Tereos Internacional
Resultados do Terceiro Trimestre de 2014/15
São Paulo – 12 de fevereiro de 2015
Principais iniciativas e destaques do 3T 2014/15
Operacional
Cana-de-açúcar Brasil:
Aumento de 3% na moagem em base anual ...
Açúcar:
Mesmo com a recuperação de preços no início do trimestre, uma
safra maior de cana no Centro-Sul e a desvalorização...
Receita Líquida
Maiores volumes na maioria dos segmentos
Receita Líquida (R$ MM)
2.015
2.144
1 1210 127
1,014 1,023
250 33...
279 290
+20 +2 +11
(18) (4)
EBITDA Ajustado
Melhora global da lucratividade na maioria dos segmentos, exceto pela queda em...
Vendas de Etanol (‘000 m³)Moagem de Cana-de-açúcar (MM t) Vendas de Açúcar (‘000 t)
Cana-de-açúcar Brasil – Produção e Ven...
540
656
+1
+46
(6)
+77
(2)
3T Preço & Volume Preço & Volume Outros 3T
Cana-de-açúcar Brasil – Financeiro
Aumento nos volum...
Cana-de-açúcar Oceano Índico/África – Produção e Financeiro
Maior moagem e volume vendido
Moagem de Cana-de-açúcar (’000 t...
Divisão de Cereais – Produção e Vendas
Aumento global dos volumes vendidos, impulsionado pelas operações internacionais de...
Amido & Adoçantes – Financeiro
Menores custos de energia e o programa Performance 15 impactaram positivamente os resultado...
210
127
(3)
(65) (13) (10)
Álcool & Etanol Europa – Financeiro
Redução de preços e volumes em razão de menores volumes de ...
Investimentos
Redução contínua nos níveis de investimento, como esperado
Investimentos (R$ MM)Abertura dos Investimentos
A...
Reconciliação do Fluxo de Caixa e Composição da Dívida
Menor dívida líquida em base anual e maior prazo médio
Fluxo de Cai...
Perspectivas
Cana-de-açúcar Brasil:
Progresso em cogeração com a expectativa de atingir aproximadamente 1.000 GWh até o fi...
15
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

20150213 tereos internacional_presentation_q3_por_final

437 visualizações

Publicada em

ri

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
437
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
130
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

20150213 tereos internacional_presentation_q3_por_final

  1. 1. Tereos Internacional Resultados do Terceiro Trimestre de 2014/15 São Paulo – 12 de fevereiro de 2015
  2. 2. Principais iniciativas e destaques do 3T 2014/15 Operacional Cana-de-açúcar Brasil: Aumento de 3% na moagem em base anual para 20,2 milhões de toneladas vs. uma queda de 5% na região Centro-Sul Rendimentos agrícolas substancialmente acima da média da região Centro-Sul pelo 3º ano consecutivo Aumento de mais de 50% nas vendas próprias de energia, atingindo 851 GWh. Principais investimentos em cogeração concluídos Cana-de-açúcar África/Oceano Índico: No acumulado, a moagem no Oceano Índico apresentou leve aumento em base anual. África apresentou recuperação significativa em base anual (+32%) graças a melhores práticas agrícolas Cereais Europa: Melhora da lucratividade em base sequencial e em base anual para Amido & Adoçantes mesmo com a demanda mais fraca na Europa, mas os resultados de Álcool & Etanol foram menores no trimestre Cereais Brasil: A unidade de amido de milho está operando próximo à capacidade nominal. As vendas no 3T 2 Cereais Brasil: A unidade de amido de milho está operando próximo à capacidade nominal. As vendas no 3T aumentaram em comparação ao 2T 14/15 e dobraram em base anual Cereais Ásia: Bom desempenho operacional em Tieling e fase final da construção da unidade Dongguan Financeiro Guarani contratou um financiamento de 5 anos junto a um grupo de bancos Estratégia Cereais Europa: A Cooperativa de amido de batata FCAVA se juntou à Cooperativa da Tereos. Este movimento permitirá que a divisão Cereais Europa dobre sua produção de amido de batata até 2017, processando cerca de 450.000 toneladas de batatas Cereais Brasil: Aquisição de 32% de participação na Syral Halotek de acionistas minoritários para deter, a partir de agora, 100% do negócio
  3. 3. Açúcar: Mesmo com a recuperação de preços no início do trimestre, uma safra maior de cana no Centro-Sul e a desvalorização do Real frente ao Dólar pressionaram os preços No Brasil, não há perspectiva de recuperação significativa para a safra de cana e os preços de etanol mais elevados podem sustentar os preços a frente. No entanto, o excedente global provavelmente continuará pressionando o mercado nos próximos meses / durante o 1S 15/16 Amido: Apesar da safra maior, os preços de trigo se recuperaram devido à 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 360 400 440 480 520 560 dez-13 abr-14 jul-14 set-14 dez-14 LIFFE #5 NY#11 US$/MT US$ Cts/lb Destaques de Mercado do 3T 14/15 210 230 250 €/MT Apesar da safra maior, os preços de trigo se recuperaram devido à tensão entre Rússia e Ucrânia, elevando o diferencial entre milho e trigo. A desvalorização do Euro em relação ao dólar também influenciou na alta dos preços de trigo na UE A demanda por amido e adoçantes permanece mais fraca na Europa Etanol: No Brasil, mesmo com níveis confortáveis de estoque, os preços de etanol sofreram um leve aumento antes do início da entressafra, em grande parte devido aos recentes anúncios de reintrodução da CIDE e o aumento da mistura de etanol anidro na gasolina Na Europa, os preços FOB Rotterdam permaneceram baixos devido ao aumento da produção, à safra muito boa de beterraba e demanda estável3 Fonte: Bloomberg 110 130 150 170 190 Dec-13 Mar-14 Jun-14 Sep-14 Dec-14 Milho MATIF Trigo MATIF 400 450 500 550 600 0.70 0.90 1.10 1.30 1.50 1.70 1.90 Dec-13 Mar-14 Jun-14 Sep-14 Dec-14 Brasil Esalq Europa Rotterdam R$/m³ €/m³
  4. 4. Receita Líquida Maiores volumes na maioria dos segmentos Receita Líquida (R$ MM) 2.015 2.144 1 1210 127 1,014 1,023 250 337 540 656 Brasil África/Oceano Índico Amido & Adoçantes Álcool & Etanol Europa Holding 2015 2144 +36 +265 (128) (44) 4 Aumento de 9% na receita líquida em mesma base (ajustada pelo término da atividade de trading de etanol para o do Grupo Tereos) Maiores volumes de açúcar em todas as divisões de cana-de-açúcar, aumento nas vendas de etanol e energia no Brasil assim como nos volumes de amido e adoçantes (principalmente devido às operações internacionais de cereais) Término das vendas de etanol para o Grupo Tereos (-R$ 50 milhões), menores preços em base anual para Amido & Adoçantes e etanol na Europa, assim como menores vendas próprias de etanol na Europa 1 1210 127 3T 2013/14 3T 2014/15 3T 2013/14 Moeda Volume Preço & Mix Outros 3T 2014/15
  5. 5. 279 290 +20 +2 +11 (18) (4) EBITDA Ajustado Melhora global da lucratividade na maioria dos segmentos, exceto pela queda em A&E Europa EBITDA Ajustado (R$ MM) 279 290 0 54 66 60 61 142 162 Brasil África/Oceano Índico Amido & Adoçantes Álcool & Etanol Europa Holding 3T 2013/14 Brasil África/OI A&A A&E Europa Holding 3T 2014/15 5 Maior contribuição da Guarani devido aos maiores volumes vendidos de todos os produtos Juntamente com maiores lucros no segmento de Amido & Adoçantes, principalmente devido à melhoria na base de custo Mas menores preços e volumes de etanol, além de menores volumes de trigo, a preços convencionais, impactaram os resultados de A&E Europa Margem 13,5%Margem 13,9% 0 -4 23 5 66 3T 2013/14 3T 2014/15
  6. 6. Vendas de Etanol (‘000 m³)Moagem de Cana-de-açúcar (MM t) Vendas de Açúcar (‘000 t) Cana-de-açúcar Brasil – Produção e Vendas Moagem recorde no Brasil de 20,2 milhões de toneladas Vendas de Energia (‘000 MWh) Moagem 4,9 4,2 3T 13/14 3T 14/15 -14,3% YoY 335 383 3T 13/14 3T 14/15 +14,3% YoY 132 195 3T 13/14 3T 14/15 +47,4% YoY 209 286 3T 13/14 3T 14/15 +36,5% YoY 6 Moagem Moagem aumentou 3% para o acumulado da safra para 20,2 milhões de toneladas vs. -5% para a região Centro-Sul Seca impactou a produtividade agro-industrial com rendimentos 13% menores para 82 vs. 94 t/ha, mas o ATR aumentou 6%, para 142 kg/t vs. 134 kg/t no ano passado. O total de ATR/ha em 2014/15 para 11,3 t/ha foi 10% menor em base anual Contudo, investimentos realizados em melhorias das práticas agrícolas introduzidas nos últimos anos, levaram a ganhos de rendimento em comparação com a região Centro-Sul pelo 3º ano consecutivo Melhoria na produção Produção global (em ATR) aumentou 5% para 2,6 milhões de toneladas. Produção de açúcar : 1,45 milhões de toneladas, -4% em base anual; Produção de etanol : 645k m³, +21% em base anual Mix continua mais voltado para açúcar em 58%, contudo abaixo dos 63% da última safra devido à maior atratividade relativa do etanol em base anual Progresso em cogeração Vendas de energia própria dobraram no 3T em base anual e aumentaram mais de 50% para 851 GWh no acumulado do ano
  7. 7. 540 656 +1 +46 (6) +77 (2) 3T Preço & Volume Preço & Volume Outros 3T Cana-de-açúcar Brasil – Financeiro Aumento nos volumes e maior contribuição do segmento de energia Receita Líquida (R$ MM) Açúcar Etanol Números Chave Em R$ milhões 3T 14/15 3T 13/14 Variação Receita Líquida 656 540 +21% Lucro Bruto 161 92 +75% Margem Bruta 24,5% 17,0% EBIT 64 24 +171% Margem EBIT 9,8% 4,4% EBITDA Ajustado 162 142 +14% Margem EBITDA *3T 2013/14 Preço & Mix Volume Preço & Mix Volume Outros 3T 2014/15 7 (1) Tereos Internacional aloca despesas com tratos como custo. Se os tratos culturais fossem alocados como investimento, o EBITDA Ajustado para o 3T 14/15 seria de R$239 milhões. Açúcar: 52% da receita líquida total Volumes aumentaram 14% para 383 mil toneladas Preço médio 1% maior em base anual para 894 R$/t Etanol: 36% da receita líquida total Volume vendido 47% maior para 195 mil m3 Preço médio 3% menor em base anual para 1.200 R$/m3 Cogeração: R$65 milhões vs. R$30 milhões, com aumento superior a 50% nos preços praticados e mais do que o dobro de energia própria vendida EBITDA Ajustado: R$162 milhões, +14% O impacto positivo de maiores volumes vendidos para todos os produtos, juntamente com itens não-recorrentes, mais do que compensou o pior desempenho industrial no trimestre, parcialmente devido à seca Margem EBITDA Ajustado1 para o 3T 2014/15 incluindo tratos culturais como depreciação: 36,5% Margem EBITDA Ajustado 24,7% 26,2% * inclui Cogeração, Produtos Agrícolas, Hedging e Revenda de Etanol *
  8. 8. Cana-de-açúcar Oceano Índico/África – Produção e Financeiro Maior moagem e volume vendido Moagem de Cana-de-açúcar (’000 t) Vendas de Açúcar (‘000 t) Números Chave Em R$ milhões 3T 14/15 3T 13/14 Variação Receita Líquida 337 250 +35% Lucro Bruto 48 58 -17% Margem Bruta 14,3% 23,2% EBIT 11 22 -48% Margem EBIT 3,4% 8,8% EBITDA Ajustado 61 60 +3% Margem EBITDA Ajustado 18,2% 24,0% 982 1.102 3T 13/14 3T 14/15 +12,2% YoY 66 133 3T 13/14 3T 14/15 +102,6% YoY 8 Moagem de cana-de-açúcar Oceano Índico: aumento de 3% na moagem para 1,76 milhão de toneladas África: forte crescimento na safra em base anual (+28%), para 600 mil toneladas, evidenciando o progresso feito em práticas agrícolas Receita líquida: +35% em base anual Forte crescimento nos volumes vendidos na região, principalmente devido a 2 embarques postergados no Oceano Índico, mas menores preços de exportação para a Europa EBITDA Ajustado: +3% em base anual Os resultados de Moçambique compensaram o menor EBITDA Ajustado do Oceano Índico resultante de menores margens de vendas/exportação de açúcar Açúcar Oceano Índico 50% Açúcar África 13% Trading e outros 37% Abertura da Receita por Produto
  9. 9. Divisão de Cereais – Produção e Vendas Aumento global dos volumes vendidos, impulsionado pelas operações internacionais de cereais Processamento de Cereais (‘000 t) Vendas de Amido & Adoçantes (‘000 t) Vendas de Álcool & Etanol (‘000 m3) Vendas de Co- produtos (‘000 t) 828 882 3T 13/14 3T 14/15 +6,6% YoY 418 464 3T 13/14 3T 14/15 +11% YoY 288 293 3T 13/14 3T 14/15 +1,7% YoY 79 72 25 3T 13/14 3T 14/15 -31% YoY Vendas Próprias Trading 9 Processamento no 3T 14/15: +7% to 881 mil toneladas Vendas de Amido & Adoçantes: +11% Aumento da produção da unidade Palmital no Brasil (próximo da capacidade nominal no 3T) e efeito positivo de perímetro relativo às operações na Indonesia. Volumes na Europa estáveis em base anual Vendas de Álcool & Etanol: -31% Impacto do término das atividades de trading de etanol para o Grupo Tereos no ano passado e menores vendas próprias de etanol na Europa. As vendas de álcool permanecem firmes e os volumes aumentaram em base anual 3T 13/14 3T 14/15 3T 13/14 3T 14/15 13/14 14/15 Vendas Próprias Trading
  10. 10. Amido & Adoçantes – Financeiro Menores custos de energia e o programa Performance 15 impactaram positivamente os resultados Receita Líquida (R$ MM) Números Chave Em R$ milhões 3T 14/15 3T 13/14 Variação Receita Líquida 1,023 1,014 +1% Lucro Bruto 163 160 +2% Margem Bruta 16,0% 15,8% EBIT 12 3 +322% Margem EBIT 1,2% 0,3% EBITDA Ajustado 66 54 +21% 1014 1023 +24 +50 (59) (6) 10 Receita Líquida: R$1.023 milhões, estável em base anual Impacto positivo de maiores volumes de Cereais Brasil e consolidação de Cereais Indonésia Redução de preços na divisão de Amido & Adoçantes seguindo a tendência de queda dos preços de cereais e a influência dos preços de açúcar na Europa que impactaram os preços da isoglucose (renegociação ocorreu em outubro) EBITDA Ajustado: R$66 milhões, aumento de 21% em base anual Menores custos de energia e os benefícios do programa de eficiência P15 ajudaram a melhorar a lucratividade Impacto negativo de menores preços de isoglucose em base anual, mas melhora de margens refletindo menores preços de matérias-primas EBITDA Ajustado 66 54 +21% Margem EBITDA Ajustado 6,4% 5,4% 3T 2013/14 Moeda Volume Preço & Mix Outros 3T 2014/15
  11. 11. 210 127 (3) (65) (13) (10) Álcool & Etanol Europa – Financeiro Redução de preços e volumes em razão de menores volumes de trigo e preço convencional Receita Líquida (R$ MM) Números Chave Em R$ milhões 3T 14/15 3T 13/14 Variação Receita Líquida 127 210 -40% Lucro Bruto (1) 22 -103% Margem Bruta (0,5%) 10,3% EBIT (10) 10 -204% Margem EBIT (8,2%) 4,8% EBITDA Ajustado 5 23 -79% 3T 2013/14 Moeda Volume Preço & Mix Outros 3T 2014/15 Receita Líquida: R$127 milhões, redução de 40% Término da atividade de trading para o Grupo Tereos (-R$50 milhões) e menores volumes próprios de etanol na Europa Menores preços de etanol (-17% em base anual) reflexo de menores preços de petróleo EBITDA Ajustado: R$5 milhões, redução de 79% Menor proporção de matéria-prima adquirida a preços convencionais Impacto de menores preços de etanol e preços mais altos de matérias-primas 11 Margem EBITDA Ajustado 3,8% 10,9%
  12. 12. Investimentos Redução contínua nos níveis de investimento, como esperado Investimentos (R$ MM)Abertura dos Investimentos Amido & Adoçantes 14% Álcool & Etanol Europa 0% África/Oceano Índico 13% Brasil 73% 170 135 (21) +3 (15) (2) 12 Brasil: R$98 milhões Redução de 17% com a conclusão do programa de expansão Amido & Adoçantes: R$19 milhões Relativo principalmente a manutenção e iniciativas ligadas ao programa P15 3T 2013/14 Brasil África/OI A&A A&E Europa 3T 2014/15
  13. 13. Reconciliação do Fluxo de Caixa e Composição da Dívida Menor dívida líquida em base anual e maior prazo médio Fluxo de Caixa Em R$ milhões 9M 14/15 EBITDA Ajustado 735 Capital de Giro (729) Juros (158) Outros (76) Fluxo de Caixa Operacional (228) Investimentos recorrentes (284) Fluxo de Caixa Recorrente (512) Investimentos em Expansão (141) Dívida Em R$ milhões 31 de dezembro, 2014 31 março, 2014 ∆ Circulante 2.327 1.523 +53% Não-circulante 3.164 2.734 +16% Custos amortizados (21) (23) -10% Total da Dívida Bruta 5.470 4.234 +29% Em € 1.611 1.413 +14% Em USD 2.632 1.890 +39% Em R$ 1.241 935 +33% 13 Capital de giro sasonal para a divisão de cana-de-açúcar (maiores estoques) e influência negativa do câmbio impactaram o fluxo de caixa Dívida Líquida: R$178 milhões menor em relação a 31 de dezembro de 2013. Dívida Líquida/EBITDAAjustado: 5.0x vs. 4.9x em 31 de dezembro de 2013 Guarani contratou um financiamento de 5 anos de US$330 milhões com taxa Libor + 2,30%. Isto, juntamente com outros refinanciamentos captados desde setembro, permitiu que a TI estendesse substancialmente o prazo médio de sua dívida Investimentos em Expansão (141) Dividendos Pagos e Recebidos 11 Outros 165 Fluxo de Caixa Livre (477) Outros (inc. impacto cambial) (297) Variação da Dívida Líquida (774) Em R$ 1.241 935 +33% Outras moedas 7 19 -61% Caixa e Equivalente de Caixa (1.180) (682) +73% Dívida Líquida Total 4.290 3.551 +21% Partes Relacionadas 51 15 +237% Dívida Líquida Total + Partes Relacionadas 4.341 3.566 +22%
  14. 14. Perspectivas Cana-de-açúcar Brasil: Progresso em cogeração com a expectativa de atingir aproximadamente 1.000 GWh até o final da safra (em base de consolidação integral) Aumento da mistura de etanol (de 25% para 27%) e a reintrodução da CIDE na gasolina (R$0.22/l) beneficiará os resultados do setor em 2015/16 Cana-de-açúcar África/Oceano Índico: Rendimento na África deve ser melhor em base anual, resultado do melhor desempenho agrícola e do clima chuvoso no início da entresafra Atual redução de preços do açúcar na Europa deve impactar as exportações Cereais: Europa: 14 Europa: A demanda mais fraca por amido e menores preços de isoglucose (seguindo os menores preços de açúcar na Europa) devem limitar o potencial para recuperação das margens no curto prazo Eliminação progressiva do mecanismo de preços convencionais de trigo e redução esperada dos preços de etanol tendem a continuar impactando a lucratividade do segmento de Álcool & Etanol no curto prazo Foco permanece na otimização da base de custos com o P15 Internacional: Brasil: Redução do ICMS para o milho e derivados de 18% para 7% no estado de São Paulo Ásia: A unidade Dongguan iniciará as operações no 1T 15/16. O plano de diversificação de produtos de Tieling aumentará a produção a partir do 2T 15/16 e o plano de melhora do desempenho na Indonésia permanece em andamento
  15. 15. 15

×