Vidros UBV - Parte técnica

3.485 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.485
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vidros UBV - Parte técnica

  1. 1. VIDROS UBV Um toque inovador de classe e requinte.
  2. 2. QUEM SOMOS ?
  3. 3. - Empresa brasileira no mercado desde 1957; - Maior fabricante de Vidro Impresso (vidro com textura) da América Latina; - Líder de mercado do Vidro Plano Impresso; - Novo forno – capacidade de produção ampliada; - Padrões exclusivos e modernos; - Atitudes sustentáveis; - Exportadora.
  4. 4. O QUE É VIDRO?
  5. 5. - Substância inorgânica; - Homogênea; - Amorfa (estado líquido / sem forma definida); - Obtida através do resfriamento de uma massa em fusão. Suas qualidades são: - Transparência ou Translucidez; - Dureza; - Capacidade de reciclagem total. Matérias-primas que compõe o vidro UBV: Areia, Caco de Vidro, Barrilha, Calcário, Dolomita, Feldspato, Sulfato de Sódio + GN.
  6. 6. COMO É FABRICADO?
  7. 7. Vidro translúcido fabricado através de sistema industrial que utiliza dois cilindros metálicos na saída do forno por onde passa o vidro já elaborado. O rolo superior é liso e o inferior é o que imprime o padrão desejado ao vidro. O espaçamento entre os dois rolos determina a espessura do vidro. Após a impressão, o vidro plano, que ainda não está completamente rígido, é conduzido por um conjunto de rolos (estenderia), onde ocorre a diminuição da temperatura de maneira lenta e gradual, garantindo a qualidade do material. Em seguida o vidro é cortado em chapas, nos tamanhos programados, passando pelo processo de controle de qualidade, embalagem, armazenagem e expedição.
  8. 8. Fabricação do Vidro UBV – Pontilhado 10 mm
  9. 9. TIPOS DE BENEFICIAMENTO POSSÍVEIS COM OS VIDROS UBV
  10. 10. Vidro Temperado - O vidro temperado passa por um processo térmico de têmpera, que consiste no processo de aquecimento gradativo até se atingir a temperatura de 650°C (estado plástico), seguida de brusco resfriamento. - Esse processo confere ao vidro resistência mecânica de cinco a sete vezes maior que a do vidro comum. - Este vidro tem como característica a fragmentação segura, em pequenos pedaços com arestas menos cortantes. - Antes de passar pelo processo de têmpera, o vidro deve estar do tamanho e com todas as furações da utilização pois não pode ser cortado e nem furado depois.
  11. 11. <ul><li>- Composto por duas ou mais lâminas de vidro comum ou temperado, </li></ul><ul><li>intercaladas por uma camada de resina líquida ou película de PVB. (Poli Vinil Butiral) </li></ul><ul><li>A finalidade principal é garantir que no caso do vidro se estilhaçar que ele permaneça colado ao plástico sem apresentar maiores perigos. </li></ul><ul><li>- Além de dar cor ao vidro pode-se laminá-lo com madeira, tecido e impressões plotadas no meio dos dois vidros. </li></ul>Vidro Laminado
  12. 12. - É feita a aplicação do esmalte cerâmico (tinta vitrificada) no vidro, em seguida, esse vidro passa por um forno de têmpera onde os pigmentos passam a fazer parte do vidro. - Ao final do processo, obtém-se um vidro serigrafado temperado. - Da mesma forma que o vidro temperado, o vidro deve ser serigrafado do tamanho e com os furos que será utilizado. Vidro Serigrafado
  13. 13. <ul><li>O vidro passa por um processo de aquecimento num forno parecido com fusing com uma forma metálica que moldará o vidro com o raio determinado. </li></ul><ul><li>- Antes de se projetar com um vidro curvo, aconselha-se consultar um fornecedor e verificar as formas disponíveis pois o custo do desenvolvimento de uma forma específica é bastante alto. </li></ul>Vidro Curvado
  14. 14. <ul><li>Vidro pintado com tinta epoxi através de um processo automatizado de cortina. </li></ul><ul><li>A tinta fica mais homogênea e o vidro pode ser cortado após o processo. </li></ul><ul><li>- O vidro tem a mesma resistência de um vidro comum. </li></ul>Vidro Pintado à Frio
  15. 15. - Os espelhos são vidros que recebem um banho de prata e uma pintura posterior em um sistema automatizado de cortina. - Quando o espelho é feito no vidro float, ele dá o reflexo de imagem. - O espelho pode ser feito também no vidro impresso, resultando em um vidro espelhado decorativo, sem reflexo de imagem Espelhos
  16. 16. - Filetagem – acabamento dado às bordas do vidro com lixadeiras manuais. Tira o corte do vidro e dá um acabamento fosco. - Lapidação – acabamento dado às bordas do vidro em máquinas de lapidação. As bordas ficam melhor acabadas do que na filetagem. - Bisotê – é o acabamento das laterais dos vidros feito em graus, deixando uma parte do vidro no ângulo inicial. Lapidação 45º Bisotê Outros Beneficiamentos
  17. 17. - Vidro jateado – recebe um jato de areia que deixa o vidro mais fosco. Permite fazer desenhos no vidro. - Vidro acidato – recebe um banho de acido que deixa o vidro mais fosco. O resultado é parecido com o jateamento, porém engordura menos. - Vidro com película – o vidro recebe a aplicação de uma película (parecida com o insulfilm do carro) que pode ser de segurança, refletiva ou colorida. Outros Beneficiamentos
  18. 18. - NBR NM 294 – Vidro float; - NBR NM 295 – Vidro aramado; - NBR NM 297 – Vidro impresso; - NBR 14697 – Vidro laminado; - NBR 14698 – Vidro temperado; - NBR 7199 – Projeto, execução e aplicações de vidros na construção civil; - NBR 11706 – Vidros na construção civil; - NBR 14207 – Boxes de banheiro fabricados com vidro de segurança temperados – projeto, instalação e materiais utilizados; - NBR 14355 – Vidros para móveis – Terminologia, classificação e defeitos; - NBR 14488 – Tampos de vidro para mesas – Requisitos - NBR 14564 – Vidros para sistemas de prateleiras – Requisitos e métodos de ensaios. www.abnt.org.br [email_address] Normas de produção Normas de beneficiamento Normas de aplicação Normas Técnicas
  19. 19. - Para esquadrias se utiliza normalmente vidros de 3 e 4 mm sem lapidação. - Esses vidros precisam estar encaixilhados e seu tamanho máximo deve estar de acordo com as tabelas da NBR 7199 Esquadrias
  20. 20. - Para aplicações como Box, Portas de Vidro e Divisórias grandes e sem caixilho, utiliza-se vidro de 6 a 10 mm, sempre temperado. O uso de box com vidro de 4mm também é permitido desde que estejam encaixilhados e temperados. Box, Portas e Divisórias
  21. 21. - Para pisos de vidro aplicados diretamente no contrapiso, usa-se vidro de 8 mm, serigrafado ou temperado. - Quando o piso é suspenso (apoiado em estrutura apenas nas extremidades), o vidro precisa ser temperado e laminado (8+8 mm) - O piso de vidro impresso é muito interessante por ser anti-derrapante e por difarçar os riscos inerentes a utilização do vidro. Pisos de Vidros
  22. 22. - Também se utilizam vidros 3 a 6 mm, comum, muitas vezes temperados ou com película de segurança, dependendo do tamanho do pano. Portas de Armários
  23. 23. - A espessura dos tampos de mesa varia se são soltos ou envolvidos em alguma estrutura. - Também é importante estudar a distância dos pés no qual o vidro ficará apoiado. - Quando os vidros tem uma estrutura em volta pode-se utilizar vidros a partir de 5 mm, temperado. - Para tampos de vidro soltos, usa-se normalmente acima de 8 mm, dependendo do tamanho da mesa. Tampos de Mesas
  24. 24. <ul><li>Recomendado pela norma: </li></ul><ul><li>Vidro Laminado (3+3 mm) </li></ul><ul><li>Vidro Aramado </li></ul><ul><li>Vidro revestido com </li></ul><ul><li>película de segurança* </li></ul>* Em estudo na revisão da NBR 7199 Guarda-Corpos
  25. 25. <ul><li>Clarabóias ou telhados para iluminação. </li></ul><ul><li>Vidraças não verticais sobre passagem. </li></ul><ul><li>Recomendado pela norma: </li></ul><ul><li>Vidro Laminado </li></ul><ul><li>Vidro Aramado </li></ul><ul><li>Vidro revestido com </li></ul><ul><li>película de segurança* </li></ul>* Em estudo na revisão da NBR 7199 Coberturas
  26. 26. <ul><li>Em fachadas, a partir do 1º pavimento, vidros abaixo da cota de 1,10 m. </li></ul><ul><li>Recomendado pela norma: </li></ul><ul><li>Vidro Laminado </li></ul><ul><li>Vidro Aramado </li></ul><ul><li>Vidro revestido com </li></ul><ul><li>película de segurança* </li></ul>* Em estudo na revisão da NBR 7199 Fachadas 1,10 m 1,10 m 1,10 m 1 0 pav 2 0 pav 3 0 pav
  27. 27. VISITE O NOVO SITE UBV : www.vidrosubv.com.br

×