bilhões. Nos frigoríficos, o trabalho manual e repetitivo na separação das carcaças de animais oferece uma série de perigos. Máquinas sem proteção e dispositivos de segurança também apresentam ameaças em diversos ramos dessa indústria, seja quando estão em operação, seja na hora da limpeza e manutenção. Sem falar no desconforto oferecido pelo ruído dos equipamentos e pela inevitável exposição ao calor de fornos e ao frio das câmaras frigoríficas.
  3. 3. Ministério Público do Trabalho quer o cumprimento da NR 36 Nas últimas décadas, a proteção à saúde dos trabalhadores vem sido negligenciada, o que gera: Ritmo excessivo; Insuficiência de pausas; Mobiliário inadequado; Jornadas superiores 10 horas; Não concessão de intervalos legais de no mínimos 1 hora para alimentação; Falta de proteção de máquinas e equipamentos; Não emissão de CAT.
  4. 4. CAMINHOS PARA A REDUÇÃO DOS RISCOS  Acidentes com máquinas:  Proteger os pontos de operação dos equipamentos que possam causar prensagens e agarramentos de partes do corpo;  As máquinas devem contar com células fotoelétricas capazes de interromper o funcionamento caso um trabalhador prenda uma parte do corpo;  Sinalizar a fim de se orientar com sinalização quanto a proibição de se inserir mãos e braços na máquinas em funcionamento;  É proibida a utilização de adornos, assim como camisas com manga comprida, roupas largas e cabelos longos que não estejam presos ou retidos em toucas.
  5. 5. Cortes com facas ou ferramentas: Deve-se verificar se a faca está em condições de uso, pois os defeitos contribuem para os acidentes; As ferramentas devem ser guardadas em lugar seguro quando estiverem sendo utilizadas; EPI’s como luva de malha de aço e proteção para o tronco também previnem acidentes.
  6. 6. Choques elétricos: Apenas eletricistas devem realizar trabalhos com eletricidade; Cabos elétricos não devem passar por locais que possam tomar chuva ou ter contato com água; Máquinas devem ser eletricamente aterradas e ter seu funcionamento interrompido em caso de acidentes; Tomar cuidado para que a água não atinja partes elétricas do maquinário na hora da limpeza.
  7. 7. Queimaduras por água quente, vapor e produtos químicos: • Proteger os trabalhadores com protetor facial e/ou óculos de segurança, aventais para proteção de tronco, luvas para mãos e braços além de calçados de segurança; • O colaborador só pode realizar trabalhos somente quando for treinado para tal; • Utilizar EPI’s adequados ao manusear produtos químicos; • A CIPA e a SST devem orientar sobre os cuidados especiais nas operações com amônias e cloreto de metila (substâncias utilizadas na refrigeração).
  8. 8. Movimentação de cargas: Somente trabalhadores treinados podem operar veículos industriais; Os veículos devem ser inspecionados antes de qualquer operação; Produtos e matérias primas devem ser empilhados seguindo cuidados especiais para que não caiam sobre os trabalhadores; Pallets, estrados e outros dispositivos que estejam inadequados devem ser retirados do uso imediatamente. 
  9. 9. Evitando a LER (lesão por esforço repetitivo) Trabalhadores podem sugerir alternativas para aliviar os movimentos que exijam muito do corpo. O rodízio de tarefas e a ginástica laboram também colaboram; Os colaboradores devem ser orientados a procurar o médico assim que surgirem os sintomas.
  10. 10. Proteção contra o calor e o frio: Em ambientes quentes, os operários devem consumir bastante água e seguir as orientações da SST e da CIPA; Em ambientes frios e áreas climatizadas, deve-se utilizar vestimentas adequadas para manter o corpo aquecido; Seguir as normas de segurança SEMPRE a fim de se evitar acidentes.
  11. 11. “É preciso reduzir o ritmo; diminuir e controlar as condições de trabalho que levam às lesões osteomusculares e ao sofrimento psíquico.” (Paulo Barros Oliveira)
  12. 12. OBRIGADA!

×