Araripina | 01 à 15 de junho de 2014 | Ano 30 n° 89 | R$ 1,50
www.tribunadoararipe.com.br
Os filhos da BR316Mães denunciam...
Editorial
CNPJ/MF 13.294.508/0001-91
Rua Joaquim Rodrigues Nogueira, 500, salas 202 e 203, Centro - Araripina
Pernambuco -...
Iniciante na política de Araripina, o médico Aluizio
Coelho (PMDB), recebeu o aval do senador Armando Monteiro
para ser ca...
Política4 • Araripina | 01 à 15 de junho de 2014
www.tribunadoararipe.com.br
Nas eleições de 2010
votos do Araripe ajudara...
Economia
SERCON
coluna
Araripina | 01 à 15 de junho de 2014 • 5
www.tribunadoararipe.com.br
O ISS NA CONSTRUÇÃO CIVIL
	 A ...
Saúde6 • Araripina | 01 à 15 de junho de 2014
www.tribunadoararipe.com.br
Hospital e Maternidade Santa Maria
afirma que a ...
Cidadania Araripina | 01 à 15 de junho de 2014 • 7
www.tribunadoararipe.com.br
O
s habitantes de Ara-
ripina e das demais
...
Cidadania8 • Araripina | 01 à 15 de junho de 2014
www.tribunadoararipe.com.br
Evento terá a presença da As-
sociação de Bl...
Especial Copa do Mundo Araripina | 01 à 15 de junho de 2014 • 9
www.tribunadoararipe.com.br
VAI TER COPA NO
JORNAL TRIBUNA...
Cultura10 • Araripina | 01 à 15 de junho de 2014
www.tribunadoararipe.com.br
Foto: Gustavo Mendes - ASCOM PMA Foto: Gustav...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Edição 89 do Jornal Tribuna do Araripe

406 visualizações

Publicada em

Edição 89 do Jornal Tribuna do Araripe do dia 01 a 15 de junho de 2014.

Publicada em: Mídias sociais
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
406
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Edição 89 do Jornal Tribuna do Araripe

  1. 1. Araripina | 01 à 15 de junho de 2014 | Ano 30 n° 89 | R$ 1,50 www.tribunadoararipe.com.br Os filhos da BR316Mães denunciam falta de atendimento médico no Hospital e Maternidade Santa Maria para a realização de partos. Sem atendimento médico em uma das principais mater- nidades de Araripina, gestantes recorrem ao Hospital Regio- nal Fernando Bezerra Coelho, em Ouricuri, distante 60km de Araripina para dar à luz aos filhos. No caminho muitas acabam entrando em trabalho de parto e as crianças nascem dentro das ambulâncias. A di- retoria do Hospital e Materni- dade Santa Maria argumenta que falta de médicos está sen- do resolvida e que os plantões não ficarão mais descobertos. Pernambuco 14 no Araripe Em Araripina, agenda do Pernambuco 14 reúne lideranças políticas que apoiam a candidatura de Armando Monteiro (PTB) ao governo do Estado. Ex-prefeito Lula Sampaio (PTB) foi o anfitrião do encontro. O Senador e pré-candidato ao governo de Pernambuco, Armando Monteiro e o depu- tado federal e pré-candidato ao Senado João Paulo (PT) estive- ram em Araripina para ouvir as reinvindicações dos moradores do Araripe. Durante dois dias eles conversaram com lideran- ças políticas para construir o plano de governo de ações para a região. O encontro reuniu prefeitos, ex-prefeitos, deputa- dos estaduais e pré-candidatos à deputado federal e estadual. São João dos bairros de Araripina mantêm a cultura das quadrilhas juninas e abre oficialmente o calendário de festividades do município. O São João dos bairros per- correu bairros, vilas, distritos e a zona rural com apresentação de quadrilhas juninas nas categorias mirim e juvenil. O próximo evento do calendário junino será o con- curso municipal de quadrilhas nos dias 18 e 19 de junho na quadra da AEDA. As premiações somam 16 mil reais. No dia 23 começa o São João no Parque Três Vaqueiros com grandes atrações como Luan Santana, Leonardo, Aviões do For- ró e Garota Safada. Ministério Público instaura inquérito para averiguar licitação do São João de Araripina O Ministério Público de Per- nambuco através da 1ª Promotoria de Justiça de Araripina instaurou no dia 11, um inquérito civil pú- blico com o objetivo de averiguar a veracidade dos fatos noticiados com os gastos realizados pelo mu- nicípio de Araripina para a realiza- ção dos festejos juninos deste ano. Com a instauração do inquérito, o promotor de Justiça Manoel Dias da Purificação Neto vai analisar a documentação apresentada pela Prefeitura de Araripina do pro- cesso licitatório que, segundo de- núncias, chegam à casa dos R$ 7 milhões com a estrutura do evento como palco, camarotes, ilumina- ção, banheiros e outros itens. Campanha lançada na Fanpage do Jornal Tribuna do Araripe tem grande participação da torcida araripeana. Veja as fotos enviadas durante a estreia da seleção Bra- sileiranavitóriapor3a1 frente à Croácia.Página 09 Região do Araripe ganha escritório da Codevasf Sediado em Ouricuri o escri- tório de apoio técnico da Compa- nhia de Desenvolvimento dos Va- les do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) atende a uma demanda antiga da população que queria um local mais próximo a fim de facili- tar o diálogo e a agilização de obras e ações da Codevasf na região do Araripe que tem mais de R$ 120 milhões de obras em execução em várias áreas. Copado Mundono jornalTribuna doAraripe! Nas eleições de 2010 votos do Araripe ajudaram a eleger 25 deputados federais de outras regiões de Pernambuco Intercâmbio amplia conhecimento sobre bovinocultura leiteiraPág 04 Pág 07 Pág 06 Pág 03 Pág 05 Pág 08Pág 10 Vintediasdemuitoforróequadrilhasjuninas
  2. 2. Editorial CNPJ/MF 13.294.508/0001-91 Rua Joaquim Rodrigues Nogueira, 500, salas 202 e 203, Centro - Araripina Pernambuco - CEP: 56280000 - Fone: (87) 3873.2716 FACEBOOK: Tribuna do Araripe Email: tribunadoararipe@hotmail.com - SITE: www.tribunadoararipe.com.br EXPEDIENTE Tiragem: 10.000 exemplares / Impressão: Gráfica Jornal do Commercio Machado Freire Jornalista Eliseu Nascimento Saraiva Diagramador Ana Joélia Barros Alencar Administrativo Gilma Machado Vendas José Aureliano Galvão Rodrigues Presidente DIRETORIA EXECUTIVA Iveraldo Nascimento Diretor Rodrigo da Silva Barreto Diretor Superintendente Jorge Carvalho Possetti Editor Olá meus amigos! { sua vozsua voz Segunda à Sexta-feira Das: 08h:00 às 12h:00 e 14h:00 às 18:h00 Hoje em nossa coluna dicas de gestão, iremos falar de um assunto que é fundamental para você que pretende iniciar seu próprio negócio. PorGeonaldesElhembergdeSousaGomes PorAntônioFernandodeAquinoBezerra A sanfona e a bunda... E o São João fadou-se à incultura A verdade histórica da emancipação de Ouricuri Aquem interessa o debate baixo e miúdo da políti- ca? Aos próprios políticos. Quando os temas que permeiam o noticiáriosãoaquelesbaseadosem questões particulares dos entes pú- blicos (viagens internacionais, far- ras regadas a bebida, competições de animais caríssimos, desvio de verbas públicas e outros) os temas que verdadeiramente deveriam ser discutidos ficam atrás desta cor- tina de fumaça criada pelos pró- prios políticos. Eles não querem que o povo se alimente dos assun- tos sobre educação, saúde, cida- dania, políticas públicas e tantos outros mais. O político quer que a população não pense naquilo que se transformará em cobrança para O debate não é este eles. Por isso forçam o noticiário a publicar futilidades. O debate que a sociedade es- pera e almeja não é esse que está posto. Especialmente porque es- tamos em um ano eleitoral. Você decide seu voto baseado em quê? Nas propostas que o candidato tem ou no espetáculo da vida pú- blica que parte da imprensa insiste em noticiar? Se respondeu sim à primeira pergunta e não à segunda, conti- nue a leitura. Pouco importa quem viajou, bebeu ou ganhou prêmios. O que isto muda na sua vida? Deixe este debate pequeno para quem se pre- ocupa com o superficial. Comece a pensar no que a classe política não faz – e que foi eleita para fazer. Co- bre-os. Reivindique. É seu direito. E quando for o caso, reconheça que o trabalho foi realizado. Elo- gie. Temos o dever de reconhecer o lado bom e o direito de cobrar o que está errado. Como está o seu bairro? Tem atendimento médico e remédios no posto de saúde, nas escolas pú- blicas têm professores e merenda para seus filhos, você se sente se- guro de sair à noite de casa, o abas- tecimento de água é suficiente para as suas necessidades? Essas são as perguntas que deveriam estar no centro do debate. E os pré-candidatos estão mostrando de verdade como vão melhorar a realidade da sua comu- nidade ou é apenas a velha e co- nhecida lábia eleitoral? A sua asso- ciação de bairro ou de zona rural fez um documento mostrando os principais problemas e levou para o pré-candidato assinar, firmando assim um compromisso de ação caso sejam eleitos? Ou novamente eles foram até o seu bairro para ti- rar fotos e usar você como notícia para se autopromover? Se ao ler este editorial você continuar debatendo sobre a via- gem, o uísque ou o banho de leite volte três parágrafos e esqueça o que leu. Mas se as últimas linhas representam o seu sentimento de insatisfação, ajude a criar o debate que efetivamente interessa a você e à sua comunidade. 2 • Araripina | 01 à 15 de junho de 2014 www.tribunadoararipe.com.br “Olha pro céu meu amor, veja comoeleestálindo,olhapraquelebalão multicor como no céu vai sumindo”. O trecho supracitado é parte de uma das maisbelasobrasdeLuiz“Lua”Gonzaga do Nascimento, popularmente conhe- cido Brasil a fora, e porque não dizer, mundo a fora como o “Rei do Baião. Numa época em que forró era levado a sério e era cantado ou interpretado de forma exemplar nos festejos das cida- des, distritos, povoados... Aqueleforróquenascianosgrupos de pé de serra e faziam a alegria das po- pulações. Assim como as bandas de pí- fanos que acompanhavam e em alguns pontos ainda acompanham, as novenas dos padroeiros que são levados de re- sidência em residência durante o ciclo junino dos municípios a fora. Aliás, o ciclo junino nem se cita mais ao mon- tar uma programação festiva de uma cidade. Andei por muitos quilômetros para assistir a uma dança de São Gon- çalo, um circo de caretas (malhação de Judas), ponto culminante dos festejos que reuniam pessoas que vinham de pontos longínquos para assistirem a um simples, mas imponente espetácu- lo. Uma roupa nova e igual à do irmão por ano para tais festejos e, um corte de cabelo estilo militar contrastavam com o par de sapatos iguais que usávamos (eu e Gerinaldes), para visitarmos os salões que se abarrotavam de pessoas para dançar o forró bem agarradinho. De repente, a magia começa tomar rumos diferentes e os espetáculos pas- sam a tomar aparência de pornô-chan- chada com bandas que repetem uma a uma músicas que funcionam como fezes jogadas pela descarga em nossos ouvidos. E o que deveria ser a renova- ção do forró, tronou-se enfadonho e repetitivo. O movimento de bandas de baile gravando sertanejo em ritmo de forró é alavancado por Mastruz com Leite por volta dos anos 90 e, logo se torna uma febre, percorrendo os anos finas da fita K7 e a introdução do CD no mercado. Com o sucesso da Mastruz, o mo- vimento de bandas baile que estava em decadência migrou para o forró e gerou um entulho jamais visto na história musical do Brasil. A falta de criativi- dade para compor proporcionou o sur- gimento de músicas de duplo sentido que, na maioria das vezes agridem as mulheres relegando-as a excreto social ousimplesmercadoriasexualparacon- Venho através do presente pronun- ciamento, conclamar aos senhores vere- adores a criar uma comissão para apurar as verdades e afastar de vez os equívocos, engodoseasinjustiçasdahistóriapolítica, administrativa e social do nosso municí- pio para que as gerações atual e futuras, não continuem a cultuar falsas datas, no- mes e fatos que comprovadamente não ocorreram e que não tiveram nenhuma importância para a criação e desenvolvi- mento de Ouricuri. Fazendo um paralelo com a conhe- cida história bíblica do “bezerro de ouro”, nós estamos cultuando há algum tempo fatos, datas e nomes que não correspon- dem a verdade do passado histórico do nosso glorioso município. Isto é, estamos dando importância e festejando datas sem importância, escondendo verdades históricas e cometendo injustiças com os homens que verdadeiramente fizeram a história de Ouricuri. Acho que não foi proposital, mas por falta de informação e, principalmente, o desconhecimento da história política e administrativa de Ou- ricuri, cometeram esses vários absurdos históricos. O primeiro equívoco começa com a data (14/05/1903) que se festeja erronea- mente a emancipação política do glorioso município de Ouricuri. Na verdade nesta data não ocorreu a emancipação política de Ouricuri, mas tão somente a mudança de denominação da sede do município de “Vila de Ouricuri” para “cidade de Ouri- curi”. A verdadeira emancipação política do município de Ouricuri ocorreu no dia 25 de março de 1892, pois foi nesta data que pela primeira vez o município teve a posse do prefeito (Tomaz Pedro de Aquino, eleito como subprefeito, que assumiu a função de prefeito por ausên- cia do prefeito) e do Conselho Municipal (atual câmara de vereadores), composta pelos seguintes membros: Apolônio Pedro da Silva (eleito presidente do Conselho, mas não assumiu presidência da sessão de posse do prefeito, pois pensava ser im- pedido por ser capitão), Theotônio José de Souza,( vice-presidente, que assumiu a presidência da sessão que deu posse ao primeiro prefeito), Hermínio Fernandes Rodrigues Coelho e Belarmino Ferreira Chaves, conforme informações cons- tantes nas páginas 102 do Livro de Raul Aquino, denominado “Ouricuri tempo do Comendador Francisco Pedro”, publicado em 1998 (transcrito do ofício existente no Arquivo Público do Estado de Pernambu- co, Livro PM 01, página 145 do Arquivo Público- Comunicando ao Governador do Estado de Pernambuco a posse do prefeito em 25/03/1892) e oficio constan- te neste mesmo livro de Raul Aquino, as páginas 108, contando a história do Con- selho Municipal (transcrito do Livro IM9, página 426 do Arquivo Público do Estado de Pernambuco, que cita os conselheiros eleitos e a eleição do primeiro presidente doConselhoMunicipal–atualCâmarade Vereadores). A pesar de constar no ofício de pos- se a dúvida se o presidente eleito que era capitão (Apolônio) podia ser eleito? Essa dúvida é facilmente afastada pelo artigo 4º da disposições transitórias da Constitui- ção Estadual de Pernambuco, promulgada em 17/06/1891, transcrita a seguir: “Art. 4º. Na primeira eleição para representante do Estado e dos municí- pios, assim como para governador, vice- -governador e mais funcionários eletivos, não terão vigor as disposições destas Constituição relativas à incompatibilidade e requisitos de elegibilidade. Também não terá vigor no período da 1ª legislatura a disposição do art.24.” Assim, como se vê no artigo 4º das disposições transitórias, os requisitos de inelegibilidade da Constituição Estadu- al não estavam em vigor. O Conselheiro Theotônio assina em 25/03/1892 o oficio enviado ao Governador de Pernambu- co, como vice-presidente do Conselho, comunicando a posse dos conselheiros e fazendo a consulta sobre inelegibilidade do presidente eleito do conselho. Dúvida que estava respondido textualmente pelo artigo 4º das disposições transitórias aci- ma transcrito, pois estas eram as primei- ras eleições após a Promulgação, pois a eleição anterior, cuja posse ocorreu em 01/01/1892 tinham sido anuladas de uma forma geral (ver pagina 107 do Livro de Raul Aquino, “Ouricuri tempo do Co- mendador Francisco Pedro”, publicado em 1998. Deste fato, decorreram outros erros citados pelas pessoas em geral, que so- mente tem conhecimento do primeiro livro de Raul Aquino, denominado Ouri- curi História e Genealogia, publicado em 1982.EstelivrocitaerradamentequeElias Gomes foi o primeiro prefeito. Fato cor- rigido pelo próprio Raul Aquino no seu segundo Livro, denominado “Ouricuri tempo do Comendador Francisco Pedro”, publicado em 1008. Nesse segundo livro Raul Aquino comprova que o segundo prefeito de Ou- ricuri foi Elias Gomes de Souza, o qual tomou posse em 05/11/1892, conforme ofíciodopróprioPrefeitoEliasGomesen- viado ao governador de Pernambuco, co- municando a posse, constante às páginas 103 do livro de Raul Aquino, “Ouricuri tempo do Comendador Francisco Pedro”. (Extraído do Arquivo Público estadual, Livro PM 01, página 146). Outro erro provocado pelo primeiro livro de Raul Aquino, foi que o primeiro presidente do Conselho Municipal (Câ- mara de Vereadores atual) foi Tomaz Pe- dro de Aquino. Na realidade Tomaz Pedro de Aquino foi Eleito Conselheiro Munici- pal e presidente do Conselho Municipal (atual Câmara de Vereadores) na eleição em que Elias Gomes foi eleito prefeito. Assim, Tomaz Pedro de Aquino foi o se- gundo presidente da Câmara e o primeiro prefeito de Ouricuri. Outro grande equívoco e falta de conhecimento histórico dos administra- dores, políticos e do próprio povo é não reconhecer o Padre Francisco Pedro da Silva como maior expressão política, além de ser o fundador da Cidade de Ouricuri. Ele foi eleito 5 vezes deputado estadual e duas vezes presidente da Assembleia Le- gislativa de Pernambuco, somente não foi eleitomaisvezesporquenaqueletempoti- nha que andar de burro 180 léguas (cerca de 1080 km) para ir de Ouricuri a Recife. Foi ele o responsável pelo alistamento e a ida dos voluntários da pátria de Ouricu- ri para lutar na Guerra do Paraguai (408 voluntários). Por isso recebeu o título de Comendador de Dom Pedro II. Ele é pou- co lembrado pelos ouricurienses. AbandeiradeOuricurifoiconfeccio- nada sem levar em consideração o passa- do histórico glorioso de Ouricuri (data da emancipaçãoerrada,nãoconstanenhuma referência que a idade foi criada e se de- senvolveupelaconstruçãodaigrejadeSão Sebastião, nem da homenagem de Dom Pedro a Ouricuri. O próprio hino do mu- nicípio precisa ser emendado para contar melhor a história do nosso município. Diante do exposto, proponho aos se- nhores vereadores de Ouricuri, que cons- tituam uma Comissão para investigar o passado histórico de Ouricuri e possa res- gatar a verdade e as injustiças que estamos cometendo com os homens que fizeram a gloriosa história de Ouricuri. Para isso precisam propor: Projeto de Lei informando os ver- dadeiros nomes dos homens que foram pioneiros e importantes na história admi- nistrativa e política de Ouricuri. Resgatar o dia 25/03/1892 como o dia dos festejos da emancipação política de Ouricuri. Propor modificação na bandeira para retratar o passado histórico. Emendar o hino para melhor adequá-lo a história do município. Criar uma medalha de honra ao mérito (maior horária do Município) denominada Comendador Padre Fran- cisco Pedro da Silva para agraciar, anu- almente, no dia de aniversário de morte do Padre (07/10/1910) as pessoas que se destacarem na luta pelo desenvolvimento do município. *Pronunciamento feito na Câmara de Vereadores de Ouricuri na sessão do dia 03 de junho de 2014. Antônio Fernando de Aquino Bezerra é cidadão de Ouricuri. sumo masculino. No contexto cultural, o forró de Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Flavio José, Flávio Leandro, Waldones, Sivu- ca... tomou um tombo! A juventude, movida por shows que passaram se lo- cupletarem em um conjunto idealizado paratal,envolvendogruposdeforróes- tilizado, vulgarização da mulher e bebi- das geralmente falsificada, tornaram-se eventos grandiosos e ocuparam o espa- ço que a cultura deveria ocupar. Então, desde o início de tal movi- mento, enormes cifras são gastas em todo o Nordeste nos festejos juninos paraquesetenha“umabanda”apósou- tra repetindo os mesmos gritos deses- perados onde todos tocam as mesmas coisas e, o forró nunca aparece. Um as- piranteacantorgritaeseespreme.Dan- çarinas, na maior parte das vezes pega- das nas ruas, exibem suas belas partes (bunda) para desviar o pensamentosT da falta de qualidade musical das tais bandas e, vai-se a noite sem que se ouça música. Quando isso vai ter fim? Por mim, nem teria começado. Um fio de esperança aparece no FIM do túnel. Na maior parte das grades juninas já estão sendo inseridas atrações de estilos dife- rentes, sertanejo, rock, pop, isto, numa demonstração clara que as porcarias estão cansando os ouvidos brasileiros e porque não dizer nordestinos. Para finalizar nossa prosa, enfatizo a necessidade da valorização das ma- trizes culturais e a retomada do nosso forró ao seu devido posto, me apossan- do da teoria/prática do Poeta Cantador Flávio Leandro que para mim é a pro- messa nordestina na sua musicalidade. “O meu forró é claro por nature- za, E se a luz não tá acesa Ai é que ele alumia Nasceu do brilho. Da chama da lamparina Tem luz própria/ se ilumina Meu forró tem energia Pode apagar as luzes do mundo inteiro Que eu acendo um candeeiro E mando arroxar o nó. E voudançarXaxado,baiãoexoteVouti- rar mil mega walts De energia do forró E vou dançar Xaxado, baião e xote Vou tirar mil mega walts De ener- gia do forró Bote a cerreja, maria no pé do pote Pois relampeja e o meu peito que trovejar Bote a sanfona Pra cantar o meu sertão Bote luz no lampião E vamos pro forró fiar Bote a cerreja, maria no pé do pote Pois re- lampeja e o meu peito que trovejar Bote a sanfona Pra cantar o meu sertãoBoteluznolampiãoEvamospro forró fiar” *Geonaldes Elhemberg de Sousa Gomes é nordestino. ANUNCIE sua empresa com a gente e APAREÇA!APAREÇA! Segundo pesquisas, cerca de 60% das micro e pequenas empresas fecham suas portas após o terceiro ano de existência e menos de 10% conseguem chegar ao quinto ano. Mesmo as- sim, o sonho de muita gente é ter seu próprio negócio. Administrar uma empresa não é tão fácil como se imagina, pois requer bem mais do empresário do que apenas abri-la e esperar que as coisas fluam naturalmente. Por falta desse co- nhecimento é que muitas delas morrem cedo. Relacionamos a seguir, alguns motivos, entre vários, que levam uma empresa a encerrar precocemente suas atividades. DESCONHECIMENTO DO PÚBLICO ALVO: Muitos empresá- rios erram nesse aspecto por escolherem o produto ou serviço a ser explorado sem definirem o perfil do seu cliente. Sendo assim, há um descompasso entre o produto oferecido e a necessidade do cliente. DESCONHECIMENTO DO MERCADO, DOS CONCOR- RENTES E DOS FORNECEDORES: O mercado tem potencial para absorver o produto ou serviço ofertado? Já existem muitos concorrentes no segmento? Cabe mais uma empresa? Eles estão dispostosaatendermaisumaempresa?Quaisasexigênciasdeles? FALTA DE PLANEJAMENTO DOS RECURSOS FINANCEI- ROS: Esse é o grande problema de muitos empresários que geral- mente inicia um negócio com pouco capital ou capital de terceiro, ou seja, já começou pagando juros e demais despesas financeiras. E as despesas como a manutenção da empresa nos primeiros me- ses de funcionamento? Os salários dos funcionários, os encargos sociais, aluguel, as despesas com energia, os impostos, etc.? MÁ GESTÃO DA EMPRESA: É fundamental que o gestor esteja preparado para administrar recursos humanos, materiais e finan- ceiros, para que possa obter resultados positivos. De nada adianta uma empresa uma empresa com recursos financeiros suficientes se ela não for bem administrada. Operar com baixa ou sem lucra- tividade, com custos elevados, má gestão de estoque, inadimplên- cia elevada, liderança ruim, etc. é o caminho mais rápido para o fechamento da empresa. EQUIPE DE VENDAS DESPREPARADA: infelizmente muitas empresas são resistentes quanto à qualificação dos seus colabo- radores. Elas acham que capacitar é preparar funcionário para os concorrentes – Uma visão bastante míope. Há empresa que promove a capacitação, mas com investimento pago pelo fun- cionário, pois o conhecimento é para ele. No entanto, será que essas empresas não serão beneficiadas também? Ter vendedores despreparados é uma ótima maneira para atender mal, perder vendas e clientes. NÃO CUMPRIR COM PROMESSAS FEITAS: Prometer muito e fazer pouco é um péssimo negócio, mas infelizmente, isso não é tão incomum em muitas empresas. Mesmo assim elas ainda fa- lam em fidelizar clientes. Há no mercado empresas que são espe- cialistas em freqüentar órgãos de defesa do consumidor, por não atenderem as reclamações dos seus clientes. A maneira mais correta de evitar esses problemas, com gran- de probabilidade de sucesso empresarial, é colocar tudo no papel antes da abertura da empresa. E nada melhor que um plano de negócio bem elaborado e com a viabilidade bem avaliada. Um abraço, muito sucesso e até a próxima.
  3. 3. Iniciante na política de Araripina, o médico Aluizio Coelho (PMDB), recebeu o aval do senador Armando Monteiro para ser candidato à deputado estadual. Durante o Pernambuco 14 em Araripina, Armando deu as boas-vindas à Aluizio e disse que a política carece de novos nomes e com espírito público. A militância petebista estava ansiosa pelo pronuncia- mento do ex-prefeito de Araripina, Lula Sampaio (PTB), que foi interrompido várias vezes por fogos, aplausos e gritos de Olê Lula, Lula! Mesmo inelegível o ex-prefeito demonstrou que fará calo de sangue nestas eleições. Mesmo recebendo o tradicional tapinha nas costas para encerrar o dis- curso que já excedia o tem- po, o líder da oposição em Araripina Evilásio Matheus (PDT) não perdeu a opor- Política Por Jorge Possetti OLÍTICAOLÍTICA coluna PP Foto: Divulgação Foto: Divulgação Avalizado Olê Lula, Lula! Oportunidade única Premiada Gato CARTÓRIO DO 1° OFÍCIO DO MUNICÍPIO DE ARARIPINA-PE REGISTRO DE IMÓVEIS, TÍTULOS E DOCUMENTOS E PESSOA JURÍDICA Rua Cel. Pedro Cícero, 347, Centro, Araripina - PE - CEP: 56.280-000 Telefone: (0**87) 3873-0778 TITULAR: Bel. José Alexandre Paes Filho Substituta: Maria Aliete Vieira Paes EDITAL DE LOTEAMENTO SERVIÇO REGISTRAL IMOBILIÁRIO DA COMARCA DE ARARIPINA, ESTADO DE PERNAMBUCO. JOSÉ ALEXANDRE PAES FILHO, Oficial do Registro de Imóveis da Comarca de Araripina, Estado de Pernambuco, na forma da lei etc. Faz público, para ciência dos interessados, em cumprimento aos disposto no artigo 19, 3°, da Lei n. 6.766, de 19/12/1979, que a empresa TERRA FIRME EMPREENDIMENTOS LTDA, CNPJ: 19.651.564/0001-12, por seu representante legal, depositou neste Cartório, na Rua Cel. Pedro Cícero, 347, o projeto e demais documentos relativosaoimóveldepropriedadedacitadaempresa,situadonafaixadedo- mínio da BR-316, nesta cidade, loteado com a denominação de “LOTEAMENTO RESIDENCIAL DONA CORINA”, relativo a um terreno com área total de 51.246,86m2 , distribuído da seguinte forma: área dos lotes 36.971,26m2 , número de lotes 159, área de arruamentos 9.655,30m2 , e área institucional 4.620,30m2 , conforme aprovação da Prefeitura Municipal desta cidade, de 23 de abril de 2014. Havendoimpugnações,estasdeverãoserapresentadasnesteCartório,durantreoexpediente,den- tro do prazo de 15 dias contados da última publicação deste. Dado e passado nesta Cidade e Comarca de Araripina, Estado de Pernambuco, aos três dias do mês de junho do ano de dois mil e quatorze (03/06/2014). O Oficial, (Bel. José Alexandre Paes Filho). ss Araripina | 01 à 15 de junho de 2014 • 3 www.tribunadoararipe.com.br A Secretária de Educação de Araripina, Cybele Batis- ta Arraes está entre as 100 melhores do país segundo pesquisa nacional realizada pela União Brasileira de Divulgação. Recen- temente o prefeito Alexandre Arraes (PSB) anúncio investimen- tos na ordem de R$ 10 milhões para a construção de escolas e quadras poliesportivas. O médico, por sua vez, não poupou críticas ao deputado estadual Raimun- do Pimentel (PSB) que não apareceu nas agendas dos pré-candidatos ao governo de Pernambuco – Paulo Câmara e Armando Mon- teiro. “Quem fica em cima do muro é gato. Na política é preciso assumir posições”, disparou Aluizio. tunidade e abriu a lista de reivindicações da bancada: abastecimento de água, se- gurança e saúde públicas nortearam os pedidos que foram finalizados com o grito de É 14 É 14 É 14! Aoladodopré-candidatoaoSenadoJoãoPaulo(PT)oSenadorafirmouque o povo araripeano não se sente representado pelo governo do Estado ArmandoMonteiroreúnemaisde2milpessoas duranteoPernambuco14emAraripina OSenador e pré-candi- dato ao governo de Pernambuco, Armando Monteiro Neto (PTB) e o depu- tado federal e pré-candidato ao Senado, João Paulo (PT) cum- priram agenda na cidade de Araripina nos dias 05 e 06 de junho para a realização das ple- nárias do Pernambuco 14. O evento que objetiva mon- tar o programa de governo para apresentação durante a campa- nha eleitoral dividiu os partici- pantes em quatro salas (eixos temáticos) para apresentar os reclames da região do Araripe e propor soluções em diversas áreas como transporte, educa- ção, saúde, segurança pública, meio ambiente, geração de em- prego, qualificação profissional entre outros. Os resultados dos eixos foram apresentados publi- camente pelos representantes de cada sala. Diversostemasentraramna pauta de reivindicações como a instalação de uma extensão da Universidade Estadual de Per- nambuco – UPE no Araripe, a federalização da Autarquia Edu- cacional do Araripe – AEDA, a construção e reforma de es- tradas importantes como a de Ipubi-Serrolândia e do distrito de Lagoa do Barro, a pactuação de um convênio do Estado com o Hospital e Maternidade Santa Maria, a criação de um bata- lhão de polícia para Araripina, a revisão do projeto do canal do sertão para atender o Araripe e outros. Além da agenda de cons- trução do plano de governo do petebista, o Pernambuco 14 tem reunido diversas lideranças políticas e sociais que apoiam Armando Monteiro para o go- verno de Pernambuco. Estavam presentes vários prefeitos como o de Petrolina, Julio Lóssio (PMDB), a de Afrânio, Lúcia Mariano(PSB), o de Granito Antônio de Zuíta (PDT) além dos deputados Odacy Amo- rim (PT), Isabel Cristina (PT), Adalberto Cvalcanti (PTB) e de pré-candidatos como Romário Dias (PTB) e Aluízio Coelho (PMDB). Lideranças políticas como vereadores, ex-prefeitos, presidentes de partidos locais também foram declarar apoio à Armando Monteiro. A estimati- va da organização do Pernam- buco 14 é que estavam presentes quase 2 mil pessoas na quadra do colégio CEA. A reportagem do Jornal Tribuna do Araripe conversou com políticos participantes do Pernambuco 14. Foram ouvidos o prefeito de Granito, Antônio de Zuíta, o de Petrolina Júlio Lóssio (PMDB), o ex-prefeito de Araripina Lula Sampaio (PTB), o ex-candidato a prefeito de Ipubi Valdemar Filho (PR) e outros. O prefeito de Granito, Antônio de Zuíta disse seguir a orientação nacional do seu partido [PDT] e que o apoio à Armando Monteiro se dá prin- cipalmente pela seriedade e competência que ele tem e que o alinhamento com a presidenta Dilma Rousseff (PT) vai ajudar no desenvolvimento de Per- nambuco. De acordo com Júlio Lóssio, prefeito de Petrolina, Armando Monteiro tem capa- cidade de transformar Pernam- buco pela enorme experiência que o Senador possui. “Arman- do Monteiro é a experiência que Pernambuco necessita para, efe- tivamente, iniciar um processo de desenvolvimento”. Anfitrião em Araripina, o ex-prefeito Lula Sampaio, afir- mou que a sua história política foi construída ao lado de Ar- mando Monteiro e que agora é a hora da população de Araripina mostrar que deseja mudanças. “Armando será um governador do povo. Ele conhece o Arari- pe como outro nenhum políti- co. Vamos votar no homem de confiança da presidenta Dilma e do presidente Lula”, disse o ex- -prefeito. Em Ipubi, onde o ex- -candidato a prefeito Valdemar Filho (PP) lidera o bloco opo- sicionista, Armando contará com apoio maciço. “Em Ipubi o bloco de oposição vai marchar junto com Armando Monteiro. Ele tem compromisso com as demandas da cidade e podemos confiar que serão prioridade em sua administração”, declarou. Armando Monteiro e João Paulo chegaram com cerca de uma hora de atraso, devido o petebista ter cumprido agen- da em Recife onde participou de sabatina da TV Jornal. Ar- mando Monteiro destacou que Araripina foi o 11º município a receber as plenários do Pernam- buco 14 e que o momento serve para interpretar o sentimento do povo do Araripe. Ele ques- tionou sobre a falta de ações para o desenvolvimento de ca- deias produtivas como gesso, mandioca, mel, pecuária leiteira e de corte e incentivo ao micro e pequeno empresário. “Por onde passo sinto que o povo de Pernambuco não se sente representado por este go- verno que aí está. A propaganda que passa na televisão não refle- te a realidade”, afirmou. O pré- -candidato também destacou a coerência e fidelidade do seu grupo político. “Quem mudou de lado aos 45 do segundo tem- po não foram Armando e João Paulo. Nós representamos uma chapa coerente que sempre este- ve e estará ao lado da presidente Dilma. Não trocamos de lado pela simples vaidade de um pro- jeto pessoal”, alfinetou. agenda Armando Monteiro ladeado pelo ex-prefeito de Araripina Lula Sampaio (PTB) e do pré-candidato ao Senado Joáo Paulo (PT) Pré-candidato ao governo de Pernambuco Armando Monteiro (PTB) na plenária do Pernambuco 14, em Araripina
  4. 4. Política4 • Araripina | 01 à 15 de junho de 2014 www.tribunadoararipe.com.br Nas eleições de 2010 votos do Araripe ajudaram a eleger 25 deputados federais de outras regiões de Pernambuco Somente para os eleitos foram quase 117 mil votos. Juntos, os três candidatos da região não somaram 18 mil Ocenário político para as elei- ções deste ano está definido e os pré-candidatos começam a se apresentar para os eleitores em todas as cidades que compõem a região Araripe. O Jornal Tribuna do Araripe fez um levantamento exclusivo sobre as eleições de 2010 e traz uma análise da corrida eleitoral para o cargo de deputado fede- ral em Pernambuco. Na próxima edição do JTA a análise será sobre as vagas dis- putadas para a Assembleia Legislativa de Pernambuco há quatro anos atrás. Na eleição daquele ano foram eleitos 25 deputados federais em Pernambuco que representam o Estado na Câmara Federal em Brasília. Embora a região te- nha apresentado nomes na disputa, mais uma vez, o Araripe ficou sem nenhum representante na capital federal. Os três candidatos naturais do Araripe somaram 18 mil votos. Nunes Rafael (PHS) com 14.694, Danda Simeão (PV) com 1.954 e Carlos Braz (PMDB) 1.368. A coliga- ção que o PHS de Nunes Rafael fez parte era composta pelos partidos PHS, PSL, PSDC, PRP e PT do B e somou quase 137 mil votos. O candidato do Araripe foi o quarto mais votado da coligação. Cálculos da coeficiente daquela eleição mostram que se a coligação tivesse obti- do pouco mais de 5 mil votos faria uma vaga de deputado federal. Nunes por sua vez necessitou de pouco mais de 6500 para ser o primeiro colocado e assumir esta vaga. Foi a única vez que a região do Araripe esteve próximo de possuir um representante na Câmara Federal. Na contramão destes números so- mente para os 25 candidatos eleitos (*ver infográfico) as dez cidades que com- põem a região deram 116.798 votos para os eleitos. Nesta soma não estão contabi- lizados os votos dados para os que não foram eleitos. No top dez dos deputados federais que tiveram votos no Araripe estão Fernando Filho (PSB) com 31.542, Inocêncio Oliveira (PR) com 11.322, Gonzaga Patriota (PSB) com 10.804, Bruno Araújo (PSDB) com 9.324, Edu- ardo da Fonte (PP) com 9.187, Maurício Rands (PT) com 7.581, Wolney Queiroz (PDT) com 7.482, Pedro Eugênio (PT) com 6.893, Silvio Costa (PTB) com 6.308 e Ana Arraes (PSB) 5.996. Dos dez mais bem votados dois não estão na Câmara Federal: Ana Arraes foi nomeada Minis- tra do Tribunal de Contas da União em outubro de 2011 e Maurício Rands re- nunciou ao mandato em julho de 2012. Além destes dois, o deputado federal Sérgio Guerra (PSDB) faleceu em março deste ano. Agora, em 2014, vários pré-candida- tos a deputados federais visitaram a re- giãodoAraripe.Algunsserãocandidatos à reeleição e outros tentarão seu primei- ro mandato na Câmara Federal. Nomes como Fernando Filho (PSB), Gonzaga Patriota (PSB) e Jorge Côrte Real (PDT) já estiveram em várias cidades da região prestando contas dos mandatos. Eduar- do da Fonte (PP) e Bruno Araújo (PSDB) tentarão mais um mandato. Wolney Queiroz (PDT) ainda aguarda a decisão do seu partido na majoritária. Outros nomes novos estão visitando o Araripe para consolidar suas pré-can- didaturas à deputado federal. Ao longo deste primeiro semestre a região recebeu visitas de Betinho Gomes (PSDB), Creu- za Pereira (PSB), Tadeu Alencar (PSB), Jarbas Vasconcelos (PMDB), Adalberto Cavalcanti (PTB) e novamente Nunes Rafael (PHS) – seu partido comporá uma chapinha de partidos chamados nanicos (PHS, PSL, PRP, PSDC, PTdoB e PRTB) sob a liderança do ex-deputado federal Luciano Bivar (PSL). A expectati- va do G6 é angariar 550 mil votos e ele- ger dois federais. Até o dia 30 de junho todos os par- tidos políticos deverão realizar suas con- venções partidárias e o prazo final para o registro de candidaturas será dia 07 de julho conforme reza o calendário eleito- ral estabelecido pelo Tribunal Superior Eleitoral – TSE. A partir de então os candidatos escolhidos deverão voltar a visitar a região. Roberto Teixeira (PP) Jorge Côrte Real (PTB) Pastor Eurico (PSB) Fernando Ferro (PT) Augusto Coutinho (DEM) Danilo Cabral (PSB) João Paulo (PT) Mendonça Filho (DEM) Raul Henry (PMDB) Cadoca (PSC) Sérgio Guerra (PSDB) Luciana Santos (PCdoB) José Chavez (PTB) José Augusto Maia (PTB) Anderson Ferreira (PR) 3029 2188 1873 950 572 569 267 261 237 216 70 45 33 29 20 Votosque elegeram25 deputados federaisem Pernambuco
  5. 5. Economia SERCON coluna Araripina | 01 à 15 de junho de 2014 • 5 www.tribunadoararipe.com.br O ISS NA CONSTRUÇÃO CIVIL A atividade relativa à construção civil é, via de re- gra, tributada pelo imposto sobre serviços (ISS). Isso por- que se trata de atividade prevista expressamente no item 7 do anexo da Lei Complementar nº 116 de 2003, amparada no dispositivo do artigo 156, inc. III, da Constituição da República (CR/88). Por serviços de construção civil entende-se a atividade de execução material de projetos de engenha- ria, tendo por finalidade a produção de uma obra, que se incorpora ao solo. Tributáveis pelo ISS são os resultados - globais ou parciais - desse conjunto de operações desem- penhadas de execução de obras de construção civil, quais- quer que sejam. O serviço de construção civil está descrito no item 07, mais precisamente nos subitens 7.02 e 7.05, da Lista de Serviços anexa a Lei Complementar nº 116/03: 7 - Serviços relativos a engenharia, arquitetura, geologia, urbanismo, construção civil, manutenção, limpeza, meio ambiente, saneamento e congêneres. [...] 7.02 - Execução, por administração, empreitada ou su- bempreitada, de obras de construção civil, hidráulica ou elétrica e de outras obras semelhantes, inclusive sonda- gem, perfuração de poços, escavação, drenagem e irriga- ção, terraplanagem, pavimentação, concretagem e a insta- lação e montagem de produtos, peças e equipamentos. 7.05 - Reparação, conservação e reforma de edifícios, es- tradas, pontes, portos e congêneres. Deste modo, há a previsão legal para a incidência do ISS sobre todos os serviços de construção civil previstos nos subitens acima transcritos. A base de cálculo da construção civil é o preço do servi- ço. Não se incluem na base de cálculo do ISS o valor dos materiais fornecidos pelo prestador dos serviços previstos nos itens 7.02 e 7.05 Gastos com estrutura do evento chegam a R$ 7 milhões. Prefeitura alega que o processo licitatório vale para os eventos dos próximos doze meses O Ministério Público de Pernambuco através da 1ª Pro- motoria de Justiça de Araripina instaurou no dia 11, um inqué- ritocivilpúblicocomoobjetivo de averiguar a veracidade dos fatos noticiados com os gastos realizados pelo município de Araripina para a realização dos festejos juninos deste ano. Com a instauração do in- quérito, o promotor de Justiça Manoel Dias da Purificação Neto vai analisar a documen- tação apresentada pela Prefei- tura de Araripina do processo licitatório que, segundo de- núncias, chegam à casa dos R$ 7 milhões com a estrutura do evento como palco, camarotes, iluminação, banheiros e outros itens. O cachê de artistas como Luan Santana, Leonardo e das bandas Aviões do Forró e Ga- rota Safada não estão nesta soma. A Prefeitura de Araripina em nota divulgada pela Secre- taria de Finanças no dia 09, alegou que os valores constan- tes na licitação não são apenas do São João de 2014 e sim para PromotoriadeJustiçadeAraripina instaura inquérito civil para averiguar processo licitatório do São João da cidade todos os eventos promovidos pela gestão pública nos próxi- mos doze meses. E que os va- lores apresentados são o teto a ser pago, o que não implica, necessariamente, que este valor será usado. Além de esclarecer es- tes fatos o inquérito civil vai ouvir os citados no auto de prisão em flagrante nº 1109- 65.2014.8.17.0210 lavrado na delegacia de polícia civil de Araripina. Segundo a Promo- toria Pública pode haver fraude no processo licitatório o que causou a prisão de um dos par- ticipantes do certame que teria recebido proposta de suborno para deixar a licitação. No final do mês de abril des- te ano a Polícia Federal deflagrou a operação Midsummer para in- vestigar o desvio de recursos pú- blicos decorrentes da realização do São João do Vale, na cidade de Petrolina, nos anos de 2012 e 2013. Foram emitidos mandatos de bus- ca e apreensão de documentos da Secretaria Municipal de Finanças e da Coordenação Geral de Lici- tações, Contratos e Convênios, ambos órgãos da Prefeitura de Pe- trolina. De acordo com as investiga- ções, as fraudes possuíam duas vertentes, sendo uma para con- tratação irregular de empresas de locação e montagem de estrutu- ras, mediante direcionamento de licitações, superfaturamento de preços, montagem de estruturas fora das especificações do plano de trabalho e renovações irregular de contratos. A outra vertente consis- tia na contratação irregular de em- presas para intermediar acordos com artistas e bandas, sem con- tratos de exclusividade, mediante o direcionamento de licitações pú- blicas e com superfaturamento de preços. Forró na mira da PF ProgramaMinhaCasaMinhaVidabeneficia maisararipeanosemTrindadeeAraripina As cidades de Araripina e Trindade divulgaram recentemente as listas de beneficiários contemplados pelo programa do Governo Fe- deral Minha Casa Minha Vida. Em Trindade, a Caixa Econô- mica Federal, representado pelo gerente regional, Marconi foram recebidos pelo prefeito Everton Costa (PR) para tratar sobre a entrega das chaves das 450 unidades habitacionais. O prefeito fez um convite aos presentes a reunião para vi- sitarem o empreendimento Di- vino Espirito Santo que dispo- nibiliza casas com dois quartos, sala, cozinha/serviço e banhei- ro social, facilitando a vida de quem antes não tinha um teto para morar. “Iremos fazer uma grande festa para entregar nas mãos dos nossos trindadenses a rea- lização do sonho da casa pró- pria”, destacou Everton Costa. Ele aproveitou para convidar secretários de governo, vice- -prefeito, vereadores, assessores e servidores do município para este ato importante conquista- do para as famílias trindaden- ses. Já em Araripina após o can- celamento da lista divulgada anteriormentedevidoÀproble- mas no sistema da Caixa Eco- nômica Federal, a Prefeitura divulgou a listagem correta das pessoas relacionadas pela Caixa para a assinatura do contrato das casas do Residencial Nossa Senhora do Carmo localizado no bairro Adelino, onde foram construídas 500 residências. Para ter acesso a lista comple- ta dos beneficiários da cidade de Trindade acesse o site www. trindade.pe.gov.br e para os be- neficiários de Araripina www. araripina.pe.gov.br As duas cidades devem entregar nos próximos meses mais 950 casas populares para famílias beneficiadas Unidade habitacional do residência Nossa Senhora da Conceição em Araripina T R O C A R ANÚNCIO
  6. 6. Saúde6 • Araripina | 01 à 15 de junho de 2014 www.tribunadoararipe.com.br Hospital e Maternidade Santa Maria afirma que a falta de médico está sendo resolvida enquanto isto crianças nascem na BR 316 entre Araripina e Ouricuri SematendimentomédicoemAraripina, gestantesarriscamavidadosfilhosembusca dematernidadesemoutrascidades Apequena A.C.C. de ape- nas sete semanas de vida é a segunda filha da agri- cultora Francisca Naldiene de Souza Cordeiro, 26 anos. A pe- quenina nasceu no dia 30 de abril às 3h na Unidade Mista na cida- de de Trindade. O parto da mãe foi normal e dois dias após, mãe e filha, estavam de volta à casa da família. Um mês e meio após o nascimento a menininha se ocu- pa diariamente com apenas duas atividades: mamar e dormir. A casa da família é simples, aperta- da e com móveis velhos. Mas não falta carinho e amor para a filha caçula de Naldiene Cordeiro. Apenas uma coisa frustra a mãe que reside no sítio Baixio do Catolé, no distrito de Lagoa do Barro, em Araripina: sua fi- lha não nasceu na cidade onde a família mora. Por volta de 1h da manhã de 30 de abril Naldiene entrou em trabalho de parto. Ra- pidamente a família chamou um vizinho para leva-la até o Hos- pital e Maternidade Santa Maria – HMSM, em Araripina, distan- te 30km da sua residência. Ao chegar no hospital a gestante foi informada que não haviam mé- dicos para realizar o pato. “Não esperaram nem eu descer do car- ro e disseram que não tinha mé- dico para fazer meu parto e que eu tinha que ir imediatamente para Ouricuri”, narra a mãe. A ambulância chegou até o hospital por volta das 2h para transferir Naldiene Cordeiro até o Hospital Regional Fernando Bezerra Coelho em Ouricuri, distante 60 km. “A ambulância demorou uns trinta minutos para sair e ainda tivemos que passar na casa da técnica de enferma- gem para ela ir junto. Nessa hora já estava com fortes dores e com medo de perder a criança”. No trajeto entre Araripina e Ouricu- ri, Naldiene Cordeiro avisou para a técnica de enfermagem que não daria tempo de chegar até a cida- de e que a criança nasceria na es- trada, mas a profissional de saúde insistiu para que a ambulância seguisse para Ouricuri. A mãe relata a falta de ma- terial hospitalar e a insistência da técnica de enfermagem para leva-la à Ouricuri mesmo com fortes dores e o iminente parto. “Não tinha nenhum material de parto na ambulância, nem um simples curativo. A técnica me colocou numa posição para evi- tar o nascimento na estrada, por- que se eu estivesse normal minha filha teria nascido na BR. Foi o motorista que ouviu meus gritos e voltou para Trindade”, conta. No hospital municipal de Trindade a pequena A.C.C. nas- ceu às 3h sob o olhar atento da médica que realizou o parto de Naldiene Cordeiro. “O proble- ma de Araripina é muito sério. Temos conhecimento de muitos casos de gestantes que têm seus filhos no caminho entre Araripi- na e Ouricuri”, afirmou a médica. {Por Jorge Possetti As razões que provocam esta problemática passam espe- cialmente pela falta de médicos obstetras dentro do HMSM. O motivo pelo baixo número de profissionais que realizam partos na unidade está na re- muneração paga pelo Sistema Único de Saúde – SUS. Com o recurso pago pelo SUS o HMSM consegue pagar R$ 250,00 para o plantão de 24h de um médi- co obstetra. O repasse do Siste- ma Único de Saúde para partos normais é de R$175,00 e cesa- rianos R$115,00, em média. A diretoria do HMSM afirma que o valor é baixo e isto dificulta a contratação de médicos obste- tras para o hospital. Até maio deste ano somente no HMSM nasceram 584 crian- ças sendo 375 partos normais e 209 cesarianos. Dados do painel de monitoramento da mortali- dade infantil e fetal do Ministé- rio da Saúde apontam que seis bebês morreram em Araripina em 2014. Destes seis, um mor- reu no HMSM em 24 de março após denúncia de negligência médica. Nas onze cidades que compõem a IX Gerência Regio- nal de Saúde foram 22 mortes conforme aponta o Sistema de Informações sobre Mortalidade. [*ver infográfico] As mortes de crianças re- cém nascidas são apuradas pelo Comitê de Mortalidade Infantil que é composto por profissio- nais da Secretaria Municipal de Saúde, Vigilância Epidemiológi- ca, Programa Mãe Coruja e ou- tros. Este comitê analisa a cau- sa da morte tanto das crianças como das mães [mortalidade materna]. A mesma realidade de falta de médicos se repete na área de urgência e emergência do hospital. Entretanto o que afas- ta os médicos é a gravidade e complexidade dos casos que chegam até o HMSM durante os plantões. “Somos um hospital filantrópico que mantêm suas portas abertas as 24h do dia. Chegam até o hospital desde uma criança com febre até um traumatismo craniano causado por um acidente de moto. Essa complexidade assusta alguns médicos que não querem dar plantão aqui”, afirma o diretor do HMSM, Tadeu Menezes. Embora o valor pago pelo plantão de 24h na urgência e emergência seja um dos me- lhores da região – em média de R$2.300,00 bruto – a diretoria do hospital encontra dificulda- des em fechar a escala de 168h semanais. O objetivo é manter um médico por dia durante os cinco dias da semana e dois mé- dicos durante os finais de sema- na, devido ao elevado número de internações causadas pelos mais variados motivos: infartos, acidentes motociclisticos, aten- dimentos de rotina e outros. Para atrair médicos nas duas áreas – maternidade e urgência O PROBLEMA DA FALTA DE MÉDICOS e emergência – o HMSM está revisando o valor pago e a for- ma de contratação dos médicos. Em recente reunião com a Se- cretária de Saúde de Araripina, Gloria Beatriz, a diretoria do HMSM conseguiu a autoriza- ção da Prefeitura de Araripina que aumentou, desde o mês de maio, o repasse municipal que era de R$ 60 mil para cerca de R$ 91 mil mensais. O acrésci- mo de 30% vai permitir custear toda a folha de pagamento dos médicos plantonistas da urgên- cia e emergência – que gira em torno de R$ 80 mil reais por mês. “Com a folha da urgência e emergência garantida vamos re- manejar recursos provenientes do SUS para aumentar o valor do plantão do médico obstetra e tentar suprir esta carência”, afir- ma Menezes. Além da questão financeira o HMSM estuda a criação de uma classificação de risco para a urgência e emergência. Esta classificação objetiva ordenar o atendimento em função da gravidade ou agravamento da queixa apontada pelo paciente. “A classificação é um protocolo de inclusão. Ninguém deixará de ser atendido. Apenas haverá uma organização que garantirá atendimento a todos”. Esta clas- sificação pode inclusive ajudar no processo de contratação de médicos, pois mostra a organi- zação do hospital, diz Menezes. Atualmente o HMSM tem apenas dois médicos obstetras e seis médicos que atendem aos plantões na urgência e emergên- cia. Com este déficit em alguns dias da semana não é possível realizar partos na maternidade ou atendimentos de urgência. O ideal é que as 168h semanais estejam preenchidas por médi- cos seja por escala 12h ou 24h. A diretoria afirma que caso não encontre médicos na região irá buscar profissionais em outras cidades como Crato, Juazeiro ou Barbalha. “Temos estrutura física adequada e remuneração competitiva, mas ainda não en- contramos médicos dispostos a trabalhar no HMSM. Este é o nosso principal de- safio neste momento”, afirma o diretor. Criado em 2007 pelo então governador de Per- nambuco Eduardo Campos (PSB) o Programa Mãe Coruja Pernambucana está presente em 103 mu- nicípios do Estado. O objetivo é garantir uma boa gestação e um bom período posterior ao parto e ga- rantir também às crianças o direito a um nascimento e desenvolvimento saudável. A ação busca reduzir a morbi-mortalidade materna e infantil, assim como estimular o fortalecimento dos vínculos afetivos en- tre mãe, filho e família. Em Araripina, o Canto Mãe Coruja tem cerca de 3200 mães cadastradas desde quando foi imple- mentado há quatro anos atrás. O Canto Mãe Coruja acompanha as gestantes que realizam o pré-natal no Sistema Único de Saúde – SUS. Somente este ano 190 gestantes foram cadastradas e recebem mensalmente orientação sobre o pré-natal. Destas 190, 31 gestantes tem idade entre 12 a 18 anos. Para a psicóloga e ges- tora, Joyce Caetano o número de meninas gestantes menores de idade ainda é elevado. Ela explica que nestes casos o Programa dá toda assistência durante o pré-natal, parto e pós-parto. “Estes são casos acom- panhados com todo cuidado pelo Mãe Coruja, afinal além da questão clínica é necessário orientar as jo- vens sobre a maternidade”, afirma. Segundo a enfermeira e também gestora do Canto Mãe Coruja, Ediane Alencar em 2014 foram registradas apenas duas mortes de crianças de mães acompanhadas pelo Programa. “O objetivo do Mãe Corujaéminimizaronúmerodenatimortos.Aolon- go destes quatro anos os números são cada vez mais decrescentes”. Ela também explica que as gestantes que têm o pré-natal acompanhado pelo Mãe Coru- ja recebem um kit maternidade após o parto. “Este kit composto por fraldas, lençóis, banheira plástica e outros itens é apenas um incentivo para as gestan- tes mensalmente estarem conosco. O importante é o acompanhamento que eles recebem ao longo dos nove meses”, destaca. Além do acompanhamento durante a gestação o Canto Mãe Coruja de Araripina promove outras ati- vidades após o parto para ajudar no fortalecimento do vínculo familiar. São oferecidas oficinas de culiná- ria, manicure, artesanato e outros. Faz parte do pro- grama o acompanhamento da mãe após o primeiro ano do parto para evitar a mortalidade materna e da criança até os primeiros cinco anos que evitam os ca- sos de mortalidade infantil. Asgestorasafirmamqueaparticipaçãodopaiem todo o processo de gestação ajuda a mãe e melhora o relacionamento do casal. Joyce Caetano afirma que existem pais que após o parto trazem os filhos para o acompanhamento no Canto Mãe Coruja. “Já vi casos que o pai fazia questão de trazer o filho todos os me- ses. Isto mostra o quanto é importante a paternidade na relação marido e mulher”. O Canto Mãe Coruja de Araripina funciona no mesmo prédio do Centro de Apoio à Saúde da Mu- lher–CASAMqueéumserviçooferecidopelaSecre- taria de Saúde de Araripina. Esta proximidade facilita o acompanhamento das mães que utilizam o serviço do CASAM criado para atender as mulheres que re- sidem em localidades onde não existe cobertura das Estratégias de Saúde da Família – ESF (antigos PSFs). Desde quando foi implantado em Araripina o Canto Mãe Coruja realizou ciclos de educação e cul- tura com grupos de convivência, visitas domiciliares e hospitalares após o parto, palestras educativas, se- mana da criança e semana do aleitamento materno, além do programa Estratégia Brasileirinhos e Brasi- leirinhas Saudáveis - EBB– e o Cozinha Brasil. Programa Mãe Coruja em Araripina reduz o número da mortalidade fetal e infantil Implantado há quatro anos o Canto Mãe Coruja de Araripina atendeu mais de 3200 mães e comemora a queda nos índices de mortalidade infantil Canto Mãe Coruja de Araripina acompanha as ges- tantes para evitar mortalidade das mães e crianças Foto:Divulgação Foto:Divulgação MãesdenunciamfaltademédicosepartosrealizadosdentrodasambulânciasnotrajetoAraripina-Ouricuri
  7. 7. Cidadania Araripina | 01 à 15 de junho de 2014 • 7 www.tribunadoararipe.com.br O s habitantes de Ara- ripina e das demais localidades que inte- gram a jurisdição da Vara do Trabalho desse municí- pio – Bodocó, Ipubi, Ouricuri, Santa Cruz, Trindade, Santa Fi- lomena e Exu – contam desde o dia 03 de junho com a moderna plataforma do Processo Judicial Eletrônico. A cerimônia de inauguração foi realizada pelo presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região, desembargador Ivanildo da Cunha Andrade. O presidente disse que com o PJe os diversos ramos do Judiciário brasileiro deixarão de ser ilhas para se tornarem continente. “A ferramenta trará a integração do Judiciário, com óbvios benefícios para a sociedade”. Em seguida afirmou que “A tecnologia da in- formação não seria de grande va- lia sem servidores e magistrados, que são a alma da Justiça”, por isso observou que a Escola Judi- cial está pronta para a necessária P ara verificar de perto esta experiência exitosa 50 agricultores e agriculto- ras da região do Araripe Pernambucano tiveram a opor- tunidade de conhecer e trocar conhecimentos a partir da expe- riência da Cooperativa, durante o Intercâmbio promovido pela ONG Chapada. A proposta do encontro foi fortalecer e estimular a troca de saberes e experiências entre as fa- mílias agricultoras. Na visita foi possível conhecer a aprender mais sobre estratégias de desenvolvi- mento das atividades relacionadas à bovinocultura leiteira. O públi- co acompanhou o funcionamento da Unidade de Beneficiamento de Leite, conheceu técnicas utilizadas para diversificar e qualificar a pro- dução, aumentar a produtividade e reduzir custos. O gerente da cooperativa, Sa- muel Ribeiro, explica que através da organização e do trabalho con- junto os produtores da cooperativa conquistaram benefícios como a TribunalRegionaldoTrabalho instalaoProcessoJudicial Eletrônico na Vara do Trabalho de Araripina Iniciadoem2012peloTribunalRegionaldoTrabalhoda6ªregião,oPJeestápresenteem65das67varasdotrabalhoemtodooEstado capacitação exigida com a ado- ção da nova plataforma proces- sual. Sublinhou que o novo mo- delo de processo vem aperfeiçoar a prestação da justiça, tornando efetivo o papel do Judiciário de promover a harmonia social. Ao discursar durante a insta- lação na nova plataforma, a juíza titular da Vara do Trabalho, Car- la Janaína Moura, afirmou que com o PJe “a Justiça do Trabalho dá um grande salto para o futu- ro e ingressa num novo tempo”. Brevemente a juíza historiou as ferramentas que o Judiciário Tra- balhista já utiliza para aperfeiço- amento da prestação jurisdicio- nal, a exemplo do Infojud, malote digital e e-doc. Demonstrando otimismo, a magistrada lembrou que é natural que mudanças possam trazer insegurança, mas todos, servidores, juízes e advo- gados precisam formar uma nova mentalidade, já que “serão prota- gonistas de um novo tempo”. Para o diretor da unidade, Ranilson Lacerda, após a capa- citação realizada pela Escola Ju- dicial do TRT-PE, os servidores estão prontos para colocar o PJe em funcionamento e tirar dele o melhor proveito possível em be- nefício da sociedade. Primeiro advogado a ajui- zar um processo usando o PJe na unidade de Araripina, Paulo Tadeu ressaltou que o PJe “vem facilitar a vida de todos”, especial- mente porque o tempo da trami- tação processual irá diminuir. A primeira audiência ficou marca- da pra o dia 03 de julho. Localizada do Sertão do Ara- ripe e conhecida como Capital do Gesso, Araripina possui uma po- pulação de 80 mil habitantes e a maioria dos processos ajuizados na Vara do Trabalho têm origem na indústria gesseira, na agrope- cuária e no comércio. Nos últi- mos meses, são frequentes recla- mações trabalhistas originadas das obras da Transnordestina. A Vara recebe cerca de 1300 proces- sos por ano. Com a inauguração da nova plataforma em Araripina, ficam faltando apenas duas unidades para o TRT-PE concluir a insta- lação do PJe em todas as suas 67 varas, incluindo os três Termos Judiciários. No dia 04 o PJe chega à Vara de Salgueiro e na quinta- -feira, 05, à de Serra Talhada, quando o Regional atinge 100% de suas varas com o novo modelo de processo, que começou a fun- cionar no TRT pernambucano em setembro de 2012. Compuseram o dispositivo de honra o presidente do TRT- -PE, desembargador Ivanildo da Cunha Andrade, a juíza titular da Vara do Trabalho, Carla Janaína, a presidente da OAB-Seccional Araripina, Gabriela Reis, e o vice- -prefeito, Valmir Lacerda, repre- sentando o prefeito, Alexandre Arraes, e o juiz da Justiça Estadu- al João Ricardo. Estiveram pre- sentes ainda à cerimônia o dire- tor-geral do TRT-PE, Wlademir Rolim, o secretário-geral, Ayrton Porto. A cerimônia teve o apoio da Caixa Econômica Federal. Juíza titular da Vara do Trabalho, Carla Janaina afirmou que a justiça dá um salto para o futuro com a instalação do PJe Agriculroresdaregiãoararipeconhecem experiência exitosa no Ceará através da ONG Chapada PresidentedoTRTda6ªregiãodesembargadorIvanildodaCunhaAndrade Intercâmbioampliaconhecimento sobrebovinoculturaleiteira Na Cooperativa Agroindustrial dos Pequenos Produtores do Sítio Malhada, no município de Crato – Ceará, 30 associados trabalham de forma coletiva para alcançar melhorias para a comunidade. Há dois anos, fruto desta organização, funciona na localidade, a Unidade de Beneficiamento de Leite, responsável pela produçãodiáriade900litrosdeleite,com800litrospasteurizadoseproduçãode derivados, como o queijo de coalho (com orégano e pimenta), o doce de leite, a ricota light, a manteiga da terra, a nata e o iogurte. valorização do preço do leite no mercado e a garantia de renda. “Ele não precisa mais vender o leite no balde, como antes, quando vendia na beira das estradas, um produto sem higienização adequada. Hoje o preço da venda do leite melho- rou bastante, agora o produtor tem condições de comprar insumos agrícolas e também de fazer pro- jetos através da associação” conta. Atualmente o leite tem ofer- ta em rede de supermercados e no comércio em atacado. Além da venda direta ao consumidor, a cooperativa destina parte da co- mercialização ao estado e à prefei- tura, através de programas como o Fome Zero. Além da produção de leite e derivados, há oportunidade de venda para a criação de frango, cultivo de hortaliças e legumes através da cooperativa. Temos produtores aqui que além de criar o gado, já plantam macaxeira, banana, verdura, e criam aves pra vender por um pre- ço melhor para as escolas munici- pais, estaduais e federais, que por lei devem adquirir os produtos do agricultor. Só que pra isso ele pre- cisa estar organizado, associado ou cooperado, reforça Samuel. Outra experiência exitosa acompanhada pelos produtores no sítio Malhada foi a fossa ecológi- ca, construída aos fundos na Uni- dade de Beneficiamento, na qual são reaproveitados pneus usados para o recolhimento e destinação adequada dos dejetos da fábrica. A ideia da cooperativa é construir um equipamento semelhante nas residências da comunidade. Para que o trabalho alcanças- se qualidade e reconhecimento a cooperativa conta com o apoio e parceria da Empresa de Assis- tência Técnica e Extensão Rural (EMATERCE), SEBRAE, Agropó- los, Banco do Nordeste, prefeitura e universidades locais. Em breve a oferta será expandida para outras cidades da região, o esperado é que a produção chegue a 1.500 litros diários. Carolina Barros da assessoria de comunicação da ONG Chapada { Foto: Carolina Barros Foto:DivulgaçãoTRTFoto:DivulgaçãoTRT Acidade de Bodocó situada no sertão do Araripe per- nambucano comemorou no dia 12 de junho seus 90 anos de emancipação política. Este ano com o tema 90 anos, Bodocó que amamos, a programação em come- moraçãoàdatamaisimportantedo município começou desde o dia 05 com a inauguração da cobertura da quadra do Colégio Municipal An- tônia Lócio da Cruz e abertura do 27º Jogos Escolares de Bodocó e na terça-feira, dia 10, inauguração da Unidade Básica de Saúde Zacarias Pedrosa Luna e dos calçamentos de ruas do bairro São Francisco e Avenida Humberto Castelo Branco (trecho em frente ao módulo es- portivo e UBS). Como sempre o evento so- ciocultural teve início na noite anterior,11, com apresentações de grandes atrações no pátio de eventos irmão Helmo Lócio de Al- buquerque com shows do cantor Joãozinho e Banda Sete, o poeta cantador Flávio Leandro e a dupla Luís Marcelo e Gabriel. Já na ma- nhã de quinta-feira,12, Alvorada e Hasteamento dos pavilhões, com apresentações da Banda Marcial do CERu: Escola Luiz Gonzaga Du- arte da cidade de Araripina – PE, sorteios de brindes e outras apre- sentações. Na oportunidade, o prefeito Danilo Rodrigues (PSB), fez o uso da palavra e falou principalmente do patamar em que hoje se encon- tra o município de Bodocó. “Hoje Bodocó não deixa a desejar em ne- nhuma circunstância, nem como cidade, nem no que se diz respeito à administração pública”, afirmou Durante toda a semana os moradores comemoraram a passagem de mais um aniversário da cidade Bodocó comemora 90 anos de emancipação política Danilo. Logo em seguida a progra- mação foi finalizada com a celebra- ção de Missa Solene em Ação de Graças na igreja Matriz de São José. Bodocó foi fundado no início do século XX por Antônio Peixo- to de Barros, quando ainda era o segundo distrito do município de Granito. Em 1924, foi elevado à categoria de primeiro distrito, as- sim, Granito deixou de ser sede e passouaserdistritodeBodocó.Em 1934, com a extinção do distrito de Leopoldina, o território foi dividi- do entre Bodocó (então Granito), Salgueiro e Serrinha (hoje Serrita). Pelodecretodeleiestadualnº92,de 31 de março de 1938, o município de Granito passa a se denominar Bodocó. Por Nilson Macedo PrefeitoDaniloRodrigues(PSB) durante hasteamento das bandeiras Bandas marciais animaram a festa de emancipação política Foto:ASCOMPMB Foto:ASCOMPMB
  8. 8. Cidadania8 • Araripina | 01 à 15 de junho de 2014 www.tribunadoararipe.com.br Evento terá a presença da As- sociação de Blogueiros de Pernam- buco e debater as novas tendências da comunicação via web Nos dias 27 e 28 de junho Araripina será a sede do primeiro encontro de blogueiros da região do Araripe. Com uma diversificada Ouricuri, no Sertão do Araripe pernam- bucano, ganhou um escritório de apoio técnico da Companhia de Desen- volvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Co- devasf). O espaço atende a uma demanda antiga da po- pulação, que queria um local mais próximo a fim de facili- tar o diálogo e a agilização de obras e ações da Codevasf na região. A sede da Codevasf em Pernambuco fica no municí- pio de Petrolina, na região do Sertão do São Francisco. A entrega oficial do escri- tório contou com a presença de diversas autoridades do Araripe e de regiões próxi- mas, além do superintendente da Codevasf em Pernambuco, João Bosco Lacerda de Alen- car. “Esta é uma iniciativa im- portante num ano simbólico em que a Codevasf completa 40 anos. Estamos expandin- do as nossas ações, chegando mais perto das cidades. Essa descentralização é parte das ações pensadas para levar as obras da instituição a todos os 69 municípios de nossa área de abrangência. Vamos traba- lhar para ter placa de obra da empresa em cada uma dessas cidades”, ressaltou João Bosco. Na região do Araripe, es- tão em execução obras que so- mam mais de R$ 120 milhões em investimentos - recursos do Governo Federal, via Mi- nistérios e Codevasf e por meio do Programa de Acele- ração do Crescimento (PAC). Na lista das intervenções, vale destacar esgotamento sanitá- rio e de tratamento de esgo- to; perfuração, montagem e instalação de poços, reforço na infraestrutura hídrica por meio dos sistemas de abaste- cimento d’água, construção de pequenas barragens, recupe- ração de aguadas e entrega de motoniveladoras. “Temos ainda em execu- ção a instalação das cisternas do programa Água para To- dos. Esse é um espaço para atender as demandas do Ara- ripe de forma descentralizada. Está em fase de projeto a im- plantação de 350 barragens, um investimento de R$ 100 mil para cada município da região. São recursos da Code- vasf para aplicar na melhoria local. O escritório estará à disposição de todo o Araripe”, acrescentou o superintenden- te. Além de Ouricuri, o escri- tório de apoio técnico da Co- devasf atenderá os municípios de Ipubi, Bodocó, Santa Cruz, Trindade, Granito, Santa Fi- lomena, Araripina e Exu. “O escritório pretende ainda de- mocratizar a discussão sobre a implantação do projeto Canal do Sertão que está na fase de estudos e que atenderá parte da região do Araripe”, com- plementou o gerente regional de Infraestrutura da 3ª SR da Codevasf, Ricardo Lisboa, setor responsável pela admi- nistração do novo espaço da empresa em Ouricuri. Codevasfinauguraescritóriopara atenderdemandasdaregiãodoAraripe SediadoemOuricuri,onovoescritóriofazpartedoprogramaçãodeexpansãodacompanhia.InvestimentosnoAraripesomammaisdeR$120milhões Novo escritório da Codevasf vaiatenderascidadesdaregiãodoAraripe As cidades de Bodocó e Exu, no Sertão pernambucano, e outras 18 do estado ga- nharam núcleos de inseminação artificial de bovinos. Em julho des- te ano serão iniciadas as insemina- ções em associações comunitárias, trabalho que pode auxiliar no me- lhoramento genético do rebanho dos criadores de base familiar da região do Semiárido. Os 20 núcleos foram instala- dos pelo Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) que antes qua- lificou os jovens inseminadores e técnicos do órgão para fazer a inseminação nos municípios sele- cionados. O programa Insemina- CidadesdoAraripeganhamnúcleos deinseminaçãoartificialdebovinos ção Artificial é uma iniciativa do Ministério do Desenvolvimento Agrário em parceira com o IPA. O objetivo do programa, se- gundo o técnico do IPA e coorde- nador dos cursos de qualificação, José Valter, além de promover o melhoramento genético no gado das comunidades, “também ha- verá a valorização do rebanho. É um programa de grande impor- tância que vai propiciar, inclusive, a criação de um novo mercado de trabalho para os jovens dessas co- munidades rurais”, explica. Nos núcleos, 40 jovens inse- minadores (dois por cidade) con- tarão com o auxílio de 20 técnicos do IPA para desenvolver o traba- lho. Segundo José Valter, os ma- teriais e equipamentos já foram adquiridos e estão nas comunida- des aguardando apenas a entrega dos sêmen e o nitrogênio, material utilizado para conservar as doses. Com os núcleos em funcio- namento, os inseminadores serão remunerados pelas próprias co- munidades, recebendo um valor por prenhez comprovada, que será acordado em assembleias. “Cada núcleo deve receber 200 doses de sêmen, suficientes para atender a demanda inicial de até 50 produtores”, afirma o técnico José Valter. Além de Bodocó e Exu, 18 cidades do estado foram beneficiadas. Jovens das comunidade rurais foram capacitados para realizar o trabalho Araripina sediará 1º encontro dos blogueiros do Araripe nos dias 27 e 28 de julho programação, o encontro vai reunir comunicadores de várias cidades da região. Haverá palestras com advo- gados e webdesigners que orien- tarão os blogueiros sobre diversos temas. O encontro acontecerá no plenário na Câmara de Vereadores a partir das 9h. A cidade de Araripina possui sua Associação de Blogueiros, fun- dada em outubro do ano passado e conta com 30 filiados atualmen- te. No encontro a associação irá se filiar oficialmente a Associação de Blogueiros de Pernambuco – ABLOGPE que confirmou a pre- sença do diretor executivo Claudio André. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no início do en- contro. Para um dos organizado- res, Renato Araújo, do blog Visão do Araripe o encontro servirá para criar uma sucursal da ABLOGPE em Araripina e trazer novos conhe- cimentos aos blogueiros da região. Apassagem do dia do meio ambiente, come- morado mundialmente no dia 05 de junho, foi marcada por ações, caminhadas e traba- lhos de conscientização e reco- nhecimento de empresas que contribuem para a preservação e sustentabilidade na região do Araripe. A temática tem ganha- do importância principalmente este ano, pois muitos municí- pios brasileiros estão descum- prindo leis ambientais especial- mente no que diz respeito aos resíduos sólidos. Na cidade de Araripina, a secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade organizou uma palestra sobre o tema com a ambientalista Marcela Arfelli no auditório da Faculdade de Ciências Agrárias de Araripina – FACIAGRA. Ela destacou a crescente produção de resídu- os sólidos na região Nordeste e alertou sobre o cumprimento da Política Nacional de Resíduos Sólidos que obriga os municí- pios a erradicarem os lixões à céu aberto e construírem ater- ros sanitários sustentáveis. Também fez parte do evento a apresentação dos resultados obtidos pela secretaria de meio DiadoMeioAmbienteécelebrado porjovensdasescolaspúblicas Caminhadas,palestrasereconhecimentodeempresasmarcaramapassagem dodiadomeioambientenaregião ambiente da cidade e a premia- ção de empresas participantes do projeto Adote uma Árvore. Segundo a secretária Cristina Arraes o projeto de arborização da avenida Antônio de Barros Muniz contou com o apoio de 60 empresas que abraçaram a causa ambiental e adotaram uma árvore naquela avenida. No dia seguinte alunos das escolas públicas municipais percorrer diversas ruas de Ara- ripina para alertar a população sobre os principais problemas ambientais da atualidade que culminou com o plantio de mu- das no centro da cidade. Em Trindade os alunos também de- ram bom exemplo na 1ª Mostra Ambiental do ensino infantil promovida pela prefeitura. Os alunos organizaram stands para apresentar temas como desmatamento e reflores- tamento, ecologia, água, clima, biodiversidade, resíduos sólidos e outros. Alunos do ensino infantil de Trindade durante a primeira Mostra Ambiental Jovens aprendem a preservar a natureza durante caminhada ecológica em Araripina Foto: Diones Antônio Foto: Gustavo Mendes
  9. 9. Especial Copa do Mundo Araripina | 01 à 15 de junho de 2014 • 9 www.tribunadoararipe.com.br VAI TER COPA NO JORNAL TRIBUNA DO ARARIPE! O Araripe está em festa com a seleção brasileira na Copa das Copas! Participe você também. Entre na Fanpage do Jornal Tribuna do Araripe, envie a foto da sua turma e comece a torcer para ela ser publicada. Venha assistir aos jogos da Copa do Mundo na Arena Portal
  10. 10. Cultura10 • Araripina | 01 à 15 de junho de 2014 www.tribunadoararipe.com.br Foto: Gustavo Mendes - ASCOM PMA Foto: Gustavo Mendes - ASCOM PMA Evento tradicional da cul- tura junina, o São João dos bairros de Araripi- na, promovido pela Prefeitura animou desde o dia 30 de maio as noites em diversas comuni- dades com apresentações das quadrilhas juninas e muito for- ró original dos famosos trios de sanfoneiros. A caravana visitou 20 co- munidades na cidade, distritos e também na zona rural. Nos dias 18 e 19 de junho, na qua- dra da Autarquia Educacional do Araripe – AEDA, aconte- cerá mais uma edição do con- curso municipal de quadrilhas que irá premiar as melhores quadrilhas juninas nas cate- gorias mirim e juvenil, seus marcadores (puxadores), casal Os jovens que integram o grupo Colisão BBoys (lê- -se bi-bois), de Araripina, não são mais tão desconhecidos pela sociedade. Mas nem sempre foi assim. O vestuário exótico e colorido, o gosto musical basica- mente americano e principalmente a prática do break dance atraiam olhares desconfiados e certas vezes preconceituosos. “Em pleno ser- tão do sertão o que aqueles jovens fazem dançando uma música que ninguém entende nada?”, era o que eu mais ouvia as pessoas pergunta- rem, afirma o jovem estudante de educação física Tony Aldair. Quando o som está ligado e a batida da música começa a empol- gar os 15 jovens que atualmente compõem o grupo, a dança toma conta de seus corpos e o que se vê Arraiá do distrito de Lagoa do BarroArraiá da rua da Canastra São João dos bairros de Araripina mantêm viva a cultura das quadrilhas juninas e anima as comunidades no mês de junho de noivos, rainha e o melhor arraiá. Ao todo serão quase 16 mil reais em prêmios. O São João dos bairros além de estimular a cultura das quadrilhas juninas leva alegria e animação para as co- munidades que montam be- las decorações para receber os quadrilheiros. A Secretaria da Juventude, Cultura e Turismo de Araripina oferece a estru- tura física, iluminação e so- norização para a apresentação das quadrilhas que iniciam os ensaios muito antes do período junino. Com o fim do carna- val muitas quadrilhas juninas iniciam o processo de seleção dos integrantes e começam a montar o espetáculo que dura, em média, 10 minutos por apresentação. A escolha do fi- gurino e músicas também são fundamentais para construir uma apresentação com chances de vencer o concurso. Na edição deste ano o São João dos bairros percorreu os bairros Universitário, Zé Mar- tins, Bela Vista, residencial Nossa Senhora da Conceição, Vila Conceição, Vila Santa Ma- ria e Vila Bringel, além de ar- raiás na Feira do Feijão, rua da Canastra e escola de Aplicação. Os distritos de Morais, Nascen- te, Lagoa do Barro (durante a comemoração do São João do distrito) e Rancharia também receberam as quadrilhas juni- nas para animar as noites do mês de junho. E a zona rural nas comunidades da Serra do Simões, Sítio Santana, Sítio Ta- lhado Branco, Sítio Conceição, Jatobá e IPA mostraram o au- têntico forró nordestino. Segundo o secretário de Cultura, Lídio Santiago, o São João dos bairros é uma tradição que valoriza a cultura nordesti- na e também dá o ponta pé ini- cial para os festejos juninos no Parque Três Vaqueiros – este ano o São João será entre os dias 23 a 28 de junho. Ele afir- ma que a população aguarda ansiosamente pelos arraiás. “O mês de junho é todo dedicado à nossa cultura sertaneja e senti- mos nas comunidades o quanto eles esperam pela chegada do arraiá no seu bairro ou distrito. Com isto estamos dando opor- tunidade dos jovens manterem a tradição das quadrilhas juni- nas e fazendo um grande es- quenta para o São João que é o ápice deste mês em que come- moramos São João, São Pedro e Santo Antônio” afirma. No dia 20 de junho a comissão organi- zadora do São João dos bairros divulgará o resultado do con- curso municipal de quadrilhas. Este ano vinte comunidades receberam as quadrilhas juninas. Concurso municipal promovido pela Prefeitura acontecerá nos dias 18 e 19 na quadra da AEDA Quadrilhas juninas recebem premiação durante apresentação nos bairros Grupo Colisão BBoys deAraripinadisseminamaculturadobreakemterritóriosertanejo Jovens de Araripina quebram preconceitos e disseminam a cultura do break em pleno sertão pernambucano Grupo Colisão Bboys ajuda jovens carentes a manterem distância dos vícios e aprenderem gratuitamente o break dance em seguida é um belíssimo espe- táculo composto de sincronismo, agilidade, coordenação motora, equilíbrio e força. Estes jovens de Araripina estão dando continuida- de a uma antiga cultura americana criada na década de 70 no bairro do Bronx em Nova York. O break surgiu inspirado especialmente no funk e nos passos do cantor ame- ricano James Brown de sucessos mundialmente conhecidos como I feel good, e tem este nome por- que os praticantes dançavam na “quebrada” da música. Os antigos discos de vinil eram quebrados e colados, criando assim, mixagens próprias para os bboys se apresen- tarem nas batalhas – a competição que avalia a melhor performance de dois bboys. Até que o jovem esteja prepa- rado para se apresentar nas bata- lhas existe um longo caminho a ser percorrido repleto de pré-requi- sitos e regras que não podem ser descumpridas. O bboy Tony Aldair destaca que inicialmente existe a preparação social dos jovens que se integram ao grupo. O break é uma dança originária das perife- rias americanas e ao chegar ao Bra- sil não perdeu esta característica. Segundo o bboy a grande maioria dos garotos do grupo Colisão são oriundos de bairros carentes como Cavalete, Zé Martins, Adelino, Alto da Boa Vista e outros. “Eles encontram na dança uma válvula de escape para fugir da realidade social que estão naturalmente in- seridos. A ampla maioria não tem acessoàatividadesdecultura,lazer e esporte. Se não fosse a prática do break possivelmente estariam no mundo do álcool, drogas e prosti- tuição”, relata. Por conta desta realidade o grupo abriga ex-detentos, ex- -usuários de álcool e drogas que por conta da disciplina exigida se recuperaram dos vícios e hoje dedicam suas vidas à pratica do break. “Existem regras invioláveis dentro do grupo. Nós acompanha- mos a frequência e o desempenho escolar. Também vigiamos o com- portamento social para saber se estão longe dos vícios. Se violarem alguma dessas regras não permiti- mosquecontinuemdentrodogru- po”, explica Tony Aldair. O grupo já ministrou aulas para menores infratores em Petrolina onde ex- puseram as suas experiências para que os jovens encontrem motiva- ção para seguir uma vida longe das contravenções. Felippe Jhonata também é BBoy do Colisão e afirma que se encantou pela dança quando par- ticipou de oficinas realizadas nas escolas públicas. “Eu vi jovens da minha idade como o Tiago e Sér- gio – Bboys que iniciaram o movi- mento break em Araripina e hoje moram em São Paulo e Petrolina, respectivamente – e queria fazer o que eles faziam. Na época já dan- çava capoeira e vi no break mais uma oportunidade de aprender”, destaca. Atualmente Tony e Felipe re- presentam o grupo em várias ba- talhas. Eles já participaram e ven- ceram eventos em todo o Estado. E por duas vezes participaram das seletivas mundiais classificatórias para o EuroBattle Portugal – even- to que reunirá os 16 melhores BBoys do mundo nos dias 27 a 29 de junho deste ano, na cidade do Porto. A primeira seletiva aconte- ceu em Goiânia – GO e a segunda em Salvador – BA. Na apresenta- ção da capital baiana os jovens ara- ripinenses foram classificados para o maior evento do mundo, porém sem apoio financeiro, não irão. “O apoio é esporádico. Na maioria das vezes vamos para os eventos por conta própria e infelizmente perdemos grandes oportunidades como esta. A gente espera que com o passar do tempo as pessoas ve- jam que o break transforma vidas e faz jovens que estavam fadados se transformarem em grandes dan- çarinos e cidadãos de bem. Talvez nesta hora os apoios cheguem e assim possamos representar nossa cidade em grandes eventos”, sonha Tony Aldair. O trabalho do grupo Colisão de BBoys é filantrópico, pois os jo- vensnãotemcondiçõesfinanceiras de contribuir com dinheiro. Atu- almente eles ensaiam em espaços cedidos como o da Secretaria da Juventude, Cultura e Turismo, no Sesc Ler e na academia Vida Ativa. Segundo Tony o grupo sobrevive financeiramente dos cachês das apresentações que fazem em várias cidades. “Não cobramos nada dos integrantes e estamos abertos para receber mais jovens que se interes- sem pelo break. Recentemente seis meninas – as BGirls – se integram ao grupo. Isto prova que não existe nenhum preconceito”. No Brasil a cultura do break e a arte dos Bboys ficou nacional- mente conhecida em 2012 quando a apresentadora Xuxa promoveu o Concurso de Rua no seu programa dominical TV Xuxa da Rede Glo- bo. Com sorriso no rosto o Bboy Tony Aldair afirma que já batalhou com nomes que participaram da competição nacional. “No evento de Goiânia e Salvador estávamos frente a frente com os Bboys que participaram daquele concurso promovido pela emissora. E nós não fizemos feio. Mostramos que em Pernambuco existem grandes Bboys”. Atualmente o grupo conta com 15 jovens. As aulas são gratuítaseacontecememespaçospúlicos

×