Aula de portugues material demonstrativo (aula 7)

19.129 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Educação
2 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
19.129
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
21
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
438
Comentários
2
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula de portugues material demonstrativo (aula 7)

  1. 1. 1 AULA 7 – Material demonstrativo - Prof. Sávio (032- 88871301) FRASE, ORAÇÃO, PERÍODO A FRASE é um enunciado completo, a unidade mínima de comunicação, podendo ser constituída de uma só palavra: Fogo! Silêncio! Atenção! De várias palavras, entre as quais pode haver ou não um verbo: ORAÇÃO: É a frase onde existe o verbo. Se houver apenas um verbo, teremos uma oração, se dois, duas orações e assim por diante. Conta-se o número de orações contando o número de verbos presentes em uma frase. PERÍODO: É a frase organizada em oração ou orações. Quando temos um período formado por apenas uma oração temos um período simples, se tiver mais de uma oração será um período composto. Para definirmos os limites de um período, ou seja, onde começa um e termina outro, basta lembrarmos que o período termina sempre com uma pausa bem definida. Que se marca na escrita com ponto, ponto de exclamação, ponto de interrogação, reticências. A ORAÇÃO E SEUS TERMOS ESSENCIAIS São termos essenciais da oração o SUJEITO e o PREDICADO. O SUJEITO é o ser sobre o qual se faz uma declaração; o PREDICADO é tudo aquilo que se diz do SUJEITO. Assim, na oração: Este aluno obteve ontem uma boa nota sujeito Predicado SUJEITO ESTRUTURA DO SUJEITO Considere as orações a seguir e procure responder, mentalmente, à pergunta referente a cada uma delas. 1. Um velho ônibus percorria, toda tarde, as estradinhas da região.  Que é que percorria? 2. “Os punks atravessam as praças com seus cabelos coloridos de anjos rebelados.” (Lêdo Ivo)  Quem é que atravessa? 3. Foram punidos pela Justiça os responsáveis pelo acidente.  Quem é punido? 4. No escuro, a voz de um mentiroso se revela (Rubem Fonseca)  Que é que se revela? As respostas a essas perguntas indicam a respeito de quem (ou de que) se está falando: “um velho ônibus”, “os punks”, “os responsáveis pelo acidente”, “a voz de um mentiroso”.
  2. 2. 2 AULA 7 – Material demonstrativo - Prof. Sávio (032- 88871301) Dizendo de outra maneira: as respostas identificam o sujeito de cada uma das orações. Entre o sujeito e o verbo estabelece-se a correlação fundamental da oração: a concordância verbal. Observe: SUJEITO VERBO 1. Um velho ônibus (singular) Percorria (singular) 2. Os punks (plural) Atravessam (plural) 3. Os responsáveis pelo acidente (plural) Foram punidos (plural) 4. A voz de um mentiroso (singular) Revela (singular) A análise dos exemplos acima leva-nos à conceituação de sujeito: Sujeito é o termo (palavra ou conjunto de palavras) da oração que designa o ser a respeito do qual se declara alguma coisa; é também o elemento com o qual o verbo estabelece concordância. Em geral, uma oração é constituída por duas partes. Uma delas é o sujeito; a outra é tudo aquilo que se diz do sujeito: o predicado. Assim, nas orações em estudo, temos: 1. Um velho ônibus percorria, toda tarde, as estradinhas da região. SUJEITO PREDICADO 2. “Os punks atravessam as praças com seus cabelos coloridos de anjos rebelados” SUJEITO PREDICADO 3. Foram punidos pela Justiça os responsáveis pelo acidente. PREDICADO SUJEITO 4. No escuro, a voz de um mentiroso se revela SUJEITO PREDICADO CARACTERÍSTICAS DO SUJEITO Em relação ao sujeito da oração, convém estar atento às seguintes características: 1. Na prática, o sujeito pode ser identificado por meio da pergunta “Que(m) é que + [verbo]?” reveja esse procedimento nas quatro orações anteriores. 2. O sujeito exige que o verbo concorde com ele. 3. O núcleo (palavra principal) do sujeito, por ser um termo independente na estrutura sintática da oração, não pode ser regido por preposição. 4. A péssima conservação das rodovias provoca muitos acidentes Núcleo do Sujeito Sujeito
  3. 3. 3 AULA 7 – Material demonstrativo - Prof. Sávio (032- 88871301) Uma observação importante é quanto à hierarquia existente entre os termos do período. Uma hierarquia é uma gradação de importância que pode ser estabelecida do mais importante para o menos importante ou vice-versa. Os termos mais importantes são dois: sujeito e predicado. Como são os mais importantes são chamados de ESSENCIAIS. Ocupando o segundo lugar em importância, vêm os termos que compõem o PREDICADO: o verbo, o objeto direto e o objeto indireto. Formam um conjunto integrado. Como formam um conjunto integrado, esses termos são chamados de INTEGRANTES. Em último lugar, os chamados termos ACESSÓRIOS que são: adjuntos, aposto, vocativo. Estudaremos detalhadamente cada uma deles em momento apropriado. Por hora, apenas se lembre que existe esta hierarquia. Quando ela é respeitada, dizemos que o período esta na ordem direta, que distribui os termos no período segundo a sua hierarquia de importância. A representação esquemática da ordem direta seria como abaixo exemplificada. Outro exemplo, agora um pouco mais detalhado. ESQUERDA DIREITA Sujeito Predicado Verbo ob.direto ob. Indireto Adjunto adverbial Maria Comprou Doces Para mim Na padaria Como se vê, a ordem direta é o espelho do grau de importância que os gramáticos conferiram aos termos: Em primeiro lugar: SUJEITO e PREDICADO (essenciais) Em segundo, no predicado, o coeso conjunto: VERBO, OBJETO DIRETO, OBJETO INDIRETO (integrantes) Por último: ADJUNTO ADVERBIAL (acessório)
  4. 4. 4 AULA 7 – Material demonstrativo - Prof. Sávio (032- 88871301) Classificação dos Tipos de sujeito Os tipos de sujeito são: determinado (simples, composto e oculto) e indeterminado (indeterminado e oração sem sujeito). Vejamos cada um deles: Simples Determinado Composto SUJEITO Oculto Indeterminado Indeterminado Oração Sem Sujeito Sujeito determinado é aquele que se pode identificar com precisão a partir da concordância verbal. É o que ocorre nas orações: Faltou-nos determinação naquele momento. SUJEITO Lazer e esporte conduzem à saúde mental e física. SUJEITO SUJEITO SIMPLES: Na primeira oração, o sujeito determinado apresenta um único núcleo: o substantivo “determinação”. É, por isso, um sujeito determinado simples. SUJEITO COMPOSTO: Na segunda oração, o sujeito apresenta dois substantivos como núcleos: lazer e esporte. Os sujeitos determinados que apresentam dois ou mais núcleos são chamados sujeitos determinados compostos. É composto o sujeito que tem mais de um núcleo, ou seja, o sujeito constituído de: a) Mais de um substantivo b) Mais de um pronome c) Mais de uma palavra ou expressão substantivada d) Mais de uma oração substantiva
  5. 5. 5 AULA 7 – Material demonstrativo - Prof. Sávio (032- 88871301) SUJEITO OCULTO: O sujeito determinado oculto, apesar de não ser explicitamente apresentado na oração, pode ser reconhecido pela desinência do verbo ou pelo contexto em que a oração é empregada. Exemplos: Como aceitaremos a existência de vida em outros planetas? Sujeito: nós (oculto – identificável pela desinência –emos). O velho vaqueiro rememorava as viagens / que fizera pelos sertões. Duas orações sujeito da 1ª: o velho vaqueiro (determinado simples) Sujeito da 2ª: ele (determinado oculto) SUJEITO INDETERMINADO: Uma oração tem sujeito indeterminado quando o falante que a constrói não quer – ou não pode – fixar com exatidão o sujeito. Existem duas estruturas sintáticas por meio das quais é possível indeterminar o sujeito. Veja a seguir: a) Oração com verbo na 3ª pessoa do plural Exemplo: Dizem que pintar é uma boa distração. O fato de o verbo apresentar-se na 3ª pessoa do plural não implica, necessariamente, que o sujeito seja indeterminado. Às vezes, o verbo está na 3ª pessoa do plural, mas o contexto permite identificar seu sujeito. Veja: Ontem, arruaceiros entraram na escola e quebraram os vidros da biblioteca b) Oração com verbo na 3ª pessoa do singular + pronome se Exemplos: Desconfiou-se dos valores apresentados Verbo na 3ª pessoa do singular + se  sujeito indeterminado Era-se mais feliz naquele tempo Verbo na 3ª pessoa do singular + se  sujeito indeterminado Não se dorme bem com este calor insuportável. Verbo na 3ª pessoa do singular + se  sujeito indeterminado SUJEITO INEXISTENTE: Existem no idioma alguns verbos que apresentam uma particularidade sintática: eles não admitem sujeito. Tais verbos, denominados impessoais, formam as orações sem sujeito. 1. Verbo Haver O verbo Haver é impessoal quando empregado no sentido de “existir” ou de “acontecer” e quando indica tempo passado.
  6. 6. 6 AULA 7 – Material demonstrativo - Prof. Sávio (032- 88871301) EX: Havia muitas pessoas na festa (haver = existir) Em outubro haverá eleições municipais (haver = acontecer) Ele se mudou para Salvador há alguns anos (haver = tempo passado) 2. Verbo Fazer O verbo fazer é impessoal quando indica tempo (decorrido ou a decorrer) Ex: Já fazia dois anos que ele se mudara para o interior. Amanhã, fará seis meses que vocês nos visitaram. 3. Verbo Ser (em expressões de tempo) e verbos indicativos de fenômenos da natureza. OBS: 1. Na indicação de distancia, horas e datas, o verbo ser também é impessoal (sem sujeito); apesar disso, ele concorda com o número que indica a distancia, a hora ou a data. Ex: Daqui a Manaus são dois mil quilômetros Hoje são 5 de abril. (também é correto: Hoje é 5 de abril – por subentender-se a palavra dia) 2. Verbos indicativos de fenômenos da natureza, quando empregados em sentido figurado, tem sujeito e, evidentemente concordam com ele. Ex: Choveram telegramas de apoio ao prefeito EX: Era verão; as praias estavam coloridas, cheias de gente É madrugada: lá fora, na rua, já se ouvem passos. Ainda não choveu o suficiente este ano. Nesta região do país faz pouco frio.
  7. 7. 7 AULA 7 – Material demonstrativo - Prof. Sávio (032- 88871301) FUNÇÕES DA PALAVRA “SE” Existem duas estruturas sintáticas semelhantes em que a palavra “se” é utilizada. Nelas, essas palavras tem diferentes classificações. Veja a seguir: ÍNDICE DE INDETERMINAÇÃO DO SUJEITO A palavra “se” tem essa classificação quando se associa a uma forma verbal na 3ª pessoa do singular em orações que não admitem a passagem para a voz passiva analítica (voz passiva com locução verbal). Exemplo: 3ª pessoa do singular Confiava-se nos amigos Índice de indeterminação do sujeito Repare que a transformação para a passiva analítica é impossível: “Nos amigos era confiado” (estrutura frasal inexistente no idioma) PRONOME APASSIVADOR O “se” é pronome apassivador usado aparece associado a uma forma verbal (singular ou plural) constituindo orações na voz passiva pronominal (sintética). Essas orações admitem a passagem para a voz passiva analítica. Exemplo: Voz passiva pronominal Voz passiva analítica Publicou-se o livro O livro foi publicado verbo Sujeito Sujeito Locução Verbal Note que o sujeito é o mesmo na passiva pronominal e na passiva analítica. Nos dois tipos de passiva, a concordância do verbo com o sujeito é normal: sujeito no singular = verbo no singular. Sujeito no plural = verbo no plural
  8. 8. 8 AULA 7 – Material demonstrativo - Prof. Sávio (032- 88871301) Tipos de Sujeito – exercícios 1- A caravana perdeu-se no deserto. 7- Os gêmeos continuavam a fazer um barulho a) Sujeito composto ensurdecedor. b) Sujeito simples a) Sujeito composto c) Sujeito inexistente b) Sujeito simples d) Sujeito oculto c) Sujeito inexistente e) Sujeito indeterminado d) Sujeito oculto 2- Os camelos caminhavam em fila. e) Sujeito indeterminado a) Sujeito composto 8- Essa água quente vem de uma torneira invisível. b) Sujeito simples a) Sujeito composto c) Sujeito inexistente b) Sujeito simples d) Sujeito indeterminado c) Sujeito inexistente e) Sujeito oculto d) Sujeito oculto e) Sujeito indeterminado 3- Aquele homem é sábio. a) Sujeito composto 9- Diferentes partes do mar continham diferentes b) Sujeito simples tipos de histórias c) Sujeito inexistente a) Sujeito composto d) Sujeito oculto b) Sujeito simples e) Sujeito indeterminado c) Sujeito inexistente 4- Voltei atrás num capítulo. d) Sujeito oculto a) Sujeito composto e) Sujeito indeterminado b) Sujeito simples c) Sujeito oculto 10- E, porque tinham uma forma fluida, (as histórias tinham uma capacidade de mudar). d) Sujeito inexistente a) Sujeito composto e) Sujeito indeterminado b) Sujeito simples 5- Bastian e a irmã preferiam os livros complicados. c) Sujeito inexistente a) Sujeito composto d) Sujeito oculto b) Sujeito simples e) Sujeito indeterminado c) Sujeito inexistente d) Sujeito oculto 11- Os três príncipes aderiram ao projecto do rei. a) Sujeito composto e) Sujeito indeterminado b) Sujeito simples 6- Os pensamentos de Bastian regressaram c) Sujeito inexistente contrariados à realidade. d) Sujeito oculto a) Sujeito composto e) Sujeito indeterminado b) Sujeito oculto 12- Acabou de dizer isto e morreu. c) Sujeito simples a) Sujeito composto d) Sujeito inexistente b) Sujeito simples e) Sujeito indeterminado c) Sujeito inexistente d) Sujeito oculto e) Sujeito indeterminado
  9. 9. 9 AULA 7 – Material demonstrativo - Prof. Sávio (032- 88871301) 13. A oração sem sujeito caracteriza-se por: 19. Defina o tipo de sujeito desta oração: "Faz dez an que cheguei aqui." a) O sujeito está indeterminado. b) Não se atribui o fato a nenhum ser. a) Sujeito oculto. c) O sujeito está simplesmente oculto. b) Sujeito simples. d) O fato é atribuído a um ser determinado. c) Sujeito indeterminado. d) Oração sem sujeito. 14. A oração sem sujeito caracteriza-se por: 20 - Defina o tipo de sujeito desta oração: "Seriam a) O sujeito está indeterminado. quatro horas da tarde." b) Não se atribui o fato a nenhum ser. c) O sujeito está simplesmente oculto. a) Oração sem sujeito. d) O fato é atribuído a um ser determinado. b) Sujeito indeterminado. c) Sujeito oculto. 15. A oração sem sujeito possui apenas: d) Sujeito composto. a) Objeto direto. b) Objeto indireto. 21. "Aqui não me cheira bem". Neste exemplo temos c) Predicado. uma oração sem sujeito, pois: d) Sujeito oculto. a) Não há sujeito simples. b) Não há um sujeito possível, agente da ação. 16. "Anoitecia silenciosamente." Nesta oração temos: Não há um sujeito composto. c) d) Nenhuma das anteriores. a) Sujeito simples b) Oração sem sujeito. c) Sujeito indeterminado. 22. "Já deve passar de dois anos." Qual é o tipo de d) Sujeito oculto. sujeito? a) Sujeito oculto. 17. "Será muito cedo?" "Como está calor!" b) Sujeito indeterminado. c) Sujeito simples. Quais são os sujeitos destas orações? d) Oração sem sujeito. a) Orações sem sujeito. b) cedo / calor. 23. "Nunca ninguém acariciou uma cabeça de c) muito / como. galinha." Qual é o sujeito e o tipo de sujeito desta d) nenhuma das anteriores. oração? a) Nunca ninguém / composto. 18. Defina o tipo de sujeito desta oração: b) Ninguém / simples. c) Ninguém /indeterminado. "Fazia um calor infernal no sertão." d) Nunca / simples. a) Sujeito indeterminado 24. "Um esparso tilintar de chocalhos e guizos morria b) Oração sem sujeito. pelas quebradas." Qual é o sujeito e o tipo de sujeito c) Sujeito simples desta oração? d) Sujeito oculto. a) Um esparso tilintar de chocalhos e guizos / simples. b) Um esparso tilintar de chocalhos e guizos / composto. c) Um esparso tilintar / simples. 25. "Não choremos, amigos, a mocidade. d) Chocalhos e guizos / composto.
  10. 10. 10 AULA 7 – Material demonstrativo - Prof. Sávio (032- 88871301) " Qual é o tipo de sujeito desta oração? 30. Flores me são os teus lábios. Qual é o a) Sujeito indeterminado. tipo de predicado desta oração? b) Sujeito oculto. c) Sujeito simples. a) Nominal. d) Oração sem sujeito. b) Verbal. c) Verbo-nominal. d) Não há predicado. 26. "Corriam por aqueles dias boatos da revolução. 31. O núcleo de um predicado nominal " Nesta oração o tipo de sujeito é: pode ser: a) Sujeito simples. a) Adjetivo, substantivo, pronome b) Sujeito oculto. substantivo, verbo, numeral. c) Oração sem sujeito. b) Adjetivo, locução adjetiva, substantivo, d) Sujeito indeterminado. palavra substantivada, pronome substantivo, numeral. c) Adjetivo, locução adjetiva, pronome 27. "O homem, a fera e o inseto, à sombra delas, substantivo, palavra substantivada, verbo. vivem d) Adjetivo, substantivo,pronome substantivo, locução adjetiva, advérbio, livres de fome e fadigas." Nesta oração o sujeito é: numeral. a) Sujeito indeterminado. b) Oração sem sujeito. 32. "Você virou pau de amarrar égua?" c) Sujeito oculto. Qual a função sintática de "pau de d) Sujeito composto. amarrar égua"? a) Sujeito indeterminado. 28. Justifique por que o sujeito desta oração é b) Predicativo do sujeito. oculto: c) Predicativo do objeto. d) Adjunto adnominal. "Não chores, meu filho." a) Não é possível identificar o sujeito. 33. "Você virou pau de amarrar égua?" b) O sujeito é o próprio verbo. Justifique porque este predicado é c) O praticante da ação é "tu", mas não aparece nominal. grafado. d) O sujeito está indeterminado. a) O seu núcleo é um substantivo. b) O seu núcleo é uma locução adjetiva. c) Locuções não podem ser núcleos de 29. Justifique porque o predicado desta oração predicados. d) O seu núcleo é um verbo de ligação. é nominal: "Os olhos não estavam bem fechados." a) O seu núcleo é um nome. b) O seu núcleo é verbo intransitivo. c) O seu núcleo é um verbo de ligação. d) O núcleo nada tem a ver com o tipo do predicado.
  11. 11. 11 AULA 7 – Material demonstrativo - Prof. Sávio (032- 88871301) Verbo e Predicado A relação sintática básica das orações é a que se estabelece entre o sujeito e o verbo, que ocorre sempre no predicado. Assim, a estrutura geral de uma oração típica da língua portuguesa pode ser representada esquematicamente da seguinte forma: Sujeito Predicado (com o verbo) Termo que designa o ser a respeito Termo da oração que exprime aquilo de que(m) se fala e com o qual o que se declara a respeito do sujeito. verbo concorda Agora veremos os verbos que podem ocorrer numa oração e os tipos de predicado a que esses verbos dão origem. TIPOS DE VERBO A classificação de um verbo depende das relações que se estabelecem entre ele e alguns outros termos específicos. Em uma oração, o verbo pode ser de dois tipos: verbo de ligação ou verbo significativo (nocional). VERBO DE LIGAÇÃO Verbo de ligação é todo verbo cuja única função é, como o nome já indica, ligar o sujeito a um estado, uma característica ou um modo de ser desse sujeito. Veja: PARA QUE SABER? O silencio do interior da capela era reconfortante. A classificação dos verbos, além de ser Sujeito Característica básica pra o estudo do sujeito do predicado, é também um pré- requisito para o estudo de regência Verbo de ligação verbal. Regência verbal, por sua vez, é um dos tópicos da A característica atribuída ao sujeito por intermédio do verbo de ligação gramática cujo denomina-se predicativo do sujeito. No exemplo acima, o termo domínio é reconfortante exerce, portanto, a função sintática de predicativo. indispensável a Outro exemplo: quem utiliza o padrão culto do idioma. Do avião, o enorme rio parecia uma cicatriz na selva. Sujeito Predicativo do sujeito Verbo de ligação Temos, então:
  12. 12. 12 AULA 7 – Material demonstrativo - Prof. Sávio (032- 88871301) Verbo de Ligação Predicativo do sujeito É o verbo que, por si mesmo, nada informa a É o termo que exprime uma característica respeito do sujeito; ele apenas liga o sujeito ao (modo de ser ou de estar) atribuída ao sujeito predicativo. por intermédio de um verbo de ligação. O verbo de ligação, embora não tenha, por si só, um significado próprio, pode estabelecer diferentes relações de sentido entre o sujeito e o predicativo. Veja, no quadro abaixo, as mais comuns. Verbo de Relação de Exemplos ligação sentido Ser As crianças são curiosas. Estado permanente Viver Nosso amigo vive doente. Estar Estado ocasional Por que você está triste? Parecer Estado aparente A cidade parecia um deserto. Continuar O tempo continua muito frio. Estado contínuo Permanecer A situação permanecia indefinida. Ficar Sem você aqui, eu ficaria Mudança de estado nervoso. Virar O famoso piloto virou herói nacional. PREDICATIVO DO SUJEITO Predicativo é o termo que, por meio de um verbo, relaciona-se ao sujeito ou ao objeto, atribuindo-lhe uma qualidade, uma característica ou um estado. O predicativo do sujeito relaciona-se ao sujeito sempre por meio de um verbo de ligação, que pode estar explícito ou oculto na estrutura da oração. EXEMPLO: O planeta Terra é uma imensa nave espacial. Sujeito Predicativo do sujeito Verbo de ligação
  13. 13. 13 AULA 7 – Material demonstrativo - Prof. Sávio (032- 88871301) . VERBO SIGNIFICATIVO ( OU NOCIONAL) Todo verbo significativo expressa uma ação ou um acontecimento. Trata-se, portanto, de um tipo de verbo que tem em si mesmo um sentido, um significado característico. Exemplos: O juiz de paz cancelou a cerimônia do casamento. Verbo Significativo O sol poente se refletia vermelho nos trapos. Verbo Significativo Existem verbos que, dependendo das relações sintáticas e de sentido que estabelecem com os demais termos da oração, podem exercer o papel de verbo significativo ou de verbo de ligação. Compare: Os lavradores continuavam ansiosos, à espera das chuvas. Verbo de Ligação Predicativo do Sujeito Apesar das dificuldades, os lavradores continuavam a colheita. Verbo Significativo Já era quase noite, mas os lavradores continuavam nas plantações. Verbo Significativo
  14. 14. 14 AULA 7 – Material demonstrativo - Prof. Sávio (032- 88871301) Classificação dos verbos significativos Em uma oração, o verbo significativo pode ter sentido completo ou incompleto e, em razão disso, ele é classificado como transitivo ou intransitivo. Para compreender melhor esses dois conceitos, observe a comparação entre os verbos em destaque nas duas orações a seguir. O menino chorou O menino agrediu O sentido da ação está inteiramente contido O sentido da ação não está inteiramente na forma verbal chorou contido na forma agrediu. A ação de chorar exige apenas um A ação de agredir exige dois elementos: o elemento: o agente (no caso, o menino). agente (agressor) e o paciente/alvo (agredido). A ação de chorar não se estende, não O sentido da ação de agredir é incompleto. “transita” até outro elemento da oração. Ela Ele só se completa quando “transita” até um é uma ação completa em si mesma, ou paciente, ou seja, é uma ação transitiva. seja, é uma ação intransitiva. O verbo que não exige um elemento sobre Classifica-se como transitivo o verbo que o qual recaia a ação classifica-se como exige um elemento (alguém ou alguma transitivo. coisa) sobre o qual recaia a ação verbal. Esse elemento denomina-se objeto. Sujeito Sujeito O menino chorou. O menino agrediu o colega. V. intransitivo V. intransitivo Objeto Nos verbos transitivos, o processo verbal parte de um agente e vai até o objeto, que, além de representar o paciente (ou alvo do fator verbal), pode também representar o destinatário, o beneficiário ou ainda o produto/resultado desse fato. O objeto é,ortanto, o “ponto de chegada” de um processo verbal transitivo. VERBO TRANSITIVO DIRETO É aquele que não exige preposição iniciando seu objeto, que se classifica, por isso, como objeto direto. Os jornais publicaram esta notícia. VTD OD
  15. 15. 15 AULA 7 – Material demonstrativo - Prof. Sávio (032- 88871301) O garoto imaginava aventuras heróicas. VTD OD OBSERVAÇÃO: Na estrutura da oração, o objeto pode vir distanciado do verbo transitivo ao qual se associa. Veja: Ele analisou, com grande interesse, a nossa proposta. VTD OD OBJETO DIRETO O objeto direto é o termo da oração que se relaciona a um verbo transitivo direto, completando-lhe o sentido e representando o alvo, o paciente, o destinatário ou o resultado do fato verbal. Características do objeto direto 1. O objeto direto não é iniciado por preposição. 2. Oração que apresenta objeto direto admite a transformação para a voz passiva analítica: Todos discutirão o projeto (voz ativa) VTD OD O projeto será discutido por todos (voz passiva analítica) SUJEITO 3. O objeto direto é substituível pelos pronomes oblíquos o(s), a(s). Exemplo: Ninguém conhece o novo diretor. Ninguém o conhece. VTD OD VTD OD
  16. 16. 16 AULA 7 – Material demonstrativo - Prof. Sávio (032- 88871301) VERBO TRANSITIVO INDIRETO CONTINUA.... Entre em contato conosco e tenha o curso completo!!!

×