20120112 2 t13_conf_call_presentation_port_final

115 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
115
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

20120112 2 t13_conf_call_presentation_port_final

  1. 1. Tereos Internacional Resultados do Segundo Trimestre 2012/13 São Paulo – 12 de novembro de 2012
  2. 2. Destaques Trimestrais Resultados Financeiros do 2T 2012/13 Resultados por Segmento Operacional Fluxo de Caixa e Posição de Dívida Perspectivas
  3. 3. Açúcar:  Recuperação do ritmo da safra no Brasil após atrasos no 1T devido às chuvas  Excedente esperado na safra mundial 2012/13 pressionando os preços mundiais Amido:  Apesar da seca nos EUA, o preço do milho apresentou melhor desempenho em relação ao preço do trigo devido aos melhores rendimentos do que previstos anteriormente; Safra recorde no Brasil e bom desempenho na China  Preço do trigo impactado por condições climáticas desfavoráveis nos hemisférios Norte e Sul Etanol:  Preço da gasolina na bomba continua a limitar o preço do etanol no Brasil  Forte seca nos EUA impactou a produção de etanol, suportando os preços nos EUA e na Europa e abrindo novas oportunidades para exportações do Brasil 2T 2012/13 – Fundamentos de Mercado Fonte: Bloomberg 3 300 400 500 600 700 800 jul-11 out-11 jan-12 abr-12 jul-12 NY#11 LIFFE #5 US$/MT 170 190 210 230 250 270 jul-11 out-11 jan-12 abr-12 jul-12 Milho Matif Trigo Matif €/MT 400 500 600 700 800 700 1000 1300 1600 1900 jul-11 nov-11 mar-12 jul-12 Brasil ESALQ Europa Rotterdam R$/m³ €/m³
  4. 4. +120 +120 +36 +9 2T 2011/12 Moeda Volume Preço & Mix Outros 2T 2012/13 +40 +18 +132 +95 2T 2011/12 Brasil Oceano Índico Amido Europa Etanol Europa 2T 2012/13 2T 2012/13 - Receita Líquida Maiores Volumes em Todas Linhas de Produtos Sustentados por Maiores Preços nas Atividades Europeias 4 Receita Líquida (Em R$ milhões) 1.648 1.933  Melhoria na estimativa de moagem no Brasil (+12% para 18,2 – 18,4 milhões de toneladas nesta safra) e Moçambique  Aumento de volume vendido no trimestre na maioria das linhas de negócios  Impacto do aumento de perímetro no segmento de cereais (Selby, Haussimont, Halotek) parcialmente compensando a interrupção da produção na unidade BENP Lillebonne devido ao início da produção de glúten  Evolução do mix de preços: ligeira pressão nos preços do segmento de açúcar e etanol no Brasil, porém forte aumento de preços no segmento de etanol Europa 1.648 1.933
  5. 5. 2T 2012/13 - EBITDA Ajustado Sólido Trimestre para Cana-de-açúcar; Custos de Matéria-prima Impactando os Cereais 5 Margem 16,2% EBITDA Ajustado (Em R$ milhões) Margem 16,0% 264 313  Forte recuperação nas operações brasileiras de cana-de-açúcar no 2T sustentando aumento nas vendas e redução dos custos de matéria-prima devido aos maiores rendimentos  Manutenção de bons níveis de rentabilidade no Oceano Índico  Beneficiado pelo aumento das vendas nas operações europeias, não compensando os altos custos de matérias-primas e custos relacionados ao início de operação +46 +11 (3) (4) (1) 2T 2011/12 Brasil Oceano Índico Amido Europa Etanol Europa Holding 2T 2012/13 264 313
  6. 6. 6 Outros Principais Desenvolvimentos  Injeção de capital da Petrobras Biocombustível na Guarani em outubro de 2012  R$212,5 milhões de recursos a serem aplicados na expansão da capacidade da Guarani. Participação da PBio na Guarani aumenta de 31,4% para 35,8%  Nomeação de um Novo Comitê Executivo
  7. 7. 104 90 86 50 182 2 43 57 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13 2T 12/13 7 Cana-de-Açúcar Brasil – Produção e Vendas Recuperação na Moagem Devido a Melhores Condições Climáticas Processamento de Cana-de-Açúcar (MM t) Vendas de Açúcar (‘000 t) Vendas de Etanol (‘000 m³)  Moagem  Melhores condições climáticas favoreceram a recuperação na moagem de cana-de- açúcar  8,1 milhões de toneladas moídas no 2T 12/13 (+3,5% em base anual)  Melhoria dos rendimentos agrícolas de 70 t/ha para 80 t/ha nesta safra  Produção Acumulada  Açúcar: 1.036.000 toneladas 63% do mix (estável em base anual)  Etanol: 365.000 m³ 37% do mix  Cogeração  Aumento da capacidade em vias de entregar um crescimento de 50% na produção própria desta safra +7,2% YoY 0,0% YoY+3,5% YoY 7,8 2,6 4,7 8,1 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13 2T 12/13 374 375 249 251 401 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13 2T 12/13 99 91 151 115 99 40 40 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13 2T 12/13 Trading Vendas Próprias Vendas de Energia (‘000 MWh) +75,0% YoY Trading Vendas Próprias
  8. 8. 502 542 (20) +28 (9) 0 +40 2T 2011/12 Preço & Mix Volume Preço & Mix Volume Outros * 2T 2012/13 Cana-de-Açúcar Brasil - 2T Financeiro EBITDA Ajustado Recorde Principalmente Devido a Menores Custos Agrícolas Números Chave Em R$ milhões 2T 2012/13 2T 2011/12 Variação Receita 542 502 +8% Lucro Bruto 120 41 +196% Margem Bruta 22,2% 8,1% EBITDA 176 115 +52% Margem EBITDA 32,4% 23,0% EBITDA Ajustado 155 109 +42% Margem EBITDA Ajustado 28,7% 21,8%  Açúcar: 73,7% da receita líquida total • Volumes aumentaram +7,2% para 400.500 toneladas • Preços diminuiram 2,6% ano a ano para R$997,9/t (ex- hedging)  Etanol: 19,5% da receita líquida total • Volume vendido permaneceu estável em 98.500 m3, à medida que a produção de açúcar foi favorecida • Preços diminuiram 7,5% em base anual para R$1.074,9/m3  Cogeração: Receita de energia própria somou R$20,9 milhões (+44,7%) 8 (1) A Tereos Internacional aloca tratos culturais como custo. Se os tratos culturais fossem alocados como investimento, o EBITDA Ajustado seria de R$173,9 milhões. Receita Líquida (Em R$ milhões)  EBITDA Ajustado: R$155 milhões • Recuperação do EBITDA no 2T, progressivamente compensando a menor diluição de custos no 1T (maior expectativa de rendimentos) • Margem EBITDA Ajustado1 incluindo tratos culturais como depreciação: 32,1% * Inclui Cogeração, Produtos Agricolas e Hedging Açúcar Etanol
  9. 9. Açúcar Ilha da Reunião 38% Açúcar Moçambique 21% Trading e outros 41% -2.8% YoY Cana-de-Açúcar Oceano Índico – Produção e 2T Financeiro Manuteñção de Bons Níveis de Rentabilidade no 2T 9 Processamento de Cana-de-Açúcar (’000 t) Vendas de Açúcar (‘000 t)  Moagem de Cana-de-Açúcar: • Estável ano a ano com ligeiro atraso na Ilha da Reunião • Safra maior esperada em Moçambique (760.000 t, +8,6%)  Revenues +9% Y-o-Y • Condições comerciais favoráveis e aumento nos volumes em Moçambique garantindo bons níveis de rentabilidade  EBITDA Ajustado • Aumento de 18% no EBITDA Ajustado refletindo principalmente o aumento de câmbio, apesar do aumento nos custos de energia e maiores salários +2.7% YoY Receita por Produto Números Chave Em R$ milhões 2T 2012/13 2T 2011/12 Variação Receita 215 197 +9% Lucro Bruto 39 46 -17% Margem Bruta 18,1% 23,6% EBITDA 61 58 +5% Margem EBITDA 28,5% 29,7% EBITDA Ajustado 69 59 +18% Margem EBITDA Ajustado 32,4% 30,0% 74 89 77 67 76 2T11/12 3T11/12 4T11/12 1T12/13 2T12/13 1.304 1.173 43 116 1.267 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13 2T 12/13
  10. 10. Segmento de Cereais - Produção e Vendas Aumento na Moagem e Volumes Vendidos  Recorde de moagem no 2T: +3,2% em base anual para 968.000 toneladas • Amido e Adoçantes: +3,3% 744.000 toneladas de cereais moídos +60.000 toneladas de tubérculos (Haussimont e Syral Halotek) • Álcool e Etanol: +2,7% 224.000 toneladas de cereais moídos , dos quais 16.000 toneladas referem-se ao efeito de perímetro (Selby) apesar da paralização da unidade BENP Lillebonne para início da produção de glúten 10 Processamento de Cereais (‘000 t) Vendas de Amido e Adoçantes (‘000 t) Vendas de Etanol e Álcool (‘000 m3) Vendas de Co- produtos (‘000 t) +3,2% YoY +4,7% YoY +7,8% YoY+16,9% YoY 720 678 710 723 744 218 220 214 209 224 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13 2T 12/13938 898 924 932 968 424 392 433 450 4442T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13 2T 12/13 221 204 210 217 237 59 66 62 60 66 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13 2T 12/13 281 270 272 277 303 110 109 134 110 109 26 62 61 70 51 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13 2T 12/13 136 171 194 180 159 Amido e Adoçantes Etanol e Álcool Amido e Adoçantes Etanol e ÁlcoolTrading Vendas Próprias
  11. 11. 715 847 +72 +39 +12 +10 2T 2011/12 Moeda Volume Preço & Mix Outros 2T 2012/13 Amido e Adoçantes – 2T Financeiro Maior Volume e Preços Melhorando a Receita Números Chave Em R$ milhões 2T 2012/13 2T 2011/12 Variação Receita 847 715 +19% Lucro Bruto 144 113 +27% Margem Bruta 17,0% 15,8% EBITDA 60 72 -17% Margem EBITDA 7,1% 10,1% EBITDA Ajustado 58 61 -5% Margem EBITDA Ajustado 6,8% 8,5% 11 +18,5%  Receita Líquida: R$847 milhões, alta de 18,5% • Maiores volumes (+5,5%) apenas em parte devido ao efeito de aumento do perímetro (Halotek e Haussimont) • Ligeiro aumento no preço médio  EBITDA Ajustado: R$58 milhões, queda de R$3 milhões • Impacto positivo do aumento de volume compensado pelos custos de início de operações (Halotek) e aumento dos custos de matéria-prima Receita Líquida (Em R$ milhões)
  12. 12. 234 329 +24 +37 +41 (7) 2T 2011/12 Moeda Volume Preço & Mix Outros 2T 2012/13 Álcool & Etanol Europa - 2T Financeiro Receitas Beneficiadas por Maiores Preços e Volumes Apesar do Atraso na Produção de Glúten  Receita Líquida: R$329 milhões, alta de 40% • Aumento no volume (+15,6%) principalmente devido ao início de produção na unidade Selby e a maiores vendas de trading • Significante aumento nos preços (+17,5%) devido ao impacto da seca nos EUA nos preços internacionais  EBITDA Ajustado: R$33 milhões, queda de 10% • Maior proporção de trigo comprado a preço de mercado (30%) • Impacto da paralização da produção na unidade BENP Lillebonne relacionada ao início das operações de glúten • Margem EBITDA Ajustado excluindo trading de etanol para o grupo Tereos seria de 13,8% 12 +40,4% Números Chave Em R$ milhões 2T 2012/13 2T 2011/12 Variação Receita 329 234 +40% Lucro Bruto 45 70 -36% Margem Bruta 13,7% 30,1% EBITDA 33 37 -11% Margem EBITDA 10,0% 15,8% EBITDA Ajustado 33 37 -10% Margem EBITDA Ajustado 10,0% 15,7% Receita Líquida (Em R$ milhões) Receita por Produto Amido e Adoçantes 62% Álcool e Etanol 27% Co-produtos e outros 11%
  13. 13. 13 Reconciliação do Fluxo de Caixa do 2T Investimento Expressivo e Aumento Sazonal do Fluxo de Caixa (1) Dívida líquida em 30 de setembro de 2012 atualizada para incluir o aumento de capital de R$212 milhões da PBio na Guarani Fluxo de Caixa Em R$ milhões Pro Forma 2T 2012/13(1) EBITDA Ajustado 313 Capital de giro (408) Outros operacionais (incluindo imposto pago) (52) Fluxo de Caixa Operacional (146) Juros (33) Dividendos pagos e recebidos (3) Investimentos (229) Aumento de capital 212 Outros - Fluxo de Caixa Livre (199) Impacto cambial (37) Aquisição e impacto de perímetro - Variação da Dívida Líquida (236)  Investimento Brasil: R$98 milhões Principalmente alocado para o programa de renovação dos canaviais e compra de equipamentos para cogeração Oceano Índico: R$26 milhões Principalmente alocado para manutenção e nova estação de tratamento de água residual na Ilha da Reunião Cereais: R$131 milhões Principalmente alocado para (i) projeto de amido no Brasil (ii) expansão de capacidade na Europa e (iii) projeto de glicose e glúten na unidade BENP Lillebonne  Fluxo de Caixa Necessidade sazonal de caixa principalmente relacionado ao pico da safra para o segmento brasileiro de cana-de-açúcar no Brasil no 2T (aumento de estoque)
  14. 14. Dívida Aumento Principalmente Devido ao Efeito de Câmbio, Capital de Giro e Investimento  Dívida Líquida/ EBITDA Ajustado: 3,8x vs 3,2x em março de 2012 14 Dívida Em R$ milhões Pro Forma 30/09/20121 31/03/2012 Variação Circulante 1.992 1.291 701 Não-circulante 2.394 2.384 10 Custos amortizados (22) (25) 3 Total da Dívida Bruta 4.364 3.650 714 Em € 1.677 1.402 275 Em USD 1.856 1.652 204 Em R$ 785 557 228 Outras moedas 68 64 4 Caixa e Equivalente de Caixa (817) (624) (193) Dívida Líquida Total 3.547 3.026 521 Partes Relacionadas 23 17 6 Dívida Líquida Total + Partes Relacionadas 3.570 3.043 527 (1) Dívida líquida em 30 de setembro de 2012 atualizada para incluir o aumento de capital de R$212 milhões da PBio na Guarani.
  15. 15.  Cana-de-Açúcar  Brasil: recuperação na moagem e aumento da cogeração • Moagem dessa safra deverá atingir 18,2 – 18,4 milhões de toneladas (+12%) • Investimentos nas unidades Mandu/São José melhorarão a cogeração na próxima safra • Mistura de etanol anidro na gasolina deve retornar a 25% no próximo ano  Oceano Índico: preço do açúcar permanece favorável • Moçambique: aumento constante na produção • Ilha da Reunião: condições comerciais permanecem favoráveis  Cereais  Europa: diversificação para lidar compensar os preços elevados dos cereais • Produção de glúten e projeto de glicose na unidade BENP Lillebonne • Próxima rodada de negociação em dezembro repassará o aumento de preços de cereais  Mercados emergentes: projetos greenfields em andamento • Brasil: produção da planta à base de milho da unidade Syral-Halotek com início previsto para 1T 2013/14 • China: local para a unidade Dongguan selecionado e obra iniciada 15 Perspectivas
  16. 16. 16 Relações com Investidores Tel: +55 (11) 3544-4900 ri@tereosinternacional.com.br

×