Gramados e forrações

2.951 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.951
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
237
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gramados e forrações

  1. 1. HISTÓRIA E IMPORTÂNCIA• ALIMENTO – PRADARIAS EPASTAGENS;• CONFORTÁVEL E SEGURO;• LIBERA OXIGÊNIO;• REFRESCA O AR E CONTRIBUIPARA A REDUÇÃO DOAQUECIMENTO GLOBAL;• CONTROLE DA EROSÃO DOSOLO
  2. 2. VARIEDADES DE
  3. 3. DIFERENÇAS NA FORMA DECRESCIMENTO DO CAULE• TODAS AS GRAMASTÊM CAULESRASTEJANTES(CRESCEMPARALELAMENTE AOSOLO);• PODEM SERESTONOLÍFERAS – OCAULE CRESCE NASUPERFÍCIE, LANÇANDONOVOS RAMOS;
  4. 4. CAULE RIZOMATOSO• PODEM SERRIZOMATOSAS – OCAULE ÉSUBTERRÂNEO, MASBEM PRÓXIMO DASUPERFÍCIE;
  5. 5. NOMENCLATURA CIENTÍFICA• segue O Código Internacional deNomenclatura Botânica iniciado por CARLLINNAEUS;• Composto por duas partes(sistema binomial):o primeiro é o nome genérico(serve paratodas as plantas da mesma família), o segundonome individualiza a espécie;• Nomes em latim universalmente aceitos.
  6. 6. SÃO CARLOS(Axonopus compressus)• também conhecida comocuritibana;• ORIGEM - brasileira;• CICLO DE VIDA – perene;• CAULES – estonolífera;• CRESCIMENTO - poucointenso. Cresce até 20cm, deve ser podada aoatingir 2 a 3 cm;• MULTIPLICAÇÃO – porestolões enraizados;
  7. 7. SÃO CARLOS• folhas largas, lisas e sempêlos, é de cor verdeintensa;• adapta-se bem tanto emáreas de pleno sol, comoa meia sombra e ao climafrio;• Necessita de podaconstante, 10 em 10 dias;• resistente a pragas eervas daninhas;
  8. 8. UTILIZAÇÃO- em jardins residências, comerciais, beirasde piscinas e casas de campo e praia.
  9. 9. ESMERALDA- Zoysia Japônica• ORIGEM -japonesa;• CICLO DE VIDA –perene;• CAULES – estolões,enraizamentoabundante;• CRESCIMENTO- podealcançar até 15 cm dealtura;
  10. 10. ESMERALDA• MULTIPLICAÇÃO –Divisão dos rizomasenraizados;• PLENO SOL, Sedesenvolve muito bemem climas quentes,pouco resistente geada;• ADUBAÇÃO –semestral;• REGAS – regulares;• é a mais utilizada;• alta densidade;• resiste ao pisoteio;• fácil plantio;• baixo custo demanutenção;• Plantio através de tufose placas;
  11. 11. UTILIZAÇÃO - Jardins residenciais, comerciais,industriais, praças e campos para a pratica deesportes diversos, sempre a pleno sol. Boatambém para terrenos no litoral.
  12. 12. BERMUDAS (Cynodum dactylum)• ORIGEM: Ilhas Bermudas e África• CICLO DE VIDA: Perene• CAULES- Estolões e rizomas;• MULTIPLICAÇÃO – através de sementes, tufos ou placas;• CRESCIMENTO - rápido, até 10 cm. Não requer podas constantes
  13. 13. BERMUDAS• ADUBAÇÃO- suplementação de matéria orgânica e adubação pelo menos 2 vezes ao ano• REGAS – espaçadas. necessita pouca irrigação;• alta resistência ao pisoteio;• regenera-se rapidamente;• indicada para sol pleno;• resistente à secas;
  14. 14. BERMUDAS - utilização• playgrounds, campos de futebol e gramados esportivos, gramados residenciais.• é altamente exigente em  nutrição;• Não se desenvolve  bem em áreas de má drenagem, nem em solos compactados.• Não se desenvolve bem em baixas temperaturas;• Custo elevado.
  15. 15. COREANA OU Zoysia tenuifolia.• ORIGEM – Asiática, Japão e Coréia;• CICLO DE VIDA – perene;• CAULE  - planta rizomatosa;• CRESCIMENTO – 10 a 15 cm de altura. Crescimento pouco intenso, poucas podas;• MULTIPLICAÇÃO – tufos, placas, sementes;
  16. 16. COREANA• ADUBAÇÃO - nitrogenada ,freqüente, solo enriquecido ;• REGAS – periódicas;• pouco resistente ao pisoteio e às ervas daninhas;• pleno sol•  difícil controle contra invasão nos canteiros de flores;
  17. 17. UTILIZAÇÃO• em gramados orientais ornamentais, podendo ser usada em  bordaduras de campos de golfe e até em gramados residenciais, desde de que mantida adequadamente.• Seu principal problema é a sua alta densidade, que dificulta a poda, exigindo até roçadeiras     helicoidais
  18. 18. PASSOS PARAA ELABORAÇÃODE UM GRAMADO
  19. 19. LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO E CADASTRALAVALIAÇÃO MINUCIOSA DA ÁREA:• GRAU DE DECLIVIDADE;• PERÍMETRO E ELEMENTOS NATURAISJÁ EXISTENTES;
  20. 20. MEDIÇÃO DA ÁREA• APLICAR OS RECURSOS DA GEOMETRIA PARAMEDIR A ÁREA A SER TRABALHADA :• SABER A QUANTIDADE DE CORRETIVOS ENUTRIENTES;• ESTIMAR A QUANTIDADE DE SEMENTES OUMUDAS A SEREM ADQUIRIDAS
  21. 21. ANÁLISE DO SOLO
  22. 22. IDENTIFICAR AS CARACTERÍSTICAS DOSOLOANÁLISE QUÍMICA:• Avalia a fertilidade;• PRESENÇA DE NUTRIENTES;• PH – ACIDEZ;• MATÉRIA ORGÂNICA PRESENTE NO SOLO;
  23. 23. ANÁLISE GRANULOMÉTRICA- TEXTURA DO SOLO• CONSTITUINTES DO SOLO(AREIA, ARGILA);• risco de erosão, disponibilidade de água paraas plantas, o uso econômico de adubos, amecanização adequada
  24. 24. REMOÇÃO DOS ENTULHOS• LIMPEZA DE TODA A ÁREA, RETIRANDORAÍZES;PEDAÇOS DE MADEIRA, PEDRAS EOUTROS MATERIAIS QUE NÃO PERTENCEM AOSOLO.• ERRADICAÇÃO DAS ERVAS DANINHAS.
  25. 25. NIVELAMENTO DO SOLO
  26. 26. NIVELAMENTO DO SOLO• PREENCHER PONTOS BAIXO;• APLAINAR AS ELEVAÇÕES;• RELEVOS PODEM SER MANTIDOS;• BUSCAR HOMOGENEIDADE;• SE FOR PLANTAR ATRAVÉS DE PLACASLEMBRAR DA ESPESSURA DAS PLACAS;• USAR MÁQUINAS, ANCINHO, ENXADA,ESCADA DE MADEIRA.
  27. 27. ADIÇÃO DE CORRETIVOS ENUTRIENTES• TEM POR BASE A ÁREA E A AVALIAÇÃO DOSOLO;• NUTRIÇÃO:INCORPORAÇÃO DE ELEMENTOSQUÍMICOS AO SOLO PARA ALIMENTAR ASPLANTAS.
  28. 28. PRINCIPAIS NUTRIENTES• NITROGÊNIO(N) – ESTIMULA A BROTAÇÃO E OENFOLHAMENTO;• FÓSFORO(P) FLORAÇÃO E FRUTIFICAÇÃO;• POTÁSSIO(K) FORTALECE OS TECIDOS VEGETAIS ETORNA AS PLANTAS MAIS RESISTENTES ÀS PRAGAS;• CORRETIVOS: REGULAM A ACIDEZ DO SOLO• A MAIOR OU MENOR ACIDEZ DEFINE A CAPACIDADEDO SOLO ABSORVER OS NUTRIENTES;• OS SOLOS DO BRASIL SÃO TIPICAMENTE ÁCIDOS;• ÍNDICE IDEAL PARA AS GRAMÍNEAS É ENTRE 6,8 E 7
  29. 29. PLANTIO• SEMENTES – BAIXOCUSTO, FORMAÇÃODEMORADA;• POR PLACAS E TAPETES– ALTO CUSTO, RÁPIDAFORMAÇÃO, PRÁTICO;• POR TUFOS- CUSTOBAIXO, FORMAÇÃO EMTORNO DE 3 OU 4MESES;
  30. 30. MANUTENÇÃO• CORTE DA GRAMA;• ADUBAÇÃO;• AERAÇÃO;• CONTROLE DE PRAGAS E DOENÇAS;• CONTROLE DE ERVAS DANINHAS;• IRRIGAÇÃO
  31. 31. FORRAÇÕES• COBERTURA VERDE PARA LUGARES SEMPISOTEIO;• CUMPRE A FUNÇÃO ESTÉTICA E DE PROTEÇÃODO SOLO;• CUSTO DE MANUTENÇÃO MENOR QUE OSGRAMADOS;• DESENHAM CANTEIROS, DESTACAM OUTRASPLANTAS.
  32. 32. GRAMA PRETA(Ophiopogon japonicus )• ORIGEM – China eJapão;• CRESCIMENTO - 20 cm;• LOCALIZAÇÃO -Sombra, meia sombraou pleno sol;• REGAS – espaçadas;• ADUBAÇÃO –semestral.
  33. 33. GRAMA AMENDOIM(Arachis repens )• ORIGEM - Brasil;• CRESCIMENTO - 20 cm;• LOCALIZAÇÃO - plenosol;• MULTIPLICAÇÃO- divisãodos estolões ousementes;• não resiste a pisoteios,dispensa podas;• Se adapta a todos osclimas do Brasil;
  34. 34. CLOROFITO(Chlorophytumcomosum• ORIGEM- África do sul;• CICLO DE VIDA –perene;• LOCALIZAÇÃO – plenosol ou meia sombra;• CRESCIMENTO- 15 a20cm;• MULTIPLICAÇÃO –divisão da planta ouatravés dos brotos
  35. 35. FONTES• http://www.agroambiente.com.br/index.php?opti;• http://www.plantasonya.com.br/category/gramad;• http://www.infograma.com.br/Sigra%20I/PRINCIP

×