18       ENTREVISTA                                                                                                       ...
28 Novembro 2011 | O CORREIO DA LINHA                                                                                     ...
20      ENTREVISTA                                                                                                  O CORR...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A Fundação Cascais no Jornal da Região

334 visualizações

Publicada em

Reportagem sobre a Fundação Cascais publicada na edição de Novembro de 2011 no Jornal O Correio da Linha com entrevistas a Isabel Magalhães, Pedro Garcia e Laszlo Hubay Cebrian.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
334
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Fundação Cascais no Jornal da Região

  1. 1. 18 ENTREVISTA O CORREIO DA LINHA | 28 Novembro 2011 Fundação Cascais ao serviço do desenvolvimento local no desenvolvimento de vários projectos es- ção, Isabel Magalhães recorda diver- truturantes que se revelavam necessários e sos projectos em que a Fundação se que pudesse influenciar as várias forças po- envolveu nesses momentos iniciais: líticas para que levassem à prática um pro- “Desenvolvemos várias discussões defen- jecto de desenvolvimento sustentável para o dendo a necessidade da existência de um Laszlo concelho de Cascais”. Centro de Congressos e fizemos pressões Hubay O empresário Pedro Garcia, igualmente para que se materializasse. Desenvolvemos Cebrian membro do Conselho de Fundadores, outro projecto de criação de passeios pe- preside recorda as motivações que estiveram destres através do Parque Natural Sintra- actualmente na origem da constituição da Fundação Cascais, envolvendo o levantamento da a Fundacao Cascais: “Houve um movimento de indi- respectiva fauna e flora, assim como a pro- Cascais vidualidades da sociedade civil que con- dução de sinalética, o qual todavia não foi sideraram que queriam participar, não executado. Promovemos ainda a realização Texto: CLÁUDIA SILVEIRA Presidente da Fundação Cascais. Ao politicamente, mas em diversas áreas que de diversos debates e seminários sobre as- Fotos: C. S. e FUNDAÇÃO CASCAIS jornal O Correio da Linha recorda a sua abrangiam o município de Cascais, nome- suntos considerados fundamentais, alguns constituição: “A criação da Fundação adamente o turismo, a saúde, a cultura e a dos quais com a presença de reputados es-A Fundação Cascais constituiu-se ocorreu numa conjuntura específica que educação. Assim, pessoas provenientes dos pecialistas nacionais e internacionais. Umem 1993 com o objectivo de proce- se vivia no município de Cascais, em que mais diversos sectores, incluindo empresá- dos assuntos debatidos em diversas ocasiõesder, de forma participada, ao es- se sentia um descontentamento generali- rios da construção civil, do turismo e do co- foi o Turismo, que consideramos ser a gran-tudo da realidade do concelho de zado relativamente à ausência de projectos mércio e de diversas profissões liberais e in- de vocação de Cascais, e que por isso deve de desenvolvimento para o concelho e uma cluindo também algumas das figuras mais condicionar o plano de intervenções para oCascais, tendo em vista o estabe- inércia completa por parte das forças políti- conhecidas da nossa sociedade juntaram-se município. A saúde foi outra temática abor-lecimento de modelos para o seu cas que na época tinham a responsabilida- com o propósito de constituir um fundo e dada no âmbito das discussões promovidasdesenvolvimento ordenado e har- de pela governação local. Um conjunto de juntar capital que garantisse a criação de pela Fundação no concelho, numa época emmonioso. pessoas, a maioria então representantes das uma fundação. Esta não tinha uma missão que se discutia a viabilidade da construção várias forças vivas do concelho, numa ópti- específica, mas propunha-se a que, sempre do novo Hospital de Cascais. O ambiente eI sabel Magalhães integra o Conselho ca pouco usual à época, de associativismo que fosse considerado necessário, premente o Parque Natural de Sintra-Cascais, a par de Fundadores da instituição, ten- e municipalismo na sua mais pura versão, ou importante, analisar uma série de pro- da revisão do Plano Director Municipal, fo- do sido uma das principais impul- uniu-se no sentido de criar uma fundação jectos que surgissem”. ram igualmente domínios muito debatidos sionadoras do projecto e primeira que se pudesse assumir como um parceiro A propósito da actividade da institui- no seio da Fundação. Propusemos ainda a construção de uma ciclovia, que não corres- ponde inteiramente à que existe actualmen- DROGARIA te, mas que só se começou a materializar a partir da apresentação de um projecto nesse sentido”. COSTA Sobre o relacionamento da instituição com os poderes políticos, Isabel Ma- galhães comenta: “Ao longo dos anos, te- mos constatado que o poder político encara o dinamismo da Fundação com um certo amor-ódio. Por um lado, entende que o nos- so objectivo sempre foi o de contribuir para BOAS um concelho melhor, mas, por outro lado, FESTAS desconfia que possa existir uma vontade de poder político por parte da Fundação, o que considero ridículo. Penso que hoje em dia essa questão está ultrapassada”. Fazendo o balanço do trabalho desen- volvido ao longo dos anos pela insti- tuição, Pedro Garcia acrescenta: “A fun- dação não tem por vocação ser antagonista política de qualquer outra instituição, mas Os 3 mosqueteiros o seu papel é o de assumir posição relati- de Cascais vamente a projectos que se desenvolvam no município de Cascais. A sua actuação tem desejam sido positiva e generosa ao longo destes BOAS FESTAS anos”. Uma actividade multifacetada FERRAGENS • DROGAS Ao longo da sua existência, a Fundação PESCA • E DIVERSOS ARTIGOS Cascais tem promovido a concretização NECESSÁRIOS E COM UTILIDADE de diversos projectos em múltiplas áre- as de intervenção, de que são exemplo PARA O SEU LAR a realização de um levantamento do Rua Visconde da Luz, 4-A património de Cascais desenvolvido entre 1996 e 2000 e que deu origem à 2750 CASCAIS - Telef.: 21 483 02 72 elaboração de cerca de 2800 fichas de CARDOSO & FILHOS, LDA. Agência Funerária Sintra Artes Gráficas TIPOGRAFIA • OFFSET • SERIGRAFIA • BRINDES PUBLICITÁRIOS Deseja um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo SERVIÇO PERMANENTE a todos os estimados Clientes, Fornecedores e Amigos FUNERAIS • Cartas • Mailings RUA DO CABEÇO TRASLADAÇÕES • Cartões • Folhetos MONTE SANTOS • Envelopes • Catálogos 2710-408 SINTRA SEDE: Pç. 5 de Outubro, 26 — BELAS 214 310 105 FILIAL: Av. Miguel Bombarda, 8 — QUELUZ 214 352 563 BOAS AS S • Facturas • Livros TEL. / FAX 219 235 030 SERVIÇO NOCTURNO: 214 310 105 - 214 371 138 FESTAS AS • Autocolantes • Brindes WWW.CARDOSOEFILHOS.COM E-mail: funeraria.belas@clix.pt pt • Cartazes • Etc. E-mail: sintra.artesgraficas@iol.pt
  2. 2. 28 Novembro 2011 | O CORREIO DA LINHA ENTREVISTA 19imóveis, à organização de seis bases de que nela têm vindo a investir, assegurando que possam ter projecçãodados geo-referenciadas do património um funcionamento estável. Quando termi- internacional como é oconcelhio e à edição de um CD-Rom. nar o meu mandato, gostaria de entregar caso da conferência inter-No domínio do ambiente, promoveu a quem me vier a suceder uma instituição nacional Energy for Smartum estudo sobre o Parque Natural com receitas suficientes para manter uma Cities - Cascais ConferenceSintra-Cascais, enquanto que no âmbi- actividade estável no âmbito dos propósitos Series, a realizar de dois emto educativo se destacam, quer o pro- da Fundação”. dois anos, dedicada ao temajecto desenvolvido no Bairro do Fim do Actualmente, cerca de 80% do financia- das cidades inteligentes.Mundo, na freguesia do Estoril, o qual, mento da Fundação é assegurado por Cascais pretende afirmar-seem torno de 2000 reflectiu sobre as im- recursos próprios, existindo empresas no panorama internacionalplicações das carências sócio-culturais que colaboram regularmente com a ins- como uma cidade inteligen-nos processos de aprendizagem, quer o tituição, enquanto que outras a apoiam te, tendo já realizado traba-estudo sobre o impacto do consumo de pontualmente nalgumas actividades es- lho e investimentos nesseálcool na população em idade escolar pecíficas. Entre elas inclui-se a Câmara domínio, designadamentedo concelho de Cascais, diagnostican- Municipal de Cascais, bem como di- através da Agência Cascaisdo uma situação de grande gravidade. versos empresários de que são exem- Energia, do desenvolvi-Ainda em 2000, realizaram-se umas plo Luís Athaíde, Manuel Fernandes mento dos serviços urbanosjornadas abordando o tema da segu- Espírito Santo ou João Cordeiro. e da organização do espaçorança e, dois anos volvidos, realizou-se Algumas das iniciativas que têm sido urbano. Para apoiar a or-a conferência “A Saúde em Cascais”, dinamizadas recentemente pela insti- ganização do evento, criá-na qual se reflectiu sobre a construção tuição contribuem para garantir essa mos um conselho científicodo novo Hospital. Ainda no domínio estabilidade financeira, como é o caso presidido pelo Professorda saúde, a Fundação Cascais impul- do evento Energy for Smart Cities - Oliveira Fernandes, dasionou a criação do Grupo de Apoio e Cascais Conference Series, cujos objecti- Universidade do Porto, A embaixadora do Reino Unido com o Presidente da Fun-Desafio à SIDA (GADS). A cultura tem vos Francisco Vieira e Sousa, Director que integra diversos espe- dacao Cascais numa das iniciativas realizadasbeneficiado igualmente do apoio da Executivo da Fundação Cascais, expli- cialistas de universidadesinstituição, que, em 1996, financiou o cita: “Procuramos desenvolver projectos estrangeiras. A primeira conferência in- tivas paralelas que permitam potenciarprojecto de recuperação ternacional realizou-se em 2010, incluindo os respectivos contributos.do Teatro Gil Vicente, um encontro de autarcas em que se reflectiu No domínio do desenvolvimento eco-uma sala de espectácu- sobre cidades inteligentes e que estratégias nómico, a instituição tem privilegiadolos emblemática do con- devem ser adoptadas para as mesmas, o o sector do turismo, dado o seu caráctercelho de Cascais, tendo qual contou com mais de 100 participantes. estratégico no concelho. Nesse sentido,ainda apoiado a edição A conferência foi um sucesso e actualmen- foi organizada a iniciativa “Ao Saborde diversas obras, entre te encontramo-nos a preparar a segunda de Cascais” em colaboração com aas quais o estudo rea- conferência, a realizar em 2012, a qual será Associação de Hoteleiros, cujo objecti-lizado por João Aníbal alargada para dois dias e meio e integrará vo foi a promoção dos hotéis de CascaisHenriques O Estoril e a uma área de exposição que acolherá a apre- junto dos próprios cascalenses, atravésParóquia de Santo António sentação de empresas ligadas a este sector. do acesso a descontos no alojamento,– notas para a sua história, É nossa expectativa que as conferências se permitindo a quem vive no concelhoo relatório Radiografia Es- consolidem e atinjam maior projecção tanto conhecer melhor a oferta existente ecolar e Educativa do Con- a nível nacional como internacional”. usufruir de uma noite ou de um fim-celho de Cascais, as actas A Fundação Cascais tem sido ainda de-semana diferente. Por outro lado,do Seminário A Saúde parceira da autarquia na organização em Novembro, foi organizada, em co-de Cascais, o estudo Ur- das Conferências do Estoril, evento laboração com a DNA Comércio, umabanismo & Comércio: considerado importante na projecção semana gastronómica no concelho, narevitalização urbana e co- internacional do concelho. Encontra- qual os restaurantes aderentes ofere-mercial cascalense, bem se em curso a preparação da edição de ceram almoços e jantares a preços maiscomo dos desdobrá- 2013, entendendo a Fundação ter um baixos do que o habitual, com o objec-veis Roteiros Turísticos papel privilegiado no incentivo à parti- tivo de divulgar a qualidade da restau-do Concelho de Cascais. Isabel Magalhães e Pedro Garcia, membros do Conselho cipação do mundo empresarial, em es- ração local. Em preparação encontra-seParalelamente, através de Fundadores da Fundação Cascais pecial através da organização de inicia- igualmente o desenvolvimento, em par-de protocolos de cola-boração celebrados com a Academiade Letras e Artes (ALA) e com a EDAM– Escola de Dança Ana Mangericão, aFundação Cascais participou no pro-grama comemorativo dos 500 anos dadescoberta do Brasil. Uma instituição interventiva Pereira de Sousa e Mestre, lda stre,Mais recentemente, a Fundação tem Boas Festasimpulsionado a realização de novosprojectos, adaptando-se às problemá- Sapatos - Malas sticas que no presente se reflectem emCascais. SEMPRE AS ÚLTIMAS ASO actual Presidente do Conselho de NOVIDADESAdministração da Fundação Cascais,László Hubay Cebrian, explicita ao nos- Boas Festas a clientes e amigos osso jornal: “Os nossos objectivos são ajudartoda a comunidade de Cascais a implemen- R. da Figueirinha, 19-Atar uma forma de tornar o município mais Tel. 21 441 38 96 • Fax: 21 441 08 67 41 7conhecido no plano interno e, por outro 2780-016 OEIRASlado, contribuir para a afirmação externa do Galerias Alto da Barra, Loja 106Estoril como destino turístico. Tais objecti- Tel. 21 441 63 35 • 2780-053 OEIRAS Estrada das Romeiras, N.º 14-B • 1495-117 Algés de Cimavos são possíveis através da dinamização de e-mail: kappas@sapo.pt Tel. 21 410 12 18actividades no concelho, quer sejam de ca-rácter cultural, desportivo ou intelectual”.Nesse sentido, entende que a Fundaçãodeve colaborar com a Câmara Municipalde Cascais em todas as actividades emque for considerada útil a sua colabora-ção, “desde que não se trate de actividadespolíticas”.Considera igualmente importante quea instituição tenha autonomia finan- distribuidor autorizadoceira, afirmando: “Enquanto Presidenteda Fundação, o meu objectivo é encontraralgo que se possa realizar anualmente ou Estrada Principal do Outeiro, n.º 1801de dois em dois anos e que possa dar algu- Telef.: 21 445 78 20 Fax.: 21 445 78 29ma receita à instituição e que lhe permita e-mail: geral@combustoil.ptuma certa independência, quer da Câmara Deseja D Des Boas Festas e Feliz Ano Novo, a todos os seus colaboradores, clientes e amigos www.combustoil.ptMunicipal de Cascais, quer dos mecenas
  3. 3. 20 ENTREVISTA O CORREIO DA LINHA | 28 Novembro 2011ceria com a Associação de Hoteleiros os locais mais emblemáticos que mar- colinas, nem caminhar em ruas esbu- cultural digna, de boa restauração e dodo concelho, de uma acção de formação cam a vivência deste espaço. É con- racadas ou no meio da confusão, mas comércio local.destinada a recepcionistas de hotéis de vicção dos responsáveis da Fundação que apreciam passeios em locais arran- Paralelamente, considerando que aCascais e de Lisboa, no sentido de pro- que Cascais deve promover uma oferta jados, tranquilos e seguros, numa vila Fundação pretende contribuir para omover a oferta cultural e gastronómica turística de qualidade no domínio das aprazível, usufruindo de uma oferta desenvolvimento económico do con-existente em Cascais, objectivo inerente acessibilidades e da mobilidade, celho e que este poderiatambém à preparação de um conjunto posicionando-se para receber tu- beneficiar de uma maiorde circuitos pedestres que visa dar a ristas com exigências específicas, articulação entre os vá-conhecer aos turistas que nos visitam que não pretendem subir e descer rios empresários que nele operam, tem vindo a realizar-se uma série de Boas pequenos-almoços com embaixadores, os quais Festas são convidados a reflec- Carlos tir sobre as perspectivas Carreiras económicas existentes e Laszlo no seu País e sobre o Cebrian no modo como se poderia decurso potenciar a relação entre da Cascais Portugal e o País que re- Restaurant presentam. Week A problemática do de- semprego, que está a au- mentar em Cascais, constitui outro dos interesses da Fundação, que pretende organizar sessões quinzenais destina- das a desempregados, nas quais parti- cipem empresários que expliquem aos candidatos a emprego os factores que geralmente são valorizados no proces- so de candidatura e que facultem apoio na elaboração de currículos e na pre- paração das entrevistas profissionais. A este respeito, László Hubay Cebrian reflecte: “Gostaríamos de organizar umas sessões de coaching que permitam às pes- soas que se encontram em situação de de- semprego, muitas das quais ainda em idade activa, não perderem a confiança em si pró- prias. Muitas vezes, as pessoas precisam de ser incentivadas a reorientarem a sua vida, evitando a destruição do tecido familiar”. A educação continua também a merecer a atenção da instituição, conforme refere Francisco Vieira e Sousa: “Estamos ainda a trabalhar nalguns projectos relacionados com o ensino, pretendendo a Fundação as- sumir um papel de charneira entre as escolas e as empresas. As competências desenvolvi- das no mundo empresarial e a sua utilidade no âmbito do processo educativo constituem o ponto de partida para a parceria, no âm- bito da qual a empresa pode ajudar a escola na sua gestão, prestando consultadoria, o que constitui uma das lacunas geralmente identificadas na organização do sistema de ensino existente em Portugal”. Arte em Sintra Volta do Duche, na Vila de Sintra, A é palco até 10 de Junho de 2012, da Exposição de Escultura ao Ar Livre – Sintra Arte Pública VIII que, nesta edição, tem como tema “Um Homem, Um Mundo”. Organizada pela Câmara Municipal de Sintra, com o apoio do Turismo de Lisboa e Vale do Tejo e em colaboração com o Centro Internacional de Escultura, nomeada- mente com o director artístico, o escul- tor Moisés Preto Paulo, esta exposição apresenta trabalhos de 16 escultores de várias nacionalidades, que exploram a matéria prima – a pedra – como veículo artístico, executando com grande au- tenticidade e criatividade um trabalho que implica uma constante investiga- ção e inovação. À semelhança de anos anteriores e com o intuito de valorizar e dinamizar o património estético do Concelho de Sintra, concretamente na zona do Centro Histórico, foi nova- mente escolhida a Volta do Duche, uma das mais belas ruas da Vila de Sintra, em perfeita harmonia com a envolven- te paisagística e humana, Esta é mais uma iniciativa da Câmara Municipal de Sintra enquadrada na estratégia de consolidação da marca “Sintra, Capital do Romantismo”.

×