Tipos de Inventários de Materiais e Métodos de avaliação dos Estoques
Objetivos:
- apresentar os tipos de inventários para...
4.2 Definição de inventário periódico
Esse tipo de inventário apura os estoques físicos em intervalos fixos (mensal, trime...
4.3 Definição de inventário permanente
Nesse sistema de inventário, o custo da mercadoria vendida – CMV indica o valor dos...
4.4 Método PEPS
O método PEPS (primeiro que entra, primeiro que sai) ou FIFO (first-in, first-
out) é aceito pela legislaç...
O estoque final é apurado pela sobra das unidades adquiridas multiplicadas pelo valor
do custo das últimas mercadorias adq...
Os valores referentes às saídas se alteraram em comparação ao método PEPS pelo fato
de a segunda venda se referir a valore...
A segunda venda de mercadorias teve apenas uma base de cálculo encontrado pela
média do preço unitário encontrado através ...
EXERCÍCIO DE N. 02 - Atividades de Aprendizagem - INVENTÁRIO
1) Defina inventário periódico e inventário permanente.
R:___...
Método UEPS
Desc. Entrada Saída Saldo
Data Qtde. Unit. Total Qtde. Unit. Total Qtde. Unit. Total
Total entradas: CMV: Esto...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Inventários peps ueps_e_mpm

369 visualizações

Publicada em

Inventario

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
369
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Inventários peps ueps_e_mpm

  1. 1. Tipos de Inventários de Materiais e Métodos de avaliação dos Estoques Objetivos: - apresentar os tipos de inventários para avaliação de estoques e sua influência no cálculo do custo das mercadorias vendidas - CMV; e - demonstrar as formas de apuração dos estoques pelos métodos PEPS, UEPS e MPM. 4.1 Os estoques e os inventários De acordo com Leone e Leone (2010), o controle de estoque possui uma importância significativa para as empresas, uma vez que sua mensuração afeta diretamente a elaboração da demonstração de resultado do exercício (DRE) e o balanço patrimonial das entidades. Deve abranger, como regra geral, tanto as mercadorias e os produtos de propriedade da empresa, em seu poder ou em poder de terceiros, quanto as mercadorias e os produtos de propriedade de terceiros que estejam sob a custódia da empresa. O termo inventário representa o estoque que a empresa possui para comercialização. Em termos industriais, pode estar relacionado com os estoques de matéria-prima, estoques em fase de elaboração e estoques efetivamente acabados. Dessa forma, é possível determinar que inventariar consiste em analisar os elementos patrimoniais de um dado patrimônio, descrevê-los, classificá-los e atribuir- lhes um valor. De acordo com Geocities (2013), o inventário deve abranger, como regra geral, todas as mercadorias de propriedade da empresa, quer estejam em seu poder, quer sob custódia de terceiros, excluídas, porém, as mercadorias de propriedade de terceiros que estejam em poder da empresa. Portanto, a inclusão de mercadorias no inventário deve basear-se no critério da propriedade e não no da posse. Os registros de inventário controlam o estoque em constante movimento e servem para a avaliação periódica dos resultados das operações e para a determinação da situação financeira da empresa. O inventário constitui peça fundamental no levantamento do estoque de uma empresa, compreendendo a conferência física de sua existência e seu valor em moeda. Existem basicamente dois tipos de inventários, que servirão de base para a apuração dos estoques e diferem por particularidades que serão tratadas adiante. Esses tipos de inventários são: inventário periódico e inventário permanente.
  2. 2. 4.2 Definição de inventário periódico Esse tipo de inventário apura os estoques físicos em intervalos fixos (mensal, trimestral, semestral ou anual). Classifica o controle de estoques para itens de demanda independentes, em que o número de itens de demanda é revisado em intervalos de tempo a tempo, não sendo possível apurar os estoques a qualquer momento em que se queira saber seu real valor. Em outras palavras, o inventário periódico é aquele que permite uma conferência física dos estoques em intervalos previamente definidos, não sendo possível conhecer a real situação dos estoques em períodos que não contemplem os previstos pela conferência. Conforme destaca Martins (2010), no inventário periódico o custo das mercadorias vendidas (CMV) é apurado pela conjugação entre os estoques iniciais advindos do período anterior, somados com as compras do período, deduzidos dos estoques finais de mercadorias que sobraram no período em questão. Sua fórmula pode ser assim demonstrada: custo das mercadorias vendidas (CMV) = estoque inicial de (EI) + compras (C) – estoque final (EF). Exemplo de cálculo pelo inventário periódico: - estoque inicial (sobras do período anterior) = R$ 12.000,00 - compras do período = R$190.000,00 - estoque final (sobras do período atual) = R$25.000,00 cálculo do custo das mercadorias vendidas (CMV) CMV = EI + C – EF CMV: 12.000 + 190.000 – 25.000 = R$177.000,00. Atualmente, devido à grande concorrência entre as empresas, às exigências dos órgãos reguladores e à necessidade de informações precisas para tomada de decisões gerenciais, as empresas, via de regra, apuram o custo das mercadorias vendidas (CMV) de suas operações baseadas em informações pontuais e no momento em que acharem necessário. Essas informações podem ser apuradas no sistema de inventário permanente que será tratado a seguir.
  3. 3. 4.3 Definição de inventário permanente Nesse sistema de inventário, o custo da mercadoria vendida – CMV indica o valor dos estoques vendidos que são apurados em cada venda ou a qualquer tempo que seja necessário se conhecer o real valor dos estoques da companhia. O registro permanente de estoques é um importante instrumento para controle mais eficiente dos investimentos necessários à manutenção dos estoques em uma empresa. Contêm também dados úteis ao planejamento e à programação das atividades operacionais. Em empresas comerciais, o inventário permanente facilita a discriminação dos custos no momento de sua contabilização de forma organizada, auxiliando a contabilidade geral na mensuração dos resultados. Em empresas industriais, onde o problema é mais complexo, a empresa deve estimar as etapas necessárias à formação dos sistemas de custeio e de todos os estoques referentes ao mesmo. Esse sistema oferece alguns métodos distintos para a apuração do custo das mercadorias vendidas – CMV, sendo estes o método PEPS – primeiro que entra – primeiro que sai; o método UEPS- último que entra - primeiro que sai e o método MPM – média ponderada móvel. De acordo com o Portal de Contabilidade (2013), existem críticas e comentários sobre esses métodos de avaliação, tais como: - No PEPS, ocorre baixa pela primeira unidade comprada, o valor do estoque existente estará sempre avaliado pelas últimas compras e, portanto, mais próximo do real, enquanto o CMV será obtido pelos preços mais antigos, o que acarretará um lucro maior do que o real, em casos de inflação. - O uso do UEPS provoca um valor de CMV mais atualizado, pois as baixas são feitas pelas últimas compras. Porém, mostra um estoque desatualizado, pois é avaliado pelas compras mais antigas. Em termos de resultado, mostrará um lucro mais real, mas, em termos patrimoniais, apresenta um estoque desatualizado. Importante destacar que esse método não é aceito pela legislação brasileira. - A MPM ajusta o valor médio dos estoques a cada aquisição de mercadoria e fornece uma média sobre os valores que já existiam e os estoques adquiridos recentemente. Essa média pode ser considerada como a melhor forma de apurar saldos de estoques e é o método que, via de regra, vem sendo mais utilizado no Brasil.
  4. 4. 4.4 Método PEPS O método PEPS (primeiro que entra, primeiro que sai) ou FIFO (first-in, first- out) é aceito pela legislação nacional e prevê que as aquisições iniciais de mercadorias devem ser as primeiras a serem baixadas a cada venda como forma de controle dos estoques. Nesse método, os estoques que se encontram na empresa devem ser baixados inicialmente pelas primeiras aquisições, ou seja, se a empresa comprou mercadoria em 01/01/X1, em 02/01/X1 e em 03/01/X1, no momento em que ocorrer qualquer venda, os estoques que deverão ser inicialmente baixados serão as aquisições de 01/01/X1, seguidas das aquisições de 02/01/X1 para daí então baixar as relativas a 03/03/X1. Esse método pode ser considerado como o que mantém os estoques mais novos, em valor, no depósito das empresas, uma vez que os mais antigos são vendidos primeiro, renovando-os constantemente. Ex.: pelo método PEPS: a) Em 01/01/X1: compra de 5.000 unidades de mercadorias ao custo de R$20,00/cada. b) Em 05/01/X1: venda de 4.000 unidades de mercadorias a R$30,00/cada. c) Em 10/01/X1: compra de 3.000 unidades de mercadorias ao custo de R$25,00/cada. d) Em 15/01/X1: venda de 3.500 unidades de mercadorias a R$35,00/cada. Desc. Entrada Saída Saldo Data Qtde Unit Total Qtde Unit Total Qtde Unit total 01/01 5.000 20,00 100.000,00 5.000 20,00 100.000,00 05/01 4.000 20,00 80.000,00 1.000 20,00 20.000,00 10/01 3.000 25,00 75.000,00 3.000 25,00 75.000,00 15/01 1.000 2.500 20,00 25,00 20.000,00 62.500,00 500 25,00 12.500,00 Total entradas: 175.000,00 CMV: 162.500,00 Estoque final:12.500,00 A segunda venda de mercadorias teve duas bases de cálculos diferentes, previstas pelo método PEPS, em que se baixaram primeiramente os estoques anteriores avaliados a valores de aquisição e, em seguida, as unidades que faltavam, também a seus valores de aquisição. A soma dos valores encontrados na saída, a preço de custo, irá representar o custo das mercadorias vendidas (CMV) que, somado ao estoque final, deve representar o valor total das entradas (compras) de mercadorias.
  5. 5. O estoque final é apurado pela sobra das unidades adquiridas multiplicadas pelo valor do custo das últimas mercadorias adquiridas que não foram efetivamente vendidas. 4.5 Método UEPS O método UEPS (último que entra, primeiro que sai) ou LIFO (last-in, first-out) considera, para efeito de controle dos estoques, que as últimas aquisições de mercadorias devem ser as primeiras que devem ser baixadas a cada venda. Assim, se a empresa comprou mercadoria em 01/01/X1, em 02/01/X1 e em 03/01/X1, no momento em que ocorrer qualquer venda, os estoques que deverão ser baixados primeiramente serão as aquisições de 03/01/X1, seguidas das aquisições de 02/01/X1 para daí então baixar as compras relativas a 01/03/X1. Esse método pode ser considerado como o que mantém os estoques mais antigos, em valor, no depósito das empresas, uma vez que os mais recentes são vendidos primeiramente, não ocorrendo assim a renovação dos mesmos. Ex.: pelo método UEPS. a) Em 01/01/X1: compra de 5.000 unidades de mercadorias ao custo de R$20,00/cada. b) Em 05/01/X1: venda de 4.000 unidades de mercadorias a R$30,00/cada. c) Em 10/01/X1: compra de 3.000 unidades de mercadorias ao custo de R$25,00/cada. d) Em 15/01/X1: venda de 3.500 unidades de mercadorias a R$35,00/cada. Desc. Entrada Saída Saldo Data Qtde. Unit. Total Qtde. Unit. Total Qtde. Unit. Total 01/01 5.000 20,00 100.000,00 5.000 20,00 100.000,00 05/01 4.000 20,00 80.000,00 1.000 20,00 20.000,00 10/01 3.000 25,00 75.000,00 3.000 25,00 75.000,00 15/01 3.000 500 25,00 20,00 75.000,00 10.000,00 500 20,00 10.000,00 Total entradas: 175.000,00 CMV: 165.000,00 Estoque final:10.000,00 A segunda venda de mercadorias teve duas bases de cálculos diferentes, previstos pelo método UEPS, em que se baixaram primeiramente os estoques anteriores avaliados a valores de aquisição e, em seguida, as unidades que faltavam, também a seus valores de aquisição.
  6. 6. Os valores referentes às saídas se alteraram em comparação ao método PEPS pelo fato de a segunda venda se referir a valores unitários diferentes. Como consequência, o custo das mercadorias vendidas – CMV também se alterou. O estoque final também ficou alterado quando comparado com o método PEPS pelo fato de a base de cálculo das unidades também ser diferente. 4.6 Método MPM O método MPM (média ponderada móvel) possibilita às empresas o controle de seus estoques de forma permanente a cada aquisição de mercadorias, ajustando seus estoques a valores médios entre os que já existiam e os que foram adquiridos mais recentemente. Nesse método, os estoques que se encontram na empresa devem ser baixados pela média de suas aquisições, ou seja, se a empresa comprou mercadoria em 01/01/X1, em 02/01/X1 e em 03/01/X1, devem-se somar os totais dos valores de aquisição e dividi-los pelo total das unidades adquiridas. O saldo restante também será computado por essa média, em valor, dos estoques. Esse método pode ser considerado como o que mantém os estoques atualizados, em valor, no depósito das empresas. Ocorre, no entanto, a necessidade da baixa dos estoques, que, pela lógica, devem ser os estoques mais antigos para a atualização dos mesmos, embora não haja essa menção no referido método. Ex.: pelo método MPM. a) Em 01/01/X1: compra de 5.000 unidades de mercadorias ao custo de R$20,00/cada. b) Em 05/01/X1: venda de 4.000 unidades de mercadorias a R$30,00/cada. c) Em 10/01/X1: compra de 3.000 unidades de mercadorias ao custo de R$25,00/cada. d) Em 15/01/X1: venda de 3.500 unidades de mercadorias a R$35,00/cada. Desc. Entrada Saída Saldo Data Qtde. Unit. Total Qtde. Unit. Total Qtde. Unit. Total 01/01 5.000 20,00 100.000,00 5.000 20,00 100.000,00 05/01 4.000 20,00 80.000,00 1.000 20,00 20.000,00 10/01 3.000 25,00 75.000,00 4.000 23,75 95.000,00 15/01 3.500 23,75 83.125,00 500 23,75 11.875,00 Total entradas: 175.000,00 CMV: 163.125,00 Estoque final:11.875,00
  7. 7. A segunda venda de mercadorias teve apenas uma base de cálculo encontrado pela média do preço unitário encontrado através da soma do saldo anterior com o saldo da referida aquisição, dividido pelo total das unidades somadas de ambos. Os valores referentes às saídas se alteraram em comparação ao método PEPS e UEPS pelo fato de as vendas serem baixadas a preços médios. Como consequência, o custo das mercadorias vendidas – CMV terá um valor diferente. O estoque final também ficou diferente do método PEPS e do UEPS pelo fato de o cálculo das unidades ter sido feito com base na média dos valores dos estoques.
  8. 8. EXERCÍCIO DE N. 02 - Atividades de Aprendizagem - INVENTÁRIO 1) Defina inventário periódico e inventário permanente. R:____________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ 2) Defina os métodos PEPS, UEPS, MPM. R_____________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ 3) Com base nos dados a seguir, apure o CMV da empresa X assim como o estoque final do período pelos métodos PEPS, UEPS e MPM. a) Em 01/03/X1: compra de 8.000 unidades de mercadorias ao custo de R$10,00/cada. b) Em 10/03/X1: venda de 6.500 unidades de mercadorias a R$20,00/cada. c) Em 20/03/X1: compra de 4.000 unidades de mercadorias ao custo de R$12,00/cada. d) Em 30/03/X1: venda de 5.300 unidades de mercadorias a R$23,00/cada. Método PEPS Desc. Entrada Saída Saldo Data Qtde. Unit. Total Qtde. Unit. Total Qtde. Unit. Total Total entradas: CMV: Estoque final:
  9. 9. Método UEPS Desc. Entrada Saída Saldo Data Qtde. Unit. Total Qtde. Unit. Total Qtde. Unit. Total Total entradas: CMV: Estoque final: Método MPM Desc. Entrada Saída Saldo Data Qtde. Unit. Total Qtde. Unit. Total Qtde. Unit. Total Total entradas: CMV: Estoque final:

×