Como escrever bem?

1.656 visualizações

Publicada em

Slides aula de língua portuguesa. Conteúdos: coerência e coesão.
Título: Como escrever bem?
Autoria: Profª Valéria Rios.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.656
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
67
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como escrever bem?

  1. 1. COMO ESCREVER BEM?Professora Esp. Valéria Rios Oliveira Alves Adaptado de: Oficina de Redação de Leila Lauar Sarmento
  2. 2. Enlace de ideias (dinâmica)1- Diga um nome próprio ( de uma mulher e de um homem)2- Diga o nome de um lugar (bairro,cidade ou país)3- Dois números de sua preferência4- Duas cores preferidas5- Dois defeitos6-Indique um intervalo de tempo (horas,dias, meses, anos,etc.7- Indique uma quantia em dinheiro8- Música ou banda de sua preferência9-Diga o nome de um local comum (em casa, na escola, no caminho, etc.)10- Comida preferida
  3. 3. Enlace matrimonial1. Nome da noiva e do noivo2. O lugar onde se conheceram3. O número dos sapatos dos noivos4. A cor dos olhos dos noivos5. Os defeitos dos noivos6. Tempo de duração do namoro e do noivado7. Dinheiro disponível para o casamento e a lua de mel8. Música ou banda que tocou durante a cerimônia9. Local da lua de mel10. Único cardápio da cerimônia
  4. 4. Elementos da textualidadeO ato da escrita requer um exercícioconstante de aperfeiçoamento, por isso énecessário sempre a reescritura do texto.Há também algumas noções importantes aserem observadas, conforme veremos aseguir.
  5. 5.  A clareza das ideias é obtida com o uso de palavras essenciais e simples, o que torna o texto mais conciso e natural. Use também, se possível, palavras curtas. Lembre-se, portanto, de que concisão constitui um dos princípios determinantes para escrever bem. A expressividade depende da escolha de palavras específicas, de maior precisão. O emprego do substantivo concreto se impõe ao abstrato; o específico ao genérico. Os verbos de ação, na voz direta, devem ter preferência na produção de um texto, como também os adjetivos e os advérbios que acrescentem informações.
  6. 6.  A simplicidade deve ser uma característica marcante em qualquer texto, pois o emissor escreve para diversos tipos de interlocutores que precisam entender a mensagem. A ordem direta constitui a norma essencial de quem escreve, porque ela encaminha mais facilmente o leitor à compreensão do texto. Portanto, seja objetivo e redija sem rodeios.
  7. 7.  A originalidade prevalece quando se evitam formas e frases desgastadas, assim como o emprego excessivo da voz passiva (será feito, será revisto). Escreva com criatividade, escolhendo palavras conhecidas, sem rebuscamentos, em pedantismo vocabular e sem falsa erudição. Assim será possível produzir frases fluentes, objetivas e bem estruturadas. A escolha das palavras deve seguir um critério rigoroso. Evite termos técnicos, modismos, lugares- comuns, chavões, preciosismos e formas desgastadas pelo uso frequente. Use uma linguagem elegante, criativa, e observando as estruturas e pontuação em seu texto.
  8. 8. Para pensar... Variantes linguísticas e textuais Textos gramaticalmente perfeitos nem sempre significam bons textos Quem lê bem escreve bem. Será? Os gêneros textuais
  9. 9. As qualidades de um textoHá determinados critérios para aprodução de um bom texto, comocoesão, clareza, coerência e correção.Vejamos cada caso.
  10. 10. Coesão textual A redação de um bom texto depende d perfeita articulação das ideias, o que se consegue através do encadeamento semântico (relativo ao significado, ao sentido) e do encadeamento sintático (mecanismos que unem uma oração à outra). Lançando mão desses dois tipos de encadeamento, consegue-se a coesão , isto é, a conexão entre as partes do discurso.
  11. 11. A pesca (Affonso Romano de SantAnna ) a garganta O anil a âncora o anzol o peixe o azul a boca o silêncio o arranco o tempo o rasgão o peixe aberta a água a agulha aberta a chaga vertical aberto o anzol mergulha aquelíneo a água ágilclaro a linha estabanado a espuma o peixe o tempo a areia o peixe o sol o silêncio
  12. 12. Uma questão de estilo... Subi a porta e fechei a escada. Tirei minhas orações e recitei meus sapatos. Desliguei a cama e deitei-me na luz Tudo porque Ele me deu um beijo de boa noite...
  13. 13. Há vários recursos linguísticos que podemser empregados para unir orações eparágrafos, criando-se uma unidadetextual. Entre eles se destacam oschamados conectivos: conjunções,preposições, pronomes e advérbios. Entreos elementos de coesão mais comuns,podem ser citados, de acordo com ossentidos que expressam:
  14. 14.  Causa e consequência, explicação: por conseguinte, por isso, de fato, pois, já que, de tal forma que; Contraste, oposição, restrição, ressalva: exceto, salvo, todavia, menos, pelo contrário, mas, contudo, embora; Adição, continuação: por outro lado, também, e, nem, não apenas... como também, não só... bem como, além disso, outrossim, ainda mais.
  15. 15.  Semelhança, comparação, conformidade: segundo, conforme, igualmente, assim também, da mesma forma, semelhantemente, por analogia, de acordo com, tal qual, como, assim como, do mesmo modo, bem como, de maneira idêntica; Condição, hipótese: se, caso, eventualmente; Resumo, recapitulação, conclusão: em síntese, em resumo, enfim, em suma, portanto, assim, dessa forma, logo, pois, dessa maneira.
  16. 16.  Tempo: enfim, logo, então, logo depois, imediatamente, logo após, a princípio, agora, atualmente, sempre, raramente, desde que, já, enquanto, quando, não raro, mal, apenas. Dúvida: quem sabe, é provável, talvez, possivelmente, quiçá; Certeza, ênfase: certamente, sem dúvida, inegavelmente, com toda certeza.
  17. 17. O texto é produzido por meio daorganização de palavras que se unem,adequadamente, umas às outras. Assim, ostermos vão formando uma oração, e asorações vão construir períodos. Essa uniãoou ligação entre os elementos de um textodeve apresentar um sentido lógico, coerente;para isso é necessário observar as relaçõessemânticas existentes entre eles.
  18. 18.  Na verdade há uma relação de dependência entre os termos que se estabelecem pela coordenação ou subordinação das ideias.
  19. 19. EXERCÍCIO OUÇA A MÚSICA E PENSE NA LETRA A SEGUIR PARA RESPONDER ÀS QUESTÕES QUE SEGUEM...
  20. 20. Oito Anos Por que os dentes caemPaula Toller Por onde os filhos saem Por que os dedos murcham Quando estou no banho Por que as ruas enchemPor que você é Flamengo Quando está chovendoE meu pai BotafogoO que significa"Impávido Colosso"? Quanto é mil trilhõesPor que os ossos doem Vezes infinitoEnquanto a gente dorme Quem é Jesus Cristo Onde estão meus primos Well, well, well Gabriel...
  21. 21. Por que as cobras matam Por que o vidro embaça Por que você se pinta Por que o tempo passa Por que que a gente espirraPor que o fogo queima Por que as unhas crescemPor que a lua é branca Por que o sangue correPor que a Terra roda Por que que a gente morrePor que deitar agora Do qué é feita a nuvem Do qué é feita a neve Como é que se escreve Reveillón
  22. 22. Então, isso é um texto?
  23. 23. Pensando no texto Qual o título do texto? Por que esse título? O que o título pode me dizer sobre seu conteúdo? Que recursos são utilizados pela compositora para fazer esse texto coerente?

×