Excelência na Pesquisa
Um Manifesto para a Pesquisa Qualitativa
© TNS 2013
Um manifesto para a pesquisa qualitativa
“A pesquisa qualitativa tem-se banalizado, correndo o risco de perder o seu
poder...
O estado em que nos encontramos
Um Manifesto para a Pesquisa Qualitativa
O estado em que nos encontramos
Na tentativa de acompanhar o ritmo da
mudança, a ...
Acreditamos que devemos ser exigentes e oferecer cada
vez mais. Os clientes não se devem contentar com um
processo de inve...
O meio não é a mensagem
A revolução digital tem criado muitas e
mais frequentes oportunidades de
interação com as marcas e com a
comunicação de Ma...
Colocar novamente o Contexto nos
Quali
Os Estudos Qualitativos necessitam
regressar às origens para se relembrarem
da importância de conhecerem realmente o
indiv...
Um Manifesto para a Pesquisa Qualitativa
Colocar novamente o Contexto nos Quali
O bom investigador irá sentir e desvendar
...
O Contexto em prática
Acreditamos que a pesquisa qualitativa, ao focar-se na
importância do contexto para a compreensão das pessoas
e das marcas...
Um Manifesto para a Pesquisa Qualitativa
O contexto em prática
Para a TNS, isto significa alavancar as vantagens de ser a ...
Um Manifesto para a Pesquisa Qualitativa
O contexto em prática
Demonstramos a importância que damos
aos profissionais qual...
Um Manifesto para a Pesquisa Qualitativa
O contexto em prática
Oferecemos sessões qualitativas de imersão a
investigadores...
Acreditamos que renovar o foco nos pontos fortes dos quali
e no rigor profissional, constituem a chave para nos
afastarmos...
Sobre Opinion Leaders
Opinion Leaders é uma série regular de artigos realizados por consultores da
TNS, tendo como base a ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Um Manifesto para a Pesquisa Qualitativa

1.826 visualizações

Publicada em

"A pesquisa qualitativa tem-se banalizado, correndo o risco de perder o seu poder de delinear estratégias de negócio e de fornecer uma compreensão inspiradora sobre o consumidor” afirma Rebecca Wynberg, CEO da Prática Global Qualitativa da TNS.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.826
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.145
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Um Manifesto para a Pesquisa Qualitativa

  1. 1. Excelência na Pesquisa Um Manifesto para a Pesquisa Qualitativa © TNS 2013
  2. 2. Um manifesto para a pesquisa qualitativa “A pesquisa qualitativa tem-se banalizado, correndo o risco de perder o seu poder de delinear estratégias de negócio e de fornecer uma compreensão inspiradora sobre o consumidor” afirma Rebecca Wynberg, CEO da Prática Global Qualitativa da TNS. E continua, “Estamos preocupados com o facto de que a pressão para fornecer resultados imediatos e com a crença de que os entrevistados exprimem o que querem dizer e dizem o que querem exprimir, possa enfraquecer o verdadeiro insight. A investigação qualitativa necessita de revindicar o seu potencial interpretativo, afirmar a sua especialização e manter o foco na compreensão das pessoas e das marcas nos seus contextos mais relevantes.” 2 © TNS 2013
  3. 3. O estado em que nos encontramos
  4. 4. Um Manifesto para a Pesquisa Qualitativa O estado em que nos encontramos Na tentativa de acompanhar o ritmo da mudança, a investigação qualitativa está a perder o seu rumo. Os consumidores estão mais influentes do que nunca e existe uma pressão para entregar informação rápida aos clientes ou arriscam-se a ser deixados para trás pela revolução digital. A investigação tem priorizado a oferta de resultados instantâneos mesmo que proporcionem poucos insights e que nada contribuam para a direção a longo-prazo do negócio do cliente. Mas transformar a investigação num equivalente de um produto de fast-food só pode ter um efeito negativo na qualidade do trabalho entregue. A investigação qualitativa tem, muito frequentemente, sido utilizada quando já é demasiado tarde para maximizar o seu valor. Os projetos são encomendados para rapidamente serem tomadas decisões de avaliação como uma alternativa mais rápida e barata à investigação quantitativa: um “carimbo” na melhor das hipóteses, um substituto da tomada de decisão na pior das hipóteses. E é cada vez menos frequentemente utilizada onde possui um maior poder para inspirar o crescimento do negócio e novas e criativas formas de pensamento – ou seja, como uma parte integrante do desenvolvimento estratégico desde o seu início. 4 © TNS 2013
  5. 5. Acreditamos que devemos ser exigentes e oferecer cada vez mais. Os clientes não se devem contentar com um processo de investigação submisso que apenas resulta nas respostas esperadas. Não devem ficar satisfeitos com investigadores que não desafiam ou reformulam os briefings da sua pesquisa, que não questionam sobre as ambições comerciais do seu negócio. 5 © TNS 2013
  6. 6. O meio não é a mensagem
  7. 7. A revolução digital tem criado muitas e mais frequentes oportunidades de interação com as marcas e com a comunicação de Marketing. Mas paradoxalmente, isto arrisca abafar o que os consumidores e as marcas estão a tentar dizer uns aos outros – podemos estar muito ocupados a falar para conseguirmos realmente escutar. É atraente imaginar que todas estas novas metodologias e técnicas desenvolvidas para impulsionar os meios sociais e digitais estão a proporcionar uma aprendizagem aprofundada sobre os consumidores, mas na investigação qualitativa, o meio não é a mensagem. Independentemente dos métodos e formas de conexão, a compreensão dos consumidores e marcas ainda assenta na compreensão do comportamento humano e das suas emoções a um nível profundo. Podemos ser capazes de entrar em contacto com mais pessoas, mais facilmente do que nunca, mas – enquanto indivíduos únicos – eles permanecem tão evasivos e imprevisíveis como sempre foram. A oportunidade é a de utilizar as novas tecnologias e os múltiplos canais digitais de modo a que forneçam uma compreensão rica ao invés de um fluxo adicional de meros dados. Agora mais do que nunca, necessitamos do poder interpretativo do investigador para ajudar a compreender as respostas do consumidor no contexto e a relacioná-las com os objetivos do cliente. “Podemos estar muito ocupados a falar para conseguirmos realmente escutar.” Um Manifesto para a Pesquisa Qualitativa O meio não é a mensagem 7 © TNS 2013
  8. 8. Colocar novamente o Contexto nos Quali
  9. 9. Os Estudos Qualitativos necessitam regressar às origens para se relembrarem da importância de conhecerem realmente o indivíduo e as formas como os indivíduos existem no Mundo. Só então poderemos redescobrir a magia dos Quali e auxiliar os nossos clientes a verem que os insights são novas formas, surpreendentes e inspiradoras, de compreensão das suas marcas e dos seus clientes - os insights não são simples observações. Necessitamos de recuperar as melhores tradições da pesquisa qualitativa neste mundo em mutação. Os novos conhecimentos provindos da Psicologia Cognitiva e da Economia Comportamental estão a produzir mudanças significativas na compreensão que temos das motivações e comportamentos humanos. Tais conhecimentos relembram- nos de que as necessidades e as motivações não são sentidas ou realizadas num vácuo. Temos que ajudar os nossos clientes a verem como as necessidades se traduzem em comportamentos que vão impactar os seus negócios. E acreditamos que a chave para cumprirmos este objetivo é a utilização do contexto como o nosso princípio guia. Seja a um nível individual, cultural ou ambiental, o contexto influencia tanto as necessidades como o comportamento. Para ter isto em consideração, um bom investigador qualitativo deve „conhecer‟ as pessoas como humanos (e não como „consumidores‟) a um nível individual: a sua psicologia, motivações e hábitos. O investigador deve aprofundar para compreender os „Múltiplos Eus‟, os multifacetados eus que as pessoas apresentam para se adequarem à situação, o público vs. o privado, o local de trabalho vs. o espaço social, o virtual vs. o real, reconhecendo que existe uma enorme sobreposição. Um Manifesto para a Pesquisa Qualitativa Colocar novamente o contexto nos Quali 9 © TNS 2013
  10. 10. Um Manifesto para a Pesquisa Qualitativa Colocar novamente o Contexto nos Quali O bom investigador irá sentir e desvendar as tensões e complementaridades dentro do indivíduo e, principalmente, a relação que estas têm com os contextos culturais e ambientais mais amplos. Isto implica estar alerta para as normas sociais, para a evolução de tendências e para as diferentes modas. Isto requer também uma compreensão da envolvente em que as pessoas tomam as suas decisões – não apenas a casa física ou o centro comercial, mas aquela nuvem de media e de comunicações, deportos, cultura popular e outros estímulos onde todos habitamos. No contexto mais global e multicultural dos negócios , os investigadores qualitativos confrontam-se com a necessidade de entrar em ambientes que nem sempre compreendem de forma intuitiva: mercados em desenvolvimento, classes médias emergentes, consumidores da base da pirâmide. Aqui, o conhecimento recebido e a prática anacrónica podem ser perigosos; muitos pressupostos assumidos como certos estão a ser desafiados e uma sólida compreensão de novos contextos é essencial para que os Quali cumpram aquilo que é necessário. O contexto é tudo, mas vale quase nada sem um profissional qualitativo especialista. Investigadores excelentes são estudiosos permanentes da natureza humana capazes de fornecer insights, expertise e, acima de tudo, empatia, para ajudar na solução das questões de negócio do cliente. Essa qualidade instintiva pode ser alimentada e reforçada através do treino e da experiência e está na base do trabalho de um bom investigador: a capacidade para conceber a abordagem adequada de pesquisa, para entrevistar, para moderar, para interpretar e analisar, e para fornecer ao cliente uma direção inspiradora e acionável. 11 © TNS 2013
  11. 11. O Contexto em prática
  12. 12. Acreditamos que a pesquisa qualitativa, ao focar-se na importância do contexto para a compreensão das pessoas e das marcas, e ao reafirmar o valor de trabalhar com profissionais especialistas, será central para potenciar o crescimento do negócio dos clientes. 12 © TNS 2013
  13. 13. Um Manifesto para a Pesquisa Qualitativa O contexto em prática Para a TNS, isto significa alavancar as vantagens de ser a maior agência qualitativa do mundo e de fornecer pesquisa qualitativa de acordo com os seus fundamentos originais. Vamos aplicar todo o conhecimento e insights culturais que advêm da nossa experiência qualitativa em 60 países onde estamos presentes, integrando informações a partir de uma grande variedade de diferentes fontes internas e externas à nossa empresa, oferecendo o quali online e mobile mais alargado do mundo de forma que a pesquisa em-contexto possa ser conduzida em qualquer lugar. 13 © TNS 2013
  14. 14. Um Manifesto para a Pesquisa Qualitativa O contexto em prática Demonstramos a importância que damos aos profissionais qualitativos contratando as melhores pessoas, alimentando os melhores talentos e entregando trabalho aos clientes que se fundamenta em conhecimento relevante, onde quer que esses especialistas estejam na nossa empresa. 14 © TNS 2013
  15. 15. Um Manifesto para a Pesquisa Qualitativa O contexto em prática Oferecemos sessões qualitativas de imersão a investigadores do cliente de forma a melhorar a sua apreciação de uma boa pesquisa qualitativa. A nossa definição da pesquisa e das metodologias reflete as questões contextuais relevantes e o contexto do briefing específico de cada cliente, combinando a tradição rica da pesquisa qualitativa com os mais atuais conhecimentos em áreas como a Economia Comportamental e a Psicologia Cognitiva. 15 © TNS 2013
  16. 16. Acreditamos que renovar o foco nos pontos fortes dos quali e no rigor profissional, constituem a chave para nos afastarmos de uma abordagem transacional e banalizada, e para fornecermos pensamento energizante e transformacional. A nossa missão é colocar inteligência inspirada e perspicaz na pesquisa e surpreender os nossos clientes com novas formas de olhar para os seus negócios. 16 © TNS 2013
  17. 17. Sobre Opinion Leaders Opinion Leaders é uma série regular de artigos realizados por consultores da TNS, tendo como base a sua experiência adquirida através do trabalho realizado em projetos de clientes em mais de 80 mercados globais, com insights adicionais adquiridos através de estudos dos quais a TNS é proprietária como o Digital Life, Mobile Life e o Commitment Economy. Sobre a TNS A TNS aconselha os seus clientes em estratégias de crescimento específicas relacionadas com entrada em novos mercados, inovação, mudança de marca e gestão de stakeholder, tendo como base experiência estabelecida e soluções líderes de mercado. Com presença em mais de 80 países, a TNS tem mais conversas com os consumidores do Mundo do que qualquer outra empresa e compreende os comportamentos e atitudes humanos individuais em qualquer região cultural, económica ou política do Mundo. A TNS faz parte da Kantar, um dos maiores grupos de insights, informação e consultoria do Mundo. Por favor visite www.tnsglobal.com ou www.tns.pt para mais informações. Entre em contato Se quiser falar connosco sobre qualquer coisa que tenha lido neste relatório, por favor contacte-nos via tns.contacto@tnsglobal.com Siga-nos! Aviso Legal Relatório propriedade da TNS. Não é permitida a reprodução, comunicação pública ou qualquer outro ato sem autorização expressa da TNS. Sobre a autora Rebecca Wynberg, CEO da Global Qualitative Practice da TNS, trabalha como investigadora qualitativa desde a sua chegada ao Reino Unido em 1981. Em 1994, Rebecca fundou Sadek Wynberg Research que se tornou a maior agência qualitativa independente do Mundo. Esta agência foi vendida à Millward Brown em 2003, tendo então Rebecca assumido a posição de CEO do departamento qualitativo da Millward Brown UK. Antes de entrar para a TNS, Rebecca trabalhou como consultora estratégica para clientes multinacionais, especialmente em parceria com a Unilever de forma a elevar os padrões do trabalho qualitativo conduzidos em seu nome através de um treino global de longo alcance e de um programa de acreditação dos técnicos qualitativos. Rebecca é apaixonada pelo valor que a pesquisa qualitativa pode trazer aos negócios se for bem concebida e conduzida, tendo um enorme orgulho em trabalhar com clientes e colegas especialistas de modo a encontrar formas inspiradoras de compreender as pessoas e as marcas. 17 © TNS 2013

×