308 letramento e autismo por simone helen drumond2

2.329 visualizações

Publicada em

AUTISMOS E EDUCAÇÃO DE SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN - TODOS OS DIREITOS RESGUARDADOS.

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.329
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
421
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
57
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

308 letramento e autismo por simone helen drumond2

  1. 1. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN
  2. 2. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN Pessoas no espectro podem ser alfabetizadas com técnicas voltadas à forma em que processam informação que podem facilitar esse processo. Nesse sentido as técnicas educacionais presentes nos portfólios educacionais de Simone Helen Drumond Ischkanian, são relevantes a educação de um autista. Para tanto, faz-se necessário que educadores, pais e demais profissionais envolvidos estejam compromissados com a melhoria da qualidade de vida e que tenham acesso às informações necessárias.
  3. 3. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN O PROCESSO DO LETRAMENTO EXIGE PACIÊNCIA, DEDICAÇÃO, AMOR E SENSIBILIDADE PARA ADAPTAR AS PRÁTICAS DE ACORDO COM AS NECESSIDADES E AS CONQUISTAS DA CRIANÇA.
  4. 4. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN CADA CRIANÇA TEM O SEU RITMO E SUAS SINGULARIDADES QUE INFLUENCIAM NO PROCESSO DO LETRAMENTO.
  5. 5. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN Para o letramento é necessário, um espaço educacional adequado, um grupo pedagógico aberto às orientações e a participação efetiva da família são fundamentais para o processo de formação física, psicológica, cognitiva, social e afetivo da criança.
  6. 6. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN A aquisição da aprendizagem ocorre de forma diferenciada nos indivíduos, cada qual aprende no seu ritmo e de forma única. Se fazendo necessário conhecer e compreender o processo de aprendizagem de uma criança com TEA, sendo necessário observar e identificar as dificuldades e limitações que ela apresenta.
  7. 7. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN As atividades não podem ser planejadas, antes da avaliação psicoeducacional, para que se possa estabelecer ações de acordo com o perfil de aprendizagem do educando autista.
  8. 8. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN Uma avaliação psicoeducacional se faz necessária para que possa ser planejada uma ação de acordo com o perfil de aprendizagem da criança. Essa avaliação serve também de base para ajudar profissionais a predizer se o aluno apresenta potencial para ser alfabetizado ou se ao menos poderá desenvolver uma comunicação funcional com a linguagem escrita.
  9. 9. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN O DESENVOLVIMENTO DA APRENDIZAGEM DA CRIANÇA COM TEA MUITAS VEZES NECESSITA DE ESTIMULAÇÃO SISTEMÁTICA, ESTRUTURADA E ADEQUADA ÀS CARACTERÍSTICAS DE CADA ALUNO.
  10. 10. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN A criança autista também apresenta um estilo cognitivo diferente e uma das características disto é que a comunicação dela também é diferente. Não se pode limitar a dar apenas comandos verbais.
  11. 11. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN O professor deve utilizar o concreto o máximo possível e também deve utilizar os colegas para dar modelos e imagens para acompanhar os comandos verbais. A utilização de materiais concretos facilita o entendimento da criança autista, uma vez que ela apresenta dificuldades em trabalhar com situações abstratas.
  12. 12. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN É IMPORTANTE QUE AS ATIVIDADES TENHAM CLARAMENTE SUA DURAÇÃO DEFINIDA, DE FORMA QUE A CRIANÇA SAIBA QUANDO ELA COMEÇA, QUANDO ESTA NO MEIO E QUANDO TERMINARÁ.
  13. 13. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN A rotina diária e técnicas de aprendizagem são muito importantes na educação do aluno com TEA. A construção e apresentação da rotina para a criança tende a ajudá-la a se concentrar nas atividades e auxilia na compreensão de conceitos necessários para o seu desenvolvimento e autonomia.
  14. 14. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN Muitas vezes, a criança pode apresentar dificuldade em ler expressões faciais e entender o que o outro sente e pensa. Dessa forma, a criança pode ser estimulada a participar de atividades em pequenos grupos. Crie oportunidades dessa criança ajudar os colegas a realizar tarefas simples e torne-as complexas na mesma medida de suas conquistas. Divida as tarefas em pequenas partes e, se necessário, auxilie-o à realizá-las. Nunca o deixe abandonar uma situação sem sucesso! Seja claro em suas colocações e elogie-o a cada conquista.
  15. 15. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN Muitas vezes, a criança pode apresentar dificuldade em ler expressões faciais e entender o que o outro sente e pensa. Dessa forma, a criança pode ser estimulada a participar de atividades em pequenos grupos. Crie oportunidades dessa criança ajudar os colegas a realizar tarefas simples e torne-as complexas na mesma medida de suas conquistas. Divida as tarefas em pequenas partes e, se necessário, auxilie-o à realizá-las. Nunca o deixe abandonar uma situação sem sucesso! Seja claro em suas colocações e elogie-o a cada conquista.
  16. 16. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN Evite usar a palavra NÃO, substituindo a negação pela apresentação de opções adequadas à situação.
  17. 17. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN O processo de receber informações externas muitas vezes é disfuncional, dificultando sua relação com o ambiente, e deve ser levado em consideração em sala de aula.
  18. 18. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN AUDIÇÃO Muitos ruídos para nós são insignificantes, mas para eles são insuportáveis. Para eles, é difícil separar os sons relativos à linguagem de ruídos quaisquer. Ao solicitar algo, sempre fale na altura de seus olhos, segure em seus ombros e então fale. Isso auxilia na organização.
  19. 19. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN VISÃO O canal visual é muito importante, procure perceber quais são as preferências visuais de cada criança e utilize-as a seu favor.
  20. 20. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN OLFATO E PALADAR Algumas crianças com TEA tem dificuldade para identificar e suportar alguns cheiros e gostos. Atrapalhando assim a alimentação. Para ela a estratégia mais fácil é a recusa. Cheiros de alguns materiais podem ser o motivo pelo qual a criança não consegue realizar uma atividade.
  21. 21. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN Toda vez que a criança conseguir conduzir sua tarefa ou estabelecer uma comunicação verbal de acordo com a realização da sua atividade, é muito importante, por parte dos educadores, reforçar com elogios. Podendo ser efetivo o uso do sistema de recompensas para realização das atividades. Deve-se manter a motivação constantemente, minimizando assim os efeitos da falta de entendimento das questões sociais que envolvem o contexto escolar.
  22. 22. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN QUANTO MAIS APOIO A CRIANÇA RECEBER DA FAMÍLIA E DA EQUIPE DE PROFISSIONAIS COMPROMISSADOS COM O SEU DESENVOLVIMENTO, MAIORES CHANCES ELA TERÁ DE OBTER SUCESSO NA APRENDIZAGEM.
  23. 23. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN Ações conjuntas e trocas de informações entre família, escola, terapeutas e médico é de fundamental importância para que a criança possa superar suas dificuldades.
  24. 24. LETRAMENTO E AUTISMO. SIMONE HELEN DRUMOND ISCHKANIAN Alfabetizar crianças com o diagnóstico do TEA é uma realidade possível dentro do aspecto da inclusão, no entanto, ainda nos deparamos com muitos desafios a serem superados.
  25. 25. REFERENCIA:
  26. 26. REFERENCIA:
  27. 27. REFERENCIA: DRUMOND. Simone Helen Ischkanian http://simonehelendrumond.blogspot.com PROJETO: AUTISMO E EDUCAÇÃO

×