Bases fisiologicas do exercicio aerobio

13.740 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Esportes, Tecnologia
0 comentários
11 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.740
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
594
Comentários
0
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bases fisiologicas do exercicio aerobio

  1. 1. BASES FISIOLÓGICAS DO TREINAMENTO AERÓBIO Prof. Cristiano Lino M. Barros [email_address] Simpósio de Ciência no Esporte e Educação
  2. 3. POR QUE RESPIRAMOS?
  3. 4. Carboidratos Gorduras Proteínas Metabolismo Aeróbio Acetil-CoA Ciclo de Krebs NADH FADH2 CTE ATP Contração Muscular
  4. 11. O que é VO 2máx ?
  5. 12. <ul><li>VO2máx ou consumo máximo de O2 é a capacidade máxima que o organismo tem de captar o O2 atmosférico pelo sistema respiratório, transportá-lo pelo sistema cárdiovascular e metabolisá-lo no músculo. </li></ul>VO 2máx = DC x #A-V O 2
  6. 13. DC = FC x VS <ul><li>DC  Quantidade de sangue ejetada na artéria aorta por minuto; </li></ul><ul><li>VS  Volume de sangue em mililitros ejetado na artéria aorta numa sístole; </li></ul><ul><li>Sístole  Uma contração ventricular; </li></ul><ul><li>FC  Número de sístoles (batimentos cardíacos) em um minuto. </li></ul><ul><li>#A-V O2  # entre a [O2] no sangue arterial e venoso </li></ul>
  7. 14. Fatores Determinantes do VO2máx
  8. 15. Fator Genético <ul><li>“ Se quiser ser um grande atleta de resistência, que escolha bem seus pais.” </li></ul><ul><li>Klissouras (1971) verificou uma gde variabilidade no VO2máx em populações homegêneas – idade, sexo, treinamento e altitude </li></ul><ul><li>Gêmeos monozigóticos apresentavam VO2máx semelhantes enquanto que gêmeos dizigóticos apresentavam gdes diferenças. </li></ul>
  9. 17. Sexo <ul><li>Homens treinados X Mulheres treinadas </li></ul><ul><li>Maior cavidade ventricular </li></ul><ul><li>Maior [Hb] </li></ul><ul><li>Homem - ~15g / 100ml sangue </li></ul><ul><li>Mulher - ~13g/100ml sangue </li></ul>
  10. 18. Transporte de Oxigênio 1 gr Hb 15 gr/100ml Sg 1,34 ml O 2 20 mlO 2 /100ml Sg 13 gr/100ml Sg 17,4 mlO 2 /100ml Sg
  11. 19. Treinamento <ul><li>Especifidade </li></ul><ul><li>Adaptações cárdio-vasculares, metabólicas, endócrinas, respiratórias e musculares </li></ul>
  12. 20. Fatores Limitantes do VO2máx
  13. 24. VO2máx = 40ml/Kg.min -1 VO2máx = 85ml/Kg.min -1
  14. 25. Quem tem maior VO2máx?
  15. 26. Quanto maior a massa muscular envolvida maior o VO2máx
  16. 27. 55-77 70-90 Ski C-C 50-75 60-85 Corrida 47-57 62-74 Ciclismo 40-60 50-70 Natação 40-53 42-60 Futebol 40-56 43-60 Voleibol 43-57 40-60 Basquete X 38-52 Fisicult. 30-35 35-45 Sedent. Mulheres Homens Grupo
  17. 28. Então... Quem será o vencedor dessa maratona? VO2máx = 70ml/Kg.min -1 VO2máx = 80ml/Kg.min -1 1 2
  18. 29. Limiar Anaeróbio
  19. 31. Conceitos <ul><li>Intensidade de exercício acima da qual o metabolismo anaeróbio passa a participar como fonte de energia (Wasserman et al., 1999). </li></ul><ul><li>Intensidade de exercício acima da qual o metabolismo anaeróbio é acelerado como fonte de energia (BROOKS et al., 2000.) </li></ul>
  20. 32. TEORIA HIPÓXIA-DEPENDENTE GLICOSE GLICOGÊNIO PIRUVATO KREBS NADH+ H+ NADH+ H+ NADH+ H+ SHUTTLE ATP ½ O 2 --> H 2 O H+ +
  21. 33. TEORIA HIPÓXIA-DEPENDENTE GLICOSE GLICOGÊNIO PIRUVATO KREBS C.T.E. NADH+ H+ NADH+ H+ NADH+ H+ SHUTTLE EXERCÍCIO 50 -70% VO 2MÁX. ATP ½ O 2 --> H 2 O H+ + LACTATO  [ADP, Pi, AMP] +
  22. 34. PONTO DE INFLEXÃO KINDERMANN et al.(1979) STEGMANN et al.(1981) WASSERMAN et al. (1986)
  23. 35. E agora, quem venceu a maratona?
  24. 36. VO2máx = 70ml/Kg.min -1 VO2máx = 80ml/Kg.min -1 1 2 LA = 60% VO2máx LA = 80% VO2máx Int = 48 ml/Kg.min-1 Int = 56 ml/Kg.min-1 Campeão
  25. 37. Fonte: SHEPHARD, R.J. & ASTRAND, P – O: Endurance in Sport E em uma prova de 5000m?
  26. 38. Adaptações ao Treinamento de Endurance
  27. 39. Cárdio-vasculares <ul><li> Cavidade ventricular (hipertrofia cardíaca) </li></ul><ul><li> Volume de ejeção </li></ul><ul><li> FC repouso </li></ul><ul><li> Volemia </li></ul><ul><li> [Hb] </li></ul><ul><li> Densidade capilar (angiogênese) </li></ul>
  28. 40. Metabólicas <ul><li> Conteúdo de mioglobina </li></ul><ul><li> Oxidação de glicogênio </li></ul><ul><li>-  número e tamanhdo de mit. </li></ul><ul><li>-  atividade enzimática (ciclo de Krebs) </li></ul><ul><li>-  reserva de glicog. muscular. </li></ul><ul><li> Oxidação de gordura </li></ul><ul><li>-  reservas de triglicerídeos </li></ul><ul><li>-  disponibilidade de gorduras c/ combustíveis </li></ul>
  29. 41. Influência da Altitude na Performance
  30. 45. Fatores que afetam a performance
  31. 46. Performance <ul><li>Dieta </li></ul><ul><li>CHO </li></ul><ul><li>Água </li></ul><ul><li>Função do SNC </li></ul><ul><li>Estimulação </li></ul><ul><li>Motivação </li></ul>Força/Habilidade -Prática -Biotipo -Tipo de fibra Meio Ambiente -Altitude -Calor -Umidade Fontes aeróbicas -VO2máx -DC -Liberação de O2
  32. 47. Desempenhos aeróbios (3-20min) VO2máx # A-V O2 DC FCmáx VSmáx [Hb] Tipo de Fibra PO2 Treinamento Genética Mitoc. Genética e Treinamento
  33. 48. Desempenhos aeróbios (21-60min) VO2 constante Economia de Corrida Bioenergética Biomecânica % Tipo de Fibra LA %VO2máx Estresse Térmico Desidratação
  34. 49. Desempenhos aeróbios (1- 4horas) VO2 constante Economia de Corrida Biomecânica % Tipo de Fibra %VO2máx Estresse Térmico Desidratação LA Glicogênio Hep. E Musc. Dieta e Supl. Durante o ex.
  35. 50. Avaliação da Capacidade Aeróbia
  36. 51. Avaliação do LA
  37. 52. METODOLOGIAS DE DETERMINAÇÃO <ul><li>1) Análise da Lactacidemia; </li></ul><ul><li>2) Mecanismos das trocas gasosas; </li></ul><ul><li>3) Análise das Catecolaminas; </li></ul><ul><li>4) Análise da Glicose sangüínea; </li></ul>
  38. 53. TESTE DE LACTATO MÍNIMO TEGTBUR, 1993 CARTER et al.(1999) LA
  39. 54. LIMIAR DE CATECOLAMINAS MAZZEO & MARSHALL,1989 SCHNEIDER et al.(1992)
  40. 55. Análise da Glicemia SIMÕES et al. (1999 )
  41. 57. Avaliação do VO2máx
  42. 58. Teste de Caminhada (1200m) <ul><li>VO2máx = 6,952 + (0,0091 x P) – (0,0257 x I) + (0,5955 x S) – (0,2240 x T) – (0,0115 x FC) </li></ul><ul><li>P = peso (Kg) </li></ul><ul><li>I = idade + próxima </li></ul><ul><li>S = 1  H ; 0  M </li></ul><ul><li>T = tempo de caminhada </li></ul><ul><li>FC = FC final </li></ul><ul><li>Valor expresso em L/min </li></ul>
  43. 59. Teste de Cooper <ul><li>Máxima distância percorrida em 12’ </li></ul><ul><li>VO2máx = (D – 504) / 45 </li></ul><ul><li>Valor expresso em ml/kg.min-1 </li></ul>
  44. 60. Relação %FCmáx com VO2máx 81,6 53,5 25,3 0,92 1,408 x %FC - 45,1 Ciclismo 82,8 56,7 30,7 0,96 1,303 x %FC - 34,5 Corrida   %VO2máx   r Equação Modal. 90% 70% 50%   %FCmáx  
  45. 62. Valores em Repouso (DC) Atletas Força 6l Atletas Endurance 5l Mulheres Normais 4l Homens Normais 5l Crianças 3l L/min
  46. 63. Valores no Exercício Máximo (DC ) Atletas Força 24l Atletas Endurance 40l Mulheres Normais 16l Homens Normais 20l Crianças 12l L/min Mulheres Endurance 20l
  47. 64. Valores em Repouso (VS) Atletas Força 80ml Atletas Endurance 110ml Mulheres Normais 60ml Homens Normais 70ml Crianças 50ml ml/min Mulheres Endurance 70ml
  48. 65. Valores no Exercício Máximo (VS) Atletas Força 150ml Atletas Endurance 200ml Mulheres Normais 100ml Homens Normais 120ml Crianças 80ml ml/min Mulheres Endurance 120ml
  49. 66. Valores no Repouso (FC) Atletas Força 50-60 Atletas Endurance 30-40 Mulheres Normais 70-90 Homens Normais 60-80 Crianças 80-100 bpm Mulheres Endurance 40-60
  50. 67. Valores no Exercício Máximo (FC) Atletas Força 200 Atletas Endurance 190 Mulheres Normais 200-210 Homens Normais 200 Crianças 220 bpm Mulheres Endurance 200
  51. 68. DC x Tipo de Exercício Natação 23 l Corrida 25 l L/min Ciclismo 22 l
  52. 69. VS x Posição do Corpo Deitado 100ml Em Pé 70 ml ml/min
  53. 70. VS x Tipo de Exercício Natação 135 ml Corrida 130 ml ml/min Ciclismo 120 ml
  54. 71. FC x Posição do Corpo Deitado 50 bpm Em Pé 70 bpm bpm
  55. 72. FCmáx. x Tipo de Exercício Natação 170 Corrida 190 bpm Ciclismo 185
  56. 73. Referências
  57. 75. <ul><li>DENADAI, B. S., Avaliação aeróbia: determinação indireta da resposta do lactato </li></ul><ul><li>DENADAI, B. S.,Índices fisiológicos da avaliação aeróbia </li></ul><ul><li>SHEPHARD, R.J. & ASTRAND, P – O: Endurance in Sport </li></ul>
  58. 76. A meus amigos... ...meus agradecimentos “ A essência do conhecimento é uma vez que você o tenha, aplicá-lo.” Confucius (500 a. C)

×