RESENHA	
  DO	
  LIVRO:	
  	
  
GUÉRIN,	
   F.	
   Compreender	
   o	
   trabalho	
   para	
   transformá-­‐lo...
 
1	
  
	
   	
  
O	
  livro	
  é	
  sobre	
  o	
  que?	
  
	
  
O	
  livro	
  “Compreender	
  o	
  Trabalho	
  para	
  Tr...
 
2	
  
	
   	
  
O	
  que	
  está	
  sendo	
  dito	
  em	
  detalhe,	
  e	
  como?	
  
	
  
Para	
  detalhar	
  a	
  form...
 
3	
  
	
   	
  
abordagem	
   inicial	
   se	
   realiza	
   por	
   meio	
   de	
   um	
   pré-­‐diagnóstico	
   pelo	
...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Resenha do livro "Compreender o trabalho para transformá-lo: a prática da ergonomia".

774 visualizações

Publicada em

Resenha do livro "Compreender o trabalho para transformá-lo: a prática da ergonomia". Livro prático que apresenta metodologia para a implementação de ações ergonômicas em situações de trabalho.

Publicada em: Engenharia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
774
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resenha do livro "Compreender o trabalho para transformá-lo: a prática da ergonomia".

  1. 1.       RESENHA  DO  LIVRO:     GUÉRIN,   F.   Compreender   o   trabalho   para   transformá-­‐lo:   a   prática   da   ergonomia/  F.  Guérin...[et  al.];  São  Paulo:  Blucher:  2001.    
  2. 2.   1       O  livro  é  sobre  o  que?     O  livro  “Compreender  o  Trabalho  para  Transformá-­‐lo:  A  Prática  da  Ergonomia”   é  um  livro  prático,  que  apresenta  uma  metodologia  com  a  finalidade  de  implementar   ações  ergonômicas  em  situações  de  trabalho  com  o  intuito  de  melhorar  as  condições   gerais   de   trabalho   dos   agentes   humanos   envolvidos   diretamente   nas   diversas   atividades  laborais.   Para   apresentar   essa   metodologia   o   autor   estrutura   o   livro   em   diferentes   partes,  as  quais  são  indicadas  a  seguir  de  forma  sucinta:   •   A  relação  entre  ação  ergonômica  e  análise  do  trabalho;   •   A  distinção  entre  trabalho,  tarefa  e  atividade;   •   A  ação  ergonômica,  com  enfoque  em  sua  diversidade  e  construção;   •   O  conhecimento  sobre  o  funcionamento  da  empresa;   •   A  abordagem  da  situação  de  trabalho;   •   O  pré-­‐diagnóstico  e  o  planejamento  das  observações;   •   As  modalidades  de  observação;   •   As  verbalizações;   •   O  diagnóstico  e  a  transformação.   O  objetivo  do  autor  é  apresentar  uma  metodologia  de  implementação  da  ação   ergonômica   segundo   o   delineamento   apresentado   acima.   Entretanto,   prioritariamente,   o   autor   busca   conscientizar   o   leitor   da   importância   de   uma   ação   ergonômica,   isto   é,   do   seu   impacto   na   organização,   uma   vez   que   a   melhoria   das   condições  de  trabalho  poderia  levar  não  apenas  a  uma  diminuição  da  exposição  dos   operadores  aos  fatores  de  risco  inerentes  à  situação  de  trabalho,  como  também  a  uma   melhoria   dos   indicadores   de   eficácia   e   eficiência   de   produção,   traduzidos   nos   conceitos  de  qualidade  e  produtividade,  os  quais,  por  sua  vez,  estão  relacionados  ao   desempenho  econômico  da  própria  organização.      
  3. 3.   2       O  que  está  sendo  dito  em  detalhe,  e  como?     Para  detalhar  a  forma  como  a  metodologia  é  apresentada,  se  faz  necessária  a   identificação   dos   termos,   proposições   e   argumentos   com   os   quais   o   autor   a   desenvolve.   Inicialmente,  uma  distinção  fundamental  é  feita  entre  os  conceitos  de  tarefa  e   atividade.  Enquanto  o  primeiro  compreende  o  conjunto  de  prescrições  feitas  a  priori,   isto  é  o  arcabouço  regulamentar  que  rege  determinada  ação  dentro  do  processo  de   produção   da   organização,   o   segundo   diz   respeito   ao   conjunto   de   adequações   feitas   pelos  agentes  humanos  visando  a  consecução  dos  objetivos  organizacionais  por  meio   das  regras  dispostas  pelas  tarefas.   O   livro   afirma   inicialmente   que   a   finalidade   da   ação   ergonômica   é   a   transformação   do   trabalho,   fazendo   uma   correlação   entre   os   termos   “ação   ergonômica”  e  a  análise  do  trabalho.  Em  seguida,  ele  discorre  acerca  dos  conceitos   fundamentais  sobre  os  quais  estrutura  a  metodologia  apresentada,  notadamente  os   de  tarefa  e  atividade,  para  então  discorrer  sobre  a  variabilidade  inerente  à  atividade   de  trabalho,  tanto  do  ponto  de  vista  da  empresa,  com  relação  aos  seus  objetivos  e   meios,   como   do   ponto   de   vista   dos   indivíduos,   em   função   de   suas   características   fisiológicas  e  psicológicas.  Estas  variabilidades,  bem  como  as  adequações  necessárias   para   o   desempenho   da   atividade   de   trabalho   geram   consequências   tanto   para   a   organização   quanto   para   os   agentes   humanos,   as   quais   podem   ser   positivas,   mas   também  negativas,  e  por  isso  a  ação  ergonômica  se  faz  necessária.   Após  apontar  as  causas  que  ensejam  a  ação  ergonômica,  o  autor  discorre  sobre   a   diversidade   e   a   construção   das   ações   ergonômicas   em   função   da   demanda   apresentada,   as   quais   dependem   de   fatores   como   o   tipo   de   empresa   ou   mesmo   o   vínculo  do  ergonomista  com  a  mesma,  ou  seja,  se  funcionário  ou  consultor  contratado.   O   desdobramento   da   ação   propriamente   dita   se   inicia   com   uma   análise   da   organização  que  deve  permitir  ao  ergonomista  conhecer  o  funcionamento  da  empresa,   com  o  intuito  de  identificar  todos  os  diferentes  autores  envolvidos  com  as  situações  de   trabalho   analisadas.   Só   após   tal   identificação   é   que   se   passa   à   abordagem   das   diferentes  situações  de  trabalho  a  serem  estudadas,  abarcando  procedimentos  como  a   análise  das  tarefas  envolvidas  e  os  primeiros  contatos  com  os  operadores  da  área.  Essa  
  4. 4.   3       abordagem   inicial   se   realiza   por   meio   de   um   pré-­‐diagnóstico   pelo   qual   o   consultor   busca  construir  ideias  iniciais  sobre  o  problema  a  ser  enfrentado,  de  forma  a  subsidiar   o   planejamento   das   observações.   Estas,   por   sua   vez,   deverão   ser   feitas   através   de   quesitos   observáveis,   como   deslocamento,   postura,   formas   de   olhar   e   comunicação   por   parte   dos   operadores,   os   quais   deverão   ser   registrados   manualmente   ou   por   aparelhos  de  forma  a  poderem  ser  descritos  posteriormente,  inclusive  para  os  próprios   operadores  com  o  intuito  de  obter  destes  maiores  detalhamentos  de  suas  atividades,   em  uma  etapa  de  verbalização.   Por  fim,  o  ergonomista  consultor  deve  fornecer  um  diagnóstico  do  problema   enfrentado,   de   forma   que   a   empresa   possa   tratá-­‐lo   envolvendo   todos   os   atores   internos   direta   ou   indiretamente   envolvidos.   Nessa   etapa,   o   livro   ressalta   a   importância   de   se   estruturar   uma   mudança   de   mentalidade   de   forma   que   a   organização  possa  internalizar  a  necessidade  de  uma  ação  ergonômica,  isto  é  para  que   todos  tenham  a  noção  de  que  as  situações  de  trabalho  dependem  em  maior  ou  menor   grau  de  todos  os  setores  e  impactam  a  organização  como  um  todo,  tanto  no  que  diz   respeito  à  saúde  dos  operadores,  quanto  no  que  diz  respeito  aos  aspectos  econômicos   da  empresa.    

×