1
Medidas para
Controle e
Tratamento de
Enterobactérias
resistentes a
carbapenem (suspeita
de KPC)
Hospital das Clínicas d...
2
Medidas de Controle
 Casos: serão colocados em precaução de contato todos os pacientes com
cultura positiva para entero...
3
o O laboratório de Biologia Molecular enviará os laudos do PCR das KPCs
por e-mail para o GCIH e este repassará aos Inst...
4
Tratamento
As opções de tratamento para as enterobactérias produtoras de KPC ainda não estão
bem definidas. Embora ainda...
5
Cepas sensíveis a meropenem E imipenem, com teste de Hodge positivo ou inconclusivo
Sítio de Infecção 1ª escolha 2ª esco...
6
Cepas resistentes a meropenem OU imipenem, independente do teste de Hodge
Sítio de Infecção 1ª escolha 2ª escolha
Pneumo...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Controle e tratamento_de_enterobacterias_ importante informar-se e repassar; orientar pois pagar tributos também term que ter seu retorno!!

388 visualizações

Publicada em

Controle e tratamento_de_enterobacterias_ importante informar-se e repassar; orientar pois pagar tributos também term que ter seu retorno!!

Publicada em: Saúde
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
388
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
83
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Controle e tratamento_de_enterobacterias_ importante informar-se e repassar; orientar pois pagar tributos também term que ter seu retorno!!

  1. 1. 1 Medidas para Controle e Tratamento de Enterobactérias resistentes a carbapenem (suspeita de KPC) Hospital das Clínicas da FMUSP Janeiro de 2012 Grupo de Controle de Infecção Hospitalar SubComissões de Controle de Infecção Hospitalar
  2. 2. 2 Medidas de Controle  Casos: serão colocados em precaução de contato todos os pacientes com cultura positiva para enterobactérias resistentes a ertapenem com teste de Hodge positivo ou inconclusivo ou resistentes a imipenem ou meropenem  Culturas de Vigilância: o Critério para coleta: colher cultura de vigilância para os pacientes contactantes de caso de enterobactérias resistentes a ertapenem com teste de Hodge positivo ou inconclusivo o Sítio de coleta: swab inguinal e retal (mesmo swab) o Manter em precaução de contato até o resultado da cultura de vigilância  Manutenção da Precaução de contato o Cada Instituto deve definir o critério para retirada de isolamento o Cada Instituto deve definir se manterá o caso em precaução de contato se o PCR para KPC for negativo  Recursos Humanos e Materiais: as Diretorias Executivas dos Institutos serão responsáveis por prover: o número suficiente de pessoal de enfermagem que garanta disponibilidadede tempo para a adesão às recomendações de paramentação para o adequado isolamento de contato. o recursos materiais (aventais, luvas, quartos privativos) suficientes para a adesão às recomendações. o adequada estrutura de pias equipadas com água, sabão e papel ou dispensadores de álcool-gel.  Promoção do uso racional de antimicrobianos  Fluxo de Informações: o Manter “Microbiologia Alerta” – Laboratório de Microbiologia da DLC envia por e-mail diário para o GCIH e todas as SubComissões os casos de enterobactérias resistentes ou intermediário a imipenem ou meropenem. (obs: Os casos de Proteus, Providencia e Morganella morganni resistentes somente ao imipenem não fazem parte do Alerta)
  3. 3. 3 o O laboratório de Biologia Molecular enviará os laudos do PCR das KPCs por e-mail para o GCIH e este repassará aos Institutos.
  4. 4. 4 Tratamento As opções de tratamento para as enterobactérias produtoras de KPC ainda não estão bem definidas. Embora ainda controversa, a associação de drogas tem sido sugerida na literatura. A padronização aqui proposta se refere a casos com antibiograma sugestivo de enterobactéria produtora de KPC, ou seja, cepas resistentes a ertapenem, pois o resultado do PCR não é disponível em tempo hábil. O laboratório de Microbiologia do HC-FMUSP utiliza o Vitek2®, com confirmação da sensiblidade aos carbapenens por disco-difusão. O teste de Hodge é realizado para todas as enterobactérias resistentes a ertapenem. Os pontos de corte utilizados para antibiograma são os preconizados pelo CLSI. Cepas sensíveis a meropenem E imipenem, com teste de Hodge negativo Sítio de Infecção 1ª escolha Bacteremia Pneumonia Intra-abdominal Pele e partes moles SNC Osteo-articular Meropenem ou Imipenem ITU Gentamicina ou amicacina
  5. 5. 5 Cepas sensíveis a meropenem E imipenem, com teste de Hodge positivo ou inconclusivo Sítio de Infecção 1ª escolha 2ª escolha Pneumonia Bacteremia (Meropenem ou Imipenem) + Polimixina (Meropenem ou Imipenem ) + Aminoglicosídeo ITU Gentamicina ou amicacina Polimixina Intra-abdominal Pele e partes moles (Meropenem ou Imipenem) + Tigeciclina Tigeciclina + aminoglicosídeo (Meropenem ou Imipenem ) + aminoglicosídeo SNC Meropenem+ Polimixina Meropenem+ polimixina + (polimixina ou aminoglicosídeo intratecal) Osteo-articular (Meropenem ou Imipenem) + aminoglicosídeo (Meropenem ou Imipenem) + Tigeciclina (Meropenem ou Imipenem ) + Polimixina
  6. 6. 6 Cepas resistentes a meropenem OU imipenem, independente do teste de Hodge Sítio de Infecção 1ª escolha 2ª escolha Pneumonia Bacteremia Polimixina + aminoglicosídeo Polimixina ITU Gentamicina ou amicacina Polimixina Intra-abdominal Pele e partes moles Tigeciclina + aminoglicosídeo Tigeciclina + polimixina SNC Polimixina Polimixina + (polimixina ou aminoglicosídeo intratecal) Osteo-articular Tigeciclina + aminoglicosídeo Polimixina + aminoglicosídeo

×