1ª guerra mundial

768 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
768
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1ª guerra mundial

  1. 1. 1ª Guerra Mundial Introdução A Primeira Guerra Mundial (também conhecida como Grande Guerra ou Guerra das Guerras) foi um conflito bélico mundial ocorrido entre 28 de Julho de1914 e 11 de Novembro de 1918. A guerra ocorreu entre a Tríplice Entente (liderada pelo Império Britânico, França, Império Russo (até 1917) e Estados Unidos (a partir de 1917) que derrotou a coligação formada pelas Potências Centrais (liderada pelo Império Alemão, Império Austro- Húngaro e Império Turco-Otomano), e causou o colapso de quatro impérios e mudou de forma radical o mapa geopolítico da Europa e do Médio Oriente.Muitos dos combates na Primeira Guerra Mundial ocorreram nas frentes ocidentais,em trincheiras e fortificações (separadas pelas "Terras de Ninguém", que era o espaço entrecada trincheira, onde vários cadáveres ficavam à espera do recolhimento) do Mar do Norte atéa Suíça. As batalhas davam-se em invasões dinâmicas, em confrontos no mar, e pela primeiravez na história, no ar. O saldo foi de mais de 19 milhões de mortos, dos quais 5% eram civis.Na Segunda Guerra Mundial, este número aumentou em 60%. DesenvolvimentoAntecedentes e possíveis causas Em 28 de Junho de 1914, o arquiduque Francisco Ferdinando, herdeiro do trono Austro-Húngaro, e sua esposa Sofia, Duquesa de Hohenberg, foram assassinados pelo sérvio Gavrilo Princip, que pertencia ao grupo nacionalista-terrorista armado Mão Negra (oficialmente chamado "Unificação ou Morte"), que lutava pela unificação dos territórios quecontinham sérvios.
  2. 2. O assassinato desencadeou os eventos que rapidamente deram origem à guerra, mas suasverdadeiras causas são muito mais complexas. Historiadores e políticos têm discutido essaquestão por quase um século sem chegar a um consenso.Imperialismo econômicoLênin era um famoso defensor de que o sistema imperialista vigente no mundo era oresponsável pela guerra. Para corroborar as suas ideias ele usou as teorias econômicasde Karl Marx e do economista inglês John A. Hobson, que antes já tinha previsto asconsequências do imperialismo econômico na luta interminável por novos mercados, quelevaria a um conflito global, em seu livro de 1902 chamados "Imperialismo" Tal argumentoprovou-se convincente no início imediato da guerra e ajudou no crescimentodo Marxismo e Comunismo no desenrolar do conflito. Os panfletos de Lênin de 1917,"Imperialismo: O Último Estágio do Capitalismo" tinham como argumento que os interessesdos bancos em várias das nações capitalistas/imperialistas tinham levado à guerra. HistóriaA crise de Julho e as declarações de guerraApós o assassinato do arquiduque Francisco Ferdinando em 28 de Junho, o Império Austro-Húngaroesperou três semanas antes de decidir tomar um curso de ação. Essa espera foidevida ao fato de que grande parte do efetivo militar estava na ajuda a colheita, o queimpossibilitava a ação militar naquele período. Em 23 de Julho, graças ao apoioincondicional alemão (carta branca) ao Império Austro-Húngarose a guerra eclodisse,o Ultimato de julho foi mandado a Sérvia, e que continha várias requisições, entre elas a queagentes austríacos fariam parte das investigações, e que a Sérvia seria a culpada peloatentado. O governo sérvio aceitou todos os termos do =, com exceção da participação deagentes austríacos, o que na opinião sérvia constituía uma violação de sua soberania. ConseqüênciasCrimes de Guerra A limpeza étnica da população armênica durante os anos finais do Império Turco-Otomano é amplamente considerada como um genocídio. Com a guerra em curso, os turcos acusaram toda a população armênica, cristãos em sua maioria, de serem aliados da Rússia, utilizando-se disso como pretexto para lidar com toda a minoria considerando-a inimiga do império. É dificil definir o número exato de mortos do período,sendo estimado por diversas fontes para quase um milhão de pessoas mortas em campos deconcentração, excluindo-se as que morreram por outros motivos. Desde o evento os governosturcos têm sistematicamente negado as acusações de genocídio, argumentando que osarmênicos morreram por uma guerra estar em curso ou que sua matança foi justificada peloapoio dado aos inimigos do país.
  3. 3. Tecnologia A Primeira Guerra Mundial foi uma mistura de tecnologia do século XX com tácticas do século XIX. Muitos dos combates durante a guerra envolveram a guerra das trincheiras, onde milhares de soldados por vezes morriam só para ganhar um metro de terra. Muitas das batalhas mais sangrentas da históriaocorreram durante a Primeira Guerra Mundial. Tais batalhasincluiam Ypres, Vimy, Marne, Cambrai,Somme, Verdun, e de Gallipoli. A artilharia foi aresponsável pelo maior número de baixas durante a guerra. Neste conflito estiveram envolvidos cerca de 65 milhões de soldados e destacaram-se algumas figuras militares, como o estrategista daBatalha do Marne, o general francês Joffre, o general Ferdinand Foch, também da mesma nacionalidade, que veio a assumir o controle das forças aliadas, o general alemão VonKlück, que esteve às portas de Paris, general britânico John French, comandante do CorpoExpedicionário Britânico e o comandante otomano Kemal Ataturk, vencedor na Batalha deGallipoli contra a Inglaterra e o ANZAC (Austráliae Nova Zelândia).A guerra química e o bombardeamento aéreo foram utilizados pela primeira vez em massa naPrimeira Guerra Mundial. Ambos tinham sido tornados ilegais após a Convenção Hague de1907. Os aviões foram utilizados pela primeira vez com fins militares durante a Primeira GuerraMundial. Inicialmente a sua utilização consistia principalmente em missões de reconhecimento,embora tenha depois se expandido para ataque ar-terra e atividades ar-ar, como caças.Foram desenvolvidos bombardeiros estratégicos principalmente pelos alemães e pelosbritânicos, já tendo os alemães utilizando os grandesdirigíveis (Zeppelins)para bombardeamento aéreo.Participação dos países na Grande GuerraNa Primeira Guerra Mundial, dois grupos de países lutavam — os Aliados e as PotênciasCentrais (Alemanha, Áustria-Hungria, Império Otomano e Bulgária).Além da Tríplice Entente, juntaram-se aos Aliados: a Itália que pertencia a Tríplice Aliança,havia mantido-se neutra, fez um trato com a Inglaterra; os Estados Unidos, poisa Alemanha afundou um navio inglês com americanos e perdeu o apoio russo, devido asguerras civis internas. Os Estados Unidos também chegaram a participar da guerra porqueviram que os Aliados estavam perdendo e como tinha vendido mercadorias (armas, capacetes,canhões, etc.) que só seriam pagas após a guerra, entrou nesta para garantir a vitória de seus
  4. 4. compradores, pois se perdessem a guerra, não poderiam pagar essas mercadorias,em 1917 também Portugal entrou nesta coalizão, pois fora da guerra, via as suas colóniasameaçadas pelos estados que sairiam vencedores e consequentemente reforçados nadiscussão internacional, além do que, as forças alemãs eram uma constante ameaça aodominio português nas suas colónias em África. O Brasil, em 1917, também se juntou aosAliados no conflito.Com o fim da guerra, em 1918, os Estados Unidos tornam-se a maior potência mundialdo século XX. As principais causas foram os ataques internos pela Tríplice Aliança.Estados UnidosO Estados Unidos estiveram presentes desde o início da Guerra ao lado da Tríplice Entente.Até 1917 eram apenas fornecedores de armamento, mas também de artigos industrializados,pois a produção de alimentos, vestimentas e qualquer outro tipo de produto, na Europa, haviasido afetada, pelo deslocamento de homens para a Guerra e pela destruição causada por ela.Após a saída dos russos, o EUA vê seus investimentos em risco, pois, se seus aliados perdema Guerra deixam de pagar suas dívidas. Então, o país entra militarmente no conflito, sendodecisivo para o final da guerra a favor da Tríplice Entente.ItáliaNo início da Primeira Guerra Mundial, a Itália abandonou a Tríplice Aliança e se recusou aparticipar do conflito. Contudo, em função das promessas territoriais que recebeu, a Itáliaentrou no conflito ao lado da Tríplice Entente.Desastrosa durante grande parte da guerra, a participação italiana acabou sendo importante,na medida em que o país derrotou e forçou o Império Austro-Húngaro à capitulação na batalhade Vittorio Veneto, causando a desagregação do mesmo. A capitulação da Áustria-Hungria foium duro golpe na Alemanha, que passaria a lutar sozinha.JapãoO Japão só entrou na guerra para se apossar das colônias da Alemanha no Pacífico e dasconcessões alemãs na China.InglaterraEra a nação com a marinha mais numerosa (mais ou menos 2 mil embarcações), o que ajudoumuito na vitória contra os alemães. Haja vista que a marinha inglesa foi uma das primeirasarmadas a navegar nos quatro cantos do mundo, não ficou por menos sua superioridade nasbatalhas marítimas durante a primeira guerra mundial. Como era de se esperar, desde estaprimeira grande guerra foi de ímpar importância a superioridade em dominar os mares,derrotando assim as forças inimigas em grande escala.Portugal na Primeira Guerra
  5. 5. Portugal participou no primeiro conflito mundial ao lado da Tríplice Entente, o que estavade acordo com as orientações da República ainda recentemente instaurada.Em Março de 1916, apesar das tentativas da Inglaterra para que Portugal não seenvolvesse no conflito, o antigo aliado português decidiu pedir ao estado português oapresamento de todos os navios germânicos na costa lusitana. Esta atitude justificou adeclaração oficial de guerra de Portugal em relação à Alemanha e aos seus aliados, a 9de Março de 1916(apesar dos combates em África desde 1914).Em 1917, as primeiras tropas portuguesas, do Corpo Expedicionário Português, seguiampara a guerra na Europa, em direcção à Flandres. Portugal envolveu-se, depois, emcombates em França.Neste esforço de guerra, chegaram a estar mobilizados quase 200 mil homens. As perdasatingiram quase 10 mil mortos e milhares de feridos, além de custos económicos e sociaisgravemente superiores à capacidade nacional. Os objectivos que levaram osresponsáveis políticos portugueses a entrar na guerra saíram gorados na sua totalidade.A unidade nacional não seria conseguida por este meio e a instabilidade política acentuar-se-ia até à queda do regime democrático em 1926.

×