673a3328acfe8687a418a502d71822ee

838 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
838
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

673a3328acfe8687a418a502d71822ee

  1. 1. Doença do Trato Gastrointestinal:Gastrite e Úlcera Péptica Disciplina de Biologia Molecular Daniel Damiani 2003
  2. 2. Considerações Iniciais: Fisiologia Gástricas • Órgão sacular com volume de 1200-1500mL. • Inervação Vagal. • 5 regiões anatômicas importantes: Cárdia, Fundo, Corpo, Antro e Piloro.
  3. 3. Histologia da Parede Gástrica Apresentam pregas (rugas)• Mucosa irregulares. Mucosa possui inúmeras glândulas• Submucosa = Criptas Gástricas – secretoras de Mucina.• Muscular• Serosa
  4. 4. Glândulas Gástricas• Glândulas da Cárdia: células secretoras de mucina. Cárdia• Glândulas Gástricas ou Oxínticas: encontradas no Oxínticas fundo e no corpo, contém células parietais, principais e endócrinas.• Glândulas do Antro ou do Piloro: secretoras de Piloro mucina e hormônios.
  5. 5. Tipos Celulares• Células Mucosas: ocupam glândulas da cárdia e do antro Mucosas secretando muco e pepsinogênio II. As células mucosas presentes no fundo e no corpo secretam pepsinogênio I e II.• Células Parietais: ½ superior das glândulas gástricas, no Parietais fundo e no corpo. Contém vesículas com bombas de H+- K+ ATPase.• Células Principais: estão nas bases das glândulas Principais secretam pró-enzimas proteolíticas como pepsinogênio I e II.• Células Endócrinas: presente no fundo, corpo e antro. Endócrinas Atuam de modo endócrino e parácrino: gastrina.
  6. 6. Glândulas Gástricas e suas Células
  7. 7. Fisiologia da Mucosa Gástrica• Secreção Ácida: HCl (3 fases) – Fase Cefálica – Cerebral. – Fase Gástrica – Ação mecânica (distensões). Nervo Vago – Fase Intestinal – CCK, GIP, Secretina.• Proteção da Mucosa: – Secreção do Muco – Secreção de Bicarbonato – Barreira Epitelial – Fluxo Sangüíneo Mucoso
  8. 8. Patologia: Gastrite• Gastrite é a inflamação da mucosa gástrica podendo ser crônica ou aguda.• Morfologia da gastrite aguda: Neutrofílica aguda – Lâmina própria exibe um edema moderado e pouca congestão vascular. Neutrófilos presentes. – Formas mais graves mostram erosões (exsudatos purulentos com infiltrado inflamatório abundante) e hemorragias.
  9. 9. Gastrite: Etiologia• Etiologia: idiopática possivelmente há defeitos nos mecanismos protetores gástricos.• Muito pouco compreendida.• Associada: – AINES – Álcool – Tabagismo – Quimioterápicos – Isquemia e Choque – Trauma Nasogástrico (sondas) – Estresse intenso
  10. 10. Gastrite: Aspectos Clínicos• Associada às doenças do trato gastrointestinal com correlação a úlceras pépticas.• Clínica: muitas vezes assintomática podendo variar para dores epigástricas de intensidades variáveis; hemorragias evidentes (hematêmese maciça) e melena.
  11. 11. Gastrite Crônica• Muito associada a presença do Helicobacter pylori• Há inflamação na mucosa que resultam na atrofia da mesma incluindo metaplasia epitelial, displasia, anaplasia com a formação de carcinomas in situ.• Etiologia: – H. pylori – Imunológica (auto-imune) – Tóxicas (álcool) – Tabagismo e Irradiações – Amiloidoses – Pós-cirurgias: refluxos das secreções duodenais biliares.
  12. 12. Gastrite Crônica por H. pylori
  13. 13. Formas Especiais de Gastrites• Gastrite Eosinofílica: idiopática acometendo mulheres Eosinofílica de meia-idade com freqüentes dores abdominais. Há infiltrados eosinofílicos na mucosa gástrica.• Gastroenteropatias Alérgicas: típica em crianças Alérgicas causando diarréia, vômito e distúrbios do crescimento.• Gastrite Linfocítica: mucosa é colonizada por linfócitos Linfocítica do tipo T CD8+ Há dores abdominais, náuseas, vômitos. Idiopática.• Gastrite Granulomatosa: mucosa é infiltrada por Granulomatosa granulomas epitelióides associado a doença de Crohn, sarcoidoses, infecções, vasculites e reações a materiais estranhos.
  14. 14. Úlceras Pépticas e Gastrites• São lesões crônicas que ocorrem em qualquer local do trato gastrointestinal, inclusive estômago, quando exposto à ação agressiva dos sucos pépticos ácidos.• Epidemiologia: 350000 novos casos/ano. Epidemiologia Recidivantes, predominantes na meia-idade e associado ao Helicobacter pylori.
  15. 15. Mecanismos de Formação das Úlceras Pépticas• Demora no esvaziamento gástrico.• Diminuição no fluxo sangüíneo gástrico.• Diminuição dos mecanismos de defesa da mucosa (reepitelização).• Presença do H. pylori e suas secreções.• Síndrome de Zollinger-Ellison: múltiplas ulcerações pépticas devido a humores tumorais.• AINES e Tabagismo (diminui fluxo sangüíneo).• Hipercalcemia estimulando a gastrina.
  16. 16. Úlcera Péptica
  17. 17. Aspectos Clínicos da Úlcera Péptica• Desconforto epigástrico, queimação ou dor contínua.• Anemia, hemorragia franca ou perfuração.• Dor piora durante à noite.• Náuseas, vômitos e perda de peso.• Dor referencial para o pericárdio.
  18. 18. Úlcera Gástrica Aguda• “Úlcera do Estresse”.• Lesão da mucosa gástrica.• Variam em profundidade: desprendimento do epitélio (erosão); lesão envolvendo toda a mucosa (ulceração).• Comuns em pacientes queimados (Úlceras de Curling), choque, sepse e traumas graves.• Hipertensão intracraniana: aumento vagal, redução do oxigênio = Úlceras de Cushing.
  19. 19. Aspectos Clínicos• Assintomático.• Alterações hemodinâmicas.• Atenção aos problemas primários.
  20. 20. Distúrbios Associados• Dilatação Gástrica: a partir de uma obstrução gástrica ou Gástrica íleo paralítico (atonia funcional) associada a peritonites generalizadas. Aumento do volume gástrico: 10-15 litros!!• Gastropatias Hipertróficas: aumento das pregas da Hipertróficas mucosa gástrica (cerebriformes gigantes). – Doença de Ménétrier – Gastropatias Hipertrófico-Secretora – Hiperplasias das Glândulas Gástricas Secundárias à Secreção Excessiva de Gastrina (gastrinomas).
  21. 21. Tratamento Vaso ESTÔMAGO Sangüíneo Bicarbonato Cloreto Potássio ACh M3 [Ca2+]i Cloreto + GASTRINA CCK2 K+ Ca2+ Cl- H2 + K+ CCK2 - ATPase EP3 AMPc H+ PGE2 Célula Parietal HISTAMINA PGI2 AChM Célula Epitelial Superficial Célula C20 EP3 MUCO Enterocromafin Fatty Acid +ACh Musc. HCO3-(nervo colinérgico) D. Damiani 2003
  22. 22. Tratamento• Antagonistas H2 – Cimetidina, Nizatidina – Ranitidina, Famotidina• Inibidores da Bomba de Prótons (H+) – Omeprazol, Pantoprazol, Lansoprazol• Antiácidos – Hidróxido de Magnésio – Gel de Hidróxido de Alumínio – Bicarbonato de Sódio• Fármacos que protegem a mucosa – Quelato de Bismuto – Sucralfato, Misoprostol• Fármacos para o tratamento da Infecção por Helicobacter pylori – Omeprazol + Amoxicilina (Tetraciclina) + Metronidazol

×