Service operation

607 visualizações

Publicada em

johnston, bob service in operations management

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
607
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Service operation

  1. 1. Robert Johnston IJOPM Volume 19 Issue 2 (1999), pp. 104-24 Included as part of the 25th anniversary issue of the journal 2005 Service operations management: return to roots (1 a Parte) Alunos: Roberto Sediyama e Daniel Galelli 06/03/2011
  2. 2. Bob Johnston <ul><ul><ul><ul><ul><li>BSc (Aston), PGCE (Lancaster), PhD (Warwick) </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Warwick Business School The University of Warwick United Kingdom </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Robert (Bob) Johnston, Xiangyu Kong. The Customer Experience: A Road Map for Improvement. Managing Service Quality 21 (2011) </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Slack, N., Chambers, S. and Johnston, R. Operations management. Harlow: Financial Times Prentice Hall, 2010. </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  3. 3. Anos 80 <ul><li>Contexto do inicio da pesquisa de serviços pela Gestão de Operações </li></ul><ul><li>Quantidades do lote, a linha controle, equilíbrio e estoque </li></ul><ul><li>Serviços no dia-a-dia </li></ul><ul><li>“ The mall is my factory: reflections of a service junkie” (CHASE, 1996) </li></ul><ul><li>OM, Marketing, HRM </li></ul>
  4. 4. Chase, 1996 <ul><li>You ask the resort hotel manager if you could peek at the reservation system while you are on vacation rather than spending an afternoon on the beach. </li></ul><ul><li>You go out of your way to visit theme parks in Korea just to benchmark them against Disneyland. </li></ul><ul><li>You are more interested in the planes and taxis you took to get to the factory tour than you are in the factory. </li></ul><ul><li>You provide unsolicited feedback to your dentist on how the scheduling and appointments system could be improved. </li></ul>
  5. 5. Estágio 1 Despertar do Serviço 55 + 50% PIB UK, Serviços 62 Administração de Fábrica Busca Eficiência 70 Administração da Produção Planejamento e controle da produção, adm. capacidade, adm. materiais 72 76 78 Operations Management Johnson et al. (Cita serviço 1 vez) Buffa (2 Capítulos) 64,66,69 Marketing (Johnson, Judd, Rathmell) Breaktrough Sasser - “Match supply and demand in service industries” Sasser - Management of Service Operations Chase - “Where does the customer fit in a service operation?” Production-line approach to service” (Levitt, 1972), “Quality control in a service business” (Hostage, 1975), “The new back office focuses on customer service” (Matteis, 1979), and “Marketing’s potential for improving productivity in service industries” (Lovelock and Young, 1979)
  6. 6. Estágio 1 Estágio do “rastejar” Brown (1994)
  7. 7. Estágio 2 Se libertando das raizes 81 82 84 85 “ customer operations” Chase; Maister Entendimento das características do serviço e da administração de serviços (Bowen and Schneider, 1985; Gronroos, 1984; Parasuraman et al., 1985) “ A conceptual model of service quality and its implications for future research” Parasuraman 1 os Artigos de serviços em OM Fitzsimmons and Sullivan; Voss et al. 87 Servuction Eiglier and Langeard Customer contact time (Chase, 1981), degree of customisation (Maister and Lovelock, 1982; Johnston and Morris, 1985), the amount of judgement exercised by front office staff (Lovelock, 1983), whether the value was added in the front or back office (Maister, 1983), the operation’s product or process focus (Johnston and Morris, 1985). TQM preliminar: “ New tools for achieving service quality” Wyckoff OR “ The service sector: challenges and imperatives for research in operation management” (Sullivan) e “ Service operation management: research and application” (Mabbert)
  8. 8. Estágio 2 Estágio do alto interesse e entusiasmo Brown (1994)
  9. 9. Estágio 3 A era da gestão de serviços 85 95 3 Seminários interdisciplinares International Research Seminar Quality in Service Frontiers in Service Conference Testes Empíricos Bitner et al ., 1990; Collier , 1991; Fitzgerald et al ., 1991; Parasuraman et al. , 1988; Rust and Oliver , 1994 Chase (1996) define como “era do teste da teoria”
  10. 10. Questões de pesquisa de OM
  11. 11. Estágio do “andar ereto” Brown (1994)
  12. 12. Estágio 4 Retorno as Raizes ? 95 Aplicação dos trabalhos Collier (1994), relação entre percepção da qualidade do serviço e performance operacional Heskett et al. (1997), Rust e Oliver (1994) e Voss e Johnston (1995) links entre qualidade, satisfação dos funcionários, qualidade interna, e resultados como lucro e satisfação do consumidor. 99
  13. 13. Estágio 4 <ul><li>Tensões entre as funções OM, MKT, HRM </li></ul><ul><li>Tendência de retorno ao cerne das disciplinas </li></ul><ul><li>Ignorou-se questões como conformidade da qualidade e da entrega de qualidade baseado no cliente </li></ul>
  14. 15. Questões futuras <ul><li>Relacionando performance operacional com o direcionamento do negocio </li></ul><ul><li>Q1: Quais são as alavancas operacionais de lucro mais eficientes e em que circunstâncias? </li></ul><ul><li>Q2: Podemos mapear a relação entre as variaveis de controle e a de saída? </li></ul>“ Re-operacionalizar” os estudos em serviços
  15. 16. <ul><li>Medição de desempenho e melhoria das operações </li></ul><ul><li>Q1: Como podemos criar estruturas para ajudar as organizações a uma revisão do efeito e da natureza das medidas de desempenho utilizadas? </li></ul><ul><li>Q2: Em que situações medidas e metas históricas s ão adequadas; e em que situações metas baseadas externamente são mais adequadas? </li></ul><ul><li>Q3: Programas de melhoria radical produzem resultados melhores ou mais rápidos do que programas de melhoria contínua do tipo TQM? </li></ul>
  16. 17. <ul><li>Garantias, reclamaç ões e recuperação de serviço - ferramentas para melhoria de desempenho </li></ul><ul><li>. Como podemos ligar as reclamações e falhas com a melhoria organizacional? . Como se pode desenvolver a aprendizagem organizacional a partir de erros? . Como as organizações podem ser pró-ativas na busca e tratamento de erros antes que seus clientes te digam (ou mais frequentemente, não digam)? . Quais são as garantias de um bom serviço e como eles podem ser operacionalizados? . Quais as evidências que as reclamações, garantias ou recuperação de serviço trazem melhorias dentro de uma organização? . Como a aprendizagem é melhor capturada e aplicada? </li></ul>
  17. 18. <ul><li>Gestão de pessoas </li></ul><ul><li>. Quais são as competências-chave de operações de serviço? . Como podemos desenvolver essas competências? . Como os gerentes de operações se comportam sobre a manutenção da energia e compromisso dos trabalhadores da linha de frente? . Como assegurar que um nível constante de serviço é prestado? </li></ul>
  18. 19. <ul><li>Service design </li></ul><ul><li>. O que é um Service Design ? . Como é um conceito de serviço desenvolvido em um serviço? . O que é um conceito de serviço? . Quais são os métodos mais eficazes para desenvolver um serviço? . Quais são as ferramentas e técnicas de um bom design? . Serviços integrados é uma ótima idéia para um cliente, mas como conseguir isso em organizações? . Como pode a internet ser utilizada para criar novos serviços, mesmo que serviços virtuais e a utilização de simulações de realidade virtual em serviço (não, eu não tenho a prostituta em mente)? . Como podemos capturar as dimensões tecnológicas do próximo século? </li></ul>
  19. 20. <ul><li>Tecnologia de serviço </li></ul><ul><li>. Quais são as categorias de tecnologias de serviços e seus impactos relativos? . Quais são as dificuldades inerentes à implementação da nova tecnologia? . Quais são os fatores de sucesso? . Qual é a relação entre o investimento em tecnologia e redução de custos? </li></ul>
  20. 21. <ul><li>O projeto de redes internas </li></ul><ul><li>. Pode o supply chain ser implementado dentro das organizações? . Como é que a qualidade do serviço se traduz em redes de fornecimento interno? . Qual é a relação entre a qualidade do serviço interno e satisfação pessoal; e qualidade e satisfação do cliente externo? . Como podem as organizações podem calcular o valor dos serviços internos? </li></ul>
  21. 22. <ul><li>O encontro do serviço </li></ul><ul><li>. Quais são os scripts &quot;certos &quot; para diferentes tipos de serviço? . Será que sabemos como projetar e controlar a série de encontros que compõem o processo de serviço? </li></ul>
  22. 23. <ul><li>Gerenciando a capacidade de serviços </li></ul><ul><li>. Quais são as estratégias de capacidade adequada? Como o contato com os clientes se relacionam com os tipos de estratégias? . Qual é a relação dos níveis de capacidade e estratégias de capacidade para o nível de qualidade do serviço prestado, por exemplo? . Como as organizações podem gerenciar melhor a relacão capacidade-qualidade? </li></ul>

×