FASAR- COLÉGIO E FACULDADE SANTA RITA        ENGENHARIA AMBIENTAL           Ana Paula Gomes          Tailane Alvim Duarte ...
FASAR- COLÉGIO E FACULDADE SANTA RITA        ENGENHARIA AMBIENTAL          AULA PRÁTICA IS.I.G-Noções básicas de Geoproces...
SUMÁRIO1.0    OBJETIVO                     032.0    INTRODUÇÃO                   043.0    MATERIAIS UTILIZADOS         054...
Noções básicas de Geoprocessamento1.0 OBJETIVOA aula prática no laboratório de informática tem como finalidade:       Apre...
2.0 INTRODUÇÃOPara realizar a aula prática é necessário aprender os conceitos de um Sistema de InformaçãoGeográfica (S.I.G...
3.0 MATERIAIS UTILIZADOS  1. Microcomputador  2. Software ArcGis 9.3 no módulo ArcMAP.  3. Imagens dos seguintes satélites...
4.0 METODOLOGIA4.1 CBERS:Primeiramente foi seguido o seguinte caminho para acessar o ArcMap no ArcGIS:                    ...
Em seguida foi habilitada as licenças do software ( 3d Analyst, ArcScan e Spatial Analyst):                               ...
Figura 02- Habilitando as licençasEstas licenças são disponibilizadas quando o programa é adquirido ou quando se compra um...
O menu que se abriu foi:           Figura 05- Características da imagem do satélite CBERSFoi clicado sobre o ícone source,...
Figura 07- Spatial Reference (CBERS)4.2 IKONOS:A imagem do IKONOS foi carregada clicando no ícone         , sobre a barra ...
O menu que se abriu foi:               Figura 09- Cellsize e Pixel Depht ( ikonossad)                   Figura 10- Spatial...
Figura 11- Ativando BandaAinda na aba Symbology foi clicado em Strecth e mudado o contraste para None (nenhum),depois muda...
Figura 12- Banda 01 ativadaEm seguida foi acessada sua Properties com dois cliques com o botão esquerdo do mouse.         ...
Figura 13- Cellsize e Pixel Depht (Banda 01 Landsat)              Figura 14- Spatial Reference (Banda 01 Landsat)Ainda em ...
Utilizando agora abanda 01, 02 e 03 do sensor Ladsat, clique no ArcToolbox       , onde iráaparecerá a barra:             ...
Figura 16- Carregando as bandasCom o nome landcomp, o arquivo composto gerado foi salvo na pasta aula 04.4.4 GEOEYE:Carreg...
Figura 17- Cellsize e Pixel Depht ( GEOEYE)                Figura 18- Spatial Reference ( GEOEYE)Para criar uma feição ace...
Figura 19 – Create Feature ClassO passo seguinte foi habilitar a aba editora, clicando em editor na barra de ferramentas e...
Em seguida uma quadra da imagem foi vetorizada.                                          19
5.0 RESULTADOS E DISCUÇÕESA seguir são apresentados os resultados e respostas das respectivas perguntas para os satélites....
Figura 22- imagens sem alteraçõesComo mostra na imagem 22, quando muda para None a imagem fica pancromática e emseguida qu...
Clicando no Histogram Equalize a imagem voltou a ser pancromática.Figura 24- Banda 01 do Landsat com Histogram Equalize 5....
6.0 CONCLUSÃODurante a execução do trabalho foi possível compreender a eficácia e importância doArcGIS no curso de Engenha...
7.0 REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICASRODRIGUES, M. Introdução ao Geoprocessamento. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DEGEOPROCESSAMENTO, 19...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Relatorio sig

1.716 visualizações

Publicada em

RELATORIO, SIG, ARCGIS, ARCMAP

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.716
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatorio sig

  1. 1. FASAR- COLÉGIO E FACULDADE SANTA RITA ENGENHARIA AMBIENTAL Ana Paula Gomes Tailane Alvim Duarte AULA PRÁTICA IS.I.G-Noções básicas de Geoprocessamento Conselheiro Lafaiete 14/09/2012
  2. 2. FASAR- COLÉGIO E FACULDADE SANTA RITA ENGENHARIA AMBIENTAL AULA PRÁTICA IS.I.G-Noções básicas de Geoprocessamento Trabalho desenvolvido para a disciplina de S.I.G, como parte da avaliação referente ao 6° Período do curso de Engenharia Ambiental. Profesor(a): Giovanni Chagas Egg Conselheiro Lafaiete 14/09/2012
  3. 3. SUMÁRIO1.0 OBJETIVO 032.0 INTRODUÇÃO 043.0 MATERIAIS UTILIZADOS 054.0 METODOLOGIA 06 4.1 CBERS 06 4.2 IKONOS 10 4.3 LANDSAT 12 4.4 GEOEYE 165.0 RESULTADOS E DISCUÇÕES 20 5.1 CBERS 20 5.2 IKONOS 20 5.3 LANDSAT 21 5.4 GEOEYE 226.0 CONCLUSÃO 237.0 REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS 24
  4. 4. Noções básicas de Geoprocessamento1.0 OBJETIVOA aula prática no laboratório de informática tem como finalidade: Apresentar para os alunos os conceitos básicos relacionados ao Geoprocessamento e sua inserção junto aos Sistemas de Informação Geográfica, que é a matéria em estudo, através do software ArcGIS. Conhecer os processos de visualização de mapas no ArcMAP, explorar suas suas informações e trabalhar a forma de apresentação das mesmas. 3
  5. 5. 2.0 INTRODUÇÃOPara realizar a aula prática é necessário aprender os conceitos de um Sistema de InformaçãoGeográfica (S.I.G).O S.I.G é um sistema de hardware e software que correspondem às ferramentas computacionais deGeoprocessamento, que realiza análises que permite integrar e criar dados georreferênciados.No Geoprocessamento o foco é a visualização do território de maneira integrada, levando emconsideração as características físicas, humanas e técnicas. A tecnologia usada é avançada, entre elasestá a imagem de satélites e radar, como também conhecimentos de topografia.Os dados obtidos podem ser usados no monitoramento topográfico da Terra e nas variaçõesclimatológicas da atmosfera.O ArcGis é um S.I.G com sistema escalonável que pode trabalhar em um único desktop ou em umarede heterogênia de computadores.Ele utiliza modelos de gráficos geográficos reais para estruturarqualquer procedimento de GIS,possui todas as ferramentas necessárias para a criação e trabalho commapas. A seção trabalhada no software é o ArcMAp que é a primeira aplicação desktop mappingpara SIG . Onde tem a possibilidade de construir e analisar mapas, criar e editar dadosgeográficos e criar e editar dados tabulares. 4
  6. 6. 3.0 MATERIAIS UTILIZADOS 1. Microcomputador 2. Software ArcGis 9.3 no módulo ArcMAP. 3. Imagens dos seguintes satélites: Satélite CBERS – Sensor HRC; Satélite LANDSAT 5 – Sensor TM; Satélite IKONOS – Sensor IKONOS II; Satélite GEOEYE – Sensor GEOEYE I. 5
  7. 7. 4.0 METODOLOGIA4.1 CBERS:Primeiramente foi seguido o seguinte caminho para acessar o ArcMap no ArcGIS: Figura 01- Abrindo o aplicativo 6
  8. 8. Em seguida foi habilitada as licenças do software ( 3d Analyst, ArcScan e Spatial Analyst): 7
  9. 9. Figura 02- Habilitando as licençasEstas licenças são disponibilizadas quando o programa é adquirido ou quando se compra ummódulo específico.Os dados a serem utilizados no programa foram carregados, da seguinte forma: primeiro foiclicado o ícone na barra de ferramentas, onde apareceu a seguinte aba: Figura 03- Carregando os dadosA pasta Aula04 foi selecionada e dentro dela foi escolhido a pasta CBERS e a imagemCBERS_2B_HRC_20080719_151_C_123_4_L2_BAND1.tif foi selecionada e add.Após a imagem carregar foi clicado com o botão direito sobre a aba layers e depois com obotão direito sobre Properties, como na imagem:Figura 04- Acessando propriedades da imagem CBERS 8
  10. 10. O menu que se abriu foi: Figura 05- Características da imagem do satélite CBERSFoi clicado sobre o ícone source, onde apareceu as características da imagem. Figura 06- Cellsize e Pixel Depht( CBERS) 9
  11. 11. Figura 07- Spatial Reference (CBERS)4.2 IKONOS:A imagem do IKONOS foi carregada clicando no ícone , sobre a barra de ferramentas, eo arquivo Ikonossad foi add.Após a imagem carregar clique com o botão direito sobre a aba layers e depois com o botãodireito sobre properties, como na imagem:Figura 08- Acessando propriedades da imagem Ikonossad 10
  12. 12. O menu que se abriu foi: Figura 09- Cellsize e Pixel Depht ( ikonossad) Figura 10- Spatial Reference ( iknossad)Em seguida foi cliclado sobre o ícone source, onde apareceu as características da imagem.Ainda na janela Layer Properties foi clicado na aba Symbology e deixado ativada apenas oterceiro canal como mostra a figura 11 e em seguida clique em Apply. 11
  13. 13. Figura 11- Ativando BandaAinda na aba Symbology foi clicado em Strecth e mudado o contraste para None (nenhum),depois mudado para Maximo e mínimo.4.3 LANDSAT:A imagem do landsat foi carregada através da barra de ferramentas, clicando no ícone , a pasta landsat foi selecionada e todos seus arquivos carregados. Em seguida o Alerta deSistema de coordenadas geográficas (Geographic Coordinate Systems Warning) apareceu,foi clicado em close para fechar.Em seguida no item abaixo do item Layers apenas a banda 01 ficou ativada. 12
  14. 14. Figura 12- Banda 01 ativadaEm seguida foi acessada sua Properties com dois cliques com o botão esquerdo do mouse. 13
  15. 15. Figura 13- Cellsize e Pixel Depht (Banda 01 Landsat) Figura 14- Spatial Reference (Banda 01 Landsat)Ainda em Properties foi clicado em Symbology e no Type None (nenhum).Depois a imagem de None foi passada para Histogram Equalize e ela voltou a serpancromática. 14
  16. 16. Utilizando agora abanda 01, 02 e 03 do sensor Ladsat, clique no ArcToolbox , onde iráaparecerá a barra: Figura 15- Barra do ArcToolboxClique em Search e digite na janela de pesquisa habilitada ( ) composite e clique duas vezes sobre ele na aba tool.Carregue as bandas 01, 02 e 03 do Satélite Landsat. 15
  17. 17. Figura 16- Carregando as bandasCom o nome landcomp, o arquivo composto gerado foi salvo na pasta aula 04.4.4 GEOEYE:Carregando a imagem Geoeye clicando no ícone , add a imagem e clique em no na opçãoque sucede a operação. Para uma melhor visualização da imagem o Zoom to Layer foiutilizado. Usando o mesmo procedimento dos outro satélites, foi-se em Properties para colherdados. 16
  18. 18. Figura 17- Cellsize e Pixel Depht ( GEOEYE) Figura 18- Spatial Reference ( GEOEYE)Para criar uma feição acessamos a parte do ArcToobox e pesquisamos Create Feature Classna aba search, quando encontrado clique sobre o comando.Em Feature Class Location a pasta Aula 04 foi escolhida.Em Featre Class Name foi dado o nome de vias e em Geometry Type, foi habilitado Polyline. 17
  19. 19. Figura 19 – Create Feature ClassO passo seguinte foi habilitar a aba editora, clicando em editor na barra de ferramentas eclicando em Start Editing. Figura 20- Editor 18
  20. 20. Em seguida uma quadra da imagem foi vetorizada. 19
  21. 21. 5.0 RESULTADOS E DISCUÇÕESA seguir são apresentados os resultados e respostas das respectivas perguntas para os satélites.5.1 CBERSQual a resolução espacial da imagem?2,5 mQual a resolução radiométrica?8 bits= 28= 256 ( varia de 0 á 255)Em qual sistema de projeções se encontra a imagem?UTM5.2 IKONOSQual a resolução espacial da imagem?1,1 mQual a resolução radiométrica?11 bits= 211= 2048 ( varia de 0 á 2047)Em qual sistema de projeções se encontra a imagem?UTMCom apenas a banda 03 ativada, foi perguntado: o que aconteceu?A imagem apresentou apenas tonalidade azul pois somente a banda blue (azul) ficou ativada. Figura 21- Comparando as imagens 20
  22. 22. Figura 22- imagens sem alteraçõesComo mostra na imagem 22, quando muda para None a imagem fica pancromática e emseguida quando aplica o máximo e mínimo ela não sofre alterações pois a mesma já havidosido alterada e sofrido modificações, portanto o comando de máximo e mínimo sobre ela nãoa modifica. .5.3 LANDSATQual a resolução espacial da imagem?30 mQual a resolução radiométrica?8 bits= 8 bits= 28= 256 ( varia de 0 á 255)Em qual sistema de projeções se encontra a imagem?UTMClicando no Type None a imagem perdeu a qualidade visual. Figura 23- Banda 01 do Landsat com Type None 21
  23. 23. Clicando no Histogram Equalize a imagem voltou a ser pancromática.Figura 24- Banda 01 do Landsat com Histogram Equalize 5.4 GEOEYEQual a resolução espacial da imagem?0,5 mQual a resolução radiométrica?8 bits= 8 bits= 28= 256 ( varia de 0 á 255)Em qual sistema de projeções se encontra a imagem?UTMPor que a imagem não foi carregada do mesmo jeito que as outras?Porque a imagem do GEOEYE foi carregada apenas com uma banda ativa, enquanto a doLANDSAT foi carregada com 3 bandas ativas.Imagem do GEOEYE vetorizada. Figura 25- imagem vetorizada 22
  24. 24. 6.0 CONCLUSÃODurante a execução do trabalho foi possível compreender a eficácia e importância doArcGIS no curso de Engenharia Ambiental.O trabalho proporcionou na prática o entendimento do ArcMAP e sua aplicação.Foi observado que antes de trabalhar numa imagem, é necessário primeiro analisar seu destinopara sua utilização de forma correta.Uma das principais dificuldades encontradas durante a formulação do trabalho foi ainexperiência e inabilidade com o software trabalhado.Conclui-se que o trabalho de forma geral atingiu sua expectativa, pois foi possível aprenderos conceitos básicos de geoprocessamento e sua inserção junto ao SIG e conhecer algunsrecursos do ArcMAP, como explorar e trabalhar informações de imagens de satélites.
  25. 25. 7.0 REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICASRODRIGUES, M. Introdução ao Geoprocessamento. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DEGEOPROCESSAMENTO, 1990, São Paulo. Anais. São Paulo: Universidade de São Paulo,1990, 1-26pROSA, R. & BRITO, J. L. Introdução ao Geoprocessamento: Sistema de InformaçãoGeográfica. Uberlândia,1996.

×