1      O que é obsoleto para Marilyn é o conceito de sociedade que se sobressaina antropologia social interferindo na noss...
2      Debate:      1) Socie//: coisa individual mergulhada em antíteses (Socie//         VS Economia, Natureza, Biologia,...
3      3) Socie// como a soma dos indivíduos ou como a entidade            regulando das condutas destes indivíduos       ...
4    Vivemos num regime cultural que provem definições específicas de      comportamento, indústria, etc;    E este regi...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Seminário (apanhado de alguns conceitos) sobre livro "the concept of society is theoretically obsolete" de Marilyn Strathern

509 visualizações

Publicada em

Um (rascunho) apanhado geral do texto "The concept of society is theoretically obsolete" de Marilyn Strathern, apresentado em Seminário no mês de maio do ano de 2011 na disciplina de Pesquisa Qualitativa.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
509
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminário (apanhado de alguns conceitos) sobre livro "the concept of society is theoretically obsolete" de Marilyn Strathern

  1. 1. 1 O que é obsoleto para Marilyn é o conceito de sociedade que se sobressaina antropologia social interferindo na nossa percepção sobre sociabilidade Entidade, coisa, Sociedade individuali// – = Entidade abstração do pensa/. totali// limitada todo formado pela soma das partes Marilyn problematiza a abstração, feita por alguns teóricos, do conceitosociedade. O problema desta abstração está nos conceitos que esta “sociedade”abarca e que são generalizados devido esta abstração conceitual. Pensar a socie// como uma coisa abstrata é pensá-la como umasociedade individual e descontínua. Socie// Socie// Socie// Marilyn critica a concepção de sociedadecomo uma entidade (individualidade). Ela afirmaque isto atribui uma secundarização das relações Socie// Socie//entre os sujeitos em detrimento a esta sociedade,que é tida como principio destas relações. Relações vistas como exteriores - 2ªdáriasO conceito de Socie// interfere, deste modo, na nossa percepção sobre asociabilidade. É isto que faz com que Marilyn o nomeie como absoleto.
  2. 2. 2 Debate: 1) Socie//: coisa individual mergulhada em antíteses (Socie// VS Economia, Natureza, Biologia, etc)– CADA SOCIE// APARECE COMO MANIFESTAÇÃO PARTICULAR DA SOCIE// GERAL! Marilyn DISCORRE QUE ver a sociedade como um fenômenoautônomo nos fez descartar várias áreas (da competência humana)como materiais culturais desinteressantes. 2) A socie// é personificada como a população entre outras populações similares. - COMO PODEMOS CONTAR INDIVÍDUOS PESSOAS PODEMOS CONTAR INDIVÍDUOS SOCIE//s Marilyn DISCORRE QUE a Sociedade é parte de umfenômeno que pode ser enumerado pelas suas partes internas,componentes individuais. Ela defende o método comparativo naAntropologia como um impasse: dá o exemplo do casamento em 20socie//s e nos demonstra que estes 20 casamentos são distintos entresi.
  3. 3. 3 3) Socie// como a soma dos indivíduos ou como a entidade regulando das condutas destes indivíduos - A SOCIE// CONSTRÓI O CENÁRIO DOS RELACIONAMENTOS: INDIVIDUALI//, APARECE COMO 1º PLANO E OS RELACIONAMENTOS COMO CONSEQUENCIA Marilyn DISCORRE QUE esta visão nos leva a fatalconclusão da socie// como um grupo. Ideia falsa, porque, como infereMarilyn, leva a ideia que as pessoas de uma determinada socie// representamesta socie//, como um objeto externo a esta. - ANTROPÓLOGO VENDO-SE EXTERIOR À SOCIE// - FALSA CONCEPÇÃO O problema do conceito de E a problemáticasocie// são os demais conceitos que antropológica é a individualizaçãoeste produz da sociedade Marilyn enxerga essas duas concepções como polos de um pendulooscilanteCom o exemplo do Estado (britânico), Marilyn nos mostra as consequências deuma visão abstrata da concepção de sociedade:  As relações individuas aparentam ser a única reali//. O regime político varre qualquer coletividade que se contraponha entre o Estado e os cidadãos;
  4. 4. 4  Vivemos num regime cultural que provem definições específicas de comportamento, indústria, etc;  E este regime torna, portanto invisível qualquer relação social diversificada, que vá além da modelagem pré-estabelecida. Socie// Individuo Para Marilyn, nós não precisamos do conceito de socie//, porque nãoprecisamos do conceito do individual em contradição a sociedade. SÃO AS RELAÇÕES QUE CONSTRÕEM A SOCIE// Marilyn – junto com Toren – apela por um vocabulário alternativo desociedade, que nos permita expressar a maneira como as pessoas se relacionam ese reinventam (personalidade) através destes relacionamentos SEM que estesrelacionamentos e personalidades tornem-se abstratos – devido ao uso simbólicodo conceito de sociedade. Marilyn apela, também, aos demais antropólogos, para que voltem a usara abstração da sociedade, na sua intenção original que é a de transmitir osentido das relações da vida e pensamento humano.

×