Nome: Uanderson Pereira da Silva Data: 07/11/2015
Questionário para os Doutorando de Especialidade
1. Quais as provas de a...
SEVERO: As pessoas portadoras de deficiência mental de nível severo,
apresentam pouco desenvolvimento motor e mínimo desen...
2º Passo: Fazer todas as medidas do paciente, peso, altura,
circunferências e pregas cutâneas, a ferramenta “Avaliações an...
O surgimento da pápula representa uma reação em que há presença do
anticorpo IgE específico contra o alérgeno testado. Con...
Fechar a porta do quarto e reduzir o fluxo de pessoas;
Deve-se evitar alterações de velocidade durante a infusão;
Volume i...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Questionário de especialidade de uanderson pereira da silva

165 visualizações

Publicada em

Questionário de especialidade medica.
Algumas perguntas e resposatas de medicina e do tempo do internato!

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
165
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Questionário de especialidade de uanderson pereira da silva

  1. 1. Nome: Uanderson Pereira da Silva Data: 07/11/2015 Questionário para os Doutorando de Especialidade 1. Quais as provas de atividade inflamatória e comente as diferenças entre a AIJ e Moléstia Reumática? As provas de atividade inflamatória (PAIs) ou provas de fase aguda inflamatória referem-se a substâncias séricas que podem sofrer alterações em seus níveis ante a diversos estímulos, principalmente pelos que causam dano tecidual. Incluímos nesses estímulos processos inflamatórios agudos ou crônicos como infecções, neoplasias, trauma, infartos teciduais ou artrites inflamatórias. Os principais mediadores dessas alterações são as citocinas, produzidas em grande parte pelo fígado, entre as quais se destacam a IL-1b, o fator de necrose tumoral-alfa (TNFa), o interferon-g, e principalmente a IL-6. As alterações séricas dessas provas de inflamação são acompanhadas de outros fenômenos gerados pelas citocinas, dentre os quais destacamos febre, anorexia, sonolência, letargia, perda muscular, aumento da produção de hormônio adrenocorticotrófico (ACTH) e, em casos crônicos, desenvolvimento da anemia de doença crônica. As provas que sofrem elevação são a proteína C reativa (PCR), a velocidade de hemossedimentação (VHS), o fibrinogênio, a a1-antitripsina, a haptoglobina e a ferritina. Mas há marcadores que diminuem como a albumina e a transferrina. FR: Fator Reumatóide. FAN: Fator Ontinuclear. São indevidamente chamadas de “provas de atividade reumática”, pois não são específicas dessa categoria de doenças. E mesmo o termo “prova de atividade inflamatória” não é de todo correto, pois elas podem estar relacionadas também a situações não inflamatórias. As PAIs podem ser úteis para monitorizar a atividade da doença, com destaque para a PCR. Elevações na PCR e na VHS estão associadas com a progressão radiográfica das lesões após 6 e 12 meses do início do quadro. Além disso, os níveis das provas de inflamação se associam com sinovite e erosões precoces detectáveis por ressonância nuclear magnética, o que tem impacto direto no desenvolvimento de deformidades e na perda de função causados pela doença. 2. Diferenciar deficiência mental leve, moderada e grave, e de sua opinião entre escola especial e a integração em escola normal. LEVE: As pessoas com esse nível de deficiência podem desenvolver habilidades escolares e profissionais. Chegando, inclusive a prover a sua manutenção, muito embora necessitem, algumas vezes, de ajuda e orientação em situações sociais diferentes daquelas a que estão acostumados. MODERADO: O indivíduo com deficiência mental moderada tem capacidade insuficiente de desenvolvimento social. Mas poderá manter-se economicamente através de programas supervisionados de trabalho.
  2. 2. SEVERO: As pessoas portadoras de deficiência mental de nível severo, apresentam pouco desenvolvimento motor e mínimo desenvolvimento de linguagem. Poderão contribuir apenas parcialmente para sua subsistência, em ambientes controlados. PROFUNDO: As pessoas com a deficiência nesse nível tem um retardo intenso e a capacidade sensorial motora mínima. Mesmo, com suas dificuldades há possibilidades de adquirirem hábitos de cuidados pessoais, através de programas de " condicionamento operante". Pensar sobre o processo de integração e a necessária existência – implantação/implementação – de várias instâncias de serviços de apoio para que o mesmo se concretize, demanda discutir criticamente os múltiplos aspectos sobre educação, ou seja, a concepção dos professores sobre o processo de ensinar e o processo de aprender, sobre o sujeito que aprende e como este sujeito aprende, sobre as dimensões do conhecimento, sobre o contexto social, econômico e cultural em que o educando e o educador encontram-se, entre outros fatores. Em geral as escolas e o educadores não estão preparados para receber crianças com deficiência mental, porém esta integração pode em muito ajudar o educando com deficiência mental e aos demais educando, até mesmo na quebra de processos discriminatórios e tabus. 3. Comente sobre um ATB, espectro, atividade terapêutica, efeito colateral e dose. Espectro: a) pequeno espectro: Atingem pequeno número de microorganismos nas doses terapêuticas. Ex. Penicilinas de pequeno espectro, eritromicina, lincomicina, etc. b) Largo espectro: Atingem grande número de microorganismos. Ex. Penicilinas de largo espoectro, tetracilinas, cefalosporinas, etc. c) Uso tópico: grande toxicidade. Ex. Neomicina, tirotricina, etc. Ativos sobre fungos: Ex. nistatina, griseofulvina, etc. Efeitos colaterais: Náuseas, diarreia. Dose: 3 dias de azitromicina 1 comprimido por dia. 10 dias de amoxicilina 1 comprimido de 8/8hs. 4. Como realizamos a avaliação nutricional, para que serve e como orientar um paciente com déficit ponderal. A Avaliação nutricional consiste em obter e cruzar todos os dados do paciente e é dividida em 5 passos: 1º Passo: Coletar os dados pessoais e familiares do paciente, como doenças prévias, hábitos alimentares, atividades físicas, etc, e insira na ferramenta “Anamnese Nutricional”.
  3. 3. 2º Passo: Fazer todas as medidas do paciente, peso, altura, circunferências e pregas cutâneas, a ferramenta “Avaliações antropométricas” faz o cálculo de todos os dados, mostra percentual de gordura através de vários protocolos, classificação de IMC e classificações de circunferências e pregas. 3º Passo: Analisar todos os exames que o paciente realizou. Arquivar esses dados no sistema em “Análises Laboratoriais”. Acessar a qualquer momento para verificar os valores e compará-los com as referências do laboratório. 4º Passo: Realizar o recordatório de 24 horas. Ele é extremamente importante para avaliar a ingestão de nutrientes do paciente. Em “Recordatórios” se tem analise quantitativa de macro e micronutrientes com avaliação de ingestão de acordo com as DRIs. 5º Passo: Fazer uma revisão geral de todos os dados armazenados, cruzando as informações de cada ferramenta para fechar o diagnóstico. Pode- se descrever tudo que foi observado na ferramenta “Conduta Nutricional”, nela você tem texto livre para escrever as observações mais importantes identificadas em consulta. A avaliação nutricional serve para auxiliar no diagnóstico nutricional. O plano terapêutico deve ser instituído de maneira gradativa e individualizada. Não é aconselhada a imposição de alimentações rígidas e restritivas. Ela deve conter macro e micronutrientes e a criança/adolescente deve ajudar na escolha dos alimentos. Para isso, é essencial que seja avaliada a disponibilidade de alimentos, as preferências e as recusas, os alimentos e as preparações habitualmente consumidas pela família. É também fundamental salientar que crianças e adolescentes seguem padrões paternos e, se esses não forem modificados ou manejados em conjunto, a chance de insucesso do tratamento é grande.11 Por isso, deve-se enfatizar que a pessoa e sua família têm corresponsabilidade nesse processo e que determinação e disciplina serão necessárias para que o tratamento seja efetivo. O processo educacional relacionado ao padrão alimentar é importante para capacitar a pessoa e sua família. 5. Teste cutâneo alérgico, comente a respeito. O teste é realizado na região volar do antebraço (a parte que não costuma ter pelo), onde é pingada uma gota de controle negativo (em que há ausência de pápula, elevação circunscrita da pele, de consistência sólida com menos de um centímetro de diâmetro e que não desenvolve cicatriz), uma gota de controle positivo (histamina) e uma gota do extrato suspeito. É feita uma pequena puntura na pele no local da gota que representa o extrato suspeito, e aguarda-se 15 minutos para a leitura do diâmetro da elevação da pápula. Essa puntura é realizada em todos os alérgenos suspeitos ao mesmo tempo.
  4. 4. O surgimento da pápula representa uma reação em que há presença do anticorpo IgE específico contra o alérgeno testado. Consideram-se positivos resultados cujo diâmetro da pápula é maior ou igual a três milímetros em relação ao controle negativo. A histamina sempre formará uma pápula maior ou igual a três milímetros. O significado do teste positivo relaciona-se a uma sensibilização e não necessariamente à alergia. Para comprovar a alergia deve haver uma correlação clínica. 6. Durante o trajeto da Vila Zumbi, quais os pensamentos a respeito da situação (condição) social da criança no Brasil. Existe um estereótipo social com respeito a Vila Zumbi, talvez pela sua história, onde as algumas pessoas pensam que só existem favelas: de fato são marginalizadas! Até mesmo as contribuições realizadas por pessoas de outros bairros, somente chegam através dos funcionários, pois muitas pessoas que fazem doações tem medo de ir até lá! A carência emocional, a carência de oportunidades, e de assertividade é latente entre as crianças atendidas pelo Projeto Crescer que investe tempo, pessoal e dinheiro para de alguma forma amenizar a realidade daquelas crianças. Com respeito a medicina fica claro que simplesmente a atenção, sem o devido tratamento e cuidado presente não faz muito efeito, pois como conseguirão os medicamentos que até mesmo faltam nos postos de saúde e na rede pública? Algo que poderia ser feito como projeto a longo prazo, e que já vem sendo feito em parte pelo projeto crescer, é ministrar palestras, despertando vocações e incentivando as crianças e adolescentes a sonharem com outras oportunidades que foram negadas aos seus pais e que tem sido negadas a elas de certa forma. Quando se pergunta o que querem ser na vida as profissões que saltam de suas intenções são bem limitadas a uma realidade dura de trabalho com pouco investimento universitário, se conformam em sua maioria em terminar o ensino médio e seguirem em profissões menos reconhecidas pela sociedade e que lhes agrega pouco valor. 7. RNM como funciona, e como deve ser realizado a avaliação ou interpretação da imagem. O aparelho cria um campo magnético no paciente, de modo que os núcleos dos átomos de hidrogênio se alinhem e formem pequenos imãs. Os sinais recebidos são analisados e transformados na imagem que aparece na tela e depois impressa em filme. 8. Fale sobre nutrição parenteral e cuidados que devem ser tomados. Utilização de luvas, aventais e campos estéreis; Utilização de gorro, máscara e óculos de proteção; Palpar o local de inserção após anti-sepsia somente com luvas estéreis;
  5. 5. Fechar a porta do quarto e reduzir o fluxo de pessoas; Deve-se evitar alterações de velocidade durante a infusão; Volume infundido deve ser controlado evitando assim oscilações do gotejamento e alterações nas concentrações séricas da glicose; Não é recomendável ultrapassar 24 hs de infusão da N.P. O risco de crescimento bacteriano ou fúngico aumenta consideravelmente após as 24 hs. 9. Fale sobre a situação da Síndrome de Down no Brasil. Segundo o site: www.movimentodown.org.br as pessoas com síndrome de Down no Brasil têm apresentado avanços impressionantes e rompido muitas barreiras nos últimos anos. Muitos destes avanços se deveram à luta pela educação para todos como um direito humano, o que provocou uma onda inclusiva que vem varrendo o Brasil e, esperamos, acabe com a institucionalização e a segregação, pelo menos das crianças com síndrome de Down, em poucos tempo. Diversos grupos, ONGs, associações e pessoas físicas têm contribuído para este movimento positivo, a inserção de pessoas com Síndrome em novelas, a série de reportagens no fantástico mostrando a vida diária destas pessoas, tem mostrado como eles podem ser produtivos para a sociedade. As expectativa é que os progressos alcançados pelas pessoas com síndrome de Down se multipliquem e que, cada vez mais, elas sejam reconhecidas e respeitadas enquanto cidadãos que podem contribuir para o desenvolvimento de nosso país. 10. Como posso contribuir para a melhora do estágio de especialidade? A minha contribuição se faz presente na humanização da medicina, em contato com crianças como as do Projeto Crescer. O estágio de especialidades poderia ser direcionado a áreas específicas da medicina, onde o interno poderia ter contato com a rotina, por uma semana, das mais distintas especialidades e subespecialidades. Uma sugestão seria dividir o estágio todo de forma a ter uma maior preparação pré-rotação dos alunos. 1 semana antes de cada rotação para preparar através dos protocolos dos hospitais (somando 1 mês). Ginecologia e Obstetrícia, Clínica Médica, Cirurgia, Pediatria (Continuando 2 meses). 1 Mês para desenvolvimento de um projeto de forma bem organizada e dedicada na Medicina Social com palestras, atendimentos, etc. Daí por exemplo poderia ser realizado assim: 1 Mês para preparação de TCC. 1 Mês de férias para os alunos. 1 Mês de Especialidade.

×