Orientação enf. juliana e patricia

1.622 visualizações

Publicada em

SOBRE HIGIENE, DESINFECÇÃO DOS
UTENSÍLIOS E EQUIPAMENTOS UTILIZADOS

Publicada em: Saúde
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.622
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
392
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
78
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Orientação enf. juliana e patricia

  1. 1. PREFEITURA MUNICIPAL DE ORINDIÚVA VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE ORINDIÚVA ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA PROFISSIONAIS CABELEIREIROS, MANICURES /PEDICURES
  2. 2. INTRODUÇÃO Os salões de beleza tem um papel fundamental na manutenção da beleza, porém por outro lado são um ambiente propício para a contaminação por vírus, bactérias e fungos.
  3. 3. INTRODUÇÃO Muitas doenças são transmitidas através da má-higienização e da falta de cuidado com os objetos de trabalho usados por profissionais da área, como: - Micoses; - Escabiose; - Impetigo; - Pediculose; - Tétano; - Hepatites; - HIV;
  4. 4. CUIDADOS GERAIS - O salão deve ser independente de residência; - Possuir local próprio para lavagem de material; - Apresentar-se limpo, organizado e possuir ventilação e circulação de ar; - Utilizar apenas produtos com registro na ANVISA. Isto vale para esmaltes, cremes, shampoos, tinturas, maquiagens, etc.; - Possuir licença sanitária. Fonte: ANVISA
  5. 5. CUIDADOS NO SALÃO DE CABELEIREIRO ESCOVAS, PENTES E PINCÉIS: - Remover os pêlos e fios de cabelo após cada uso; - Lavar com água e sabão formando espuma abundante, e enxaguar bem; - Deixar por 30 minutos em solução com hipoclorito de sódio a 1%; - Lavar o recipiente de imersão com hipoclorito de sódio a 1%; - Guardar escovas, pentes e pincéis em recipientes limpos.
  6. 6. CUIDADOS NO SALÃO DE CABELEIREIRO TOALHAS: - São de uso individual, portanto não podem ser reaproveitadas de um cliente para o outro; - Devem ser lavadas com água e sabão; - Deixar por 30 minutos de molho em solução de hipoclorito de sódio a 1%; - Secar, passar, embalar em saco plástico e guardar em local limpo.
  7. 7. CUIDADOS NO SALÃO DE CABELEIREIRO LÂMINAS E SIMILARES: - Material de uso individual, único e descartável; - Após a utilização, devem ser desprezados em recipiente de paredes rígidas e com tampa; - Providenciar coleta especial para resíduos pérfuro-cortantes.
  8. 8. MANICURES /PEDICURES TÉCNICAS DE HIGIENE: - Lavar as mãos antes e depois de cada técnica e utilizar luvas de silicone; - Esterilize todos os instrumentos de trabalho, sem exceção; - Quando notar vestígio de doenças em uma das unhas, deixe-a para o final, para evitar de contaminar os outros dedos; - Quando retirar a cutícula do cliente, se houver ferimentos faça a limpeza e a desinfecção com álcool 70%;
  9. 9. MANICURES /PEDICURES TÉCNICAS DE HIGIENE: - Lave bem o recipiente de água utilizando, de preferência, protetores descartáveis; - No caso de recipiente com massageador que não comportam protetores descartáveis, lave com água e sabão e finalize a higienização com álcool 70%; - Jamais utilize a mesma água para amolecer a cutícula do outro cliente; - Utilize para cada cliente materiais descartáveis como: lixas de unha, lixas de motor, palito , protetores e outros;
  10. 10. MANICURES /PEDICURES - Área mínima total de 10 metros quadrados, com largura mínima de 2,5 metros quadrados e com área mínima de 5 metros quadrados para cada cadeira adicional; - Piso de material liso, resistente e impermeável; - Paredes e forros pintados de cor clara, com tinta lavável; - Compartimentos de atendimento separados por divisórias de no mínimo 2 metros de altura; - Instalações sanitárias apropriadas; - Pia de água corrente; - Estufa graduada até 200 graus centígrados para esterilização; Fonte: CVS
  11. 11. MANICURES /PEDICURES - Realizar o processo de DESINFECÇÃO com hipoclorito de sódio a 1%; - Realizar o processo de ESTERILIZAÇÃO após a lavagem dos artigos, empregando-se posteriormente a estufa elétrica equipada com termostato, onde o material permanecerá em calor seco de 170ºC por um tempo mínimo de 60 minutos, interruptamente. Fonte: CVS
  12. 12. MANICURES /PEDICURES IMPORTANTÍSSIMO!!! Se possível, ter um kit de manicure /pedicure para cada cliente, ou no mínimo 6 jogos.
  13. 13. E SE EU NÃO CUIDAR O QUE PODE ACONTECER?
  14. 14. PEDICULOSE Causada por piolho, pode ocorrer em regiões do corpo com pêlos. Gera coceira mais intensa no pescoço e atrás das orelhas. Devido à sua localização, é mais comumente transmitida pelo compartilhamento de escovas, pentes e pincéis, toalhas, lençóis e protetores de cadeiras e de macas que não foram devidamente higienizados ou substituídos.
  15. 15. ESCABIOSE Popularmente conhecida como sarna, é causada por um ácaro. Causa lesões e coceira na pele e pode ser transmitida pelo compartilhamento de toalhas, lençóis e protetores de cadeira e de macas que não foram devidamente limpos ou descartados.
  16. 16. IMPETIGO Bactérias da própria pele causam esta doença, sobretudo em indivíduos com a saúde debilitada. Ocorrem lesões em forma de bolhas com pus que se rompem e se tornam feridas. A transmissão pode ocorrer ao se compartilhar materiais contaminados, como toalhas, lençóis, protetores de maca e de cadeira, espátulas e outros instrumentais.
  17. 17. MICOSES Causadas por fungos, atingem principalmente pele e unhas; são transmitidas por meio de toalhas, lençóis, protetores de cadeira e de maca, lixas de unha e de pés, entre outros instrumentos. Recomenda-se uso de luvas e cuidados higiênicos específicos para cada material.
  18. 18. TÉTANO É causado por uma bactéria chamada Clostridium tetani. É extremamente resistente no ambiente, uma vez que se apresenta em forma de esporo (como se possuísse uma “capa” ao seu redor). Penetra na pele por meio de feridas e atinge o sistema nervoso. É transmitido por instrumentos pérfuro-cortantes, tais como alicates e tesouras contaminados.
  19. 19. HEPATITES B E C São duas doenças causadas por vírus que atacam o fígado, podendo levar à insuficiência hepática e até mesmo à cirrose. A hepatite C pode levar até 30 anos para se manifestar e seu tratamento é demorado. Requer muitas vezes transplante de fígado. O vírus da hepatite C pode sobreviver por até 72 horas no material contaminado e sua disseminação se dá por instrumentais contaminados. Agulhas e seringas devem ser descartadas após o uso. Atualmente existe a vacina contra hepatite B, porém não há vacina contra a do tipo C.
  20. 20. AIDS Causada pelo vírus HIV. Atinge o sistema de defesa do indivíduo abrindo caminho para que outras infecções (infecções oportunistas) se instalem pelo organismo. Também pode ser transmitida por instrumentais pérfuro-cortantes não esterilizados e contaminados com sangue ou por agulhas e seringas reutilizadas. É um vírus pouco resistente no ambiente. Porém, por se tratar de uma doença incurável, o risco de contaminação deve ser sempre considerado, e as normas de esterilização e descarte de materiais seguidas à risca.
  21. 21. Vigilância Sanitária de Orindiúva Avenida Francisco Tomaz de Aquino, 536 Fone: (17) 3816-1297 e (17) 3816-7566 E-mail: visa@orindiuva.sp.gov.br

×