TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA
EDUCAÇÃO: o uso de tecnologias nas práticas pedagógicas
empresariais
1
MACHADO, ...
ensino para manter seus funcionários atualizados e viabilizar oportunidades de
educação e trabalho.
As empresas têm invest...
do Ensino à Distância (EaD) tem algumas vantagens, dentre elas, redução de tempo
com deslocamento e consequentemente a red...
humano. Uma formação que comtemple os aspectos cultural, profissional e científico
do ser humano.
O investimento em educaç...
empresa. Esta prática educativa pode ser vista em diversos segmentos
empresariais.
As empresas perceberam que a baixa prod...
utilizar, compartilhar e desenvolver novos aprendizados. Visando gerar vantagem
competitiva.
Além de produzir o conhecimen...
como os “sistemas S”: SEBRAE, SENAC, SESC, SENAI. Estas escolas veem
utilizando técnicas de educação em ambientes virtuais...
Para atender a esta demanda, as Tecnologias da Informação e Comunicação
(TICs) em parceria com a Pedagogia desenvolve meto...
transforma em força viva quando as pessoas acreditam que podem construir seu
futuro.
Conforme os projetos educacionais for...
5. AUTODESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM CONTÍNUA
Segundo Eboli (2004), exige-se cada vez mais das pessoas, em todos os nívei...
práticas pedagógicas adotadas nas empresariais através do ensino à distância
utilizando recursos tecnológicos.
7. CONSIDER...
educação e qualificação do colaborador no local de trabalho utilizando recursos
tecnológicos aumenta a produtividade e fav...
EBOLI, M. Educação Corporativa no Brasil: Mitos e Verdades. São Paulo: Editora
Gente, 2004.
FREIRE, P. Política e educação...
PLANILHA DE AVALIAÇÃO DO ARTIGO:
ITEM CRITÉRIOS A SEREM AVALIADOS
AVALIAÇÃO
NOTA ATRIBUÍDA
ESTRUTURA
O texto apresenta int...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

TICs na educação: o uso de tecnologias nas práticas pedagógicas empresariais

530 visualizações

Publicada em

O uso de práticas pedagógicas na educação corporativa aliada à inovação tecnológica está sendo utilizada por diversas empresas que exercem papel ativo na construção do conhecimento.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
530
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

TICs na educação: o uso de tecnologias nas práticas pedagógicas empresariais

  1. 1. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA EDUCAÇÃO: o uso de tecnologias nas práticas pedagógicas empresariais 1 MACHADO, Silvia Cota 2 PICONE, Eugenia Vianna RESUMO Este trabalho tem como objetivo analisar o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) nas práticas educacionais empresariais e a importância do papel da pedagogia no desenvolvimento de metodologias para os aplicativos e recursos utilizados na Educação Corporativa. O uso eficiente da tecnologia possibilita o desenvolvimento de ferramentas educacionais modernas, proporciona a transformação da informação em conhecimento e favorece o processo de aprendizagem e assimilação. Utilizando-se de técnicas pedagógicas adequadas, o investimento em educação corporativa gera vantagem competitiva e cria novas oportunidades de aperfeiçoamento profissional. O uso de práticas pedagógicas na educação corporativa aliada à inovação tecnológica está sendo utilizada por diversas empresas que exercem papel ativo na construção do conhecimento. Um campo vasto de oportunidades para profissionais da educação e tema de pesquisa no campo acadêmico. O uso de tecnologia na aprendizagem empresarial apresenta inúmeras vantagens que serão expostas neste estudo. Palavras chave: Tecnologia da Informação. Pedagogia Empresarial. Educação Corporativa. 1. INTRODUÇÃO A Educação Empresarial é uma realidade no cenário educacional rompendo com paradigmas da educação tradicional, entendida como aquela praticada no âmbito escolar e acadêmico. Cada vez mais as empresas têm utilizado esta modalidade de 1 Pós-graduação em Pedagogia Empresarial e Educação Corporativa - Centro Universitário Internacional Uninter. 2 Pedagoga (Universidade Tuiuti do Paraná), Especialista em Psicopedagogia, clínica e institucional (Faculdades Bagozzi), Especialista em Pedagogia Empresarial (IBEPEX), Mestre em Educação - Política Públicas Educacionais (FAE)), orientadora de TCC do Centro Universitário Internacional Uninter.
  2. 2. ensino para manter seus funcionários atualizados e viabilizar oportunidades de educação e trabalho. As empresas têm investido na Educação Corporativa utilizando-se de metodologias educacionais para ambientes virtuais nos treinamentos empresariais. Neste contexto a pedagogia pode colaborar ativamente no aperfeiçoamento de ferramentas educacionais para a construção do conhecimento e o uso de Tecnologia da Informação e Comunicação (TICs) amplia as possibilidades de aprendizagem. As práticas educacionais empresariais surgiram a partir da necessidade de desenvolver competências dos colaboradores através de treinamentos com foco específico no trabalho. O crescimento da demanda por cursos de fácil acesso através de um ambiente colaborativo e interativo levou as empresas a buscar ferramentas de ensino virtuais no ambiente de trabalho. A tecnologia foi ao encontro desta necessidade e algumas soluções já utilizadas em salas de aula virtuais estão sendo adaptadas para o ambiente empresarial. Seguindo esta tendência, o ensino tradicional se move para além das fronteiras da sala de aula e vai em direção ao mundo do trabalho. Nesta perspectiva, a pedagogia passa a ter papel importante no desenvolvimento de metodologias pedagógicas para a educação empresarial. A relação entre trabalho e educação tem sido objeto de estudo por pesquisadores da área de ensino, sobretudo daqueles que se dedicam à Pedagogia Empresarial, ou seja, aos processos de formação e desenvolvimento dos colaboradores nas organizações. A informação por si só não significa muito, é preciso transformá-la em conhecimento. Inserir seus colaboradores na sociedade do conhecimento através da troca de experiências e principalmente gerir todo este conhecimento de forma a mantê-lo disponível no ambiente de trabalho gera vantagem competitiva para as empresas que investem na formação profissional de seus colaboradores. O investimento em conhecimento por parte das empresas como recurso estratégico gera crescimento e aumenta os níveis de produtividade de seus colaboradores. Cursos e treinamentos no ambiente de trabalho ou fora dele através
  3. 3. do Ensino à Distância (EaD) tem algumas vantagens, dentre elas, redução de tempo com deslocamento e consequentemente a redução de custos. Facilitar o acesso ao ensino faz com que o colaborador se sinta motivado a estudar e aperfeiçoar cada vez mais devido à comodidade, fácil acesso e horário flexível, uma vez que o conhecimento vai até ele. A empresa que reconhece a importância de investir no seu capital intelectual através da multiplicação do conhecimento ganha colaboradores mais preparados e satisfeitos. O indivíduo só se desenvolve socialmente e culturalmente através da Educação. Neste contexto, o objetivo deste estudo foi analisar a importância do uso de práticas pedagógicas no ambiente empresarial e o papel ativo do pedagogo empresarial na construção do conhecimento utilizando-se das TICs. 2. METODOLOGIAS EDUCACIONAIS NO AMBIENTE EMPRESARIAL De acordo com Senge (1990), há alguns anos, o processo de aprendizagem deixou de ser uma preocupação exclusiva do meio acadêmico e passou a ser uma prática nas empresas. A responsabilidade pela educação passou a ser prioridade em várias empresas. As empresas que pretendem se sobressair no mercado competitivo e globalizado não podem mais deixar a educação a cargo do governo. As deficiências do ensino público precisam ser supridas em tempo hábil ou as empresas perdem a concorrência para a mão de obra externa. A Accor Académie é um exemplo de empresa que investe na formação profissional de seus colaboradores e tem como princípio o investimento em aprendizado contínuo. Através da Academia a empresa incentiva os colaboradores a buscar aprendizagem contínua, aperfeiçoar a sua formação e enriquecer seu currículo. Segundo o site Accor Académie, hoje, o ensino acadêmico tradicional das escolas e universidades cumpre apenas o papel de formação inicial e básica das pessoas, estabelecendo os fundamentos da aprendizagem, mas, não consegue mais acompanhar a evolução do conhecimento, sobretudo aquele gerado pelo mundo empresarial e dos negócios. A educação voltada para o labor, aqui considerada como formação profissional, não implica abandono da formação cultural e científica proposta pelas escolas tradicionais, mas sim, o desenvolvimento de capacidades e competências individuais chamado capital
  4. 4. humano. Uma formação que comtemple os aspectos cultural, profissional e científico do ser humano. O investimento em educação por parte do setor privado através de sua própria Universidade Corporativa ou de parcerias com instituições de ensino incentiva o aperfeiçoamento profissional do colaborador e atende as necessidades de alinhamento profissional. As instituições de ensino também perceberam esta necessidade e passaram a investir em recursos de tecnologia da informação e ambientes virtuais de aprendizagem (AVA) nos processos de desenvolvimento educacional. Com o objetivo de atender ao público trabalhador as instituições educacionais buscam novas soluções para que o colaborador possa ter acesso ao ensino no seu próprio local de trabalho, sem precisar se deslocar a um centro de treinamento ou escola, aproveitando melhor o seu tempo. Esta é a nova tendência nos setores empresariais e educacionais. 2.1.EDUCAÇÃO CORPORATIVA Segundo Quartiero e Cerny (2005), a Educação Corporativa consiste em um projeto de formação desenvolvido pelas empresas, que tem como objetivo institucionalizar uma cultura de aprendizagem contínua, proporcionando a aquisição de novas competências vinculadas às estratégias empresariais. Para Meister (1999), a Educação Corporativa é um guarda-chuva estratégico para desenvolver e educar funcionários, clientes, fornecedores e comunidade, a fim de cumprir as estratégias da organização. Seguindo as tendências e demandas desta sociedade, as empresas passaram a investir em programas específicos de capacitação profissional de seus colaboradores bem como pesquisa e infraestrutura. Trazer o ensino para dentro da empresa vinculado à estratégia do negócio é uma forma de agregar valor à empresa, ao indivíduo e à sociedade. Meister (1999) afirma que as empresas [...] ao invés de esperarem que as escolas tornem seus currículos mais relevantes para a realidade empresarial, resolveram percorrer o caminho inverso e trouxeram a escola para dentro da
  5. 5. empresa. Esta prática educativa pode ser vista em diversos segmentos empresariais. As empresas perceberam que a baixa produtividade no trabalho é proporcional às deficiências educacionais do trabalhador. As iniciativas de treinamento, desenvolvimento e educação dentro das empresas vêm ganhando espaço nos planejamentos estratégicos empresariais. Para que estas possam acompanhar as tendências e a velocidade imposta pelo mercado de trabalho o treinamento empresarial torna-se uma solução educativa mais eficiente. Em contrapartida, as tecnologias mudam rapidamente se tornando obsoletas. Somente a aprendizagem contínua é capaz de suprir este déficit. Por isso, a gestão do conhecimento tem sido uma estratégia utilizada pelas organizações para disponibilizar e disseminar o patrimônio de conhecimento organizacional bem como incentivar os colaboradores a gerar novos conhecimentos. Como explica Delors (2001), o processo de educação continuada contribui para: uma sociedade educativa, permeada por redes de conhecimento e informação, onde qualquer evento e qualquer lugar podem ser oportunidade para aprender e desenvolver-se. A educação ao longo da vida parte da premissa de que o progresso científico e tecnológico e a transformação dos processos de produção resultante da busca de maior competitividade fazem com que os saberes e as competências adquiridos, na formação inicial, tornem-se rapidamente obsoletos e exijam o desenvolvimento de formação profissional permanente. (DELORS, 2001, p. 104) A verdadeira aprendizagem ocorre quando os indivíduos aprimoram a sua capacidade de criar e compartilhar, desta forma, as organizações que aprendem são formadas por pessoas que continuamente desenvolvem novas habilidades e contribuem ativamente no campo da inovação. Na sociedade moderna, faz-se necessário que o indivíduo tenha capacidade de aprender contínua e rapidamente. A tecnologia digital é a ferramenta capaz de enquadrar-se a esta nova realidade. 2.2.GESTÃO DO CONHECIMENTO A Gestão do Conhecimento pode ser considerada como um conjunto de atividades desenvolvidas por uma organização, relacionadas à aprendizagem organizacional, através dos indivíduos que nelas trabalham e disponibilizadas para
  6. 6. utilizar, compartilhar e desenvolver novos aprendizados. Visando gerar vantagem competitiva. Além de produzir o conhecimento, faz-se necessário gerenciá-lo e mantê-lo disponível para consultas e construção de novos saberes. Com o auxilio da ciência da informação e da pedagogia, a organização que aprende pode compilar todo conhecimento em uma base de dados e disponibilizá-lo de forma eficiente. O profissional da pedagogia é capaz de desenvolver metodologias e materiais pedagógicos adequados à utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs) na prática educativa. Através da Ciência da Informação foi possível o desenvolvimento de aplicativos como biblioteca digital, portal educacional, ambientes virtuais de aprendizagem (AVA), jogos digitais, dentre outros; desenvolvidos com metodologia educacional para a construção e gestão do aprendizado. Estas ferramentas têm como objetivo principal a transformação do conhecimento tácito em explícito e garantir a perpetuidade e disponibilidade do mesmo. Barroso e Gomes (2000), destacam a Ciência da Informação como um dos principais pilares teóricos da Gestão do Conhecimento, como se constata abaixo: As ciências cognitivas, da informação, organizacionais e da administração são as que mais contribuem para o tema. A informação é o veículo do conhecimento e, como tal, a Ciência da Informação supre o referencial teórico para lidar com a mídia da Gestão do Conhecimento. (BARROSO; GOMES, 2000, p.6) 3. METODOLOGIAS INOVADORAS COM TECNOLOGIAS Conforme Delors (2000), os profissionais do futuro precisam estar preparados para lidar com as competências exigidas no mercado de trabalho. Para isso, o processo de ensino-aprendizado não pode ser limitado à transmissão do conhecimento, mas deve ser incrementado levando à construção de competências que os capacitem a tarefas intelectuais de concepção, estudo e organização necessárias ao futuro profissional. Inovação em tecnologias educacionais utilizando práticas pedagógicas é uma tendência nas escolas modernas, seja para atender aos alunos de instituições de ensino tradicionais ou através de parcerias público privadas de formação profissional
  7. 7. como os “sistemas S”: SEBRAE, SENAC, SESC, SENAI. Estas escolas veem utilizando técnicas de educação em ambientes virtuais na preparação de futuros profissionais. Aliando assim estudo e prática profissional. A tecnologia mudou a forma de aprender e ensinar. Antes, o aprendizado só era possível indo até a escola, agora a escola vai ao encontro do aprendiz, em casa, no trabalho ou em qualquer lugar onde se tenha uma TV ou um dispositivo móvel ligado à rede mundial, a internet. A sala de aula ganha um novo significado e uma nova dimensão através dos livros digitais, fóruns de discussão, redes sociais, vídeo conferência e portais de Ensino à Distância (EaD) ou utilizando Ambientes de Aprendizagem Virtual (AVA) para treinamentos on-line. A tecnologia nos libertou do tempo e espaço, podemos aprender de muitas formas, como explica Levy (1999): “... a EaD explora certas técnicas de ensino a distância, incluindo as hipermídias, as redes de comunicação interativas e todas as tecnologias intelectuais da cibercultura. Mas o essencial se encontra em um novo estilo de pedagogia, que favorece ao mesmo tempo as aprendizagens personalizadas e a aprendizagem coletiva em rede.” (LEVY, 1999, p. 158) Softwares como TelEduc, Moodle, Amadeus e Blackboard ganham espaço no cotidiano dos educadores virtuais pelo fato de possibilitarem fácil manuseio e controle de atividades educacionais no formato virtual. 3.1.A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E OS PROCESSOS EDUCACIONAIS EMPRESARIAIS A educação formal não desenvolve aptidões e qualificações consideradas importantes para o mercado profissional atual. O trabalhador da sociedade do conhecimento precisa de métodos e ferramentas que o auxiliem no processo de atualização e renovação constante, pois novas tecnologias, técnicas e metodologias alteram continuamente seu ambiente de trabalho. Disciplinas como responsabilidade social e ambiental, ética, alfabetização digital, visão sistêmica, são alguns exemplos de competências necessárias no mundo do trabalho. Novas disciplinas surgem ou se remodelam constantemente.
  8. 8. Para atender a esta demanda, as Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) em parceria com a Pedagogia desenvolve metodologias inovadoras utilizadas tanto nas escolas como no ambiente organizacional para manter o indivíduo sempre atualizado. A aprendizagem compartilhada, de fácil acesso e interativa mudou a forma de aprender e ensinar. A necessidade de combinar o aprender em rede, através da troca e interação, difusão e gestão do conhecimento, levou as organizações a investir em seus próprios programas educativos. As metodologias utilizadas em salas de aula convencionais foram adaptadas ao ensino corporativo, a pedagogia empresarial vem ganhando cada vez mais espaço na educação corporativa. Vejamos o exemplo de uma empresa que decide trocar todos os equipamentos de fabricação de peças do seu parque industrial por máquinas mais modernas que demandam conhecimentos específicos de seus funcionários. Para manipular estas novas tecnologias e atender a este novo cenário será necessário criar cursos personalizados com horários flexíveis de forma que o processo produtivo não seja afetado. A empresa precisa investir em infraestrutura para treinar seus funcionários adequando-os à nova realidade. Segundo Robbins (2002), a valorização do treinamento nas organizações foi motivada pela competição intensificada, as mudanças tecnológicas e a busca de aumento da produtividade que estão exigindo as demandas de qualificação dos funcionários. As empresas investem em qualificação profissional para se tornarem mais competitivas e acompanhar as exigências de qualidade do mercado. Através do treinamento os colaboradores tornam-se mais produtivos e atualizados. Neste sentido a pedagogia é de extrema importância, pois um profissional da pedagogia está habilitado para a produção e difusão do conhecimento, em diferentes áreas da educação. Este profissional vai definir qual metodologia de ensino será aplicada neste projeto específico, promover ações multidisciplinares nas diversas áreas da empresa e estimular a aprendizagem. Senge (1990), destaca que não há dúvidas que o aprendizado colaborativo motiva o funcionário a se capacitar cada vez mais, e que desse modo, incentiva a busca por novos conhecimentos, favorece seu crescimento pessoal, profissional e gera resultados para as organizações. Há que se reconhecer que o objetivo só se
  9. 9. transforma em força viva quando as pessoas acreditam que podem construir seu futuro. Conforme os projetos educacionais foram tomando proporções maiores nos ambientes empresariais, a necessidade de vincular a educação aos objetivos estratégicos das empresas e a busca por soluções educacionais profissionalizantes voltadas para as demandas corporativas, muitas empresas investiram em Universidades Corporativas. 4. UNIVERSIDADE CORPORATIVA A Universidade Corporativa (UC) é um dos campos de atuação da Pedagogia Empresarial. Seu foco principal é oferecer cursos específicos para funcionários e parceiros da corporação, de acordo com as políticas e estratégias da empresa utilizando-se das práticas educativas do ensino superior. Um dos objetivos da Universidade Corporativa é oferecer cursos especializados e acessíveis a seus colaboradores. Para isso, faz-se necessário o desenvolvimento de plataformas virtuais de aprendizado. Os cursos normalmente são oferecidos “via WEB” através da intranet corporativa ou presencial. Através do ambiente virtual são disponibilizadas ferramentas educacionais de fácil acesso, intensificando a comunicação e a colaboração, estimulando a aprendizagem através de recursos áudio visuais e motivando as pessoas a produzir e compartilhar suas experiências. Programas de Formação Superior, Educação Empresarial, Aprimoramento Profissional são algumas modalidades de ensino utilizadas em empresas como Banco do Brasil, Correios, Petrobrás e a rede de hotéis Accor. Suas experiências ao longo dos anos em sistema de educação corporativa têm dado certo e servem de modelo como melhores práticas (benchmarking3 ) empresariais. 3 O benchmarking consiste em aprender com outras empresas. É um processo de comparação de produtos, serviços e práticas empresariais.
  10. 10. 5. AUTODESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM CONTÍNUA Segundo Eboli (2004), exige-se cada vez mais das pessoas, em todos os níveis hierárquicos, uma postura voltada para o autodesenvolvimento e a aprendizagem contínua. Atualizar e capacitar o trabalhador é tarefa permanente nas organizações que aprendem. Seja através de um treinamento ou de uma formação universitária. O colaborador preparado para o mercado competitivo agrega valor à empresa, cria, transforma, e produz ideias inovadoras. Atualizar-se significa estar envolvido com a troca de conhecimento constante e ser um agente transformador. Adaptar-se à cultura empresarial, envolver-se nos valores e atender às demandas dos clientes, esta é a razão maior do trabalho. A empresa não é responsável pelo autodesenvolvimento do trabalhador, mas sim, colabora e cria oportunidades para fazê-lo. O único responsável pela gestão do autoconhecimento é o próprio indivíduo, sendo, única e exclusivamente sua a responsabilidade de geri-lo e busca-lo onde for preciso, tendo consciência de sua finitude e obsolescência. Para Freire (1997): a educação é permanente não por que certa linha ideológica ou certa posição política ou certo interesse econômico o exijam. A educação é permanente na razão, de um lado, da finitude do ser humano, de outro, da consciência que ele tem de finitude. Mas ainda, pelo fato de, ao longo da história, ter incorporado à sua natureza não apenas saber que vivia, mas saber que sabia e, assim, saber que podia saber mais. A educação e a formação permanente se fundam aí. (FREIRE, 1997, p. 20). 6. METODOLOGIA Este estudo tem como base pesquisa bibliográfica através de literatura especializada no tema. Consulta a livros de autores consagrados e artigos de revistas especializadas nas áreas de Educação, Educação Corporativa, Universidade Corporativa, Pedagogia, Gestão da Educação e uso da Tecnologia no ensino. Também foram utilizadas pesquisas em sites de empresas que implantaram a Educação Corporativa na formação profissional de seus colaboradores. Este estudo possibilitou maior compreensão do tema e conhecimento sobre as melhores
  11. 11. práticas pedagógicas adotadas nas empresariais através do ensino à distância utilizando recursos tecnológicos. 7. CONSIDERAÇÕES FINAIS O indivíduo que aprende constantemente expande sua visão de mundo, amplia horizontes e se torna mais curioso. A compreensão daquilo que antes ele não conhecia passa a ser o motivador para novos conhecimentos e naturalmente, a caminhada se torna prazerosa. Na sociedade do conhecimento a palavra de ordem é cooperar, compartilhar e construir. Participar continuamente no desenvolvimento de novas ferramentas de aprendizagem colaborativa proporciona oportunidades de desenvolvimento social. O processo educacional nas organizações abrange o desenvolvimento pessoal e profissional, por isso, a empresa tem grande parcela e responsabilidade ao oferecer aprendizagem contínua. Novas tecnologias substituem a antiga forma de fazer e o trabalhador precisa se aperfeiçoar ou tornar-se-á obsoleto em pouco tempo. Pode-se concluir que as políticas de desenvolvimento no âmbito das organizações passaram a ser pedagógico-formadora colaborando ativamente para a construção do conhecimento e a combinação de educação com trabalho. Este estudo mostrou como a empresa pode se beneficiar das metodologias pedagógicas aliadas à tecnologia para manter alinhados desenvolvimento profissional e educação com um custo baixo e de fácil acesso pelos colaboradores. A dinâmica da sociedade do conhecimento colocou a educação permanente como uma necessidade urgente no mundo das organizações. Uma proposta educacional empresarial pedagógica tem a finalidade de orientar a formação e o desenvolvimento dos colaboradores baseada nas políticas e estratégias empresariais e com vistas à formação e ao desenvolvimento profissional. O mercado de trabalho exige cada vez mais pessoas preparadas e não há mais tempo para esperar que somente o governo ou as instituições educacionais cumpram este papel. As empresas investem cada vez mais na formação de seus colaboradores com o objetivo de tornarem-se competitivas. Aplicar práticas pedagógicas na educação corporativa aliada à inovação tecnológica promove um aprendizado estimulante e criativo. O investimento em
  12. 12. educação e qualificação do colaborador no local de trabalho utilizando recursos tecnológicos aumenta a produtividade e favorece a colaboração através do ambiente interativo proporcionado pela tecnologia digital. O funcionário mais preparado e satisfeito responde com maior eficiência às demandas da organização na qual atua. O uso de Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) na educação empresarial proporciona inúmeras vantagens, dentre estas, a flexibilidade de local e horário para estudar. A democratização no acesso à educação e rompimento de barreiras geográficas. Este panorama levou muitas empresas a investir em seus próprios projetos educacionais contribuindo ativamente para a educação e nos processos de aprendizagem. Entretanto, a construção de diretrizes pedagógicas no campo da educação, treinamento e desenvolvimento é inacabável. A cada dia, situações novas implicam em novas revisões estratégicas seja por parte das empresas ou no campo acadêmico. Diante do exposto, fica evidente que a crescente demanda por capacitação e a velocidade exigida pelos tempos modernos colocam a educação corporativa como uma necessidade urgente e o uso de tecnologia como um recurso eficaz para o desenvolvimento de ferramentas educacionais pedagógicas no ambiente empresarial. 8. REFERÊNCIAS A Academia Accor. Disponível em: http://www.academiaaccor.com.br/pt/sobre.php. Acesso em 13 de ago. 2014 A UniBB. Educação Corporativa. Disponível em: http://www.bb.com.br/portalbb/home1,139,139,23,0,1,8.bb. Acesso em 13 ago. 2014 BARROSO, Antonio Carlos de Oliveira, GOMES, Elisabeth Braz Pereira. Tentando entender a Gestão do Conhecimento. Revista de administração pública, v. 33, n. 2, 10 p, mar./abr.1999. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/viewFile/7656/6201 Acesso em: 7 jul. 2000 DELORS, J. Educação: um tesouro a descobrir. 6.ed. São Paulo/Brasília: Cortez; Brasília: MEC/ UNESCO 2001. 288p. (Relatório para UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI).MEC, 2000.
  13. 13. EBOLI, M. Educação Corporativa no Brasil: Mitos e Verdades. São Paulo: Editora Gente, 2004. FREIRE, P. Política e educação. São Paulo: Cortez, 1997. FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. (Coleção Leitura). São Paulo: Paz e Terra, 1996. LÉVY, Pierre. Tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993. ___ Cibercultura. São Paulo, Editora 34, 1999. MEISTER, J. C. Educação corporativa. São Paulo: Makron Books, 1999. QUARTIERO, E. M. & CERNY, R. Z. Universidade Corporativa: uma nova face da relação entre mundo do trabalho e mundo da educação. In: QUARTIERO, E. M. & BIANCHETTI, L. (Orgs.) Educação corporativa: mundo do trabalho e do conhecimento: aproximações. São Paulo: Cortez, 2005. ROBBINS, S. P. Administração: Mudanças e Perspectivas. 3ª tiragem. São Paulo: Saraiva, 2002(a). SENGE, Peter M. A quinta disciplina. São Paulo: Editora Best Seller, 1990 Universidade Correios. Disponível em: http://unicorreiosvirtual.correios.com.br/. Acesso em 13 ago. 2014 Universidade Petrobrás. Carreiras. Disponível em: http://www.petrobras.com.br/pt/quem-somos/carreiras/. Acesso em 13 ago. 2014
  14. 14. PLANILHA DE AVALIAÇÃO DO ARTIGO: ITEM CRITÉRIOS A SEREM AVALIADOS AVALIAÇÃO NOTA ATRIBUÍDA ESTRUTURA O texto apresenta introdução, desenvolvimento e conclusão com as devidas referências (bibliográficas, periódicos de internet consultados), bem como o número de páginas obrigatório (entre mínimo e máximo). (1,0) 9 CLAREZA As ideias são apresentadas de forma clara, com coesão e coerência. (1,0) 9 INTRODUÇÃO O texto aponta os objetivos, o problema e as justificativas do trabalho (1,0) 9 PROBLEMA DE PESQUISA O problema de pesquisa é relevante e o estudo apresenta uma solução de forma clara contribuindo aos estudos da área.(1,0) 9 DESENVOLVIMENTO O estudo apresenta um desenvolvimento adequado com a proposta de pesquisa. Sua fundamentação teórica é importante e responde teoricamente aos pressupostos da pesquisa, contemplando os principais autores da área (1,0) 10 EMBASAMENTO DE CONTEÚDO A argumentação é sustentada por ideias, seguindo uma linha de raciocínio lógico- argumentativo correto que pode ampliar os conceitos. (1,0) 9 CONSIDERAÇÕES FINAIS Apresenta uma retrospectiva dos principais elementos da pesquisa, desde a problematização (apresentação do problema) até a escolha dos procedimentos metodológicos. (1,0) 9 COERÊNCIA COM AS ORIENTAÇÕES O trabalho atende às orientações do professor orientador. (1,0) 10 DOMÍNIO DA NORMA CULTA DA LÍNGUA ESCRITA Verificação de erros ortográficos ou gramaticais segundo a norma culta.(1,0 9 RELAÇÃO TEORIA E PRÁTICA O texto apresenta exemplos, dados ou experiências pessoais, aproximando teoria e prática. (1,0) 9 92 Textos ou trechos não referenciados descontar 40 pontos Para textos totalmente copiados, atribuir nota zero ao trabalho. NOTA FINAL PARECER FINAL:

×