ROTAtirolesaCONVIVÊNCIAFesta do VinhoBebida vendida noevento é produzida por                           A fé que           ...
EDITORIAL                                                   Conheça Santa Olímpia, o reduto cultural tirolês!             ...
o dialeto”. No educandário osEDUCAÇÃO                                                            meninos e meninas aprende...
Boca AbMariana Fiocco	     O coral Trentino deSanta Olímpia, apresentacanções            alpinas.Ascanções      é    aprec...
berta                                CD gravado, chamado Canti                                     di Montagna e duas faix...
SANTANAA força comunitária daFesta do VinhoBruno Bianchim Martim    A Praça de Santana nãorememora as conturbações doCentr...
DESTAQUESRainha e Princesa da   Festa da PolentaRainha e Princesa da 	         Para Patrícia a emoção14º Festa da Polenta ...
RELIGIÃO                  A fé que moveMontanhasAnderson JunqueF   esta aberta à população    envolve missas em cele-     ...
Fonte de água e imagem deNsa. Senhora Auxiliadorana praça.	       Enquanto Olavo voltavapara casa com mais dois galõesde á...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Rota Tirolesa

706 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
706
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Rota Tirolesa

  1. 1. ROTAtirolesaCONVIVÊNCIAFesta do VinhoBebida vendida noevento é produzida por A fé que movecooperativa local e é montanhas.celebrada em festivaltradicional.DESTAQUESConheça a Rainhae a Princesa daFesta da Polenta!TRADIÇÃOGrupo de dança eapresentação docoral na UNIMEP.
  2. 2. EDITORIAL Conheça Santa Olímpia, o reduto cultural tirolês! Já pensou estar em conhecer um local que o faça sentir numa colônia européia. Conheça o bairro Santa Olímpia! Fazendo parte do território de Piracicaba, a região é o reduto cultural de imigrantes tiroleses, junto com Santana. Naturais da região Trentino – Südtirol (Alto Adige),Expediente que compreende partes da Itália e da Áustria, os tiroleses se instalaram na região onde hoje é Santa Olímpia no ano de 1892. As principais famílias na região, até hoje, são os Correr,Matérias: Anderson Junque, Arianne Domiciano, Pompermayer, Stenico, Christofoletti, Brunelli, Degaspari,Bruno Bianchim Martim, Eduardo Castelar, Mariana Forti, Veneri, Negri e Zotelli.Fiocco e Vinicius Barbosa. Os habitantes do bairro, dos mais velhos aos maisFotos: Anderson Junque, Eduardo Castelar, Mariana novos, são muito conservadores em relação às tradições eFiocco e Thiago Sanchez Gaspareto. costumes. Muito religiosos, os tiroleses gostam de celebrar festas e comemorações na praça da igreja da ImaculadaDiagramação e foto de capa: Thiago Sanchez Conceição, onde pode-se ouvir em meio ao povo alegre algumas pronuncias do dialeto ítalo-tirolês. O conjuntoGaspareto. cultural do bairro conta com grupo folclórico e de danças e o coral Stella Alpina. Os dois grupos costumam se apresentarDesign do site: Ariane Domiciano. em outras cidades e em festas tradicionais italianas, alemãs e a tradicional Festa das Nações de Piracicaba.Orientação: Prof. Ivonésio Leite de Souza. Conhecer Santa Olímpia é um passeio muito agradável, porque depois que as pessoas residentes acabam conhecendo os visitantes, você ter certeza que ganhou não apenas novos amigos, e sim mais integrantes na família, e com certeza será sempre bem vindo. Segue daí a Rota Tirolesa, que compreende Santa Olímpia e Santana. Neste passeio o visitante vai conhecer a Praça de Santa Olímpia e a Igreja da Imaculada Conceição, a casa de ensaios do Coral, o Museu, almoçar no restaurante La Stua ou apreciar uma saborosa pizza na Pizzaria Nonno Gioti. Em Santana encontram-se as vinícolas e o barracão da Cooperativa do Vinho, onde é produzido o vinho artesanal Trentino, e em dezembro é organizado o Mercadìn de Nadal, o verdadeiro natal tirolês – um mercado a céu aberto na praça central de Santana, onde o visitante pode comprar os vinhos, geléias, queijos e os deliciosos pães caseiros que chegam a ser encomendados até por visitantes do exterior. Se você ainda não conhece o reduto cultural tirolês Santa Olímpia e Santana não perca oportunidades e venha apreciar a mais pura cultura tradicional trentina. Thiago Sanchez Gaspareto
  3. 3. o dialeto”. No educandário osEDUCAÇÃO meninos e meninas aprendem canções infantis tirolesas e são incentivados a todo momento a treinar o sotaque, “aqui todo nome de animal ou letra do alfabeto ensinado em português, também é falado em nosso dialeto”. Assim, quando as crianças tirolesas entram no ensino fundamental, muitas já nasceram com as tradições em seu inconsciente e também convivem, através da creche de dona Fátima, com o dialeto em todas as suas ações no dia.Crianças aprendendo a cantar no dialeto tirolês. Correr ainda completa, “assimCrianças de nos adormecem com canções que elas começam na escola típicas”. fundamental, já pegaramSanta Olímpia o gosto e agora querem Depois de crescerem, entender nossas tradições eAprendendo o dialeto as crianças passam por outro nosso modo de vida”. fator importante para adesde pequeno criação dessas raízes trentinas.Eduardo Castelar É na escolinha da dona Fátima que os pequenos continuam Os moradores do bairro seus contatos com a tradiçãoSanta Olímpia, distante nove do seu bairro. Correr explica,quilômetros da cidade de “como o bairro não conseguePiracicaba, sempre fazem oferecer serviço para todosquestão de destacar suas os moradores, muitos detradições e costumes. Estes nós temos que trabalhar emhabitantes descendentes do empresas da região”, assim,povo trentino-tirolês, são a educação dos menores ficamuito conhecidos por seus com a creche.vinhos artesanais e tambémpela famosa festa da polenta. Fátima Stenico é dona da única escola infantil do bairro Uma razão para a e sabe que tem uma tarefaconservação destas tradições, muito importante na vida dasegundo muitos tiroleses, comunidade, “é aqui que asé a educação que recebem crianças soltam e montamdesde a infância, segundo Ivan suas primeiras palavras, e Aprender tirolês não é bicho deCorrer, “até quando somos graças a nossa educação eles sete cabeças.bebes de colo, nossas mães já também já se acostumam com
  4. 4. Boca AbMariana Fiocco O coral Trentino deSanta Olímpia, apresentacanções alpinas.Ascanções é apreciadaspelos moradores do bairro,moradores da cidade dePiracicaba e da região.Foi fundado em 18 deagosto de 1990 comoCoro Stella Alpina o únicocoral folclórico existente naregião.O repertório contacom canções sobre amorese relações com o convíviosocial dos trentinos . Stella Alpina (tambémchamada Edelweiss) é onome de uma flor dos Alpestiroleses, semelhante a umaestrela, encontrada somentenas paredes rochosas acimade 1.500 metros de altitude.Além de ser a flor símbolo doTirol, a Stella Alpina é também altitudes, do contrário, possuiráum símbolo do amor eterno, uma cor esverdeada. Depoispois antigamente os rapazes de recolhida, a stella alpinaescalavam as montanhas para permanece intacta por muitoscolherem as maiores flores para anos e existem algumassuas amadas, e o arriscado centenárias.feito (que muitas vezes podiaterminar tragicamente com a Em 2005, sob liderançaqueda nos precipícios) era uma de José Luís Negri e Eduardoprova de amor e quanto maior a Forti (presidente e vice-flor, maior o feito. presidente), seus integrantes construíram sua própria sede, que leva o mesmo nome do Outra interessante Centro Cultural, João Octavio decaracterística da flor, é que Mello Ferraciu. A sede do coroela aparenta ser de veludo e se localiza na rua Consolação,o seu branco nobre só existe 183 - Sta Olímpia.se a mesma florir em grandes
  5. 5. berta CD gravado, chamado Canti di Montagna e duas faixas no álbum duplo  Vozes da Terra, realizado pelo Projeto Mercocidades, da Prefeitura de Juiz de Fora. Também participou do CD Ao vivo dos concertos em que participou na Itália. O Coro Stella Alpina se apresenta nas festas do bairro e sempre embelezam as missas da Igreja de Santa Olímpia; também já se apresentaram em diversos locais de Piracicaba, do Estado de São Paulo e em outros estados brasileiros, como Santa Catarina, Paraná e Bahia. Em setembro de 2005, participaram da “Settimana Brasiliana”, um encontro de descendentes trentinos na Província Autônoma de Trento, representando o Brasil com integrantes de outras cidades de colonização trentina. O coro teve seu primeiro
  6. 6. SANTANAA força comunitária daFesta do VinhoBruno Bianchim Martim A Praça de Santana nãorememora as conturbações doCentro de Piracicaba. Em meio acalmaria e a tranqüilidade, ontemà tarde, voluntários, funcionáriosmunicipais e moradores do bairrorealizavam os últimos ajustes paraa 3° Festa do Vinho de Santana.Barracas, palco e salão eramfinalizados para os três dias decelebração. A estimativa de público,de acordo com o presidente da Tonéis de vinho no barracão da Cooperativa.Associação dos Moradores do Foram usadas mais de quatro mil do Mundo, às 15h30, um telão serábairro, José Carlos Correr Vitti, é de na composição”, explica. disponibilizado no Salão Paroquial12 mil pessoas. “No ano passado de Santana, ao lado da praça, parativemos 900 litros de vinho vendidos Parreiras espalhadas pelos a visualização do público.durante a festa”, conta uma das bairros de Santana e Santa Olímpiacomponentes da cooperativa de garantem o alento da Festa dovinho de Santana, Maria Vitti, ainda Vinho – a bebida é produzidadestacando a produção artesanal Cooperativa do Vinho, eme orgânica da bebida. “Fomos os Santana, na rua São Paulo, s/n.primeiros no Estado de São Paulo “Hoje já temos mais de 20 mil pésa produzir um vinho orgânico, sem plantados e que, anualmente,uso de nenhum agrotóxico”, diz ela. nos dão cerca de dez mil litros da bebida”, diz outra componente da A bebida suave, seca ou rosé associação, Roberta Forti. Segundopode ser encontrada quando a ela, a premissa da festa é simples:festa começa. Além da degustação, mostrar o que a comunidade decomidas típicas, como o cràuti e a Santana pode fazer de artesanal,polenta poderão ser consumidas. juntando elementos da culturaA novidade deste ano fica por trentina-tirolesa. “Vamos terconta da exposição de garrafão de durante a festa cafeteria tambémvinho, com mais de cinco metros, aberta. Com pães, café, bolo ecolocado na entrada da praça. grostoli – um tipo de doce”, contaConscientização e reciclagem foram Roberta, em seguida completando:fatores fundamentais, garante “A doação desses alimentos foiJosé Carlos, para a composição feita pelos moradores e serãodo galão. “Quisemos explorar a produzidas por nós mesmos”. “Éconscientização para o ato de tudo comunitário”, conclui.reciclar. Isso foi o mais importante”,conta ele, que trabalhou junto As atrações dos três dias dea membros da comunidade nas celebração ficam a cargo dosduas semanas para a confecção grupos de dança, coral e músicado galão. “Durante o carnaval, na locais dos bairros de Santana eFesta da Cuccagna, arrecadamos Santa Olímpia. No domingo, dia da Vinho Trentino: produção artesanal.garrafas pet para a montagem. segunda partida do Brasil na Copa
  7. 7. DESTAQUESRainha e Princesa da Festa da PolentaRainha e Princesa da Para Patrícia a emoção14º Festa da Polenta são foi muito grande. “Este era oeleitas quarto ano que eu disputava esse concurso. Na hora queVinícius Barbosa meu nome foi dito quase chorei de emoção”. Já para Joyce A escolha da rainha Stenico, alem da surpresa ée princesa da 14º Festa da preciso respeitar as derrotasPolenta este ano contou com “Somos todas amigas e ouma novidade: a votação online. resultado final não mudará emInternautas de todo o país nada nossa amizade”.participaram da escolha entreas quatro candidatas à honraria. Cecília Stenico Correr,No total, foram 6 mil acessos ao ressalta que a concorrência ésite no período entre os meses saudável. “Não vemos motivosde maio e junho. de aborrecimento de ninguém, pois afinal todos fazem parte da A decisão foi anunciada mesma família e um dos valoresno dia 5 de junho. As ganhadoras que mais preservamos no bairro A rainha Joyce Stenicoforam Joyce Stênico, ao cargo é a união”.de rainha, e Patrícia Stenico,para representar a princesa A 14º Festa da Polenta2010. acontece nos dias 23,24 e 25 de julho. A princesa Patrícia StenicoAs quatro lindas candidatas a Rainha e Princesa da Polenta
  8. 8. RELIGIÃO A fé que moveMontanhasAnderson JunqueF esta aberta à população envolve missas em cele- água também a gente vem bus- car mais vezes”, explica.bração à padroeira, além de ex- posições, artesanatos, comidas Flores que caracterizame bebidas a região trentina e tijolos típicosSob um calor escaldante e dos antepassados tiroleses quegotas de suor apaziguadas com chegaram ao Brasil no séculoa mão que acabara de ser mol- passado estampam, hoje, o solohada em uma das fontes d’água da praça de Santa Olímpia, no-de Santa Olímpia, o aposenta- meada Padre Jacob Stenico,do Olavo Stenico, 53, abastecia que foi, recentemente, repagi-sua residência. Devoto de Im- nada. “As reformas começaramaculada Conceição, padroeira em dezembro”, garante Eduardodo bairro, e, que recebe hom- Forti 69, que completa: “Agoraenagem este final de semana, fica mais gostoso vir à noite eele diz encontrar ali, ao lado de aos finais de semana para con-casa, a melhor água que pode- versar um pouco de futebol naria desfrutar: “Para mim é muito praça”, assinala.melhor que as águas minerais que existem por aí. Aqui nós A reforma foi realizadaconhecemos a procedência”, pela associação do bairro emafirma ele, apontando para o conjunto com a Prefeitura Mu-lado, lá longe, para cima, “de nicipal, e será inaugurada nesteonde a água vem”, garante. domingo, a partir das 10 horas, é parte da programação especial Natural de São Pedro, da Semana de Festa em Santaele se recorda da época em Olímpia em louvor à Imaculadaque veio habitar no reduto de ti- Conceição. Entretanto, mesmoroleses. “Nasci lá, mas vim para sem ter sido inaugurada, ainda,cá ainda criança. Meus pais na noite de quarta-feira, 5, oeram daqui”, justifica. Ao todo, movimento era grande: “Todosão três idas e vindas ao dia mundo veio para assistir ao jogopara “trazer água” e abastecer do Corinthians. Ano do cen-a casa onde mora, com mais tenário, né. Mas o povo voltousete irmãos. “De manhãzinha, Religiosidade presente em vários pra casa triste”, observa.à tarde e à noite. Quando falta momentos
  9. 9. Fonte de água e imagem deNsa. Senhora Auxiliadorana praça. Enquanto Olavo voltavapara casa com mais dois galõesde água – ainda fresquinha queacabara de jorrar da fonte –Marília Cecília Stenico Correr,70, caminhava com um panfletoalusivo às comemorações destefinal de semana. “Muitas pessoasvêm de fora para acompanhar afesta”, diz. Na programação, ex-posição de artesanato, apresen-tações de danças folclóricas ecomidas típicas. Ela, que ajudaa organizar a festa santa, afirma:“A gente sempre trabalha. Mastem hora que é bom tirar umasférias”, brinca. Fé e vida: universos inseparáveis

×