Fapesc

370 visualizações

Publicada em

Apresentação das atribuições da FAPESC - Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina.

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
370
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fapesc

  1. 1. Sobre a FAPESC Vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, aFAPESC (Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de SantaCatarina) é responsável pelo fomento à pesquisa científica e tecnológica catarinense, além de estimular a inovação em empresas, no governo e nas outras esferas da sociedade. Com isso, estimula o avanço de todas as áreas do conhecimento, para o equilíbrio regional e a melhoria da qualidade de vida em Santa Catarina. A FAPESC repassa recursos do governo estadual e de outras fontes, principalmentepara financiar projetos de pesquisa e inovação (cerca de 1.400 estão em andamento). Aproximadamente 4 mil pesquisadores desenvolvem trabalhos que envolvem 255 entidades, com apoio desta Fundação, responsável também por abrir novas chamadas públicas e manter os estudos de 530 bolsistas, do ensino médio à pós- graduação. Para se candidatar a bolsas ou aos recursos oferecidos para Fapesc, basta ler as chamadas públicas anunciadas no site www.fapesc.sc.gov.br. ______________________________________________________________ Um dos maiores programas da Fundação é a Rede Catarinense de Ciência e Tecnologia, que integra todos os 293 municípios do Estado. A rede garante, a maisde 1 milhão de pessoas, conexões gratuitas à internet em quase 2 mil pontos do território catarinense (escolas, museus, bibliotecas e outros locais públicos). Outros exemplos: Programa de Pesquisa para o Sistema Único de Saúde, pelo qual os usuários do SUS são beneficiados com inovações médicas e melhorias no atendimento. Entre as mais de 100 pesquisas resultantes,vale citar um sistema de diagnóstico de câncer de pele via imagens através da telemedicina, que viabiliza o envio de exames e sua análise por meio da internet, dispensando deslocamentos dos pacientes. A penúltima chamada pública bateu recorde: R$5 milhões foram oferecidos pelo programa, sendo R$3 milhões do Ministério da Saúde, R$1 milhão da FAPESC e R$1 milhão da Secretaria do Estado da Saúde. Como não houve projetos aprovados para tal volume de recursos, o residual deu origem ao que seria a última chamada pública do PPSUS, lançada em 2010. Programa de Apoio a Núcleos de Excelência – provê verbas para pesquisadores de competência internacional desenvolver estudos na fronteira do conhecimento. O próprio reitor da UFSC, Álvaro Prata, coordena um grupo contemplado pelo PRONEX, na área da refrigeração. Outro programa federal rendeu a instalação de 4 Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia em SC, reconhecidos como estratégicos no Sistema Nacional de C&T. Eles promoverão o desenvolvimento do estado em áreas estratégicas como tecnologia da informação e refrigeração, por facilitarem a incorporação das inovações por parte de empresas. Quatro institutos têm sedes na UFSC: INCT em Catálise em Sistemas Moleculares e Nanoestruturados; INCT em Convergência Digital; INCT em Refrigeração e Termofísica e INCT Brasil Plural. Eles são
  2. 2. financiados pelo governo federal (CNPq, R$10.594.668.71) e pelo governo estadual (FAPESC, R$8.744.668,70). A Fapeam entra com R$600 mil para financiar o Instituto Nacional de Pesquisas Brasil Plural, um esforço conjunto de vários pesquisadores, de diferentes Instituições, campos e especialidades da antropologia, entendida em seu sentido amplo, para propor e refletir sobre uma outra imagem sociocultural do Brasil, a partir de uma comparação entre a Amazônia e o Sul do Brasil. O Programa Universal é um dos mais tradicionais e foi criado ainda na época da Funcitec, em 2002. Só no ano passado, foram concluídos 123 projetos, entre eles um que resultou em nova tecnologia para produzir biodiesel a partir de gordura animal e outro que propôs soluções para os problemas sofridos por educadores, da ansiedade até depressão. Uma pesquisa desenvolvida por conta do Programa Jovens Pesquisadores já está dando resultados promissores para a recuperação de paraplégicos. Ela prevê a injeção de medicamentos na medula espinhal, associada ao uso de um material de origem bacteriana capaz de estimular a regeneração da coluna vertebral. Mediante apoio a incubadoras e parques tecnológicos, a FAPESC fomenta áreas tão distintas como entretenimento digital, biotecnologia, rastreamento veicular via satélite, software para telecomunicações e tecnologia da informação. De acordo com a vocação de cada região, as incubadoras espalhadas pelo Estado desenvolvem projetos inovadores como a urna eletrônica, aprovada pelo Tribunal Superior Eleitoral para uso em todo país. Um estudo sobre as causas dos acidentes provocados por mau uso da eletricidade em minas de carvão está sendo financiado com recursos do programa Valorização do Carvão Mineral. Outro foca na proteção humana para evitar choques ou mesmo mortes por descargas elétricas nas minas. Há 21 outras pesquisas em andamento. Todos os estudos são conduzidos por alunos economicamente carentes.Programas de bolsas viabilizam desde a iniciação científica até pesquisas de ponta Bolsas de iniciação científica (para aproximadamente 210 alunos, do ensino médio à universidade). Prêmio Mérito Universitário Catarinense: estimula a produção científica ainda durante a fase de graduação, dando a cerca de 330 alunos bolsas no valor mensal de R$350, ao longo de um ano. Antiga reivindicação da comunidade acadêmica, a FAPESC instituiu programa de bolsas com recursos oriundos exclusivamente do seu orçamento e permite a 145 bolsistas realizar mestrados e doutorados.
  3. 3. A FAPESC vem fortalecendo a agricultura catarinense ao fomentar a pesquisa sobre algumas culturas de destaque em nosso Estado. É o caso do incentivo aosprogramas de melhoramento genético e do lançamento de novas cultivares, que incrementam a competitividade catarinense no mercado agrícola. Vejamos alguns casos: Estudos sobre a cultura do arroz irrigado resultaram na duplicação dos índices de produção do cereal na última década, aumentando a renda de 8.000 famílias; As novas cultivares de maçã e feijão fizeram de Santa Catarina um destaque a nível internacional; As novas variedades de milho e as cultivares de goiaba serrana deram mais uma alternativa econômica para evitar o êxodo rural. A FAPESC também ajuda a aumentar qualidade dos vinhos catarinenses. Os que combinam uvas cultivadas no Planalto Serrano Catarinense - cujas altitudes e oscilações de temperatura favorecem a elaboração de vinhos com cor e sabor intensos - renderam bebidas vendidas ao preço de R$100 por garrafa. A FAPESC trata ainda de ações voltadas ao estado como um todo, como o Inventário Florístico-Florestal Catarinense, um levantamento do que sobrou de florestas e de plantas epífitas no território catarinense. Os dados obtidos poderão orientar a formulação de políticas públicas para preservação e uso sustentável dosrecursos florestais. O inventário foi conduzido pela FURB, em parceria com a Epagri, a Secretaria de Estado da Agricultura e a UFSC (por citar alguns parceiros da FAPESC).

×