Pilates

992 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
992
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pilates

  1. 1. PILATES PARA O CÉREBRO Leia até ao fim, é muito interessante. .
  2. 2. ANDA ESQUECIDO/A?“Como se chama este filme no qual a artista que aparece é belíssima?...Sim, homem! Alta, de cabelos negros. A que trabalhou algumas vezes com aquele actor maravilhoso que sechama... que trabalhou numa peça de teatro muito famosa. Já sabes de quem falo, não?”
  3. 3. 30 ASSIM COMEÇAMOS A partir dos trinta anos, em geral, começamos a notar que temos pequenos esquecimentos: • Como se chama este menino? Conheço-o tão bem. • A que horas era o encontro, às 5:00 ou às 5:30? • Isto, como me disseram que funcionava? • As minhas chaves, onde as deixei? • Em que andar estou estacionado? Mas nada como quando exclamamos... “Roubaram o meu carro!” Sem darmos conta de que saímos por outra porta do centro comercial.
  4. 4. Ainda que estes pequenosesquecimentos não afectem a nossa vida, causam-nos ansiedade. Com terror, pensamos que océrebro começa a converter-se em gelatina e preocupa-nos ficar como esta tia idosa, que recorda com pequenos detalhes tudo sobre a sua infância, mas não podelembrar-se do que fez ontem ou mesmo esta manhã.
  5. 5. Se isto lhe parece familiar , não se preocupe, tenha esperança. Existem muitos mitos em que as pessoas,equivocadamente, relacionam a idade com a falta de memória. Os neurocientistas têm comprovado que:A perda de memória de curto prazo não sedeve à idade ou à morte dos neurónios, quemorrem mas se regeneram, mas à reduçãodo número de ligações entre si, dosneurónios ou dentritas (ramos dosneurónios).
  6. 6. Isto sucede por uma simples razão: falta deuso.É muito simples. Assim como se atrofia ummúsculo sem uso, as dentritas também seatrofiam se não se ligam com frequência, ea habilidade do cérebro para receber novainformação reduz-se.É certo, o exercício ajuda muito a alertar amente; também há vitaminas e remédiosque aumentam e fortalecem a memória.Entretanto, nada como fazer com que onosso cérebro fabrique o seu próprioalimento: As neurotrofinas.
  7. 7. AS NEUROTROFINASSão moléculas que produzem e segregamas células nervosas e actuam comoalimento para se manterem saudáveis.Quanto mais activas estiverem as células docérebro, mais quantidade de neurotrofinasproduzem e isto gera mais ligações entreas distintas áreas do cérebro.
  8. 8. QUE PODEMOS FAZER?O que necessitamos é fazer pilates com osneurónios:• esticá-los,• surpreendê-los,• sair da sua rotina,• apresentar-lhes novidades inesperadas e divertidas através das emoções, do olfacto, da visão, do tacto, do paladar e da audição.O resultado? O cérebro torna-se mais flexível,mais ágil, e a sua capacidade de memória aumenta.
  9. 9. PROVAVELMENTE PENSA…Eu leio, trabalho, faço exercícios e milcoisas mais durante o dia. Assim, a minhamente deve estar muito estimulada.A verdade é que a vida da maioria de nósse converte numa série de rotinas..Pense num dia ou semana comum ecorrente.Que há de diferente na sua rotina diária?O caminho para o trabalho, a hora quecome ou regressa a casa, o tempo quepassa no carro, o tempo e os programasque vê na televisão?
  10. 10. AS ATIVIDADES ROTINEIRAS SÃO INCONSCIENTESFazem com que e cérebrofuncione automaticamente erequeira um mínimo deenergia.As experiências passampelas mesmas estradasneuronais já formadas. Não há produção de neurotrofinas.
  11. 11. ALGUNS EXERCíCIOS QUE EXPANDEM SUBSTANCIALMENTE AS DENTRITAS E A PRODUÇÃO DE NEUROTROFINAS:• TENTE, pelos menos uma vez por semana, tomar um TENTE duche com os olhos fechados. Só com o tacto, localizar as torneiras, ajustar a temperatura da água, pegar no sabonete, no champô ou creme de barbear. Verá como as suas mãos notarão texturas que nunca tinha percebido.• UTILIZE a mão NÃO dominante. Coma, escreva, abra a pasta, escove os dentes, abra a gaveta com a mão que mais trabalho lhe custe a usar.
  12. 12. • LEIA em voz alta: distintos circuitos serão activados, além dos que usa para ler em silêncio.• TROQUE as suas rotas, passe por diferentes caminhos para ir para o trabalho ou para casa.
  13. 13. • MODIFIQUE a sua rotina. Faça coisas diferentes. Saia, conheça e fale com pessoas de diferente idades, trabalhos e ideologias. Experimente o inesperado. Use as escadas em vez do elevador. Saia para o campo, caminhe, ouça-se.
  14. 14. • TROQUE a localização de algumas coisas. Sabe onde tudo está, o cérebro já construiu um mapa. Mude, por exemplo, o recipiente de lixo de lugar, e vai ver o número de vezes que vai atirá-lo no antigo local.• APRENDA uma habilidade. Qualquer coisa: pode ser fotografia, culinária, yoga, estudar um novo idioma. Se gosta de quebra-cabeças ou figuras, cubra um olho para perder a percepção de profundidade, de modo que o cérebro tenha que confiar e procurar outras rotas.
  15. 15. •IDENTIFIQUE objectos. Coloque no carro umrecipiente com várias moedas diferentes e tacteie coma mão para que, enquanto esteja parado numsemáforo, com os dedos trate de identificar cada uma.Porque não abrimos a mente e provamos essesexercícios tão simples que, de acordo com os estudosde Neurobiología do Duke University Medical Center, Centerampliam a nossa memória? Com sorte, nunca mais voltaremos a perguntar: Onde deixei as minhas chaves?
  16. 16. Espero que tenha gostado.E não se esqueça de passar um DIA FANTÁSTICO Tradução para português de Portugal JVC (zecord)

×