Materia de treinamento parte 3[1]

1.419 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.419
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
81
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Materia de treinamento parte 3[1]

  1. 1. RELAÇÃO DA FORÇA COMOUTRAS CAPACIDADES FÍSICAS• Força e velocidade;• Força e flexibilidade;• Força e capacidades coordenativas;• Força e resistência.
  2. 2. NORMAS PARA O TREINAMENTO DE FORÇAA especificidade do treinamento de força está relacionada com:• Padrão de movimento;• Tipo de ação muscular;• Posição da articulação;• Velocidade do movimento
  3. 3. NORMAS PARA O TREINAMENTO DE FORÇA• Quanto mais treinado for o atleta, mais seu treinamento deve ser diferenciado e específico;• Efetividade do exercício:• Rápido aumento do rendimento;• Transferência para os exercícios de competição.
  4. 4. ADAPTAÇÕES AO TREINAMENTO DE FORÇA (Sale, 1992).
  5. 5. ADAPTAÇÕES AO TREINAMENTO DE FORÇA
  6. 6. ADAPTAÇÕES AO TREINAMENTO DE FORÇAADAPTAÇÕES NEURAIS• COORDENAÇÃO INTRAMUSCULAR – Aumento no número de unidades motoras recrutadas – Aumento na freqüência de disparos/impulsos • Acima de 50 Hz não aumenta a força máxima • Acima de 50 Hz há aumento na velocidade de alcance da força máxima – Maior sincronização de recrutamento – Diminuição do limiar de inibição da força
  7. 7. ADAPTAÇÕES AO TREINAMENTO DE FORÇAADAPTAÇÕES NEURAIS• COORDENAÇÃO INTRAMUSCULAR – Aumento no número de unidades motoras recrutadas – Aumento na freqüência de disparos/impulsos • Acima de 50 Hz não aumenta a força máxima • Acima de 50 Hz há aumento na velocidade de alcance da força máxima – Maior sincronização de recrutamento – Diminuição do limiar de inibição da força
  8. 8. ADAPTAÇÕES AO TREINAMENTO DE FORÇA Aumento nas concentrações de creatina muscular(39%),da CP (22%), do ATP ( 18%) e do glicogênio (66%) Aumento na atividade de enzimas anaeróbicas Redução no volume (densidade) de mitocôndrias devidoao rápido aumento no tamanho das miofibrilas e no volumesarcoplasmático. Hipertrofia seletiva das fibras de contração rápida. Adaptações do sistema nervoso – padrão de solicitação esincronismo (MATHEWS; FOX,1983)
  9. 9. ADAPTAÇÕES AO TREINAMENTO DE FORÇA (BADILLO & AYESTARAN, 2001)Hipertrofia como resultado de:  Aumento do número e tamanho das miofibrilas  Aumento do tamanho do tecido conjuntivo  Aumento do número total de capilares (embora a densidade capilar por fibra muscular se mantenha)  Aumento do tamanho das fibras musculares  Aumento do número total de fibras musculares??
  10. 10. ADAPTAÇÕES AO TREINAMENTO DE FORÇA
  11. 11. ADAPTAÇÕES AO TREINAMENTO DE FORÇA
  12. 12. TRABALHO MUSCULARContração isométrica Contração concêntrica Contração excêntrica- modo estático - modo concêntrico - modo excêntricode trabalho. de trabalho. de trabalho. Contração no ciclo de Alongamento-Encurtamento (CAE) (SCHMIDTBLEICHER, 1992; KOMI, 1992)
  13. 13. Capacidades Motoras - EsportesEsporte Força Força Resist. Resis. L. Velocida Máxima Rápida força Duração deTênisJudôBoxeCorrida100mSal.DistNatação100mGin. Art.
  14. 14. Sistemas Energéticos - EsportesEsporte An. Alático An.Lático AeróbicoTênisJudôBoxeCorrida100mSal.DistNatação 100mGin. Art.
  15. 15. MÉTODOS DE HIPERTROFIA MUSCULARCaracterísticas:• Causa aumento da força máxima;• Causa pequenas adaptações nervosas;• Elevado número de séries e repetições;• Cargas submáximas.
  16. 16. MÉTODOS PARA HIPERTROFIA MUSCULAR Método de Método de Método do Método do Método carga carga culturismo culturismo isocinético constante progressiva (extensivo) (intensivo)Ação muscularConcêntricaExcêntricaIntensidade (%) 80 70,80,85,90 60-70 85-95 70Repetições 8-10 12,10,7,5 15-20 8-5 15Séries 3-5 1,2,3,4 3-5 3-5 3Intervalo (min) 3 2 2 3 3 (SCHMIDTBLEICHER, 1996)
  17. 17. MÉTODOS PARA FORÇA MÁXIMACaracterísticas:• Ganhos mínimos de massa muscular;• Contrações musculares rápidas;• Cargas próximas do máximo ou supramáximas;• Ênfase na resposta neural.
  18. 18. MÉTODOS PARA FORÇA MÁXIMA Método Método Método quase concêntric excêntrico máximo o máximo máximoAção muscularConcêntricaExcêntricaIntensidade (%) 90,95,97,100 100 150Repetições 3.1.1.1+1 1 5Séries 1.2.3.4+5 5 3Intervalo (min) 3-5 (SCHMIDTBLEICHER, 1996) 3-5 3
  19. 19. MÉTODOS PARA FORÇA RÁPIDA Nos treinos de potência, utilizar preferencialmente pesos livres porque:• Fortalecem todos os músculos envolvidos no movimento;• Estabilizam a articulação (ativação da proprioceptores);• Possibilidade de realizar a dinâmica adequada do movimento (velocidade).
  20. 20. MÉTODOS PARA FORÇA RÁPIDACaracterísticas:• Menor efeito sobre a hipertrofia;• Menor efeito sobre a força máxima;• Melhora da frequência de impulsos e da sincronização (curva força/tempo)• Contrações musculares rápidas;• Cargas submáximas (20 a 80%);• Ênfase na resposta neural.

×