• Curtir
  • Salvar
Semana Santa em Minas Gerais
Próximos SlideShare
Carregando em...5
×

Semana Santa em Minas Gerais

  • 483 visualizações
Carregado em

Este PowerPoint está disponível para cópia no link abaixo: ...

Este PowerPoint está disponível para cópia no link abaixo:
http://historiasylvio.blogspot.com.br/2012/03/semana-santa-em-minas-gerais.html

Outras publicações com textos, imagens, vídeos, PowerPoints, infográficos animados e jogos sobre História, Minas Gerais, trens e algo mais estão disponíveis para consulta e download no blog HistóriaS:
http://historiasylvio.blogspot.com.br

= = = = = = = = = =

Existem muitas maneiras de se viver a semana santa. Alguns comungam ideais e atitudes participando dos preparativos e execução das atividades religiosas, outros fazem retiros espirituais, outros aproveitam a natureza e outros relaxam em casa.
Todas são boas opções!

Mas o que eu gosto de focar na semana santa é a sensação de pertencimento a algo maior e de agradecimento pela vida que temos. Seria muito bom se a maior parte de nós vivêssemos a maioria dos dias com disponibilidade e gratidão, tendo boa vontade de participar de atividades coletivas para atingir objetivos comunitários, como é o caso das procissões, missas, vigílias e outras atividades realizadas durante este período.

Resolvi fazer esta apresentação para compartilhar um pouco das tradições mineiras (e brasileiras).
Entre tantas cidades, escolhi Mariana, São João del-Rei e Ouro Preto por serem mais documentadas e considerá-las bastante representativas.

Paz, fé e força para todos nós!

Mais em: Educação
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Tem certeza que quer?
    Sua mensagem vai aqui
    Seja o primeiro a comentar
    Be the first to like this
Sem downloads

Visualizações

Visualizações totais
483
No Slideshare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
0

Ações

Compartilhamentos
Downloads
0
Comentários
0
Curtidas
0

Incorporar 0

No embeds

Conteúdo do relatório

Sinalizado como impróprio Sinalizar como impróprio
Sinalizar como impróprio

Selecione a razão para sinalizar essa apresentação como imprópria.

Cancelar
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Semana SantaSemana Santa Minas GeraisMinas Gerais
  • 2. Quem visita as cidades históricas de Minas Gerais na Semana Santa encontra, além da arquitetura barroca, diversas manifestações religiosas. É possível contemplar os mistérios dos antigos tempos que inspiraram trabalhos de poetas, pintores e escultores que viveram entre os séculos XVIII e XIX. Ouro Preto, Mariana, Ouro Branco, Sabará, Congonhas, Diamantina, Serro, São João del-Rei e Tiradentes oferecem um belo cenário com seu casario colonial, suas igrejas e museus, pontes e ruas de pedras, além das roupas dos anjos e dos paramentos dos sacerdotes e fiéis que acompanham as procissões. Nestas e em outras regiões de Minas Gerais as celebrações, encenações, missas e vigílias atraem turistas de todo o país e do exterior que vivenciam a religiosidade, lenta e respeitosa, das pessoas nas ladeiras e antigos templos, na simbologia da vida, paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo.
  • 3. MarianaMariana
  • 4. Mariana se destaca pela tradição e simplicidade comovente de sua Semana Santa. As celebrações começam na Quinta-feira Santa com a Benção dos Santos Óleos. A cerimônia marca o início do Tríduo Pascal (três dias de preparação para a Páscoa) com a consagração dos sacerdotes e a bênção dos óleos do batismo, da crisma e da unção dos enfermos. Se destaca a Procissão das Almas, que ocorre na madrugada da Sexta-feira da Paixão para o Sábado de Aleluia. Os moradores e visitantes vestem túnicas brancas e saem pelas ruas, revivendo uma antiga lenda da cidade. Reza a lenda que nesta época do ano os mortos saem do cemitério, em procissão, e vão até a igreja passando por todo centro histórico. A representação da Paixão de Cristo, dividida em duas partes, acontece entre quinta e sexta-feira, geralmente na Praça Minas Gerais. No Sábado de Aleluia há shows musicais e a queima do Judas, na qual bonecos de pano são pregados na cruz e incinerados. Na tarde do Domingo de Páscoa acontece a Procissão de Ramos nas ruas cobertas com tapetes de serragem colorida, pó de café e cal, feitos pela população.
  • 5. São João del-ReiSão João del-Rei
  • 6. A Semana Santa de São João del-Rei, conhecida como a terra da música e do soar dos sinos, conserva antigas características barrocas. A música das orquestras bicentenárias Ribeiro Bastos e Lira Sanjoanense abrilhantam os principais cerimoniais, seja nas solenidades da Catedral-Basílica de Nossa Senhora do Pilar, seja em cerimônias públicas, como no Ato do Lava-Pés, realizado na Quinta-Feira Santa, que lembra o gesto de Jesus Cristo, lavando os pés de seus 12 apóstolos, ou no Descendimento da Cruz e na Procissão do Enterro, na Sexta-Feira da Paixão. O período religioso prima pela organização, beleza cênica, emoção e tradição. A celebração é a única no Brasil que preservou a utilização do latim nos Motetos e nas Matinas e Laudes, tocados e cantados na Catedral do Pilar. Um dos destaques é o Descendimento da Cruz, realizado na Sexta-Feira Santa, na escadaria da Igreja de Nossa Senhora das Mercês. Em seguida, segue a Procissão do Enterro, com o acompanhamento de milhares de pessoas. No Sábado Santo a comunidade cristã é convidada a permanecer em espírito de recolhimento, seguindo toda a noite com a Vigília Pascal. Para encerrar, no Domingo da Ressurreição, o Bispo Diocesano celebra a Solene Missa Pontifical. As partituras de autoria de compositores que viveram na região nos séculos XVII e XVIII – Padre José Maria Xavier, Ireno Batista Lopes, Manoel Dias – são executadas pela Orquestra Ribeiro Bastos. Não há encenação teatral da paixão e morte de Cristo. As imagens de Jesus e de Nossa Senhora, dos dois ladrões, entre outras, são mantidas nas procissões. O ponto alto é o Descendimento da Cruz e, em seguida, a Procissão do Enterro, com o acompanhamento de milhares de pessoas. O cortejo percorre as principais ruas do centro histórico da cidade em silêncio, só quebrado pelo Canto da Verônica – interpretado por uma das cantoras do coral da Orquestra Ribeiro Bastos, em frente dos Passinhos (pequenas capelas encravadas entre as casas coloniais) – ou pelas matracas (instrumentos de percussão, com base de madeira e argolas de ferro) que seguem a procissão. Jovens retratam as personagens bíblicas, como Salomé com a cabeça de São João Batista, Ruth, Judith, Josué e Abrahão. Tem ainda a Guarda Pretoriana, vestida a caráter, com lanças pontiagudas, ao lado do esquife de Cristo, depois de sua agonia no Calvário.
  • 7. Ouro PretoOuro Preto
  • 8. Ouro Preto tem uma maneira peculiar de celebrar a Quaresma e a Semana Santa. Por características de sua formação, a cidade possui duas igrejas matrizes, a Matriz de Nossa Senhora do Pilar e o Santuário de Nossa Senhora da Conceição, que se revezam na realização da Semana Santa. Na noite da Quarta-feira Santa acontece na igreja responsável pela organização naquele ano uma celebração de origem medieval: o Ofício das Trevas. A igreja fica às escuras, iluminada apenas por velas. Os fiéis rezam salmos, lamentações e fazem leituras da Bíblia. Ao final de cada salmo, uma vela é apagada. A celebração lembra o sofrimento de Cristo descrito na Bíblia. Na Quinta-feira Santa há na Igreja de São Francisco de Assis a Bênção dos Santos Óleos e a celebração do Lava-pés, quando o arcebispo repete o gesto de humildade de Jesus e lava os pés dos apóstolos, representados por crianças da comunidade. Na Sexta-feira da Paixão acontece a solene procissão do Santo Sepulcro, na qual a imagem de Cristo é levada do Santuário de Nossa Senhora da Conceição até a Matriz de Nossa Senhora do Pilar, cuja fachada é ornamentada para a ocasião nas cores vermelha e roxa em sinal de luto. Os fiéis, enfeitados com roupas religiosas, representam ao longo do caminho figuras e passagens bíblicas. Esse é o único dia do ano em que não são celebradas missas. No Sábado de Aleluia, os fiéis ficam em vigília, à espera da chegada do Domingo da Ressurreição. O dia marca o início do ano litúrgico católico. Também é o dia da confecção dos tapetes de serragem nas ruas e quando as janelas das casas são decoradas com colchas de retalho, toalhas bordadas e vasos de flores. Em Ouro Preto, a confecção dos tapetes conta com a participação de moradores e turistas. O trabalho atravessa a madrugada. No Domingo de Ramos, os ramos das plantas são abençoados de manhã na Igreja de São Francisco de Assis. À tarde duas procissões saem de áreas diferentes da cidade e se encontram na Praça Tiradentes, para simbolizar o encontro de Maria com seu filho carregando a cruz, a caminho do calvário. Os tapetes, confeccionados com serragem colorida, pétalas de rosas, palha de café, cal e outros produtos, se transformam em imagens que simbolizam a fé cristã, e ligam a Matriz do Pilar, no centro, à Igreja do Senhor Bom Jesus do Matozinhos. A extensão do tapete é de dois quilômetros e boa parte do material utilizado para confecção é fornecida pela prefeitura.
  • 9. Música: Sylvio Bazote ( Abril de 2011 ) Formatação: Gloria Laus ( Monastério de Silos )