01 informacao e-biosfera

137 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
137
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • A produção mundial de soja deve atingir na safra 2001/02 175,54 milhões de toneladas. Os principais países Produtores são os Estados Unidos, com 75 milhões, seguido pelo Brasil, com 31 milhões e a Argentina, com mais 18.5 milhões de toneladas
  • A produção mundial de soja deve atingir na safra 2001/02 175,54 milhões de toneladas. Os principais países Produtores são os Estados Unidos, com 75 milhões, seguido pelo Brasil, com 31 milhões e a Argentina, com mais 18.5 milhões de toneladas
  • 01 informacao e-biosfera

    1. 1. Os fluxos energéticos da Biosferae a evolução da cultura humana.Rio Claro, SP,Setembro 28, 2005FEA, UnicampEnrique OrtegaLaboratório de Engenharia EcológicaEncontro Estudantesde Ecologia da UNESPRN
    2. 2. ○ A transformação da energia potencial○ A informação como produto do ecossistema○ Conhecimento para a Sustentabilidade.Apresentação de diagramas de fluxos de energiapara estudar as seguintes questões:
    3. 3. Fluxos de EnergiaProdutorFonte de energiaexterna ilimitadaDeposito ou estoqueinterno (limitado)Transação preçoSumidouro de EnergiaFonte de energiaexterna limitadaConsumidorInteraçãoSistema ousubsistemaInterruptorSímbolos da linguagem de fluxos de energiaem sistemas (H.T. Odum, 1973).Culturahumana
    4. 4. A Energia Potencial se transforma e se dispersa.InteraçãoEnergiapotencialintensa esimples Energia menosintensa e maiscomplexa, compotencial detrabalhoEnergia compouco potencial,desorganizada edispersaEnergia potencialcomo matéria primaEnergiapotencialcomoenergiaauxiliarNo cosmos, parte daenergia potencial setransformou em matéria
    5. 5. A Energia gera Matéria.A Matéria se transforma e se dispersa.InteraçãoEnergiapotencialintensa esimplesEnergia compouco potencial,desorganizada edispersaEnergiapotencialMatéria comorecurso usadociclicamenteMatéria compouco potencial,desorganizada edispersaEvolução:energia e matéria comnovos atributos enovas capacidadesEnergia e matériadiversificada,complexa, comnovos atributosEnergia e matériatransformadas,mais complexas,com novospotenciais detrabalho
    6. 6. A matéria se transforma em novosrecursos com energia potencial.Os novos recursos geram novasinterações para seu aproveitamento.Energiapotencialintensa esimplesEnergia ematériacomplexa ediversa, compotencialEnergia compouco potenciale dispersaEnergiapotencialMatéria comorecurso usadociclicamenteRetro alimentaçãoConsumidor(uso e reciclo)Energia ematéria maiscomplexas comnovospotenciaisMatéria compouco potenciale dispersaEnergia ematéria cada vezmais complexa emais diversa,com potencialReciclagem de materiaisProdutor(fixação)
    7. 7. Evolução da energia e da matériaque se transformam em novos recursoscom nova energia potencial e novasinterações.Interação(fixação)Energiapotencialintensa esimplesEnergiadispersaEnergiapotencialMatéria comorecurso usadociclicamenteRetro alimentaçãoInteração(consumo)MatériadispersaReciclagemMatériaMatéria maisorganizadaBiomassavegetaldiversacomplexacom novospotenciaisBiomassaanimaldiversa ecomplexacom novospotenciaisInfo.Info.Info.Info.
    8. 8. A Energia e Matéria geram Informação.A Informação se transforma em conhecimento.A cultura humana controla a biosfera.InteraçãoPotencialenergéticoexternoBiomassa,diversidade,complexidadeEnergiadispersaEnergiapotencialMatériausadaciclicamenteInteraçãoInformaçãocom potencialorganizativoMatériadispersaRecursos dabiosfera nãoutilizadosInformaçãodispersadaA cultura humana controla a biosfera.
    9. 9. xEnergiasrenováveisEnergiadispersadaxInformaçãocientífica etecnológicaMatériadispersadaRecursosfósseis emineraisInformaçãodispersadaBiomassaHumanidademodernaOrdemnaturalOrdemantrópicaA competição excludente leva a extinção!Há um conflito entre a natureza e acultura, a qual está sendo vencedora .Biodiver-sidade
    10. 10. Informação: reflexões iniciais Se a informação é um certo tipo de energiaexistente na própria energia e na matéria, quepode ser interpretada e usada por uma entidadecom uma certa estrutura mínima; então nouniverso, quando as partes dele se transformamou se organizam, a informação existe e tambémé transformada. O objetivo da informação é organizar asentidades ou subsistemas para aumentar osbenefícios que podem conseguir de seu entorno. O insumo ou entrada de energia (alimento,sensações) é informação para um organismo oqual desenvolve mecanismos de manejo dainformação para seu processamento interno ecomunicação com o exterior.
    11. 11. A informação se perde quando sua base material sedegrada, a manutenção da qualidade da informaçãoexige um trabalho de cópia e recuperação a partirdos sistemas gerados pelas cópias.Trabalhode copiaMatrizes deinformaçãoInformaçãooriginalMatrizesdefeituosasDepreciaçãoEnergia eMateriaisEnergia eMateriais
    12. 12. Ciclo que garante a qualidade da informação(H.T. Odum, 2001)CopiasMatrizes deinformaçãoDepreciaçãoEnergiaControleControleInformaçãoem operaçãoReproduçãoSeleção ExtraçãoDispersãoInovaçãoReforço
    13. 13. A informação exige energia potencial nas etapas detransformação para ampliar sua área de influênciaProcessamento etransferência da informaçãoem etapas seqüenciaisEnergiasrenováveisA aumento dos consumidoreshumanos implica a redução doespaço da flora e fauna nativas!ConsumidorEcossistemasQualidade (energia agregada)da informaçãoÁrea de influênciaEtapas da cadeia tróficaMatrizes deinformação
    14. 14. Há uma hierarquia ou intensidade energética nainformação que exige uma área de suporte diferente.Qualidade ou intensidadeda informaçãoÁrea da biosfera atualEtapas da cadeia tróficaou energética.informação individualinformação familiarinformação regionalinformação internacionalinformação do entretenimento globalinformação cientifica e tecnológicainformação cultural e religiosa globalinformação política e militar globalÁrea de outraseras geológicas
    15. 15. Produção lenta de recursos e pulso de consumoEtapa Produtores Consumidores autocatalíticosA Acumulação lenta EsperaB Clímax e maturação RetornoC Utilização Consumo intensoD Recomposição Retirada ou hibernação0481216200 400 800 1200 1600 2000 2400 2800 3200TempoEmergia,sejRecursos dos acumuladoresRecursos dos consumidoresA BCDEnergia100 000100 00010 000100 0001 0001 000100 000100 000100 000MateriaisrecicladosAcumulaçãode recursosConsumo derecursosRecursosfósseis
    16. 16. Sumidouro de EnergiaSistema da BiosferaFontes externasde energia(limitadas)Etapa inicial de desenvolvimento humanoProdutoresEstoques dabiosfera:atmosfera,minerais,sedimentosEstoquesbiológicosEstoquesenergéticosfósseisConsumidorsustentávelRenováveisanualmenteMineraisMateriaisde foraSaída de materiaisRenováveisem centenasou milharesde anosFluxosEstoquesnão- renováveisFluxos de energia emateriais na BiosferaMinerais
    17. 17. Fontes externasde energia(limitadas)Sumidouro de EnergiaSistema da BiosferaCivilização urbana não industrialProdutoresEstoques dabiosfera:atmosfera,minerais,sedimentosEstoquesbiológicosEstoquesenergéticosfósseisConsumidorsustentávelRenováveisanualmenteMineraisMateriaisde foraSaída de materiaisRenováveisem centenasou milharesde anosConsumidornão- sustentávelFluxosEstoquesFluxos de energia emateriais na Biosfera
    18. 18. Fontes externasde energia(limitadas)Sumidouro de EnergiaSistema da BiosferaCivilização atualProdutoresEstoques dabiosfera:atmosfera,minerais,sedimentosEstoquesbiológicosEstoquesenergéticosfósseisConsumidorsustentávelRenováveisanualmenteMineraisMateriaisde foraEmissõeseResíduosSaída de materiaisRenováveisem centenasou milharesde anosConsumidornão- sustentávelFluxosEstoquesFluxos de energia emateriais na Biosfera
    19. 19. Fontes externasde energia(limitadas)Sumidouro de EnergiaSistema da BiosferaSituação inicial do reajusteProdutoresEstoques dabiosfera:atmosfera,minerais,sedimentosEstoquesbiológicosEnergiasfósseisConsumidorsustentávelRenováveisanualmenteMineraisMateriaisde foraEmissõeseResíduosSaída de materiaisNãoRenováveisConsumidornão- sustentávelFluxosEstoquesdecrescentesFluxos de energia emateriais na BiosferaTransferência depessoas e recursos
    20. 20. TempoDe seres anaeróbicos àaeróbicos, atmosferatermo-regulada com O2- 10 000DesenvolvimentoSustentávelDe 0 até 4 bilhõesde anos da TerraMudanças nos estoques da BiosferaBiodiversidade,imobilizaçãode Carbono1500 2000 2100TransiçãoRecuperaçãodosecossistemasnaturaisO crescimentohumanodesloca outrasespéciesmesmo sem ouso de energiafóssilCrescimentoindustrialAjuste dapopulação emudançadossistemas deprodução econsumoopções
    21. 21. Onde se encaixa a desordemdentro de um Universosupostamente ordenado?Empréstimo de 6 slides da apresentação:Pesquisas sobre a natureza dos sistemas.MT Brown (2005)http://www.emergysystems.org/lectures.php
    22. 22. Em todos os sistemas ocorre um balanço entreOrdem e Desordem…FontesdeEnergiaDispersão de materiais / ReciclagemDepreciação da OrdemProdução de OrdemEstruturasorganizadasFragmentosdispersos
    23. 23. As fontes de energia utilizadas na produção de “ordem”podem ser designadas como “Energias Ordenadoras”EnergiaOrdenadoraFontes deEnergiaInteraçãoprodutivaRecursosmateriaisEstruturasordenadas
    24. 24. As Energias Ordenadoras são, geralmente, umconjunto variado e variável de energias…ChuvaMarésVentoSolMateriaisdispersosEstruturas queincorporam materiaise energiaSe alguma Energia Ordenadora exceder o valor normalpode constituir um pulso de desordem do sistema.Tempo+++++++++ ++++++++++++ +FluxosdeEnergia+++++++++ ++++++++++++ +TempoFluxosdeEnergiaHomemPulsoFenômenosgeológicos
    25. 25. O pulso de energia que desordena é consideradoum desastre…FuracãoInundaçãoTornadoTerremotoIncêndio florestalEnergia degradadaFontesdeEnergiaOrdemProdução de OrdemPulso de desordemDesordemMateriaisIntervenção humana
    26. 26. Pode-se definir como Pulso de Energia Desagregadora todoaquele fluxo de energia cuja freqüência e magnitude excede ovalor ao qual o sistema está adaptado.Fogo Guerra“Consumofrenético”Energia OrdemDesordemEnergia OrdemDesordemEnergia OrdemDesordem“Consumofrenético”FogoAtualmente a cultura humana trava uma guerra contra a natureza,seu suporte vital. Essa guerra pode levar a extinção.
    27. 27. Adaptação à Desordem …Após o pulso catastrófico a situação atrai forçasexternas que reparam e reorganizam a vida.Em realidade …umpulso de desordemem uma certa escalapode ser normal naseguinte escala degrandeza.PulsoorganizadorPulso des-organizadorEnergiaOrdemMat eriais
    28. 28. O CosmosMatériadispersaRadiaçãode fundo2.7 KelvinAgregadosPlanetasCentrosgalácticosEstrelasintensasEstrelasModelo de sistema energético para o universo, sugerido porH.T. Odum (2002), que mostra os elementos e os processosque ocorrem na estrutura hierárquica de transformaçãoBuracosnegrosQuasarsFluxo dematériaFluxode EnergiaEnergia radianteCiclagem de materiaisGravidade, pulsos, controle de retro-alimentaçãoMini-Bangs!
    29. 29. Subsistemas quepodem interagirO homem como unidade aberta.ÁguaEco-sistemasComidaInteraçãoSistemanervosoMemóriaCorpo Interação com anatureza localInteração socialexternaExperiênciaSistema auto-catalíticoModelosConhecimento CapacidadeinterpretativaVontade
    30. 30. Redes de intercâmbio na humanidade.ÁguaEco-sistemasComidaInteraçãoConhecimentoe modelosSistemanervosoMemóriaCorpoSistema detrocasmateriais esimbólicassimplesSistema de trocasmateriais e simbólicascomplexas
    31. 31. SociabilizaçãoEstudo básicoAplicaçãoReproduçãoInovaçãoIntercâmbioMaturidadeAutodeterminaçãoDefesa e ataqueAutonomiaPrestigioMotivos das trocas na humanidade.ÁguaArEco-sistemasComidaInteraçãobásicaSaberfazerSistemanervosoMemóriaCorpoTrabalhosNovashabili-dadesSociabilização,Aprimoramento, Especialização,Inovação, Intercâmbio, Maturidade,Serviços de maior qualidade,Defesa e ataque,Autonomia,PrestigioDescanso
    32. 32. Sociabilização,Estudo básico, AplicaçãoReproduçãoInovaçãoIntercâmbioMaturidadeAutodeterminaçãoDefesa e ataqueAutonomiaPrestigioValores para ohomem e ahumanidade.Sociabilização,Aprimoramento,Especialização,Inovação,Intercâmbio,Maturidade,Serviços de maior qualidade,Defesa e ataque,Autonomia,PrestigioBenevolênciaTradição,ConformismoSegurança,PoderRealização,HedonismoEstimulaçãoAutodeterminaçãoUniversalismo
    33. 33. Aproveitamento da energia disponível em uma áreaCadeia trófica Energia dispersadaFontesrenováveisexternasProdutoresResíduosReciclagemNutrientes->Informação<- em via duplaConsumidoresDecompositores-> Hierarquia espacial
    34. 34. Áreas de suporte para a informação-> Hierarquia espacialCadeia tróficaProdutoresResíduosReciclagemNutrientesInformação e controleem via duplaConsumidoresDecompositores-> Informações hierarquizadas
    35. 35. Áreas de suporteProdutoresResíduosReciclagemNutrientesRetro-alimentaçãoConsumidores-> Hierarquia espacialDecom-positoresCombustíveisfósseisFluxos deenergia, materiais,seres, informações,resíduos, dinheiroDispersão de calor,resíduos e ruídoDispersão decalor, resíduose ruídoÁrea de suporte maior, existente em outras eras.Área de suporte maior, existente em outras eras.
    36. 36. Áreas de suporteProdutoresResíduosReciclagemNutrientesRetro-alimentaçãoConsumidores-> Hierarquia espacialDecom-positoresFluxos deenergia, materiais,seres, informações,resíduos, dinheiroDispersão deresíduos.-> Redução da cadeia de energia e informação no futuro próximoRedução daInformaçãoEncolhimento dabase energética eda cadeia trófica
    37. 37. Ar eOceanoTerrasemersasMate-riaisPetróleoBiomassaBiodiversidadeSolo, ÁguaGasesÓxidosÁcidosIndústriaEstoquesatmosféricosChuvaAnimaissuperioresHomemurbanopetróleobiodiversidadepopulaçãoEcossistema alteradoBiosfera
    38. 38. UniversidadeEstado de SãoPaulo, Brasil,América LatinaRecursoseconômicosEnsino, PesquisaExtensãoAdministraçãoCrise doscritériosde valorPrioridadesmundiaisquestionáveisPessoas comestruturasmentaisespecializadas ecritérios de valorConhecimentobásico e aplicadoPropostasResíduosEmissõesEfluentesAlunosAlunosInfra-estruturaProfessoresFuncionáriosEnergias, recursos materiaise informaçõesdo meio abiótico e biótico.Planejamentodo longo prazoCrosta terrestreOceanos e atmosferaPopulação humanaEnergia solarSubmissão culturalEconomia estreita e falsaMoralidade excludenteArte e técnica alienadasIgnorância dos limitesCrise daBiosfera eAgenda 21Visões eprojetoslocaisNova cultura global:Economia BiofísicaÉtica da inclusão,Arte e técnica comcompromisso social
    39. 39. Ecossistema alteradoAlunos commotivaçõeslimitadas*IndústrialimitadaProcessoseducacionaiscom motivaçõeslimitadasProfissionaislimitadosSociedadelimitadaMaturidadeEstética do dramaAmor a verdadePerseverançaCriatividadeCoragemGovernolimitadoMotivaçãopessoal ecoletivaPolíticaÉtica ePoéticaAlunos comformaçãolimitadaProfessorescom motivaçõeslimitadasAções deQualidade* Motivações sociais e ambientais limitadas,porém com euforia econômica (decrescente)Reconhecimentodas limitaçõese autocríticaValores!!!Informaçõesde melhorqualidade emais amplasReconhecimento denovos potencias!
    40. 40. Álvaro Tamayo e Juliana Barretos (Orgs.)Valores e comportamento nas organizações.Editora Vozes, RJ, 2005ABERTURA AMUDANÇAAUTO-TRASCENDÊNCIAAUTO-PROMOÇÃOCONSERVAÇÃOBenevolênciaTradiçãoConformismoSegurançaPoderRealizaçãoHedonismoEstimulaçãoAutodeterminaçãoUniversalismo
    41. 41. Álvaro Tamayo e Juliana Barretos (Orgs.)Valores e comportamento nas organizações.Editora Vozes, RJ, 2005ABERTURA AMUDANÇAAUTO-TRASCENDÊNCIAAUTO-PROMOÇÃOCONSERVAÇÃO
    42. 42. Transformação culturalFechamento eimobilismoABERTURA(EROS)AUTO-TRASCENDÊNCIA(PATHOS)AUTO-PROMOÇÃO(LOGOS)CONSERVAÇÃO(THANATOS)++EstimulaçãoAutodeterminaçãoHedonismoRealizaçãoBenevolênciaTradiçãoConformismoSegurança
    43. 43. Idéias para o futuro1. Repor (restaurar)2. Retribuir (ressarcir)3. Reconhecer (resgatar)6. Diagramar sistemas7. Equacionar sistemas8. Modelar sistemas9. Comparar sistemas10. Diagnosticar sistemas4. Elaborar imagens reais e virtuais (imaginar)5. Interpretar imagenspetróleoBiodiversidadee qualidade daatmosferapopulação11. Impulsionar os novos sistemas adequados12. Refutar os sistemas inconvenientes
    44. 44. Importância de estudo e da reflexãosobre a informação, a auto-organização eos processos culturaisFazer a analise correta dossistemas de produção e consumo,no Brasil e no mundo, considerandoa esfera humana e a esferaecológica!
    45. 45. Sistema de produção e consumo de sojaUnidade de produção de sojaAtm.localSojaRBd.localEntradasBd.InfraestruturaSRSN$SR$ConsumoSistema RuralSR: Forças sociais renováveisSN: Forças sociais não sustentáveisAtm: AtmosferaBd: BiodiversidadeEMN: Empresas MultinacionaisFMI: Fundo Monetário Internacional$: Fluxos e estoques de dinheiroSNAtmosferaBiodiversidade
    46. 46. Sistema global de tomada de decisões na produção de sojaFonte: Ortega et al., 2005Produção de soja - BrasilAtm.localSojaRBd.localEntradasBd.InfraestruturaSRSN$Atm.RegionalBd.RegionalSR$SR$SNLobbiesGovernoDívidaAtm.RegionalBd.RegionalSRSN $SRSN $GovernoEMN FMIAtmosferaGlobalBiodiversidadeGlobalRecursos nãorenováveisRecursos da BiosferaUnião EuropéiaBrasilSistema RuralSR: Forças sociais em favor da sustentabilidadeSN: Forças sociais contra a sustentabilidadeAtm: AtmosferaBd: BiodiversidadeEMN: Empresas MultinacionaisFMI: Fundo Monetário Internacional$: Fluxos e estoques de dinheiroSNSociedade,Indústria,ComércioSociedade,Indústria,ComércioControle
    47. 47. Considerações finais É evidente a necessidade de uma nova cultura; Reconhece-se o valor da Auto-Organização nosprocessos de mudança cultural; Porém a Auto-organização da sociedadedepende do fornecimento de uma retro-alimentação de boa qualidade; Esta retro-alimentação deveria ser a tarefaprioritária da universidade orgânica e ecológica.
    48. 48. Sub-sistemasO futuro!NRRO presente!Agenda 21Fórum Social MundialInteligência ColetivaPaíses produtores de petróleoPaíses industrializadosProdutores de matérias primasSistemaGlobalSistemaMundialR
    49. 49. A informação e as conexões entre a cidade e o espaço ruralEspaçosVerdesÁrea de suporteCidadeCombus-tíveisBens ServiçosPessoasEnergiasrenováveisComercio& Industria PessoasGov.Univ.Infra-EstruturaResíduos$AgriculturaEcossistemasNaturais
    50. 50. Até aqui minhas idéias... Questões, dúvidas, sugestões? Retroalimentação? A palavra está com vocês ...Maiores informaçõeswww.unicamp.br/fea/ortega/ortega@fea.unicamp.br

    ×