Tereos Internacional
Reunião Pública com Investidores e Analistas
São Paulo – 14 de dezembro de 2011
Este documento foi elaborado pela Tereos Internacional com o único propósito desta apresentação. As informações contidas n...
Jacyr Costa Filho
Diretor de Relações com Investidores da Tereos InternacionalMarcus Thieme
3
Apresentadores
Gerente de Re...
4
Agenda
Líder Global em Açúcar, Bioenergia e Amido, com
Forte Potencial de Crescimento
Cana-de-Açúcar: Consolidador, Parc...
5
Líder Global em Açúcar, Bioenergia e Amido, com
Forte Potencial de Crescimento
Cana-de-Açúcar: Consolidador, Parceria co...
Líder Global em Açúcar, Bioenergia e Amido com Forte
Potencial de Crescimento
6
3º maior produtor de amido e
derivados da ...
Outros(1)
Guarani
Petrobras
Petrobras
Biocombustível
10,7%88,0%1,3%
68,6%
Tereos EU
100,0%31,4%
Tereos
Participations
Tere...
Liderança em Seus Segmentos de Atuação1
8
0,4
0,7
1,0
1,8
2,4
3,0
Cargill Roquette Tate &
Lyle
Avebe Emsland
Produção de A...
9
Principais Fatos Desde a Criação da Tereos Internacional1
Março/2010
Criação da Tereos
Internacional
Abril/2010
Parceria...
Fonte: LMC International 2010; Tereos Internacional, Balanço
Energético Nacional – MME; Departamento de Planejamento
Energ...
11
Líder Global em Açúcar, Bioenergia e Amido, com
Forte Potencial de Crescimento
Cana-de-Açúcar: Consolidador, Parceria c...
Projeção de Vendas de Energia por
Cogeração no Brasil (2002-2015)
GWh
36% 30%
64%
70%
27,9
40,9
2005/2006 2010/2011
2
12
F...
2
13
Demanda Oferta
 Demanda inelástica e crescente por açúcar
 Comércio internacional de açúcar crescendo ainda
mais rá...
14
Base Eficiente de Ativos, Posicionando a Guarani para a
Contínua Consolidação do Setor
2
Modelo de Negócio Eficiente
Lo...
 Juntando forças para acelerar o crescimento na indústria brasileira de cana-de-açúcar
 Investimento total da Petrobras ...
Fonte: UNICA e Companhia
Safra 2011/12: Pior Quebra de Safra dos Últimos 12
Anos...
16
2
Revisão vs. Previsão Guarani Cent...
Datagro FCStone Rabobank Kingsman FNP SCA Copersucar Consenso
Máxima 515 550 535
Média 488 500 500 510 523 530 540 513
Mín...
22 36 41 122 111 96 118
259
1.200
1
03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 14/15
3,8 4,4 5,4 8,2
12,2 13,9 14,3
1...
Cereais: Expandindo no Brasil e na Ásia, com
base em Clientes Globais e P&D
Destaques Financeiros, Atuação de RI e Estraté...
20
Uma Indústria com Fortes Barreiras de Entrada3
Matéria-prima Leite de Amido
Hidrolisados
Glicoses
Proteínas
 Centro de...
Servindo Mercados Resilientes3
 Entregando a 1.500 clientes em 2.500 plantas
Resto do
Mundo
7%
Reino Unido
16%
França
18%...
Cereais: Queda nos Preços Impulsionada por Estimativas de
Produção Mais Elevadas
22
Fonte: HGCA/ Matif
3
Preço dos Cereais...
116 123
200
Milho EUA Trigo UE Milho UE
23
Vantagem Competitiva de Custo3
Notas: (1) Líquido de co-produtos, média de 2007...
21.421.0
4.5
6.1 6.9
3
24
Leste Europeu
Em kg / Indivíduo / Ano(1)
(2008)
América do Sul Ásia Europa
América do
Norte
Nota...
25
… e da Diversificação de Portfólio na Europa
Projetos Anunciados
3
Construção da Unidade de Álcool
Potável Selby (Reino...
26
Líder Global em Açúcar, Bioenergia e Amido, com
Forte Potencial de Crescimento
Cana-de-açúcar: Consolidador, Parceria c...
1.325 1.558
2.496
1.086 1.346
4.204 3.453
3.190
1.490
1.905
2008/09 2009/10 2010/11 1S 10/11 1S 11/12
Cana-de-açúcar Cerea...
 Aquisição
da Mandu
2010
 Criação da
Tereos
Internacional
28
De um Player Doméstico a um Líder Global em Apenas 9 Anos
2...
29
Apêndice: Cana-de-açúcar – Unidades no Brasil
Principais dados 2010/11
 7 unidades industriais no estado de São Paulo
 1...
 La Réunion (100% T.I.)
• Acesso privilegiado ao mercado
regulado europeu
• Posição dominante (100% da produção
local)
• ...
Principais dados 2010/11
 8 unidades na França, Bélgica, Itália, Espanha e Reino Unido
 Moagem de cereais: 3,6 milhões d...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

20111214 reuniao apimec_2011_final

187 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
187
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

20111214 reuniao apimec_2011_final

  1. 1. Tereos Internacional Reunião Pública com Investidores e Analistas São Paulo – 14 de dezembro de 2011
  2. 2. Este documento foi elaborado pela Tereos Internacional com o único propósito desta apresentação. As informações contidas neste documento não foram verificadas independentemente. Nenhuma declaração ou garantia, expressa ou implícita, é feita a respeito. Nenhuma declaração ou garantia, expressa ou tácita, é feita no tocante à exatidão, veracidade ou integridade dessas informações ou opiniões contidas neste documento e a Tereos Internacional e suas subsidiárias (em conjunto "Tereos Internacional"), bem como seus diretores, conselheiros, funcionários e representantes não têm qualquer responsabilidade quantos a esses aspectos. Esta apresentação contém informações sobre mercados de atuação da Tereos Internacional, incluindo sua posição competitiva. Salvo disposição em contrário, as informações desta apresentação são baseadas em estimativas elaboradas pelo grupo e são meramente indicativas. Essas estimativas são baseadas em informações obtidas de clientes, fornecedores, organizações empresariais e outros participantes do mercado. A Tereos Internacional considera que estas estimativas são razoáveis, na data desta apresentação, no entanto, a integralidade e exatidão dos dados que baseiam tais estimativas não é garantida e o grupo não pode assegurar que aplicou as mesmas definições de mercado que seus concorrentes. Este documento contém certas estimativas e projeções acerca do futuro. Estas declarações referem-se particularmente às estratégias de negócios da administração da Tereos Internacional, expansão e crescimento de suas operações, previsões, eventos futuros, tendências ou metas que estão naturalmente sujeitas a riscos e contingências que podem levar a resultados materialmente diferentes daqueles, explícita ou implicitamente, incluídos nestas declarações, bem como, geralmente, de todas as declarações precedidas, seguidas ou que incluem as palavras "acredita", "espera", "projeta", "antecipa", "objetiva", "estima" ou expressões semelhantes. Tais estimativas não são garantias de desempenho futuro. A Tereos Internacional, bem como seus diretores, conselheiros, funcionários e representantes, são expressamente eximidos de qualquer responsabilidade pela divulgação de tais estimativas e projeções. As informações relativas a esses riscos e contingências são incluídas nos documentos apresentados pela Tereos Internacional à Comissão de Valores Mobiliários ("CVM"). A Tereos Internacional não se compromete a atualizar ou revisar as estimativas e projeções que venham a ser apresentadas neste documento para refletir novas informações, eventos futuros ou por qualquer outro motivo e qualquer opinião expressa nesta apresentação está sujeita a alterações sem aviso prévio. No Formulário de Referência apresentado à CVM há uma descrição detalhada da situação financeira e econômica da Tereos Internacional, bem como dos fatores de risco relacionados à Tereos Internacional, o qual pode ser obtido no site da Tereos Internacional (www.tereosinternacional.com.br). As últimas Demonstrações Financeiras anual, semestral e trimestral da Tereos Internacional também estão disponíveis neste site. Este documento não constitui uma oferta ou convite para venda ou compra, ou uma solicitação de qualquer oferta de compra ou subscrição de quaisquer direitos ou ações da Tereos Internacional. Nem este documento, nem qualquer parte dele, devem servir de base de, ou ser utilizados em conexão com qualquer contrato ou compromisso de qualquer natureza. Aviso Importante 2
  3. 3. Jacyr Costa Filho Diretor de Relações com Investidores da Tereos InternacionalMarcus Thieme 3 Apresentadores Gerente de Relações com Investidores da Tereos Internacional Diretor Presidente da Guarani Alexandre Menezio
  4. 4. 4 Agenda Líder Global em Açúcar, Bioenergia e Amido, com Forte Potencial de Crescimento Cana-de-Açúcar: Consolidador, Parceria com a Petrobras e Modelo de Negócios Eficiente Destaques Financeiros, Atuação de RI e Estratégia Cereais: Expandindo no Brasil e na Ásia, com base em Clientes Globais e P&D 1 4 3 2
  5. 5. 5 Líder Global em Açúcar, Bioenergia e Amido, com Forte Potencial de Crescimento Cana-de-Açúcar: Consolidador, Parceria com a Petrobras e Modelo de Negócios Eficiente Destaques Financeiros, Atuação de RI e Estratégia Cereais: Expandindo no Brasil e na Ásia, com base em Clientes Globais e P&D 1 4 3 2 Agenda
  6. 6. Líder Global em Açúcar, Bioenergia e Amido com Forte Potencial de Crescimento 6 3º maior produtor de amido e derivados da Europa 1 3º maior processador de cana-de- açúcar do mundo Brasil Cana-de-Açúcar  3º maior processador de cana no Brasil  7 usinas  19,7 MM tons processadas em 10/11  Parceria com a Petrobras Oceano Índico Cana-de-Açúcar  Um dos maiores produtores de açúcar da África  4 usinas  3,2 MM tons processadas em 10/11 China Cereais  MoU para uma Joint Venture com a Wilmar Europa Cereais  2º maior produtor de amido de trigo  Maior distribuidor de etanol da Europa  7 usinas  1 greenfield - Selby  3,6 MM tons processadas em 10/11 Brasil Cereais  1º investimento concluído em Set, 2011  Expansão brownfield já contratada R$5,7 Bi de Receita e R$850 MM de EBITDA Ajustado em 2010/2011 Açúcar Amido Etanol Álcool Energia
  7. 7. Outros(1) Guarani Petrobras Petrobras Biocombustível 10,7%88,0%1,3% 68,6% Tereos EU 100,0%31,4% Tereos Participations Tereos Agro-Industrie(2) (1) 1,3% do capital social detido pela Administração (2) considera 4,5% detidos pela Tereos do Brasil 76,8% 92,7% Tereos BENPTereos Syral Tereos DVO Tereos Ocean Indien SHL Cia de Sena 100,0% 100,0% 100,0%90,0% 75,0% 95,0% Ativos de Cana-de-açúcar Ativos de Cereais 7 Estrutura Societária1
  8. 8. Liderança em Seus Segmentos de Atuação1 8 0,4 0,7 1,0 1,8 2,4 3,0 Cargill Roquette Tate & Lyle Avebe Emsland Produção de Amido & Derivados na UE em 10/11 Em MM tons Cana-de-Açúcar Processada Globalmente em 10/11 Em MM tons  Capacidade total de processamento de cana: 24MM tons  Receita líquida: R$2,5Bi em 2010/2011  EBITDA ajustado: R$521MM com 20% de margem em 2010/2011  Capacidade total de processamento de cereais: 3,8MM tons  Receita líquida: R$3,2Bi em 2010/2011  EBITDA ajustado: R$343MM com 11% de margem em 2010/2011 Fonte: Estimativas da Companhia Fonte: Única, Sites das Companhias 1516 21 23 32 54 Raízen LDC Mitr Phol Sta Terezinha Alto Alegre Cereais Cana-de-Açúcar
  9. 9. 9 Principais Fatos Desde a Criação da Tereos Internacional1 Março/2010 Criação da Tereos Internacional Abril/2010 Parceria com a Petrobras Biocombustível: R$ 1,6 bilhão Maio/2010 Aquisição da unidade Mandu (3,5 milhões de tons) por R$ 345 milhões Junho/2010 Conclusão do refinanciamento de € 450 milhões da Tereos EU, com vencimento em 2015 Julho/2010 Aquisição do Grupo Quartier Français (+1 MM tons) Março/2011 Anúncio do plano de investimento de R$ 767 milhões pela Guarani para expansão da capacidade de moagem e co-geração Março/2011 Injeção de capital de R$ 195 milhões da Petrobras Biocombustível na Guarani, aumentando sua participação de 26,5% para 31,4% Março/2011 Aprovação de um pacote financeiro do BNDES para a Guarani no total de R$ 764 milhões para expansão de capacidade Março/2011 Conclusão do refinanciamento da Guarani através de um empréstimo sindicalizado de US$ 560 milhões com vencimento em 2015 Agosto/2011 A BM&FBOVESPA concede extensão de um ano para o enquadramento do free float mínimo de 25% Setembro/2011 Conclusão do primeiro investimento em amido no Brasil, na Syral-Halotek Outubro/2011 Assinatura de um MoU com a Wilmar na China
  10. 10. Fonte: LMC International 2010; Tereos Internacional, Balanço Energético Nacional – MME; Departamento de Planejamento Energético (DPE) – MME; Estimativa da UNICA; Comissão UE Fundamentos Positivos Garantindo o Crescimento em Nossos Mercados 10 Drivers Crescimento Esperado Açúcar  População Global  Aumento do consumo per capita (mercados emergentes, urbanização e aumento da renda)  Consumo de açúcar global deverá crescer ao menos 15 MM tons nos próximos 5 anos ( Brasil e África devem capturar este crescimento) Etanol  Aumento da frota de veículos flex-fuel no Brasil impulsionada pela classe média emergente e crédito  Usos alternativos para o etanol (i.e. bioplástico, diesel)  Mandatos de mistura nos EUA e UE  Brasil / EUA / EU deverão crescer 11,6% ao ano (2010-2015) e atingir 133 bilhão de litros Co-geração  Limpa, fonte de energia renovável que é complementar com a matriz energética do Brasil  Uso da palha representa um forte potencial adicional  Crescimento esperado de 29% ao ano (2009-2015) para atingir 35,770 GWh em 2015 (7% da matriz energética do Brasil) Amido  Forte aumento nas aplicações (saúde, nutrição e cosméticos)  Classe média ascendente e mercados emergentes  CAGR de 5 anos na América do Sul de 5,1% e 9,1% na Ásia Especialidades  Gluten: forte demanda para proteínas  Bebidas: forte crescimento no mercado de álcool premium  Vodka super premium crescendo a CAGRs de 20% 1
  11. 11. 11 Líder Global em Açúcar, Bioenergia e Amido, com Forte Potencial de Crescimento Cana-de-Açúcar: Consolidador, Parceria com a Petrobras e Modelo de Negócios Eficiente Destaques Financeiros, Atuação de RI e Estratégia Cereais: Expandindo no Brasil e na Ásia, com base em Clientes Globais e P&D 1 4 3 2 Agenda
  12. 12. Projeção de Vendas de Energia por Cogeração no Brasil (2002-2015) GWh 36% 30% 64% 70% 27,9 40,9 2005/2006 2010/2011 2 12 Fonte: Única, USDA, Secex Cogeração  Cogeração aumentando sua importância como uma alternativa viável na matriz energética brasileira  Consumo de energia crescendo entre 5% e 7% ao ano  Novas variedades de cana-de-açúcar e uso de palha aumentando o potencial da cogeração 0,2% 2,0% 6,8% Venda de Energia por Cogeração / Consumo Brasileiro CAGR: 40% CAGR: 29% Fonte: Balanço Energético Nacional - MME; Departamento de Planejamento Energético (DPE) - MME; estimativa da ÚNICA Etanol  Mercados brasileiros devem crescer ~15% por ano nos próximos 5 anos, devido às vendas de carros flex-fuel  A quota de “etanol avançado” nos EUA só pode ser suprida por etanol de cana-de-açúcar  As quotas de etanol dos EUA e Europa devem intensificar o consumo de etanol no mundo Açúcar  Consumo global de açúcar deve crescer pelo menos 15MM de toneladas nos próximos 5 anos  Brasil como principal fornecedor marginal no Mundo  Manutenção do déficit anual de 5,6MM na África, enquanto a produção se mantém estável Vendas de Veículos no Brasil „000 unidades Produção Brasileira de Açúcar MM Toneladas Flex-Fuel Gasolina e Diesel Fonte: Anfavea Flex-Fuel Doméstico Exportação Sólido Crescimento em Açúcar e Etanol no Brasil Flex-Fuel CAGR: 28%
  13. 13. 2 13 Demanda Oferta  Demanda inelástica e crescente por açúcar  Comércio internacional de açúcar crescendo ainda mais rápido, e o Brasil capturando participação desproporcional  Veículos flex-fuel já representam 41% do total da frota brasileira, e devem ultrapassar a frota de gasolina em 2011/12  Usos alternativos de biomassa (bioplásticos, 2G)  Cotas de mistura de etanol nos EUA e Europa  Estoques mundiais a níveis mínimos históricos  Produção de açúcar volátil na Índia  Crédito mais seletivo a usinas menores e familiares, restringindo a expansão e plantio (canaviais mais antigos)  Espera-se somente 5 novas usinas em 2012 no Brasil vs. ~15 novas usinas necessárias para atender à demanda X ... E Expectativa de Continuidade da Escassez no Longo Prazo = < Crescimento de Longo Prazo de Açúcar ~ 2 % p.a. Crescimento de Longo Prazo de Etanol ~ 10 % p.a. Demanda por Cana- de-Açúcar ~50 MM toneladas de moagem adicional p.a. nos próximos 5 anos 5 10 19 30 25 19 9 '05/06 '06/07 '07/08 '08/09 '09/10 '10/11 '11/12E Novas Usinas no Brasil apenas 5 novas plantas em operação em 11/12 Fonte: Unica Demanda por Novas Usinas ~15 novas usinas p.a. nos próximos 5 anos (1) + = (1) # de usinas adicionais necessárias, calculado com base na média de capacidade de moagem de 3,5MM toneladas por unidade
  14. 14. 14 Base Eficiente de Ativos, Posicionando a Guarani para a Contínua Consolidação do Setor 2 Modelo de Negócio Eficiente Localização Premium em Mercados-Chave  Cluster único localizado em São Paulo, a região mais competitiva do Brasil  Próximo aos mercados domésticos e portos  Forte suprimento de cana com raio médio reduzido Modelo Asset Light  Sem terras próprias (72% de cana de terceiros)  Modelo de suprimento de cana de baixo risco e alto ROA Forte Potencial de Cogeração  Aumentando as margens EBITDA a US$/GWh atrativos  Maior eficiência energética nas usinas Forte Crescimento com a Petrobras  Investimentos totais da PBio de R$1,6 bilhão na Guarani Brownfields de Valor Agregado  3,5 MM tons de capacidade de moagem a US$/ton atraentes Aquisições no Estado de São Paulo  Guarani: Veículo da TI e Pbio para aquisições em SP  Histórico comprovado de aquisições  139 usinas independentes moendo 249MM tons de cana no Estado de SP Fonte: Dados da Companhia Oportunidades de Consolidação no Estado de SP AC AL ES GO MG MS MT PB PE PR RJ RN SE SP 1 AM 1 PA 1 10 MA 4 TO 1 1 PI CE 2 3 9 24 24 3 BA 5 45 6 8 182 30 RS 1 22 33 Maiores Players 11243 Independentes 249139 Total 361182 Usinas Cana Moída (MMtons) # Usinas em 2009 Fonte: Única Nota: (1) Refere-se aos dados da Guarani
  15. 15.  Juntando forças para acelerar o crescimento na indústria brasileira de cana-de-açúcar  Investimento total da Petrobras Biocombustível de R$ 1,6 bilhão na Guarani • R$ 877,4 milhões foram investidos (participação de 31,4%) • Atingirão uma participação de 45,7% até 2015  Acordo de venda de etanol entre a BR Distribuidora (Petrobras) e a Guarani • Entrega de 2,2 bilhões de litros de etanol nos próximos 4 anos  A Guarani será o veículo de crescimento da Tereos Internacional e da Petrobras Biocombustível no estado de São Paulo Tereos Internacional e Petrobras Biocombustível Uma parceria estratégica 15 2 +
  16. 16. Fonte: UNICA e Companhia Safra 2011/12: Pior Quebra de Safra dos Últimos 12 Anos... 16 2 Revisão vs. Previsão Guarani Centro-Sul Moagem de Cana-de-açúcar -12,4% -14,1% Produção de Açúcar -9,4% -10,9% Produção de Etanol -17,3% -20,0% TRS (Total Recoverable Sugar) -1,6% -2,5%
  17. 17. Datagro FCStone Rabobank Kingsman FNP SCA Copersucar Consenso Máxima 515 550 535 Média 488 500 500 510 523 530 540 513 Mínima 460 480 510 450 460 470 480 490 500 510 520 530 540 550 560 EstimativadeMoagem Fonte: Consultorias e Guarani Estimativa de Safra 2012/13: Aperto na Oferta de Açúcar e Etanol no Curto Prazo... 17 2
  18. 18. 22 36 41 122 111 96 118 259 1.200 1 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 14/15 3,8 4,4 5,4 8,2 12,2 13,9 14,3 19,7 16,3 18,3 24,0 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 14/15 18 Sólido Crescimento Suportado por Projeto de Expansão2 Cana-de-açúcar Moída(1) (MM t) CAGR 20,0% Vendas de Energia Elétrica(1) (GWh) CAGR 42,2% Usina Ano Capacidade na Aquisição (MM tons) Capacidade Futura (MM tons) Coger. Futura (GWh/ano ) Severínia 2003/04 1,8 2,6 0 Cruz Alta 2003/04 2,0 4,5 130 São José 2005/06 2,0 4,0 293 Andrade 2006/07 2,9 3,3 175 Tanabi 2007/08 Greenfield 3,0 223 Vertente 2009/10 1,6 2,5 157 Mandu 2010/11 3,5 4,0 285 Guarani: Rápida Expansão da Capacidade de Moagem(1) Adicionando Valor às Aquisições com Brownfields R$1,1bi em equity para aquisições Potencial adicional de novas variedades e palha da cana Receitas integralmente contratadas adicionando % em EBITDA 2003/2004 Expansão Aquisição Greenfields 2014/15 24,0 7% Greenfields 50% Aquisição 43% Expansão CAGR 20,0% 3,8 Nota: (1) exclui a unidade Sena (MM t)
  19. 19. Cereais: Expandindo no Brasil e na Ásia, com base em Clientes Globais e P&D Destaques Financeiros, Atuação de RI e Estratégia 19 Líder Global em Açúcar, Bioenergia e Amido, com Forte Potencial de Crescimento Cana-de-Açúcar: Consolidador, Parceria com a Petrobras e Modelo de Negócios Eficiente 1 4 3 2 Agenda
  20. 20. 20 Uma Indústria com Fortes Barreiras de Entrada3 Matéria-prima Leite de Amido Hidrolisados Glicoses Proteínas  Centro de pesquisas inovador para testar novas receitas e aplicações  Contrato de pesquisa conjunta com clientes  Iniciativas de pesquisas com gigantes globais do setor de alimentos como a Nestlé, Mars e Cadbury  Relacionamentos de longo prazo com institutos públicos de pesquisa, consórcios e hospitais Base de Clientes Global Pesquisa e Desenvolvimento Formulação Customização Base de Clientes Fluxo Operacional Amido Nativo Dextrose Maltodextrinas Polióis Amido Modificado Etanol (Combustível) Álcool Potável P&D suportando a liderança em produtos de amido Coprodutos
  21. 21. Servindo Mercados Resilientes3  Entregando a 1.500 clientes em 2.500 plantas Resto do Mundo 7% Reino Unido 16% França 18% Resto da Europa 46% Alemanha 13% Divisão por Região 21 Perfil de Receita Resiliente Diversidade de Produtos Incluindo Especialidades de Alto Valor Agregado (1) Notas: (1) Especialidades incluem dextrose cristalina, maltodextrinas, polióis, álcool de grão e proteínas do trigo Especialidades 41% Hidrolisados Glucose Isoglucose Amido Álcoois Polióis Maltodextrinas Dextrose Proteínas de Trigo Divisão por Segmento
  22. 22. Cereais: Queda nos Preços Impulsionada por Estimativas de Produção Mais Elevadas 22 Fonte: HGCA/ Matif 3 Preço dos Cereais (EUR/ton) 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300 abr/07 jul/07 out/07 jan/08 abr/08 jul/08 out/08 jan/09 abr/09 jul/09 out/09 jan/10 abr/10 jul/10 out/10 jan/11 abr/11 jul/11 out/11 Trigo Milho
  23. 23. 116 123 200 Milho EUA Trigo UE Milho UE 23 Vantagem Competitiva de Custo3 Notas: (1) Líquido de co-produtos, média de 2007 a 2010 (US$/Ton Métrica Base Comercial - 88% DS) 72% 44% 28% 40% 16% Tereos Intl Europa Trigo Milho Batata Custo Líquido de Amido (1) Fonte: AAF, LMC International e Informações da Companhia Mix de Suprimento de Cereais da TI  85% dos contratos renegociados duas vezes ao ano (janeiro e julho)  Maior parte das necessidades de trigo e milho fixadas com 6 meses de antecedência Janeiro Julho 85% 85% Volumes & preços negociados Mix de Matéria-Prima Favorável Habilidade de Passar Aumentos de Preço nos Cereais
  24. 24. 21.421.0 4.5 6.1 6.9 3 24 Leste Europeu Em kg / Indivíduo / Ano(1) (2008) América do Sul Ásia Europa América do Norte Nota: (1) Não inclui HFCS o qual está substituindo o açúcar em bebidas carbonatadas Beneficiando-se do Forte Crescimento em Mercados Emergentes... ChinaBrasil Grande mercado com 1,8 milhão de tons de amido p.a.  Forte crescimento de 9% a.a.  Apenas 2 fornecedores de amido de milho no Brasil hoje: Corn Products e Cargill  Uma das regiões mais competitivas para produção de milho Junho de 2011, aquisição de planta de amido no Brasil  Aquisição da Halotek-Fadel por R$49 milhões  Expansão brownfield da planta para amido de milho já contratada  Capacidade atual de produção de 60 mil toneladas de amido Fonte: LMC International Know-how Base global de clientes JV Execução local Distribuição 49% 51% Consumo per Capita de Amidos e Xaropes Maior mercado mundial com 21,2 milhões de tons de amido p.a.  Forte crescimento de 10-15% a.a.  Clientes buscam altos padrões de qualidade Maio de 2011, assinatura de Carta de Intenção com a Wilmar International  Produção de glúten e produtos derivados do trigo
  25. 25. 25 … e da Diversificação de Portfólio na Europa Projetos Anunciados 3 Construção da Unidade de Álcool Potável Selby (Reino Unido)  Nova planta de álcool de grãos próxima a base de clientes  Produção vendida e margem assegurada para os primeiros 5 anos  Início: 4T 2011/12  Capacidade: 45 mil m3  Capacidade de produção: 63.000 toneladas  Possibilidade de expansão após a queda das quotas europeias para batata em 2012  Plataforma de entrada no mercado de amido de batata  Diversificação de matérias-primas Aquisição de Unidade de Amido à Base de Batata Aquisições  Aumento da rentabilidade da planta  Apropriar-se do conhecimento em R&D e experiência de mercado  Primeiro passo na diversificação da unidade  Início: 1T 2012/13  Capacidade: 55 mil tons Projeto de Extração de Gluten em Lillebonne
  26. 26. 26 Líder Global em Açúcar, Bioenergia e Amido, com Forte Potencial de Crescimento Cana-de-açúcar: Consolidador, Parceria com a Petrobras e Modelo de Negócios Eficiente Destaques Financeiros, Atuação de RI e Estratégia Cereais: Expandindo no Brasil e na Ásia, com base em Clientes Globais e P&D 1 4 3 2 Agenda
  27. 27. 1.325 1.558 2.496 1.086 1.346 4.204 3.453 3.190 1.490 1.905 2008/09 2009/10 2010/11 1S 10/11 1S 11/12 Cana-de-açúcar Cereais 3.001 2.293 2.150 2.416 3.084 4,8x 3,0x 2,5x 3,4X 3,3x 0 500 1000 1500 2000 2500 3000 3500 2 4 6 2008/09 2009/10 2010/11 2T 10/11 2T 11/12 304 275 479 175 282 238 182 152 54 139 2008/09 2009/10 2010/11 1S 10/11 1S 11/12 Cana-de-açúcar Cereais 542 457 631 229 421 202 294 521 230 287 423 476 343 168 18911.3% 15.4% 14.9% 15.0% 14.5% 0% 2% 4% 6% 8% 10% 12% 14% 16% 18% 20% 22% 24% 26% 28% 30% 0 100 200 300 400 500 600 700 800 900 1000 2008/09 2009/10 2010/11 1S 10/11 1S 11/12 Cana-de-açúcar Cereais 27 Histórico Positivo de Desempenho Destaques Financeiros 4 Nota: (1) Para 2010/11 e primeiro trimestre de 2010/11 e 2011/12 estão considerados o impacto da conta outros na consolidação. 5.529 5.011 2.578 3.251 625 770 386 471 Dívida Líquida e Alavancagem (R$ MM) Capex Operacional (R$ MM) Receita Líquida por Segmento (R$ MM) 5.686 EBITDA Ajustado por Segmento (R$ MM) 850
  28. 28.  Aquisição da Mandu 2010  Criação da Tereos Internacional 28 De um Player Doméstico a um Líder Global em Apenas 9 Anos 2002  Aquisição da Guarani 2006/07  Criação da BENP Lillebonne  Inauguração de Tanabi 2007/08  IPO da Guarani (R$660 MM)  Aquisição das plantas de amido da Tate & Lyle  Aquisição da Andrade 2009/10  Criação da DVO, unidade de produção de álcool premium  Aquisição de 50% da Vertente 2008/09  Parceria com a GDF Suez para cogeração na Andrade Visão: Liderar a consolidação de açúcar e etanol no Brasil Expandir o negócio de cereais em mercados emergentes 4  MoU com a Wilmar (China)  Investimento brownfield em: Cruz Alta, Severínia e São José  Refinanciamento da dívida concluído  R$1,6 bilhão de investimentos da Petrobras  Expansão de 3,5 MM de tons de moagem e 920 GWh de cogeração  Aquisição do Grupo Quartier Français  Aquisição de planta de amido no Brasil  Financiamento de R$764 MM (11 anos) do BNDES  Aquisição de planta de amido a base de batata na Europa
  29. 29. 29
  30. 30. Apêndice: Cana-de-açúcar – Unidades no Brasil Principais dados 2010/11  7 unidades industriais no estado de São Paulo  19,7 milhão de toneladas de cana-de-açúcar moídas  1,6 milhão de toneladas de açúcar produzidas  692.000 m3 de etanol produzidos  259 GWh de energia elétrica vendida 30
  31. 31.  La Réunion (100% T.I.) • Acesso privilegiado ao mercado regulado europeu • Posição dominante (100% da produção local) • Produção estável 31 Visão Geral Principais Informações  Mozambique (75% T.I.) • Acesso ao crescente mercado interno e africano • Acesso privilegiado ao mercado regulado europeu • 3 produtores presentes no mercado • Única fábrica de açúcar para produção de açúcar refinado em Moçambique  Tanzania (40% T.I.) • Acesso ao crescente mercado interno e africano • Acesso privilegiado ao mercado regulado europeu  Capacidade de moagem: 2 MM Tons  Capacidade de produção de açúcar: 220 mil tons  Planta de co-geração mista (carvão/bagaço) operada pela Séchilienne-Sidec  Capacidade de moagem: 1,2 MM tons (11/12)  Produção de açúcar: 67 mil tons (11/12)  Objetivo de atingir 70/75.000 tons de açúcar em 12/13  Produção de açúcar de médio prazo: 120.000 toneladas de açúcar  Capacidade de moagem: 0.85 MM Tons  Produção de açúcar: 76.000 Tons (10/11)  Especialidade: açúcar mascavo para o mercado doméstico  Objetivo de atingir 80.000 toneladas de açúcar em 2012 Apêndice: Cana-de-açúcar – Unidades no Oceano Índico
  32. 32. Principais dados 2010/11  8 unidades na França, Bélgica, Itália, Espanha e Reino Unido  Moagem de cereais: 3,6 milhões de toneladas  Produção de amido: 1,8 milhão de toneladas  Produção de etanol & álcool: 460.000 m³  Produção flexível (adaptada para a diversificação de produto)  Produção altamente eficiente com co-geração 32 Apêndice: Cereais – Unidades na Europa

×