O movimento operário

0 visualizações

Publicada em

Resumo sobre o movimento operário

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
0
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
0
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
171
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O movimento operário

  1. 1. O MOVIMENTO OPERÁRIOA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E AS TRANSFORMAÇÕES NO MUNDO DO TRABALHO
  2. 2. O MOVIMENTO OPERÁRIOA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E AS TRANSFORMAÇÕES NO MUNDO DO TRABALHOA Revolução Industrial consistiu em um conjunto demudanças tecnológicas com profundo impacto noprocesso produtivo em nível econômico e social. Iniciadano Reino Unido em meados do século XVIII, expandiu-sepelo mundo a partir do século XIX.Ao longo do processo (que de acordo com alguns autoresse registra até aos nossos dias), a era da agricultura foisuperada, a máquina foi superando o trabalho humano,uma nova relação entre capital e trabalho se impôs,novas relações entre nações se estabeleceram e surgiu ofenômeno da cultura de massa, entre outros eventos.
  3. 3. A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E AS TRANSFORMAÇÕES NO MUNDO DO TRABALHOEssa transformação foi possível devido a umacombinação de fatores, como o liberalismo econômico,a acumulação de capital e uma série de invenções, taiscomo o motor a vapor. O capitalismo tornou-se osistema econômico vigente.
  4. 4. A produção manual que antecede à Revolução Industrial conheceuduas etapas bem definidas, dentro do processo de desenvolvimentodo capitalismo:O artesanato foi a forma de produção industrial característica da BaixaIdade Média, durante o renascimento urbano e comercial, sendorepresentado por uma produção de caráter familiar, na qual o produtor(artesão) possuía os meios de produção (era o proprietário da oficina edas ferramentas) e trabalhava com a família em sua própria casa,realizando todas as etapas da produção, desde o preparo da matéria-prima, até o acabamento final; ou seja não havia divisão do trabalhoou especialização para a confecção de algum produto. Em algumassituações o artesão tinha junto a si um ajudante, porém nãoassalariado, pois realizava o mesmo trabalho pagando uma “taxa” pelautilização das ferramentas.
  5. 5. É importante lembrar que nesse período a produção artesanal estava sobcontrole das corporações de ofício, assim como o comércio também seencontrava sob controle de associações, limitando o desenvolvimento daprodução.A manufatura, que predominou ao longo da Idade Moderna e na AntiguidadeClássica, resultou da ampliação do mercado consumidor com odesenvolvimento do comércio monetário. Nesse momento, já ocorre umaumento na produtividade do trabalho, devido à divisão social da produção,onde cada trabalhador realizava uma etapa na confecção de um únicoproduto. A ampliação do mercado consumidor relaciona-se diretamente aoalargamento do comércio, tanto em direção ao oriente como em direção àAmérica. Outra característica desse período foi a interferência do capitalistano processo produtivo, passando a comprar a matéria-prima e a determinar oritmo de produção.
  6. 6. A partir da máquina, fala-se numa primeira, numa segunda e atéterceira e quarta Revoluções Industriais. Porém, se concebermos aindustrialização como um processo, seria mais coerente falar-se numprimeiro momento (a máquina a vapor, no século XVIII), num segundomomento (energia elétrica, no século XIX) e num terceiro e quartomomentos, representados respectivamente pela energia nuclear epelo avanço da informática, da robótica e das telecomunicações aolongo dos séculos XX e XXI.Na esfera social, o principal desdobramento da Revolução Industrial foia transformação nas condições de vida nos países industriais emrelação aos outros países da época, havendo uma mudançaprogressiva das necessidades de consumo da população, à medida quenovas mercadorias foram sendo produzidas.
  7. 7. A Revolução Industrial alterou profundamente as condições de vida dotrabalhador, provocando inicialmente um intenso deslocamento dapopulação rural para as cidades, criando enormes concentraçõesurbanas. A população de Londres passou de 800.000 habitantes em1780 para mais de 5 milhões em 1880, por exemplo. No início daRevolução Industrial, os operários viviam em péssimas condições devida e trabalho. O ambiente das fábricas era insalubre, assim como oscortiços onde muitos trabalhadores viviam. A jornadas de trabalhochegava a 80 horas semanais, e os salários variavam em torno de 2,5vezes o nível de subsistência. Para mulheres e crianças, submetidos aomesmo número de horas e às mesmas condições de trabalho, ossalários eram ainda mais baixos.
  8. 8. A produção em larga escala e dividida em etapas iria distanciarcada vez mais o trabalhador do produto final, já que cada grupode trabalhadores passava a dominar apenas uma etapa daprodução, mas sua produtividade ficava maior. Como aprodutividade do trabalho aumentava os salários reais dostrabalhadores ingleses aumentaram em mais de 300% entre 1800até 1870.Devido ao progresso ocorrido nos primeiros 90 anos deindustrialização, em 1860 a jornada de trabalho na Inglaterra já sereduzia para cerca de 50 horas semanais (10 horas diárias emcinco dias de trabalho por semana).
  9. 9. • Horas de trabalho por semana para trabalhadores adultos nas indústrias têxteis• 1780 - em torno de 80 horas por semana• 1820 - 67 horas por semana• 1860 - 53 horas por semana• 2007 - 46 horas por semana
  10. 10. Movimentos de trabalhadores Movimento Ludista (1811-1812)Reclamações contra as máquinas inventadas após a revolução para poupar amão-de-obra já eram normais. Mas foi em 1811 que o estopim estourou esurgiu o movimento ludista, uma forma mais radical de protesto. O nomederiva de Ned Ludd, um dos líderes do movimento. Os luditas chamarammuita atenção pelos seus atos. Invadiram fábricas e destruíram máquinas,que, segundo os luditas, por serem mais eficientes que os homens, tiravamseus trabalhos, requerendo, contudo, duras horas de jornada de trabalho. Osmanifestantes sofreram uma violenta repressão, foram condenados à prisão,à deportação e até à forca. Os luditas ficaram lembrados como "osquebradores de máquinas".Anos depois os operários ingleses mais experientes adotaram métodos maiseficientes de luta, como a greve e o movimento sindical.
  11. 11. Movimento Cartista (1837-1848)O "movimento cartista" foi organizado pela Associação dos Operários,exigindo melhores condições de trabalho, incluindo:a limitação de oito horas para a jornada de trabalhoa regulamentação do trabalho femininoa extinção do trabalho infantila folga semanalo salário mínimoEste movimento lutou ainda pela instituição de novos direitos políticos, comoo estabelecimento do sufrágio universal ( nesta época, o voto era um direitodos homens, apenas), a extinção da exigência de ter propriedades para quese pudesse ser eleito para o parlamento e o fim do voto censitário. Essemovimento se destacou por sua organização e por sua forma de atuação,chegando a conquistar diversos direitos políticos para os trabalhadores.
  12. 12. Os empregados das fábricas formaram associações e sindicatos, aprincípio proibidos e duramente reprimidos, durante a PrimeiraRevolução Industrial. Na segunda metade do século XIX, a organizaçãodos trabalhadores assume um considerável nível de ideologização. Osindicalismo na virada do século XX é caracterizado por veleidadesrevolucionárias e de independência em relação aos partidos políticos.Após a Primeira Guerra Mundial, uma parte dos sindicatos se alinha aoideário socialista e comunista, enquanto outra parte se inclina para oreformismo ou para a tradição cristã. Em 1864 é criada em Londres aAssociação Internacional de Trabalhadores, a Internacional, primeiracentral sindical mundial da classe trabalhadora. No mesmo ano, naFrança, é reconhecido o direito de greve. Em 1919 é criada aOrganização Internacional do Trabalho, um dos mais antigosorganismos internacionais, com direção tripartite, composta porrepresentantes dos governos, dos trabalhadores e dos empregadores

×