Satellite - Web 2.0

957 visualizações

Publicada em

Web 2.0

Publicada em: Tecnologia, Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
957
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
32
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Satellite - Web 2.0

  1. 1. 1. Web 2.0 O termo Web 2.0 é utilizado para descrever a segunda geração do WWW (World Wide Web) tendência que reforça o conceito de troca de informações e colaboração dos internautas com sites e serviços virtuais. A Web 2.0 é basicamente uma internet viva, pois a grande sacada foi perceber que a internet é “feita” de gente, onde elas se interagem. Na internet antiga, algumas pessoas pensavam em traduzir o que se fazia em jornal, revista e TV para a internet. Não deu certo, pois os visitantes podem visitá-los, mas não modificá-los ou contribuir com eles.
  2. 2. 2. Interatividade Apareceram sites que utilizavam a interatividade com as pessoas para se desenvolver. Sites cujo conteúdo é feito e organizado exclusivamente pelos próprios visitantes do site, não por uma equipe editorial. No Brasil há alguns exemplos-chave. O Orkut é um deles. É feito exclusivamente pelos usuários que participam do site e se relacionam através dele. Outro exemplo é o Mercado Livre. Ele não é uma loja virtual, não tem um estoque, não tem uma equipe de entrega. Ele é totalmente feito pelos usuários que visitam o site e vendem através dele.
  3. 3. 3. Controle Existem centenas de outros exemplos espalhados pelo mundo. Rádios nas quais o usuário organiza as músicas como quer, sites de fotos onde o usuário insere e organiza suas fotos, sites para guardar e compartilhar com amigos seus links favoritos, sites de notícia em que o usuário é que faz a notícia, enciclopédias nas quais o usuário escreve ou corrige um artigo, enfim, os exemplos não têm fim e a cada dia aparecem novas idéias.
  4. 4. 4. Evolução Se internet é feita de gente, as pessoas podem ajudar a tornar o software melhor. Por exemplo, quando um usuário avalia uma notícia, ele ajuda o software, a saber, qual notícia é a melhor. Quando um usuário organiza uma informação através de tags, ele ajuda o software a entregar informações cada vez mais organizadas. Na web 2.0 os softwares ficam melhores na medida em que são mais usados.
  5. 5. 5. Web 2.0 e o Conteúdo O conteúdo dos sites também sofreu um enorme impacto com a web 2.0. Agora o usuário tem um papel fundamental no conteúdo. Ele não somente lê, ele participa. Em alguns casos são os usuários que fazem e organizam todo o conteúdo do site. Um bom exemplo disso é a Wikipedia, uma enciclopédia onde qualquer usuário pode escrever um artigo e publicar e qualquer usuário pode alterar qualquer artigo.
  6. 6. 6. Colaboração Na web 2.0 o usuário é que faz o conteúdo do site. Um bom exemplo é Flickr, site de compartilhamento de fotos em que o usuário disponibiliza e organiza suas fotos online. Personalização: o usuário vê o conteúdo que quer, do jeito que quer. Um novo conceito de home page foi criado na web 2.0: a home page pessoal. Em sites como Google.com/ig, netvibes.com e live.com é possível criar a sua própria home page com o conteúdo que você quiser, através de RSS.
  7. 7. 7. Confiança Total no Usuário O conceito é o mesmo do software livre: se há muitas pessoas olhando, todos os erros são corrigidos facilmente. Comunidades que se auto-moderam, através da participação dos usuários indicando ao sistema qual usuário não deve mais participar da comunidade é outro exemplo. A web 2.0 dá entender que o usuário é confiável, sempre.
  8. 8. 8. Comunidade não, Audiência Na web 2.0 não existe audiência, na qual os usuários recebem a informação e a lêem. Em vez disso, são formadas comunidades, seja através de sites de relacionamento como o orkut, seja através de comentários em notícias e blogues. Internet é feita de gente, e gente gosta de se relacionar.
  9. 9. 9. Web 2.0 e a Monetização Surgem novas formas de ganhar dinheiro com a internet. Uma delas se chama LongTail. Uma loja virtual pode ter um catalogo muito grande, cheio de itens que vendem pouco e não valem à pena para lojas comuns que têm um custo de manutenção alto para manter o produto na prateleira. Mas justamente por serem difíceis de se encontrar em lojas comuns que estes itens são os mais preciosos para quem gosta deles. Por isso, o modelo de vendas na web 2.0 deve ter um sistema para fazer as pessoas descobrirem estes itens únicos do catálogo.
  10. 10. 10. MKT e Publicidade na Web 2.0 O marketing e a publicidade online também mudaram muito com a web 2.0. Agora a empresa já não pode comunicar, ela deve aprender a interagir. A publicidade deixou de ser uma via de mão única, onde a empresa emite uma mensagem que o consumidor recebe. Como a internet é feita de gente, a publicidade se tornou o relacionamento entre pessoas da empresa e pessoas que são consumidores. As antigas formas de publicidade online deram lugar a campanhas onde você só paga pelos cliques que seu banner recebe, marketing através de links patrocinados em sites de busca, otimização de sites para sites de busca e marketing viral.
  11. 11. 11. Usabilidade e Arquitetura Aprendeu-se que projetos de internet que não gastam tempo pensando na facilidade que o usuário deve ter para usar o site e encontrar as informações perdem muito mais dinheiro depois, porque site não dá o resultado esperado. Usabilidade e arquitetura da informação, incluindo a arquitetura da participação (no caso de sites que o usuário é que faz o conteúdo) são matérias indispensáveis na web 2.0.
  12. 12. 12. Design Arrojado e Funcional Com as novas técnicas e tecnologias trazidas na web 2.0 os layouts podem ser diferentes do que é convencional para sites em html. Agora é permitido ao usuário arrastar e soltar uma caixa de informação para outro lugar do site, interagir com a informação em tempo real, ver informações quando o mouse passar por cima de um link, entre outras formas novas de design para sites na internet. A idéia central é pensar no conteúdo primeiro, depois pensar em um software que melhor mostre este conteúdo com interatividade com o usuário, então pensar em um design que viabilize tudo isso.
  13. 13. www.satellitepublicidade.wordpress.com www.slideshare.net/satellitepublicidade

×