Psicofisiologia

37.700 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
7 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
37.700
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
21.593
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
343
Comentários
1
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicofisiologia

  1. 1. A Psicologia tem como objecto de estudo… O comportamento e os processos mentais
  2. 2. Só podemos compreender o comportamento e os processos mentais se compreendermos os mecanismos biológicos do nosso organismo.
  3. 3. A forma como somos constituídos e organizados enquanto organismos determina, em grande parte, a forma como: pensamos agimos sentimos
  4. 4. Para melhor compreender o ser humano, do ponto de vista da Psicologia, temos de ter em conta: O sistema nervoso O sistema endócrino Os mecanismos hereditários ou genéticos
  5. 5. Influenciam o desenvolvimento do cérebro, e dos restantes orgãos do sistema nervoso e das glândulas endócrinas. Este mecanismos são, em grande parte responsáveis por sermos da forma que somos. Mas será que os genes determinam totalmente os seres humanos?
  6. 6. O sistema endócrino Constituído por glândulas que lançam mensagens químicas na corrente sanguínea (hormonas) e que são responsáveis, entre outras coisas, pelo crescimento e pela sexualidade.
  7. 7. 1.   Pinea l ou epífise 2.   Pituitária ou hipófise 3.   Tiróide 4.   Timo 5.   Supra-renal 6. Pâncreas   7.   Ovário   8.   Testículos
  8. 8. O SISTEMA NERVOSO
  9. 9. O comportamento de um organismo depende: <ul><li>Das interdependências que existem entre os diversos sistemas e subsistemas de que é composto (sistema nervoso, sistema endócrino, sistema digestivo, sistema respiratório, etc.) </li></ul><ul><li>Das interdependências entre o organismo e o meio ambiente, uma vez que o nosso organismo é um… </li></ul>Sistema Aberto
  10. 10. Meio Ambiente Meio Ambiente Entrada Estímulos Processamento da informação e coordenação Saída Resposta <ul><li>Recebidos pelos </li></ul><ul><li>Mecanismos de recepção ou receptores </li></ul><ul><li>= </li></ul><ul><li>Órgãos receptores </li></ul><ul><li>= </li></ul><ul><li>Órgãos dos sentidos: </li></ul><ul><li>Pele, nariz, língua, ouvidos, olhos </li></ul><ul><li>Sentido cinestético </li></ul><ul><li>Sentido de equilíbrio </li></ul><ul><li>Sentido de orientação </li></ul><ul><li>Orgãos que recebem os estímulos do meio. </li></ul><ul><li>Efectuado pelos </li></ul><ul><li>Mecanismos de conexão, de coordenação ou de processamento </li></ul><ul><li>situados no centro coordenador, no sistema nervoso (central ou periférico) </li></ul><ul><li>As funções do sistema nervoso são: </li></ul><ul><li>interpretar as informações que provêm dos mecanismos de recepção; </li></ul><ul><li>decidir e coordenar as respostas que os mecanismos de reacção realizarão. </li></ul>Efectuada pelos Mecanismos de reacção ou efectores = Órgãos Efectores = Músculos e Glândulas Estes órgãos concretizam as ordens que são dadas pelo sistema nervoso. Ex: Andar, sorrir, ler, escrever, falar, correr, etc.
  11. 11. O exemplo mais simples da interacção entre o meio ambiente e os mecanismo de recepção, conexão e reacção do organismo é o ACTO REFLEXO Temos um acto reflexo quando, ao tocarmos num objecto quente ou ao picarmo-nos numa agulha, retiramos imediatamente a mão.
  12. 12. Estrutura do Acto Reflexo Estímulo (picada da agulha) Resposta (afastamento da mão) Transmissão da informação ao nervo sensorial Transmissão da informação à Espinal Medula que interpreta a mensagem e “decide” a resposta que o organismo efectuará Transmissão da ordem ao nervo motor Transmissão da mensagem ao órgão efector : Músculos responsáveis pelo movimento da mão e do braço Contacto da agulha com o órgão receptor : a pele
  13. 13. Chamamos a este comportamento um acto reflexo simples porque ele é realizado automaticamente, sem intervenção da vontade do indivíduo, notando-se apenas a actuação da espinal medula .
  14. 14. O sistema nervoso trabalha juntamente com o sistema endócrino, procurando promover uma verdadeira interacção entre as partes mais distantes do organismo. As células típicas deste sistema são os NEURÓNIOS ( pequenas células nervosas que conduzem o impulso nervoso ) . O Sistema Nervoso
  15. 15. Sobre neurónios… <ul><li>Elementos estruturais básicos do sistema nervoso. </li></ul><ul><li>Células especializadas cuja função é comunicar: receber e transmitir mensagens. </li></ul><ul><li>A comunicação dá-se através da transmissão de impulsos nervosos. </li></ul>
  16. 16. Os neurónios são diferentes consoante as suas funções e a sua localização. Podemos, no entanto, apresentar uma estrutura típica dos neurónios: O corpo celular é onde se situa o núcleo do neurónio. As dentrites são ramificações que permitem o contacto do neurónio com as células vizinhas de modo a receber mensagens delas. Os axónios são ramificações que permitem o contacto do neurónio com outras células de modo a transmitir mensagens a essas células.
  17. 17. Tipos de Neurónios <ul><li>Neurónios sensoriais ou aferentes : conduzem os impulsos captados pelos receptores dos órgãos dos sentidos para o sistema nervoso central. </li></ul><ul><li>Neurónios motores ou eferentes : transportam mensagens do sistema nervoso central para os músculos activando-os, para que se produza uma resposta. </li></ul><ul><li>Neurónios de conexão : servem de intermediários entre a recepção sensorial e a resposta motora. </li></ul>
  18. 18. A comunicação dos neurónios <ul><li>Quando um axónio de um neurónio se liga a uma outra célula para enviar sua mensagem, ele fica próximo desta célula, mas não lhe toca, deixa um espaço que é chamado de fissura ou fenda sináptica . </li></ul><ul><li>A fissura sináptica mede cerca de 2 a 3 milionésimos de um metro. Isto permite a rápida transmissão da mensagem a partir da célula transmissora para a célula receptora - que pode ser a célula de um órgão (por exemplo, os pulmões para manter a respiração), ou de um músculo estimulando movimentos de contracção ou relaxamento muscular. </li></ul>
  19. 19. A comunicação dos neurónios <ul><li>À mensagem que é transmitida chamamos de neurotransmissor (consiste numa substância química que atravessa a fenda sináptica e que é captada pelos receptores do neurónio pós-sináptico) </li></ul><ul><li>Ao processo de comunicação que o neurónio efectua chamamos de SINAPSE. Numa sinapse, dá-se um impulso nervoso e a transmissão de um neurotransmissor. À corrente constituída pelos impulsos nervosos que circulam nos nervos, chamamos de influxo nervoso. </li></ul><ul><li>Cada neurónio pode formar até 5000 sinapses. Existem mais de 10 biliões de neurónios e mais de 10 triliões de sinapses num organismo </li></ul>
  20. 20. Ainda sobre neurónios… <ul><li>Alimentam-se de oxigénio e de glicose. A interrupção da sua alimentação provoca a sua morte. </li></ul><ul><li>São insubstituíveis: ao contrário das outras células do nosso organismo, nos neurónios não ocorre a mitose, o que significa que só podemos contar com aqueles com que nascemos… </li></ul>
  21. 21. A comunicação entre os neurónios só é possível graças às células gliais <ul><li>Ver p. 52 lista das funções destas células </li></ul>
  22. 23. O Sistema Nervoso Sistema nervoso central Sistema nervoso periférico Espinal Medula Cérebro ou Encéfalo Somático Autónomo Simpático Parassimpático
  23. 24. Sistema Nervoso Autónomo <ul><li>O sistema nervoso autónomo ou vegetativo tem a missão de controlar de forma automática e inconsciente, ou seja, sem que dependa da vontade e sem que o notemos, o funcionamento das vísceras internas do nosso corpo, das glândulas, dos vasos sanguíneos e de outros órgãos para que respondam adequadamente consoante as necessidades de cada momento. </li></ul><ul><li>É composto por diversos núcleos nervosos do encéfalo que enviam as suas mensagens através de alguns pares cranianos e de fibras que saem da medula espinal com os nervos raquidianos e formam gânglios situados junto da coluna vertebral ou próximo das vísceras que controlam. </li></ul><ul><li>Há duas partes do sistema autónomo bem diferenciadas e complementares, pois têm funções contrapostas, acções antagónicas que permitem manter um equilíbrio delicado na adaptação do organismo às várias situações com as quais nos confrontamos na vida quotidiana: </li></ul><ul><li>o sistema nervoso simpático , que se activa em situações de alerta </li></ul><ul><li>e o sistema nervoso parassimpático , que predomina nas situações de relaxamento e descanso. </li></ul>
  24. 25. ACÇÕES DO SISTEMA NERVOSO AUTÓNOMO SISTEMA NERVOSO - SISTEMA NERVOSO SIMPÁTICO I PARASSIMPÁTICO
  25. 26. A Espinal Medula <ul><li>Constituída por um cordão de nervos localizados no interior da coluna vertebral; </li></ul><ul><li>Tem cerca de 45 cm de comprimento e 1 cm de diâmetro. </li></ul><ul><li>Estabelece a ligação entre o encéfalo e o resto do organismo. </li></ul>
  26. 27. Funções da espinal medula <ul><li>Função condutora: Através dela são transmitidas mensagens dos órgãos receptores (por outras palavras, os _____________) ao cérebro e do cérebro aos órgãos efectores (ou seja, ______________). </li></ul><ul><li>Função coordenadora: É o centro coordenador das actividades reflexas. </li></ul>
  27. 28. Imaginemos a seguinte situação: <ul><li>O Joel agarra numa cafeteira de leite a ferver. Os órgãos sensoriais da sua mão detectam a queimadura e enviam uma mensagem aos nervos sensoriais. Estes transportam essa mensagem à espinal medula. Aí, um nervo de associação ou de conexão transfere a mensagem dos nervos sensoriais para os nervos motores que, por sua vez a enviam para os músculos da mão, provocando um reflexo de retirada antes de o cérebro registar conscientementea sensação de dor. </li></ul>
  28. 29. <ul><li>Imediatamente a seguir ao reflexo espinal, os nervos sensoriais enviam a mensagem pela espinal em direcção ao cérebro. O tálamo – via de passagem da informação sensorial – identifica a mensagem e fá-la chegar ao centro cerebral apropriado para a sua interpretação. Na estrutura cerebral chamada córtex somatosensorial a mensagem é conscientemente interpretada como “Dor ou queimadura na mão direita”. </li></ul>
  29. 30. Lesões na Espinal medula <ul><li>Uma lesão na espinal medula é irreversível e pode causar paralisia e insensibilidade. </li></ul><ul><li>Quanto mais próxima do encéfalo for a lesão, maior será o grau de paralisia: se for na parte inferior da espinal medula, a pessoa deixa de poder andar e de controlar os intestinos e a bexiga; se ocorrer na parte superior, a pessoa, para além de deixar de andar, deixa também de poder controlar os braços e o tronco. </li></ul>
  30. 31. O Sistema Nervoso Sistema nervoso central Sistema nervoso periférico Espinal Medula Cérebro ou Encéfalo Somático Autónomo Simpático Parassimpático
  31. 32. <ul><li>O nosso cérebro tem cerca de cem mil milhões de neurónios. </li></ul><ul><li>Alguns psicofisiólogos consideram que o número de interligações possíveis entre neurónios no cérebro é superior ao número total das partículas atómicas que compõem o Universo… </li></ul>
  32. 33. <ul><li>No cérebro reside </li></ul><ul><li>A memória </li></ul><ul><li>A aprendizagem </li></ul><ul><li>O pensamento </li></ul><ul><li>A linguagem </li></ul><ul><li>A criatividade </li></ul><ul><li>É no Cérebro que: </li></ul><ul><li>O sono e o sonho acontecem </li></ul><ul><li>Que a fome, a sede e a temperatura são controladas </li></ul>
  33. 34. “ É no cérebro que a papoila se torna vermelha, que a maçã se torna aromática, que a cotovia canta.” Oscar Wilde
  34. 35. O cérebro ou encéfalo está dividido em 3 partes: O metencéfalo ou cérebro posterior O mesencéfalo ou cérebro médio O protencéfalo ou cérebro anterior Região na base do encéfalo que o liga à espinal medula. É a parte mais antiga do cérebro. <ul><li>Constituída por 3 partes: </li></ul><ul><li>o cerebelo </li></ul><ul><li>o bolbo raquidiano </li></ul><ul><li>a protuberância </li></ul>A parte do nosso cérebro onde se coordena a informação visual e auditiva, onde se regista a sensação de dor, onde se situa a formação reticular A região mais ampla e mais complexa. Contém os centros nervosos dos processos mentais mais complexos <ul><li>Constituída por: </li></ul><ul><li>Tálamo </li></ul><ul><li>Hipotálamo </li></ul><ul><li>Sistema límbico </li></ul><ul><li>Cérebro </li></ul>
  35. 36. Metencéfalo ou cérebro posterior <ul><li>Cerebelo </li></ul><ul><li>Constituído por dois hemisférios. </li></ul><ul><li>Funções: </li></ul><ul><li>Coordenação da actividade motora e manutenção da harmonia dos movimentos do nosso corpo. (Sem o cerebelo não seria possível escrever no teclado de um computador, dançar, tocar piano, etc.) </li></ul><ul><li>Manutenção da posição e equilíbrio do corpo e do tónus muscular. </li></ul>
  36. 37. Metencéfalo ou cérebro posterior <ul><li>Lesões no cerebelo provocam: </li></ul><ul><li>Descoordenação motora </li></ul><ul><li>Desequilíbrio </li></ul><ul><li>Perda de tónus muscular </li></ul>Cerebelo
  37. 38. Metencéfalo ou cérebro posterior <ul><li>Bolbo Raquidiano </li></ul><ul><li>Imediatamente acima da espinal medula, como uma extensão dela. </li></ul><ul><li>Funções: </li></ul><ul><li>É um centro de actividades reflexas. </li></ul><ul><li>Coordena funções ou respostas orgânicas automáticas como o ritmo cardíaco, respiratório, circulação sanguínea. </li></ul><ul><li>Controla reflexos vitais como engolir, tossir, vomitar, espirrar. </li></ul>
  38. 39. Metencéfalo ou cérebro posterior <ul><li>Bolbo Raquidiano </li></ul><ul><li>Lesões no bolbo raquidiano podem provocar a morte. </li></ul><ul><li>As lesões nesta parte do cérbro podem ser causadas por doses excessivas de heroína, cocaína, etc. </li></ul>
  39. 40. Metencéfalo ou cérebro posterior <ul><li>Protuberância </li></ul><ul><li>Saliência inclinada acima do bolbo raquidiano. </li></ul><ul><li>Local de passagem de fibras nervosas que unem os diferentes níveis do sistema nervoso central. </li></ul><ul><li>Desempenha um papel importante no sono. </li></ul>

×