Batalha espiritual

1.417 visualizações

Publicada em

1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.417
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
221
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
59
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Batalha espiritual

  1. 1. BATALHA ESPIRITUAL Texto: Mt 17.14 – 21v.21 – “Esta casta não se expele senão por meio de oração e jejum”
  2. 2. OBSERVAÇÕES SOBRE O TEXTO → Jesus: Estava no meio da multidão: v.14 – “E, quando chegaram parajunto da multidão, aproximou – sedele um homem, que se ajoelho edisse...”
  3. 3. Jesus tinha compaixão pelaspessoas: v.15 – “Senhor, compadece – tedo meu filho, porque é lunático esofre muito; pois muitas vezes caino fogo, e outras muitas, na água”
  4. 4. Jesus tinha atitude diante dasadversidades: v.17 – “Trazei – me aqui o menino” Jesus tinha total controle sobre asituação: v.18 – “E Jesus repreendeu odemônio, e este saiu do menino; edesde aquela hora ficou o meninocurado”
  5. 5. → Os discípulos: Foram surpreendidos pelo demônio Não imaginavam, nem esperavamuma resistência tão violenta por partedo espírito maligno! v. 16 – “Apresentei – o a teusdiscípulos, mas eles não puderam curá– lo”
  6. 6. v.19 – “Por que motivo nãopudemos nós expulsá – lo?” Lc 10.17 – “Então regressaramos setenta, possuídos de alegria,dizendo: Senhor, os própriosdemônios se nos submetem peloteu nome!”
  7. 7. Foram envergonhados pelodemônio Não esperavam uma derrota efracasso diante do espírito imundo! v. 16 – “Apresentei – o a teusdiscípulos, mas eles não puderamcurá – lo” v.19 – “Por que motivo nãopudemos nós expulsá – lo?”
  8. 8. Lc 10.17 – “Então regressaram ossetenta, possuídos de alegria,dizendo: Senhor, os própriosdemônios se nos submetem peloteu nome!” Os discípulos humilhados foramconversar em particular com JesusMt 17.19
  9. 9. Foram causadores de sofrimento emJesus Em não expelir o demônio da criançadiante de multidão e do pai domenino, os discípulos envergonharame entristeceram o seu Mestre. v. 16 – “Apresentei – o a teusdiscípulos, mas eles não puderam curá– lo”
  10. 10. v.17 – “Jesus exclamou: Ógeração incrédula e perversa! Atéquando estarei convosco? Atéquando vos sofrerei? Trazei – meaqui o menino” Os discípulos tinham descido doMonte da Transfiguração!
  11. 11. Nossas atitudes podementristecer ao Senhor! Is 1.14 – “As vossas luas novas, eas vossas solenidades, a minhaalma as aborrece; já me sãopesadas; estou cansado de assofrer”
  12. 12. Ef 4.30 – “E não entristeçais oEspírito de Deus, no qual fostesselados para o dia da redenção” A falta de vigilância e oração nojardim do Getsêmani entristeceramo Mestre – Mt 26.41 – 46
  13. 13. COMO ENFRENTARMOS EVENCERMOS O MALIGNO?
  14. 14. 1° - Conhecendo profundamente comque estamos lidando v.16, 19, 21v.16 – “...Eles não puderam curá – lo”v.19 – “Por que motivo não pudemosnós expulsá – lo?”v.21 – “Esta casta não se expelesenão por meio de oração e jejum”
  15. 15. →Paulo exortou a igreja emÉfeso: “Reverti – vos de toda armadurade Deus, para poderdes ficarfirmes contra as ciladas do diabo”(Ef 6.11)
  16. 16. →Pedro exortou os crentes dadispersão: “Humilhai – vos, portanto, sob apoderosa mão de Deus, para que ele,em tempo oportuno, vos exalte. Sedesóbrios e vigilantes. O diabo, vossoadversário, anda em derredor, comoleão que ruge procurando alguémpara tragar” (1 Pe 5.6, 8).
  17. 17. → Conhecendo o inimigo: Nomes do diabo: Satanás – Jó 1.7; 1 Cr 21.1; Zc3.1; Mt4.10 Belzebu – Mt 10.25; 12.25; Lc11.15
  18. 18. Serpente – Gn 3.1; 2 Co 11.3; Ap12.9 Príncipe da potestade do ar Ef2.2 Príncipe deste mundo – Jo 12.31;14.30 Maligno – Mt 13.19; 1 Jo 2.13
  19. 19. →A origem do diabo: “Perfeito eras nos teus caminhos,desde o dia em que foste criado,até que se achou iniquidade em ti” (Ez 28.15)
  20. 20. →A condição do diabo antes daqueda: →Era querubim ungido daguarda de Deus – Ez 28.14 →Era estrela da manhã e filho daalva – Is 14.12 →Era perfeito nos seus caminhosEz 28.15
  21. 21. →A queda do diabo: Soberba – “Tu dizias no teu coração:Eu subirei ao céu, acima das estrelesde Deus exaltarei o meu trono, e nomonte da congregação meassentarei...”(Is 14.13)(1 Tm 3.6) Inveja – “Subirei acima das maisaltas nuvens, e serei semelhante aoAltíssimo”(Is14.14)
  22. 22. Mentira – “...diabo... Ele foihomicida desde o princípio... Émentiroso e pai da mentira”(Jo8.44) Queda – “Serás precipitado parao reino dos mortos, no maisprofundo do abismo”(Is 14.15)
  23. 23. →O poder do diabo: Príncipe inteligente e organizado Ef 2.2; 1 Jo 5.19 Conhecedor, mas não oniscienteMt 4.1- 11
  24. 24. Enganador e astuto – 2 Co 4.4 Homicida – Jo 8.44 Ladrão e destruidor –Jo 10.10
  25. 25. COMO ENFRENTARMOS EVENCERMOS O MALIGNO?
  26. 26. 2° - Não se deixando dominar pelomedo v.15, 16O mundo das trevas é tenebroso eassustador!Mt 10.28:“Não temais os que matam 10.28:o corpo e não podem matar a alma;temei antes aquele que pode fazerperecer no inferno tanto a alma comoo corpo”
  27. 27. Os discípulos enfrentaram um jovemtomado por Satanás: v.15 – “Lunático” “Sofre muito”“Muitas vezes cai no fogo” “Muitasvezes cai na água” Mc 9.17 – “possesso de umespírito mudo”
  28. 28. Mc 9.18 – “Lança – o por terra e eleespuma, rilha os dentes e definha” Mc 9.25 – “Vendo Jesus que amultidão corria...” No Jardim do Getsêmani osdiscípulos fugiram de medo! Os rituais macabros com sacrifíciose oferendas a demônios sãoassombrosos!
  29. 29. COMO ENFRENTARMOS EVENCERMOS O MALIGNO?
  30. 30. 3° - Crescendo na graça e noconhecimento v.17, 20, 21Sem fé é impossível agradar a Deus.Os discípulos foram imaturos na fé.Eles não exerceram autoridadeespiritual como deveriam (Mt 10. 7,8).“Até quando estarei convosco?”A armadura de Deus (Ef 6. 10-20)
  31. 31. v.17 – “Jesus exclamou: Ó geração incrédula e perversa! Até quando estarei convosco? Até quando vos sofrerei? Trazei – me aqui o menino”v.20 – “Por causa da pequenez da vossa fé”v.21 – “Esta casta não se expele senão por meio de oração e jejum”
  32. 32. → A fé dos discípulos:Durante uma grande tempestade Mt 8.23 – 27v.26 – “Acudiu – lhes, então Jesus: Por que sois tímidos, homens de pequena fé? E, levantando – se, repreendeu os ventos e o mar; e fez grande bonança”
  33. 33. Durante a peneira de SatanásLc 22.31 – 34v.32 – “Eu, porém, roguei por ti, para que tua fé não desfaleça; tu, pois, quando te converteres, fortalece os teus irmãos”
  34. 34. Depois da morte de Cristo – Jo 21.3v.3 – “Disse – lhes Simão Pedro: Vou pescar. Disseram – lhe os outros: Também nó vamos contigo. Saíram e entraram no barco, e naquela noite nada apanharam”
  35. 35. A fé de Paulo durante um naufrágioAt 27.1 – 44v.24, 25 – “Paulo, não temas; é preciso que compareça perante César, e eis que Deus por sua graça te deu todos quantos navegam contigo. Portanto, senhores tende bom ânimo; pois eu confio em Deus, que sucederá do modo por que me
  36. 36. A fé do Centurião romanoMt 8.5 -13V.10 – “Ouvindo isto, admirou – se Jesus, e disse aos que o seguiam: Em verdade vos afirmo que nem mesmo em Israel achei fé como esta”
  37. 37. Paulo disse a Timóteo: “Deus não nos tem dado espíritode covardia, mas de poder, deamor e de moderação”(2 Tm1.7). Somos mais que vencedores!Nossa luta não é contra a carne,mas contra os principados.
  38. 38. →A vida de santidade e consagração agrada a Deusv.21 – “Esta casta não se expele senão por meio de oração e jejum”
  39. 39. Os exemplos bíblicos deixam claros que os grandes homens de Deus, quanto mais se aproximavam Dele, mais se consagravam e se santificavam na prática da humildade, arrependimento, confissão de pecado, oração e jejum.
  40. 40. →Jesus quando tentado por Satanás no deserto, jejuou quarenta dias e quarenta noites Mt 4.2→Moisés no monte Horebe jejuou quarenta dias e quarenta noites Nm 9.9; Êx 24.18
  41. 41. → Israel se preparou para a guerra contra os filisteus com arrependimento, confissão de pecados, lágrimas, jejuns e orações 1 Sm 7.6
  42. 42. → Daniel quando tomou conhecimento através das Escrituras acerca do fim do cativeiro de Israel, orou e jejuou com pano de saco e cinza em agradecimento a Deus – Dn 9.3
  43. 43. → A igreja primitiva em seu serviço de adoração a Deus, orava e jejuava no poder do Espírito Santo – At 13.2→ “Esta casta não se expele senão por meio de oração e jejum”
  44. 44. CONCLUSÃO:“Por que eu estou bem certo de que nem morte, nem vida, nem anjos, nem principados, nem coisas do presente, nem do porvir, nem poderes, nem altura, nem profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar – nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor” Rm 8.38, 39:

×