30. O Livro do profeta Jeremias

12.566 visualizações

Publicada em

Curso Visão Panorâmica da Bíblia, lecionado na Igreja Presbiteriana de Dourados, toda quarta-feira, às 19h30' pelo Rev. Ildemar de Oliveira Berbert.

0 comentários
13 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.566
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
431
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
526
Comentários
0
Gostaram
13
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

30. O Livro do profeta Jeremias

  1. 1. Chamado em 626 a.C Anatote, perto de Jerusalém PALAVRA CHAVE: “APELO FINAL”
  2. 2. DIVISÃO HISTÓRICA DA BÍBLIA OS PROFÉTICOS 05 MAIORES Isaías JEREMIAS Lamentações Ezequiel Daniel
  3. 3.  A profecia leva o nome do próprio autor e profeta.  “Javé é Elevado”  Jeremias era filho de Hilquias, um sacerdote.  Foi chamado ao ministério ainda jovem (1.6), no décimo terceiro ano do rei Josias, uns 70 anos depois da morte de Isaías.  Exerceu seu ministério nos reinados de Josias, Jeoacaz, Jeoaquim, Joaquim e Zedequias.  Como Profeta, sofreu muito: solidão, rejeição, dor, ameaças de morte, humilhação, preso e lançado numa cisterna.  Rotulado de Traidor por defender a submissão à Babilônia.  Contemporâneo de Habacuque e Sofonias, bem como de Ezequiel e Daniel que se encontrava entre os exilados na Babilônia.  Prova do remanescente fiel!!
  4. 4.  Sua mensagem anunciava o agir de Deus sobre a dura cerviz do Seu povo através da Babilônia. Em sua época, o Reino do Norte já havia caído, e quase todo Judá também. Jerusalém estava praticamente sozinha, mas continuava rebelde aos preceitos do SENHOR.  Jeremias apela ao povo que se arrependa, e anuncia o perigo do juízo de Deus. Ao mesmo tempo, apresenta o SENHOR como Deus paciente.  Apresenta o último apelo do SENHOR, na tentativa de salvar Jerusalém da destruição.
  5. 5. "Mas isto lhes ordenei, dizendo: Dai ouvidos à minha voz, e eu serei o vosso Deus, e vós sereis o meu povo; andai em todo o caminho que eu vos ordeno, para que vos vá bem. Mas não deram ouvidos nem atenderam, porém andaram nos seus próprios conselhos, e na dureza do seu coração maligno; andaram para trás, e não para diante" (7.23,24).
  6. 6. Estende-se desde o ano 13 do Reinado de Josias até a primeira parte do cativeiro da Babilônia; cobre um período de mais ou menos 40 ANOS.
  7. 7. I. O chamado e a comissão de Jeremias (cap. 1) II. Mensagem geral de repreensão a Judá (caps. 2-25) III. Mensagens mais detalhadas de repreensão, de juízo e de restauração (caps. 26-39) IV. Mensagens depois do cativeiro (caps. 40-45) V. Profecias referentes às nações (caps.46-51) VI. Retrospecto: O cativeiro de Judá (cap. 52).
  8. 8.  627. Jeremias é chamado para ser profeta de Deus. Morte de Assurbanipal, último grande rei da Assíria.  621. Descoberta do livro da Lei. Início da grande reforma do rei Josias.  609. Nínive, capital da Assíria, é tomada pelo babilônicos.  605. O exército egípcio é fragorosamente derrotado em Carquemis por Nabucodonosor, rei da Babilônia.  604. Nabucodonosor subjuga a Síria, Judá e cidades dos filisteus.  598. Aliança com o Egito traz o exército babilônico de volta a Judá.  597. Morre o rei Jeoaquim, e Jerusalém é derrotada pelos babilônicos, após um cerco de dois meses. O novo rei, Joaquim, é deportado com outros para a Babilônia. Seu tio, Zedequias, é colocado no Trono.  588. Sob pressão do partido pró-Egito, Zedequias se rebela contra a Babilônia. Jerusalém é sitiada por 18 meses.  587. O exército babilônico entra em Jerusalém. O povo é deportado; a cidade, saqueada e queimada; o templo, destruído. Três meses depois, o governador Gedalias é assasinado. Jeremias é levado ao Egito.
  9. 9. • O amor imutável de Deus ao seu povo apóstata e sua tristeza pela condição dele é o tema deste livro. • Jeremias apresenta o último apelo do SENHOR, na tentativa de salvar Jerusalém da destruição. • A centralidade da fé em Deus.  Mostra a descentralização do templo, onde Deus escreveria no coração do remanescente as Palavras d’Ele.  O avivamento fácil e superficial não dura muito tempo.
  10. 10.  1ª - de 627 a 606 a.C. - fase da denúncia. Época em que ele chama a atenção do povo, apelando a que se arrependa. Neste período, Josias era rei de Judá.  2ª - de 606 a 596 a.C. - fase da visitação de Deus. Época em que o profeta anuncia com veemência o juízo de Deus. Nesse período, Jerusalém é atacada e destruída pelos babilônios. Nessa ocasião, foram reis de Judá: Jeoacaz, Jeoaquim, e Joaquim.  3ª - de 596 a 580 a.C. - fase do convite. Época em que Jeremias ministra ao povo em Jerusalém e, posteriormente, no Egito. O juízo de Deus já se fizera executar sobre todos, mas Suas misericórdias continuavam renovando-se a cada manhã! Zedequias foi o rei de Judá nesse período.
  11. 11.  1 –(12.1-4) temos a exteriorização de uma luta [íntima] enfrentada pelo profeta, e da qual todos nós, nalgum momento da vida, também participamos: a questão do bem-estar e prosperidade dos ímpios, enquanto, muitas vezes, os justos lutam com grandes dificuldades. Compare com o Sl 73.  2 - na resposta do Senhor ao questionamento acima apresentado, aprendemos uma lição profunda: o nosso momento atual pode ser de um sofrimento "infantil", à vista do sofrimento de outras pessoas, ou do sofrimento que nós mesmos iremos experimentar no futuro! Hb 12.3-5. É mais sábio aprendermos e aceitarmos o sofrimento presente, armazenando, por seu intermédio, forças para o futuro, do que abrir a boca para reclamar!  3 -(17) homens são homens. Por melhores que sejam. Por mais crentes. Por mais exemplares. Continuam sendo homens. Herdeiros do sangue de Adão. E, portanto, indignos da nossa confiança completa. Podem causar-nos decepções. Podem orientar-nos erradamente. Podem equivocar-se. Nunca se esqueça desta grande verdade: homens são apenas homens. Por isso mesmo, não confiemos nem em nosso próprio coração. Só o Senhor é digno de completa confiança!
  12. 12.  4 –(18.4) o tempo da graça tem o seu final. Na vida da humanidade como um todo, e na vida de cada pessoa, individualmente. Esta lição fica bem clara neste livro! No capítulo 18.4, aprendemos que um vaso pode ser remodelado, enquanto o barro ainda está molhado. Todavia, depois de seco, só presta para ser quebrado e enterrado (19.10,11). Aproveitemos o tempo da graça, enquanto podemos ser remodelados. Haverá um tempo quando isso não mais será possível! Tomemos como exemplo a experiência de Esaú: Hb 12.16,17.  5 - a mensagem que Deus dá aos Seus servos, muitas vezes é "contraditória, incoerente, inaceitável". Vejamos: a Jeremias foi dado dizer ao povo que se rendesse aos babilônios. Isso era, literalmente, entregar-se ao inimigo! A loucura de Deus é muito mais sábia, coerente e inteligente do que os mais elaborados raciocínios humanos. Nunca nos esqueçamos disso! Portanto, abracemos os princípios do Evangelho - tomar a cruz, negarmo-nos a nós mesmos, etc - sem medo. Parecem loucura. Nossa sociedade jamais irá aceitá-los. São a "traição ao próprio eu". Todavia, em Sua "loucura", Deus é muito, infinitamente mais sábio do que o mais sábio dos homens. E Seus seguidores, também
  13. 13.  Jr. 23.1-8: Jesus é o Pastor e Renovo.  Jr. 31.31-34: Em Cristo a nova aliança seria estabelecida.  O profeta Jeremias constitui-se, também, numa preciosa mensagem messiânica, pois como homem sofredor e rejeitado, ele tipifica muito de perto o Senhor Jesus!
  14. 14. “Então, me invocareis, passareis a orar a mim, e eu vos ouvirei. Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração”. Jr. 29:12,13

×