O significado do jogo, da brincadeira e do brinquedo no besenvolvimento e bormação da briança na educação infantil. simone helen drumond
Próximos SlideShare
Carregando em...5
×

Curtiu isso? Compartilhe com sua rede

Compartilhar

O significado do jogo, da brincadeira e do brinquedo no besenvolvimento e bormação da briança na educação infantil. simone helen drumond

  • 2,408 visualizações
Uploaded on

Artigos Ensino Infantil Simone Helen Drumond

Artigos Ensino Infantil Simone Helen Drumond

Mais em: Educação
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Tem certeza que quer?
    Sua mensagem vai aqui
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Visualizações

Visualizações totais
2,408
No Slideshare
2,408
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
0

Ações

Compartilhamentos
Downloads
25
Comentários
0
Curtidas
0

Incorporar 0

No embeds

Conteúdo do relatório

Sinalizado como impróprio Sinalizar como impróprio
Sinalizar como impróprio

Selecione a razão para sinalizar essa apresentação como imprópria.

Cancelar
    No notes for slide

Transcript

  • 1. O SIGNIFICADO DO JOGO, DA BRINCADEIRA E DO BRINQUEDO NO DESENVOLVIMENTO E FORMAÇÃO DA CRIANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Simone Helen Drumond Ischkanian O desenvolvimento e formação da criança na educação infantil e seu consequente significativo aprendizado por meio do jogo, da brincadeira e do brinquedo ocorrem quando a ela participa ativamente de sua aprendizagem, seja discutindo as regras do jogo ou propondo soluções para resolvê-los. É de extrema importância que os educadores proponham desafios e incentivem a participação coletiva infantil nas atividades. A intervenção dos educadores é um fator primordial no processo do ensino e aprendizagem, além da interação social. O jogo, a brincadeira e o brinquedo são aspectos indispensáveis para o desenvolvimento do conhecimento na educação infantil e os educadores são elementos fundamentais nesse processo. De acordo com o Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil (BRASIL, 1998, p. 23): Educar significa, portanto, propiciar situações de cuidado, brincadeiras e aprendizagem orientadas de forma integrada e que possam contribuir para o desenvolvimento das capacidades infantis de relação interpessoal de ser e estar com os outros em uma atitude básica de aceitação, respeito e confiança, e o acesso, pelas crianças aos conhecimentos mais amplos da realidade social e cultural. Na Educação Infantil, educar não se limita em repassar informações ou mostrar apenas um caminho, mas mediar os saberes necessários, para que a criança possa tomar consciência de si mesmo e da sociedade. Educar também é oferecer diversas possibilidades para que a criança possa escolher caminhos compatíveis com seus valores, sua visão de mundo e com as circunstâncias adversas que cada um irá encontrar. Nessa perspectiva, segundo o Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil (BRASIL, 1998, p. 30): O professor é mediador entre as crianças e os objetos de conhecimento, organizando e propiciando espaços e situações de aprendizagens que articulem os recursos e capacidades afetivas, emocionais, sociais e cognitivas de cada criança aos seus conhecimentos prévios e aos conteúdos referentes aos diferentes campos de conhecimento humano.
  • 2. Educar é acima de tudo a inter-relação entre os sentimentos, os afetos e a construção do conhecimento. Segundo este processo educativo, a afetividade ganha destaque, pois acreditamos que a interação afetiva ajuda mais a compreender e modificar o raciocínio da criança. Como podemos perceber os jogos, os brinquedos e as brincadeiras são fontes inesgotáveis de interação lúdica e afetiva. OS SIGNIFICADOS DO JOGO E DA BRINCADEIRA PARA A FORMAÇÃO HUMANA, O DESENVOLVIMENTO E A APRENDIZAGEM DA CRIANÇA. A formação humana, o desenvolvimento e a aprendizagem da criança, se tornam relevantes, a partir do momento em que os jogos e as brincadeiras vão surgindo gradativamente na vida da criança. Desde os mais funcionais até os de regra, os jogos e as brincadeiras proporcionam experiências, possibilitando a conquista e a formação da identidade infantil. Para uma aprendizagem eficaz é preciso que a criança construa o conhecimento e assimile os conteúdos. O jogo e a brincadeira são excelentes recursos para facilitar a aprendizagem. O Ensino Infantil deve ser mediado de maneira lúdica, para a criança adquirir um aspecto significativo e afetivo no curso do desenvolvimento de sua inteligência, já que ela se modifica de ato puramente transmissor ao ato transformador, em ludicidade, denotando-se, portanto em jogos e brincadeiras. É jogando e brincando que a criança aprende a respeitar regras, a ampliar o seu relacionamento social e a respeitar a si mesmo e ao outro. Por meio do universo lúdico a criança começa a expressar-se com maior facilidade, ouvir, respeitar e discordar de opiniões, exercendo sua liderança, e sendo liderados e compartilhando sua alegria de brincar. Em contrapartida, em um ambiente sério e sem motivações, os educandos acabam evitando expressar seus pensamentos e sentimentos e realizar qualquer outra atitude com medo de serem constrangidos. Como educadores, podemos constatar por meio de uma holística pedagógica, que a criança brinca daquilo que vive. Ela extrai sua imaginação lúdica de seu dia-a-dia, portanto, as crianças, que tem a oportunidade de brincar e jogar, estão mais preparadas emocionalmente para controlar suas atitudes dentro do contexto escolar e social, obtendo assim melhores resultados gerais no desenrolar da sua vida.
  • 3. A RELAÇÃO DO JOGO, DA BRINCADEIRA E DO LÚDICO. Na educação o brincar é um potente veículo de aprendizagem experiencial, visto que permite, através do lúdico, vivenciar a aprendizagem como processo social. A proposta do lúdico é promover uma alfabetização significativa na prática educacional, é incorporar o conhecimento através das características do conhecimento do mundo. O lúdico promove o rendimento escolar além do conhecimento, oralidade, pensamento e o sentido. Entretanto, compreender a relevância do brincar possibilita aos professores intervir de maneira apropriada, não interferindo e descaracterizando o prazer que o lúdico proporciona. Portanto, o brincar utilizado como recurso pedagógico não deve ser dissociado da atividade lúdica que o compõe, sob o risco de descaracterizar-se, afinal, a vida escolar regida por normas e tempos determinados, por si só já favorece este mesmo processo, fazendo do brincar na escola um brincar diferente das outras ocasiões. A incorporação de brincadeiras, jogos e brinquedos na prática pedagógica podem desenvolver diferentes atividades que contribuem para inúmeras aprendizagens e para a ampliação da rede de significados construtivos tanto para crianças como para os jovens. É por meio dos jogos, das brincadeiras e dos brinquedos que a criança partilha com o outro, isso auxilia na prevenção e diagnóstico de problemas de aprendizagem. Essa ludicidade voltada ao ato do aprender e ensinar deve levar em conta as realidades interna e externa da aprendizagem por meio do movimento, da linguagem, do desenvolvimento cognitivo, da afetividade, da socialização e da corporeidade. Dentro do termo corporeidade, reporto-me ao texto dos educadores: Luiz Carlos Cerquinho de Brito e Maria Sonia Souza de Oliveira, onde a reflexão da corporeidade evidenciam contextos relevantes numa perspectiva mundial de criança. “A corporeidade esta vinculada ao desenvolvimento de diversas dimensões do sujeito, da criança, aos aspectos emocionais, as manifestações culturais, a relação com o meio ambiente natural. Uma criança indígena, por exemplo, poderá apresentar sua corporeidade bastante diferente de uma criança urbana, em vista da própria vivencia cotidiana, nas relações com os outros, com o espaço físico e natural, com a cultura. Uma criança, indígena que vive numa comunidade terá um desenvolvimento corporal que difere da criança que vive em meio a objetos, relações e espaços de uma cidade, com ruas, casas, prédios. [...] A corporeidade significa que as condições sociais, culturais e afetivas impõem condições ao próprio desenvolvimento do corpo. [...] O conceito de corporeidade poderá contribuir para que “os educadores” compreendam o corpo além de uma estrutura física, mecânica, motora, para compreendê-lo como expressão de
  • 4. diversas dimensões de desenvolvimento do sujeito, inclusive da cultura local, relacionada aos modos de relações que travamos na vida social. Para a educação infantil, essa noção é bastante importante, podendo contribuir para o desdobramento das noções de Jogo, de brincadeira e de brinquedo. A criança joga e brinca, também com o corpo, desenvolvendo sua corporeidade. Os meios, objetos, como os brinquedos também estão inseridos nesta relação. Uma criança que corre nas florestas do Quênia na África trás as marcas da sua relação com o ambiente, assim como uma criança que vive em casas flutuantes no Lago do Catalão ou no município de Iranduba/Amazonas. [...]”. IDENTIFICANDO E REFLETINDO SOBRE AS ATIVIDADES TRABALHADAS NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL, FOCANDO OS JOGOS, AS BRINCADEIRAS E OS BRINQUEDOS COMO IMPLICADORES DO DESENVOLVIMENTO INTEGRAL DA CRIANÇA. As reflexões sobre a importância dos jogos, das brincadeiras e dos brinquedos na Educação Infantil, são de extrema relevância para o desenvolvimento integral das crianças nas escolas municipais de Manaus e são elementos indispensáveis ao relacionamento com outras pessoas. A partir desse contexto lúdico a criança estabelece uma relação natural e consegue extravasar suas tristezas e alegrias, angústias, entusiasmos, passividades e agressividades.
  • 5. A brincadeira, o brinquedo e o jogo proporcionam mecanismo para desenvolver a memória, a linguagem, a atenção, a percepção, a criatividade e habilidade para melhor desenvolver a aprendizagem. Nessa perspectiva, as brincadeiras, os brinquedos e os jogos vêm contribuir significativamente para o importante desenvolvimento das estruturas psicológicas e cognitivas da criança. Vemos que a ludicidade é uma necessidade do ser humano em qualquer idade, mas principalmente na infância, na qual ela deve ser vivenciada, não apenas como diversão, mas com objetivo de desenvolver as potencialidades da criança, visto que o conhecimento é construído pelas relações interpessoais e trocas recíprocas que se estabelecem durante toda a formação integral da criança. A introdução de jogos e atividades lúdicas no cotidiano escolar é muito importante, devido a influencia que os mesmos exercem frente aos alunos, pois quando eles estão envolvidos emocionalmente na ação, torna-se mais fácil e dinâmico o processo de ensino-aprendizagem. O lúdico enquanto recurso pedagógico na aprendizagem deve ser encarado de forma séria, competente e responsável. Os jogos, as brincadeiras e os brinquedos, quando usado de maneira correta, poderão oportunizar ao educador e ao educando, importantes momentos de aprendizagens em múltiplos aspectos. http://simonehelendrumond.blogspot.com.br/CMEIMADREELISIA e http://simonehelendrumond.blogspot.com.br/EueoEnsinoInfantil.
  • 6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. - Brasília: MEC/SEF, 1998, volume: 1 e 2. DRUMOND. Simone Helen Ischkanian. Arquivo fotográfico de Simone Helen Drumond Ischkanian, disponível em: http://simonehelendrumond.blogspot.com.br/CMEIMADREELISIA e http://simonehelendrumond.blogspot.com.br/EueoEnsinoInfantil. Acessado em 27/03/2013 Kishimoto, Tizuko Morchida. O jogo e a educação infantil. PERSPECTWA. Florianópolis, UFSC/CED, NUP, n. 22, p. 105-128. Disponível em: http://cefort.ufam.edu.br/posinfantil/OjogoKishimoto.pdf. Acessado em 27/03/2013 Pereira. Laïs de Toledo Krücken. O desenho infantil e a construção da significação: um estudo de caso. Disponível em: http://cefort.ufam.edu.br/posinfantil/DesenhInfantil.pdf. Acessado em 12/04/2013 Vídeo: A Importância do Brincar. A professora da faculdade de Educação da USP, Tizuko Morchida, fala um pouco mais sobre o papel das brincadeiras na educação infantil. Ela destaca que até os bebês aprendem a fazer escolhas através dos brinquedos. Fonte:http://www.univesp.tv.br/site/program. Acessado em 06/04/2013 Vídeo: Programa do Curso de Pedagogia Unesp/Univesp, da disciplina D14 -Educação infantil: diferentes formas de linguagens expressivas e comunicativas - O programa apresenta uma escola de São Paulo onde o movimento é o ponto de partida do trabalho pedagógico. Além de entrevistas com professoras de alunos de várias idades, também mostra a visão sobre o assunto de Maria Ângela Barbato Carneiro, professora da PUC de São Paulo e estudiosa da educação infantil no país.. Disponível em - http://www.youtube.com. Acessado em 09/04/2013 Vídeo: Programa do Curso de Pedagogia Unesp/Univesp, da disciplina D14 - Educação infantil: diferentes formas de linguagens expressivas e comunicativas - O programa mostra duas escolas de São Paulo que utilizam o desenho como base de diversos trabalhos pedagógicos. Márcia Aparecida Gobbi, da Faculdade de Educação da USP, acompanha algumas atividades e explica sua importância para o desenvolvimento das crianças. Disponível em - http://www.youtube.com. Acessado em 09/04/2013