Introdução as cartas gerais

351 visualizações

Publicada em

Introdução as Cartas Gerais, Professor Sandro Valentin

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
351
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução as cartas gerais

  1. 1. ETHEMG- ESCOLA DE THEOLOGIA MINAS GERAIS INTRODUÇÃO AS CARTAS GERAIS PROF : SANDRO VALENTIN
  2. 2. ETHEMG- ESCOLA DE THEOLOGIA MINAS GERAIS PROF SANDRO VALENTIN Valentin.sandro@gmail.com (31) 8353-9579 / 9581-6544 / 8584-6494 Prof: Sandro Valentin
  3. 3. AS CARTAS GERAIS  Quais São as Cartas Gerais? Hebreus, Tiago, I Pedro, II Pedro, I João, II João, III João e Judas.  Porque o Nome – Cartas Gerais?  1. Porque são escritos por homens variados – Tiago, Pedro, João e Judas. Não são escritos por um homem só, como as Epístolas de Paulo.  2. Não são escritos especificamente para uma em particular.  3. Estes livros falam de coisas acerca dos judeus dispersos em vários lugares. As epístolas de Paulo falam sobre as coisas acerca dos judeus e gentios. Prof: Sandro Valentin
  4. 4. Estas Epístolas são escritas para quem? E por qual motivo ?  Hebreus.  1. Aos hebreus. Observe isso mesmo nos livros. Quem são os hebreus? Hebreus são judeus. Hebreus de onde ou de qual região? Os judeus dispersos em outros países fora da Palestina. Paulo é um exemplo de um judeu que não era da Palestina. Paulo era judeu, mas era da cidade de Tarso em Cicília. Vamos observar alguns fatos do conteúdo do livro para mostrar que é uma epístola escrita aos judeus dispersos nestas outras regiões.  2. Hebreus. 1:1 diz “aos pais, pelos profetas”. Tem com certeza um sabor judaico. Pelo livro é óbvio que o autor conheceu estes hebreus e eles conheceram o autor pessoalmente.  3. Um tempão tinha passado desde a conversão destes hebreus pelo fato que tinha que levar um bom tempo para desenvolver o perigo da heresia de misturar as verdades de Cristo com o judaísmo.  4. O autor e Timóteo tinham trabalhados juntos com eles. Hebreus 13:23. Isso indica que o autor do livro de Hebreus era o Apóstolo Paulo. Prof: Sandro Valentin
  5. 5. HEBREUS ( JUDEUS MESSIÂNICOS)  5. Houve um conflito entre eles e Paulo (se fosse o autor). Hebreus 13:18- 25.  6. Foram perseguidos, mas não até a morte. Hebreus 10:32-34. 12:4. Não é a verdade dos judeus da Palestina. Atos 8:1. 9:1-2. Então, foram hebreus dispersos em outros lugares.  7. Estes hebreus foram conhecidos por ajudar os crentes necessitados. Hebreus 6:10.  8. Estavam no perigo de deixar as coisas de Deus e voltar ao judaísmo. Hebreus 2:1-3, 3:6, 12-14, 4:1-2.  9. Tudo isso cabe muito bem com os judeus da Ásia Menor – Galácia, Macedônia e Achaia. É onde Paulo viajou pregando o Evangelho. Prof: Sandro Valentin
  6. 6. HEBREUS ( JUDEUS MESSIÂNICOS)  Hebreus foi escrito principalmente para os cristãos judeus que estavam sob perseguição e esmorecimento. O escritor procura fortalecê-los na fé em Cristo, demonstrando cuidadosamente a superioridade e finalidade da revelação e redenção da parte de Deus em Jesus Cristo. Demonstra que as disposições divinas para a redenção vistas no Antigo Concerto cumpriram-se e tornaram-se obsoletas pela vinda de Jesus e pelo estabelecimento de um Novo Concerto, mediante a sua morte vicária. O escritor anima seus leitores (1) a manterem firme sua confissão de Cristo até o fim, (2) a prosseguirem para a maturidade espiritual, e (3) não volverem ao estado de condenação caso abandonem a fé em Jesus Cristo. Prof: Sandro Valentin
  7. 7. TIAGO ( YA’AKOV)  1:1 diz: “Ás tribos que andam dispersas. Os judeus dos países estrangeiros que foram levados cativos a Assíria, Babilônia, pelo comércio e pelas perseguições de Saulo e de Atos 12. Para mostrar que muitos judeus estavam dispersos nestes países, é só ler Atos 2 para ver que muitos judeus de muitos países chegaram em Jerusalém para a Festa Judaica do Dia de Pentecostes. Prof: Sandro Valentin
  8. 8. TIAGO ( YA’AKOV)  Tiago escreveu (1) para encorajar os crentes judeus que enfrentavam várias provações, que punham sua fé à prova, (2) para corrigir crenças errôneas a respeito da natureza da fé salvífica, e (3) para exortar e instruir os leitores concernente ao resultado prático da sua fé na vida de retidão e nas boas obras. Prof: Sandro Valentin
  9. 9. I Pedro e II Pedro. ( KEFA )  Em I Pedro 1:1 diz: “Aos judeus estrangeiros dispersos no Ponto, Galácia, Capadócia, Ásia e Bitínia”. Então estes livros foram escritos aos judeus nos vários lugares estrangeiros falados.  Pedro escreveu esta epístola de alegre esperança a fim de levar o crente a ver a perspectiva divina e eterna da sua vida terrestre e prover orientação prática aos cristãos que se encontravam sob o fogo do sofrimento entre os pagãos. O cuidado de Pedro visava a evitar que os crentes não perturbassem, sem necessidade, o governo, e sim seguissem o exemplo de Jesus no sofrimento, sendo inocente, mas portando-se com retidão e dignidade. Prof: Sandro Valentin
  10. 10. I João. ( YOCHANAN )  O propósito de João ao escrever esta epístola foi duplo: (1) expor e rebater os erros doutrinários e éticos dos falsos mestres e (2) exortar seus filhos na fé a manter uma vida de santa comunhão com Deus, na verdade e na justiça, cheios de alegria (1.4) e de certeza da vida eterna (5.13), mediante a fé obediente em Jesus, o Filho de Deus (4.15; 5.3-5,12), e pela habitação interior do Espírito Santo (2.20; 4.4,13). Alguns crêem que a epístola também foi escrita como uma seqüência do Evangelho segundo João. Prof: Sandro Valentin
  11. 11. II João. ( YOCHANAN )  II João.  ”À senhora eleita”. v.1. A palavra senhora é o nome Kuria e significa “senhora”. Também é usado como um nome verdadeiro como qualquer outro nome de alguém. Também esta palavra na sua forma masculina (Kurio) aparece muitas vezes no Testamento, e significa “senhor”. O único lugar no Testamento que esta palavra (kuria – senhora) é usada fica em II João 1. Esta palavra (kuria) nunca é usada para apresentar uma igreja. Porque? Porque a igreja de Jesus Cristo é agora identificada como sendo uma virgem – não pe casada ainda – está desposada para casar depois com Cristo. II Coríntios 11:2. Então, parece que João escreveu esta carta para uma senhora e seus filhos que conheceu. Prof: Sandro Valentin
  12. 12. II JOÃO ( YOCHANAN )  João escreveu esta carta a fim de prevenir "a senhora eleita" contra os falsos obreiros (mestres, evangelistas e profetas) que perambulavam pelas igrejas. Os tais abandonaram os ensinos do evangelho e propagavam os seus falsos ensinos. A destinatária não devia recebê-los, dialogar com eles, nem auxiliá-los. Fazer isso, significaria ajudá-los a disseminar os seus erros e participar da sua culpa. A carta repudia o mesmo falso ensino denunciado em 1 Jo.  Prof: Sandro Valentin
  13. 13. III João. ( YOCHANAN )  Esta carta foi escrita “ao amado Gaio”. v.1. Um irmão na igreja que era muito fiel a Deus, É o mesmo Gaio em Atos 19:29, 20:4, Romanos 16:23 e I Coríntios 1:14?  João escreveu para dar testemunho de Gaio pela sua fiel hospitalidade e ajuda prestada aos fiéis obreiros viajantes, para fazer uma advertência indireta ao petulante Diótrefes e para preparar o caminho da sua própria visita pessoal. Prof: Sandro Valentin
  14. 14. Judas. ( Y’HUDAH )  Diz no v. 1: “Aos chamados, santificados em Deus Pai, e conservados por Jesus Cristo. Esta carta foi escritas aos crentes sendo judeus ou gentios.  Judas escreveu esta carta (1) para, com empenho, advertir os crentes sobre a grave ameaça dos falsos mestres e sua influência destruidora nas igrejas, e (2) para energicamente conclamar todos os verdadeiros crentes a resolutamente "batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos" (v. 3). Prof: Sandro Valentin
  15. 15. INTRODUÇÃO AS CARTAS HEBREUS ( JUDEUS MESSIÂNICOS)  Autor do livro.  O livro não diz claramente quem é o autor. Há várias opiniões de quem seja o autor. Qual é a certa? Só tem duas opiniões que são realmente críveis – ou alguém desconhecido ou o Apóstolo Paulo.  Nos tempos antigos foi tão certo para muitos que foi Paulo que escreveu este livro que aumentaram o seu nome no título do livro. O Apóstolo Pedro falou que foi Paulo em II Pedro 3:15? Pedro diz que Paulo escreveu uma carta para as mesmas pessoas que ele também escreveu. Pedro escreveu para os judeus dispersos. Qual das Epístolas de Paulo foi escrito para os judeus dispersos? Das 13 Epístolas de Paulo nenhuma pode ser a carta que Pedro falou em II Pedro 3:15. Então, só pode ser o livro de Hebreus que Pedro está falando. Parece que Paulo é o autor do livro de Hebreus. Prof: Sandro Valentin
  16. 16. HEBREUS ( JUDEUS MESSIÂNICOS)  Este livro foi destinado originalmente aos cristãos de Roma. O seu título, nos manuscritos gregos mais antigos, diz apenas "Aos Hebreus". Seu conteúdo, no entanto, revela que foi escrito a cristãos judeus. O emprego que o autor fez da Septuaginta (versão grega do AT), nas citações do AT, indica que os primeiros leitores foram provavelmente judeus de idioma grego que viviam fora da Palestina. A expressão "Os da Itália vos saúdam" (13.24) significa provavelmente que o autor escrevia para Roma, e que na ocasião incluiu saudações de crentes italianos que viviam longe da pátria. Os destinatários podem ter sido igrejas em lares, da comunidade cristã de Roma, das quais algumas estavam a ponto de abandonar a fé em Jesus e voltar para a antiga fé judaica por causa da perseguição e do desânimo. O escritor não se identifica no título original, nem através do livro, embora fosse bem conhecido dos seus leitores (13.18-24). Prof: Sandro Valentin
  17. 17. HEBREUS ( JUDEUS MESSIÂNICOS)  Por alguma razão, perdeu-se a sua identidade ao findar-se o século I. Posteriormente, na tradição da igreja primitiva (séculos II ao IV), surgiram muitas opiniões diferentes sobre o possível escritor de Hebreus. A opinião de que Paulo haja sido o autor não tinha aceitação até o século V. Muitos eruditos conservadores descartam a autoria de Paulo, uma vez que o estilo esmerado e alexandrino do autor, seu embasamento na Septuaginta, sua maneira de introduzir as citações do AT, seu método de argumentar e ensinar, a estrutura da argumentação e a omissão da sua identificação pessoal são características muito diferentes das de Paulo. Além disso, enquanto Paulo sempre apela à sua revelação recebida diretamente de Cristo (cf. Gl 1.11,12), esse escritor demonstra ser um dos cristãos da segunda geração aos quais o evangelho fora confirmado por testemunhas oculares do ministério de Jesus (2.3). Prof: Sandro Valentin
  18. 18. HEBREUS ( JUDEUS MESSIÂNICOS)  Entre os homens mencionados nominalmente no NT, a descrição que Lucas oferece de Apolo, em At 18.24-28, ajusta-se melhor ao perfil do escritor de Hebreus. Deixando de lado o nome do escritor de Hebreus, uma coisa é certa: ele escreveu na plenitude do Espírito e com entendimento, revelação e autoridade apostólicos. A ausência de qualquer referência, em Hebreus à destruição do templo de Jerusalém e do seu culto levítico é um forte indício que o autor escreveu antes de 70 d.C. Prof: Sandro Valentin
  19. 19. HEBREUS ( JUDEUS MESSIÂNICOS)  3. Visão Panorâmica  Hebreus parece mais um sermão do que uma epístola. O autor descreve sua obra como "uma palavra de exortação" (13.22). Contém três divisões principais. (1) Primeiro, Jesus, o poderoso Filho de Deus, é declarado a plena revelação de Deus à humanidade - maior do que os profetas (1.1-3), do que os anjos (1.4-2.18), Moisés (3.1-6) e Josué (4.1-11). Nesta divisão do livro, ocorre uma advertência solene no tocante às conseqüências do abandono da fé ou do endurecimento do coração pela incredulidade (2.1-3; 3.7-4.2). (2) A segunda divisão apresenta Jesus como o sumo sacerdote, cujas qualificações (4.14-5.10; 6.19-7.25), caráter (7.26-28) e ministério (8.1-10.18), são perfeitos e eternos. Há uma solene advertência para quem permanecer espiritualmente imaturo ou mesmo "cair" depois de se tornar participante de Cristo (5.11-6.12). (3) A divisão final (10.19-13.17) admoesta enfaticamente os crentes a perseverarem na salvação, na fé, no sofrimento e na santidade. Prof: Sandro Valentin
  20. 20. HEBREUS ( JUDEUS MESSIÂNICOS)  4. Características Especiais  Oito características afloram neste livro. (1) No NT é único quanto à sua estrutura: "começa como tratado, desenvolve-se como sermão e termina como carta" (Orígenes). (2) É o texto mais refinado do NT, abeirando-se do estilo do grego clássico, mais do que qualquer outro escritor do NT (com exceção, quiçá, de Lucas, em Lc 1.1-4). (3) É o único escrito do NT que desenvolve o conceito do ministério sumo sacerdotal de Jesus. (4) A cristologia do livro é ricamente variada, apresentando mais de vinte nomes e títulos de Jesus. (5) Sua palavra-chave é "melhor" (13 vezes). Jesus é melhor do que os anjos e todos os mediadores do AT. Ele provê melhor repouso, concerto, esperança, sacerdócio, expiação pelo sacrifício vicário e promessas. (6) Contém o principal capítulo do NT a respeito da fé (cap. 11). (7) Está repleto de referências e alusões ao AT que oferecem um rico conhecimento da interpretação cristã primitiva da história e da adoração no AT, mormente no campo da tipologia. (8) Adverte, mais do que qualquer outro escrito do NT contra os perigos da apostasia espiritual. Prof: Sandro Valentin
  21. 21. HEBREUS ( JUDEUS MESSIÂNICOS)  DATA 68 D.C EM ROMA Prof: Sandro Valentin
  22. 22. TIAGO ( YA’AKOV)  Autor do livro.  Tiago, que foi o irmão de Judas que escreveu a Epístola de Judas. Tiago é o irmão de Jesus da parte da mãe. Marcos 6:3 diz que Tiago é o irmão mais velho de José e Maria.  Este Tiago não é o apóstolo, o irmão de João, porque ele morreu no ano 41 ou 42 d.C. Atos 12:1-2.  Tiago, o autor deste livro, não foi um dos apóstolos, porque não tem nada no livro que indica que ele foi um deles. João diz (7:5) que os irmãos de Jesus não creram dEle. Mas, em Atos 1:12-14, diz que depois da Sua ressurreição eles foram convertidos e este Tiago se tornou um grande líder e pastor da igreja em Jerusalém. Veja Atos 12:17, 15:12-13, 21:18, Gálatas 1:19, 2:19, 12. Josefo, o historiador judeu que era contemporâneo deles, diz que em 62 d.C. Tiago foi martirizado. Prof: Sandro Valentin
  23. 23. TIAGO ( YA’AKOV)  Os católicos gregos dizem que os irmãos e irmãs de Jesus falados no Novo Testamento são irmãos e irmãs de Jesus que José teve antes de casar com Maria, de outra mulher e casamento. Mateus 13:55-56. A Bíblia não fala nada disso. È uma tentativa de evitar o óbvio e tentar sustentar o seu erro. Qual erro? A doutrina da Virgindade Perpétua e a Conceição Imaculada de Maria.  Os católicos romanos dizem que estes irmãos (Mateus 13:55-56) são primos de Jesus. Mais uma vez é só tentar apoiar sua doutrina da Virgindade Perpétua e a Conceição Imaculada de Maria. Estes são irmãos e irmãs de Jesus da parte da sua mãe. Jesus foi chamado o primogênito filho de Maria. Se Jesus não tivesse irmãos e irmãs não seria necessário dizer que é o primogênito filho de Maria. Estes são os irmãos e irmãs de Jesus que Maria teve depois que Jesus nasceu. Maria concebeu Jesus pelo poder do Espírito Santo sendo ainda virgem. Mateus 1:18-25. Depois do seu nascimento Maria levou uma vida normal com seu marido José e teve vários filhos. Prof: Sandro Valentin
  24. 24. TIAGO ( YA’AKOV)  Tiago é classificada como "epístola universal" porque foi originalmente escrita para uma comunidade maior que uma igreja local. A saudação: "Às doze tribos que andam dispersas" (1.1), juntamente com outras referências (2.19-21), indicam que a epístola foi escrita inicialmente a cristãos judeus que viviam fora da Palestina. É possível que os destinatários fossem os primeiros convertidos em Jerusalém, que, após a morte de Estêvão, foram dispersos pela perseguição (At 8.1) até a Fenícia, Chipre, Antioquia da Síria e além (At 11.19). Isso explicaria (1) a ênfase inicial da carta quanto ao sofrer com alegria as provações que testam a fé e que demandam perseverança (1.2-12), (2) o conhecimento pessoal que Tiago demonstra ter pelos crentes "dispersos", e (3) o tom de autoridade da carta. Como pastor da igreja de Jerusalém, Tiago escreve às suas ovelhas dispersas. Prof: Sandro Valentin
  25. 25. TIAGO ( YA’AKOV)  A maneira do autor se identificar simplesmente como "Tiago" (1.1), revela sua posição de destaque na obra. Tiago, meio-irmão de Jesus e dirigente da igreja de Jerusalém, é geralmente tido como o autor. Seu discurso no Concílio de Jerusalém (At 15.13-21), bem como as descrições dele noutras partes do NT (e.g., At 12.17; 21.18; Gl 1.19; 2.9,12; 1 Co 15.7) correspondem perfeitamente com o que se sabe dele como autor desta epístola. O mais provável é que Tiago tenha escrito esta epístola durante a década dos 40 d.C. A data tão remota para a escrita provém de vários fatores, e.g., Tiago emprega a palavra grega synagoge (lit. "sinagoga") para referir-se ao local de reunião dos cristãos (2.2). Segundo o historiador judaico Josefo, Tiago, irmão do Senhor, foi martirizado em Jerusalém, em 62 d.C. Prof: Sandro Valentin
  26. 26. TIAGO ( YA’AKOV)  Data do livro.  Acerca do ano 45 d.C. Só um livro foi escritos mais cedo que Tiago, Mateus no ano 37 d.C. esta data (45) combina com a perseguição em Atos 12. O livro de Tiago não fala nada da controvérsia em Atos 15 que indica foi escrito antes.  Tema do livro.  As provas da fé. Prof: Sandro Valentin
  27. 27. TIAGO ( YA’AKOV)  3. Visão Panorâmica  Esta epístola trata de uma ampla variedade de temas relacionados à verdadeira vida cristã. Tiago exorta os crentes a suportarem com alegria as suas provações e a tirarem proveito delas (1.2-11), exorta-os a resistirem às tentações (1.12-18), a serem praticantes da Palavra e não apenas ouvintes (1.19-27) e a demonstrarem uma fé ativa, e não uma profissão de fé vazia (2.14-26). Adverte solenemente contra a pecaminosidade de uma língua indomável (3.1-12; 4.11,12), a sabedoria carnal (3.13-16), a conduta pecaminosa (4.1-10), a vida presunçosa (4.13-17), e a riqueza egocêntrica (5.1-6). Prof: Sandro Valentin
  28. 28. TIAGO ( YA’AKOV)  Tiago encerra ressaltando a paciência, a oração e a restauração dos desviados (5.7-20).Em todos os cinco capítulos destaca-se o relacionamento entre a verdadeira fé e a vida piedosa. A fé genuína é uma fé provada (1.2-16), ativa (1.19-27), pela qual se ama o próximo como a si mesmo (2.1-13), manifesta-se pelas boas obras (2.14-26), mantém a língua sob rígido controle (3.1-12), busca a sabedoria de Deus (3.13-18), submete-se a Deus como justo juiz (4.1-12), confia em Deus para o viver de cada dia (4.13-17), não é egocêntrica, nem libertina (5.1-6), é paciente no sofrimento (5.7-12) e diligente na oração (5.13-20) Prof: Sandro Valentin
  29. 29. TIAGO ( YA’AKOV)  4. Características Especiais  Sete características principais assinalam esta epístola. (1) É muito provável que ela tenha sido o primeiro livro do NT a ser escrito. (2) Embora contenha apenas duas referências nominais a Cristo, há nela mais alusões aos ensinos de Jesus do que todas as demais do NT. Isso inclui 15 referências ao Sermão do Monte. (3) Mais da metade dos seus 108 versículos são expressões imperativas, ou mandamentos. (4) Sob vários aspectos, é o livro de Provérbios do NT, pois (a) está repleto de sabedoria divina e instruções práticas, visando a uma vida cristã realista, e (b) está escrito em estilo sucinto, com preceitos diretos e analogias realistas. (5) Tiago é um hábil observador dos fenômenos naturais e da natureza humana pecaminosa. Repetidas vezes, ele extrai lições disso para desmascarar esta última (e.g., 3.1-12). (6) Mais do que qualquer outro livro do NT, Tiago destaca o devido relacionamento entre a fé e as obras (principalmente 2.14-26). (7) Tiago, às vezes, é chamado o Amós do NT por tratar com firmeza a injustiça e as desigualdade sociais. Prof: Sandro Valentin
  30. 30. I PEDRO ( KEFA )  1. Autoria  Esta é a primeira de duas cartas no NT escritas pelo apóstolo Pedro (1.1; 2 Pe. 1.1). Ele testifica que escreveu sua primeira carta com a ajuda de Silvano (cuja forma contracta em grego é Silas), como seu escriba (5.12). O grego fluente de Silvano e seu estilo literário aparecem aqui, enquanto que, possivelmente, o grego menos esmerado de Pedro apareça na sua segunda epístola. O tom e o conteúdo de 1 Pedro combinam com o que sabemos a respeito de Simão Pedro. Os anos que viveu em estreito convívio com o Senhor Jesus estão implícitos nas suas referências à morte de Jesus (1.11,19; 2.21-24; 3.18; 5.1) e à sua ressurreição (1.3,21; 3.21). Prof: Sandro Valentin
  31. 31. I PEDRO ( KEFA )  Indiretamente, ele parece referir-se, inclusive, às ocasiões em que Jesus lhe apareceu na Galiléia, depois da ressurreição (2.25; 5.2a; cf. Jo 21.15-23). Além disso, muitas semelhanças ocorrem entre esta carta e os sermões de Pedro registrados em Atos. Pedro dirige esta carta aos "estrangeiros dispersos" nas províncias romanas da Ásia Menor (1.1). Alguns destes, talvez hajam se convertido no dia de Pentecostes, ao ouvirem a mensagem de Pedro, e retornaram às suas respectivas cidades levando a fé que acabavam de conhecer (cf.At 2.9,10). Estes crentes são chamados "peregrinos e forasteiros" (2.11), relembrando-lhes, assim, que a peregrinação cristã ocorre num mundo hostil a Jesus Cristo; mundo este, do qual só podem esperar perseguição. É provável que Pedro escreveu esta carta em resposta a informes dos crentes da Ásia Menor sobre a crescente oposição a eles (4.12-16), ainda sem consentimento do governo (2.12-17). Prof: Sandro Valentin
  32. 32. I PEDRO ( KEFA )  Pedro escreveu de "Babilônia" (5.13). Isto pode referir-se literalmente à cidade de Babilônia, na Mesopotâmia, ou pode ser uma expressão figurada referente a Roma, o centro principal de oposição a Deus, no século primeiro. Embora Pedro possa ter visitado alguma vez a grande colônia de judeus ortodoxos em Babilônia, é mais consentâneo entender, aqui, a presença de Pedro, Silas (5.12) e Marcos (5.13), juntos em Roma (Cl 4.10; cf. os comentários de Pápias a respeito de Pedro e Marcos em Roma), no começo da década de 60, do que em Babilônia. Pedro escreveu mais provavelmente entre 60 e 63 d.C., certamente antes do terrível banho de sangue em Roma, ordenado por Nero (64 d.C.). Prof: Sandro Valentin
  33. 33. I PEDRO ( KEFA )  Amanuense.  I Pedro 5:13. Amanuense significa copista alguém copia o que outra pessoa fala. O copista do livro é Silvano. Silvano é o nome de Silas em latim. Silas era o companheiro de Paulo que estava com Pedro. Prof: Sandro Valentin
  34. 34. I PEDRO ( KEFA )  3. Visão Panorâmica  1 Pedro começa lembrando os leitores (1) de que têm uma vocação gloriosa e uma herança celestial em Jesus Cristo (1.2-5), (2) de que sua fé e amor nesta vida estarão sujeitos a provas e purificação e que isso resultará em louvor, glória e honra na vinda do Senhor (1.6-9), (3) de que essa grande salvação foi predita pelos profetas do AT (1.10-12), e (4) de que o crente deve viver uma vida santa, bem diferente do mundo ímpio ao seu redor (1.13-21). Os crentes, escolhidos e santificados (1.2), são crianças em crescimento que precisam do puro leite da Palavra (2.1-3), são pedras vivas em que estão sendo edificadas como casa espiritual (2.4-10) e peregrinos, caminhando em terra estranha (2.11,12); devem viver de modo honroso e humilde no seu trato com todas as pessoas durante a sua peregrinação aqui (2.13-3.12). Prof: Sandro Valentin
  35. 35. I PEDRO ( KEFA )  A mensagem preeminente de 1 Pedro diz respeito à submissão e a sofrer, perseverando na retidão, por amor a Cristo, de conformidade com o próprio exemplo dEle (2.18-24; 3.9-5.11). Pedro assegura aos fiéis que eles obterão o favor e a recompensa de Deus ao sofrerem por causa da justiça. No contexto desse ensino do sofrimento por Cristo, Pedro ressalta os temas conexos da salvação, da esperança, do amor, da fé, da santidade, da humildade, do temor a Deus, da obediência e da submissão. Prof: Sandro Valentin
  36. 36. I PEDRO ( KEFA )  4. Características Especiais  Cinco características principais vemos nesta epístola. (1) Juntamente com Hebreus e Apocalipse, sua mensagem gira em torno dos crentes sob a perspectiva de severa perseguição, por pertencerem a Jesus Cristo. (2) Mais do que qualquer outra epístola do NT, contém instruções sobre o comportamento do cristão ante à perseguição e ao sofrimento injustos (3.9- 5.11). (3) Pedro destaca a verdade de que o crente é estrangeiro e peregrino na terra (1.1; 2.11). (4) Muitos dos títulos do povo de Deus no AT são aplicados aos crentes do NT (e.g., 2.5,9,10). (5) Contém um dos trechos do NT de mui difícil interpretação: quando, onde e como Jesus "pregou aos espíritos em prisão, os quais em outro tempo foram rebeldes... nos dias de Noé" (3.19,20) Prof: Sandro Valentin
  37. 37. II PEDRO ( KEFA )  Data do livro.  66 d.C.  Autor do livro.  O Apóstolo Pedro. 1:1. Prof: Sandro Valentin
  38. 38. II PEDRO ( KEFA )  Na saudação, Simão Pedro identifica-se como o autor da carta. Mais adiante ele declara aos seus leitores que esta é a sua segunda epístola (3.1), indicando assim que está escrevendo aos mesmos crentes da Ásia Menor, a quem dirigira a primeira epístola (1 Pe 1.1). Visto que Pedro, assim como Paulo, foi executado por decreto do perverso Nero (que, por sua vez, morreu em junho de 68 d.C.), é mais provável que Pedro escreveu esta epístola entre 66 e 68 d.C., pouco antes do seu martírio em Roma (1.13-15).Alguns estudiosos do passado e do presente, ignorando certas notáveis semelhanças entre 1 e 2 Pedro e destacando, ao invés disso, as diferenças entre elas, supõem que não é de Pedro a autoria da carta. Essas diferenças de conteúdo, vocabulário, ênfases e estilo literário podem ser uma decorrência das diferentes circunstâncias de Pedro e de seus leitores, nas duas cartas. Prof: Sandro Valentin
  39. 39. II PEDRO ( KEFA )  (1) As circunstâncias originais dos endereçados haviam mudado. Antes, ardia o fogo da perseguição movida pela sociedade em derredor; agora, eram ataques vindos de dentro, através dos falsos mestres que ameaçavam os fundamentos da igreja: a verdade e a santidade. (2) As circunstâncias de Pedro também eram outras. Enquanto na primeira carta ele contou com a cooperação eficiente de Silvano na escrita (1 Pe 5.12), parece que agora este último não estava disponível ao ser escrita esta segunda epístola. Talvez, Pedro tenha empregado seu próprio grego galileu singelo, ou serviu-se de um escriba menos hábil do que Silvano. Prof: Sandro Valentin
  40. 40. II PEDRO ( KEFA )  3. Visão Panorâmica  Esta breve epístola solenemente instrui os crentes a tomarem posse da vida e da piedade, mediante o verdadeiro conhecimento de Cristo. O primeiro capítulo acentua a importância do crescimento cristão. Tendo começado pela fé, o crente deve buscar diligentemente a excelência moral, o conhecimento, a temperança, a perseverança, a piedade, o amor fraternal e a caridade (amor altruísta), que levam à fé madura e ao verdadeiro conhecimento do Senhor Jesus (1.3-11).O capítulo seguinte adverte solenemente contra os falsos profetas e mestres que surgem dentro das igrejas. Pedro os denuncia como anarquistas e perniciosos (2.1,3;3.17), que se comprazem nas concupiscências da carne (2.2,7,10,13,14,18,19); são cobiçosos (2.3,14,15), arrogantes (2.18) e obstinados (2.10) e que desprezam a autoridade (2.10-12). Pedro procura resguardar os verdadeiros crentes contra as suas heresias destrutivas (2.1) pondo a descoberto seus motivos e conduta malignos. No capítulo 3, Pedro refuta o ceticismo desses mestres, no tocante à vinda do Senhor (3.3,4). Assim como a geração dos dias de Noé, enganada, zombava da idéia do juízo da parte de Deus, através de um grande dilúvio, esses outros zombadores estão igualmente cegos quanto às promessas da volta de Cristo. Mas, com a mesma certeza manifesta no julgamento pelo dilúvio (3.5,6), Cristo voltará e desintegrará a presente terra, no fogo (3.7-12), e criará uma nova ordem sob a justiça (3.13). Tendo em vista esse fato, os crentes devem viver vidas santas e piedosas na presente era (3.11,14). Prof: Sandro Valentin
  41. 41. II PEDRO ( KEFA )  Características Especiais  Esta carta tem quatro características principais. (1) Ela contém uma das declarações de maior peso em toda a Bíblia no tocante à inspiração, à fidedignidade e à autoridade das Sagradas Escrituras (1.19-21). (2) 2 Pe 2 e a epístola de Judas têm semelhanças notáveis na incriminação dos falsos mestres. Talvez Judas, enfrentando em data posterior o mesmo problema dos falsos mestres, empregou trechos dos ensinos inspirados de Pedro, para transmitir a mesma lição (ver Introdução a Judas). (3) O capítulo 3 é um dos grandes capítulos do NT sobre a segunda vinda de Cristo. (4) Pedro cita indiretamente os escritos de Paulo como Escrituras, ao mencioná-los juntamente com "as outras Escrituras" (3.15,16). Prof: Sandro Valentin
  42. 42. I JOÃO ( YOCHANAN )  Autor e Data do livro.  90 d.C. O Apóstolo João, o último escritor do Novo Testamento. Com suas escritas o Novo testamento termina. Com ele a revelação divina é fechada. É só João que escreveu depois da destruição de Jerusalém em 70 d.C. Provavelmente todos os outros apóstolos tinham morridos quando João escreveu I João, II João, III João e Apocalipse.João já estava muito velho quando escreveu este livro de Éfeso. Éfeso é a cidade de onde originou-se gnosticismo. João falou contra esta mentira neste livro.  Ocasião do livro.  O gnosticismo naqueles dias. Esta religião ensina que a matéria é vil, o conhecimento da verdade vem através do discernimento espiritual, experimental e místico. O gnosticismo tentou (e tenta ainda) harmonizar a palavra de Deus e as filosofias gregas, orientais e pagãs. Prof: Sandro Valentin
  43. 43. I JOÃO ( YOCHANAN )  Cinco livros do NT levam o nome de João: um Evangelho, três epístolas e o Apocalipse. Embora João não se identifique pelo nome nesta epístola, testemunhas do século II (e.g., Papias, Irineu, Tertuliano, Clemente de Alexandria) afirmam que ela foi escrita pelo apóstolo João, um dos doze primeiros discípulos de Jesus. Fortes semelhanças no estilo, no vocabulário e nos temas, entre 1 João e o Evangelho segundo João, sancionam o testemunho fidedigno dos cristãos primitivos, afirmando que os dois livros foram escritos pelo apóstolo João (ver introdução ao Evangelho segundo João).Não há indicação dos destinatários desta carta, como também não há saudações, nem menção de pessoas, lugares ou eventos. A explicação mais provável dessa forma rara epistolar é que João escreveu de onde residia, em Éfeso, a certo número de igrejas da província da Ásia, que estavam sob sua responsabilidade apostólica (cf. Ap 1.11). Prof: Sandro Valentin
  44. 44. I JOÃO ( YOCHANAN )  Visto que as congregações tinham um problema comum e necessidades semelhantes, João escreveu esta epístola como carta circular, enviando-a por um emissário pessoal, juntamente com suas saudações pessoais. O assunto principal desta epístola é o problema dos falsos ensinos a respeito da salvação em Cristo e seu processo no crente. Certas pessoas, que anteriormente conviveram com os leitores da epístola, deixaram as congregações (2.19), mas os resultados dos seus falsos ensinos continuavam a distorcer o evangelho, quanto a "saber" que tinham a vida eterna. Doutrinariamente, a sua heresia negava que Jesus é o Cristo (2.22; cf. 5.1) ou que Jesus veio em carne (4.2,3). Na área moral, ensinavam que não era necessário à fé salvífica (cf. 1.6; 5.4,5), a obediência aos mandamentos de Jesus (2.3-4; 5.3) e uma vida santa, separada do pecado (3.7-12) e do mundo (2.15-17).  Prof: Sandro Valentin
  45. 45. I JOÃO ( YOCHANAN )  Visão Panorâmica  A fé e a conduta estão fortemente entrelaçados nesta carta. Os falsos mestres, aos quais João chama aqui de "anticristos" (2.18-22), apartaram-se do ensino apostólico sobre Cristo e a vida de retidão. De modo semelhante a 2 Pe e Jd, 1 Jo refuta e condena com veemência os falsos mestres (e.g., 2.18,19,22,23,26; 4.1,3,5) com suas crenças e conduta destruidoras. Prof: Sandro Valentin
  46. 46. I JOÃO ( YOCHANAN )  Do ponto de vista positivo, 1 Jo expõe as características da verdadeira comunhão com Deus (e.g., 1.3-2.2) e revela cinco evidências específicas pelas quais o crente poderá "saber", com confiança e certeza, que tem a vida eterna: (1) a evidência da verdade apostólica a respeito de Cristo (1.1-3; 2.21-23; 4.2,3,15; 5.1,5,10,20); (2) a evidência de uma fé obediente que guarda os mandamentos de Cristo (2.3-11; 5.3,4); (3) a evidência de um viver santo, i.e., afastar-se do pecado, para comunhão com Deus (1.6-9; 2.3-6,15-17,29; 3.1-10; 5.2,3); (4) a evidência do amor a Deus e aos irmãos na fé (2.9-11; 3.10,11,14,16-18; 4.7-12,18-21); e (5) a evidência do testemunho do Espírito Santo no crente (2.20,27; 4.13). João afirma, por fim, que a pessoa pode saber com certeza que tem a vida eterna (5.13) quando estas cinco evidências são manifestas na sua vida. Prof: Sandro Valentin
  47. 47. I JOÃO ( YOCHANAN )  Características Especiais  Cinco características principais há nesta epístola. (1) Ela define a vida cristã empregando termos contrastantes e evitando todo e qualquer meio-termo entre luz e trevas, entre verdade e mentira, entre justiça e pecado, entre amor e ódio, entre amar a Deus e amar ao mundo, entre filhos de Deus e filhos do diabo, etc. (2) É importante ressaltar que este é o único escrito do NT que fala de Jesus como nosso "Advogado (gr. parakletos) para com o Pai", quando o crente fiel peca (2.1,2; cf. Jo 14.16,17,26; 15.26; 16.7,8). (3) A mensagem de 1 Jo fundamenta-se quase que inteiramente no ensino apostólico, e não na revelação anterior do AT; não há claramente na carta referências às Escrituras do AT. (4) Visto tratar da cristologia, e ao mesmo tempo refutar determinada heresia, a carta focaliza a encarnação e o sangue (i.e., a cruz) de Jesus, sem mencionar especificamente a sua ressurreição. (5) Seu estilo é simples e reiterativo, à medida que João apresenta certos termos principais, como "luz", "verdade", "crer", "permanecer", "conhecer", "amor", "justiça", "testemunho", "nascido de Deus" e "vida eterna". Prof: Sandro Valentin
  48. 48. II JOÃO ( YOCHANAN )  Data e Autor do livro.  90 d.C. O Apóstolo João de Éfeso.  Ocasião do livro.  “À senhora eleita”. Esta carta foi escrita para ela e seus filhos. Alguns dos filhos dela andaram na verdade e outros não. v. 4. Parece que os outros estavam sendo pervertidos e enganados pela doutrina errada dos enganadores. v. 7-10. João recebeu esta informação dos filhos da irmã dela? v. 13. Prof: Sandro Valentin
  49. 49. II JOÃO ( YOCHANAN )  O autor se identifica como "o ancião" (v. 1). Provavelmente, um título honroso atribuído ao apóstolo João nas duas décadas finais do século I, devido a sua idade avançada e sua respeitável posição de autoridade espiritual como o único dos doze apóstolos ainda vivo. João dirige esta carta "à senhora eleita e a seus filhos" (v. 1). Alguns interpretam "a senhora eleita", figuradamente, como uma igreja local, sendo "seus filhos" os membros dessa igreja e sua "irmã, a eleita" (v. 13), como uma congregação idêntica. Outros interpretam a endereçada, literalmente, como uma viúva cristã de destaque, conhecida de João, numa das igrejas da Ásia Menor, sob seus cuidados pastorais. A família dessa senhora (v. 1), bem como os filhos da sua irmã (v. 13) são pessoas de destaque entre as igrejas daquela região. Como as outras epístolas de João, 2 Jo provavelmente foi escrita de Éfeso, em fins da década de 80 ou no começo da década de 90 d.C. Prof: Sandro Valentin
  50. 50. II JOÃO ( YOCHANAN )  Visão Panorâmica  Esta epístola realça uma advertência, que também se acha em 1 Jo, sobre o perigo de falsos mestres que negam a encarnação de Jesus Cristo e que se afastam da mensagem do evangelho (vv. 7,8). João se alegra por ver que "a senhora eleita" e seus filhos "andam na verdade" (v. 4). O verdadeiro amor cristão deve ser obediente aos mandamentos de Cristo e ser mútuo entre os irmãos (vv. 5,6). O amor cristão deve também incluir o discernimento entre a verdade e o erro, e também não dar apoio aos falsos mestres (vv. 7-9). Receber amavelmente os falsos mestres é participar dos seus erros (vv. 10,11). A carta é breve, pois João planeja uma visita para breve, e assim falar-lhe "de boca a boca" (v. 12). Prof: Sandro Valentin
  51. 51. II JOÃO ( YOCHANAN )  Características Especiais  São três as características principais desta epístola. (1) É o menor livro do NT. (2) Tem semelhanças surpreendentes com 1 e 3 Jo, quanto à sua mensagem, vocabulário e estilo simples de escrita. (3) Constitui-se num importante complemento à mensagem de 3 Jo, como prevenção quanto a receber e ajudar obreiros estranhos, desconhecidos. Conclui, insistindo na necessidade de cuidadoso discernimento, à luz dos ensinos de Cristo e dos apóstolos, antes de alguém apoiar esses falsos obreiros.  Prof: Sandro Valentin
  52. 52. III JOÃO ( YOCHANAN )  Data e Autor do livro.  90 d.C. O Apóstolo João de Éfeso.  Ocasião do livro.  A carta foi escrita ao amado Gaio sobre algumas coisas dessa igreja que João conheceu. Foi um homem na igreja (Diótrefes) que estava usurpando a autoridade para dominar a igreja toda e tudo que fazia. Devemos observar uma grande verdade. Decisões feitas por uma igreja por causa da usurpação humana e sem base bíblica, não tem validez nenhuma perante Deus. Somente as coisas e decisões feitas pela liderança do Espírito Santo tem validez com Deus. Uma igreja está obrigada para Jesus Cristo e Sua Palavra e nunca deve agir independentemente dEle para fazer sua própria vontade em coisa alguma. Prof: Sandro Valentin
  53. 53. III JOÃO ( YOCHANAN )  João, o apóstolo amado, apresenta-se novamente como "o presbítero" (v. 1; ver introdução de 2 Jo). Esta carta pessoal é endereçada a um fiel cristão chamado Gaio (v. 1), talvez pertencente a uma das igrejas da Ásia Menor. Assim como as demais epístolas de João, 3 João foi certamente escrita em Éfeso, em fins da década de 80 d.C. ou início da década de 90 d.C. Em fins do primeiro século, ministros itinerantes da igreja viajavam de cidade em cidade, sendo comumente sustentados pelos crentes que os acolhiam em casa e os ajudavam nas despesas de viagem (vv. 5-8; cf. 2 Jo 10). Gaio era um dos muitos cristãos dedicados que graciosamente acolhiam e auxiliavam ministros viajantes de confiança (vv. 1-8). Ao mesmo tempo, um homem de projeção chamado Diótrefes resistia com arrogância à autoridade de João e recusava hospitalidade aos irmãos viajantes, enviados da parte deste. Prof: Sandro Valentin
  54. 54. III JOÃO ( YOCHANAN )  Visão Panorâmica  Três homens são mencionados por nome em 3 Jo. (1) Gaio é calorosa e honrosamente mencionado pela sua piedosa vida na verdade (vv. 3,4), e pela sua hospitalidade exemplar para com os irmãos viajantes (vv. 5-8). (2) Diótrefes, um dirigente ditador, é denunciado pelo seu orgulho ("procura ter entre eles o primado", v. 9), cujas manifestações são: rejeitar uma carta anterior de João (v. 9), calúnia contra João (v. 9), recusar o acolhimento aos mensageiros de João e ameaçar com exclusão aqueles que os receberem (v. 10). (3) Demétrio, talvez o portador desta carta, ou pastor de uma comunidade na vizinhança, é louvado como um homem de boa reputação e lealdade à verdade (v. 12). Prof: Sandro Valentin
  55. 55. III JOÃO ( YOCHANAN )  Características Especiais  Duas características principais sobressaem nesta epístola. (1) Embora seja pequena, dá uma noção de várias facetas importantes da história da igreja primitiva, perto do final do século I. (2) Há semelhanças notáveis entre 3 Jo e 2 Jo. Mesmo assim, as duas epístolas diferem entre si em um aspecto importante: 3 Jo elogia a hospitalidade e ajuda oferecidas aos bons ministros viajantes, ao passo que 2 Jo acentua que não se conceda hospitalidade e sustento a maus obreiros, para não sermos culpados de apoiar seus erros ou más obras. Prof: Sandro Valentin
  56. 56. JUDAS ( Y’HUDAH )  Data e Autor do livro.  66 d.C. Por Judas o irmão de Tiago que escreveu a Epístola de Tiago. 1:1. Então Judas é outro irmão de Jesus. Judas não diz que é apóstolo e nos v. 17-18 está indicado que não foi um apóstolo. Prof: Sandro Valentin
  57. 57. JUDAS ( Y’HUDAH )  Judas se identifica simplesmente como o "irmão de Tiago" (v. 1). Os únicos irmãos do NT que têm nomes de Judas e Tiago são os dois meio-irmãos de Jesus (Mt 13.55; Mc 6.3). Talvez Judas mencionou Tiago porque a posição de destaque do seu irmão, sendo dirigente da igreja de Jerusalém serviria para esclarecer sua própria identidade e posição. Esta curta epístola, porém de linguagem enérgica, foi escrita contra os falsos mestres, que eram abertamente antinominianos (i.e., ensinavam que a salvação pela graça lhes permitia pecar sem haver condenação) e que zombando, rejeitavam a revelação divina a respeito da Pessoa e da natureza de Jesus Cristo, segundo as Escrituras (v. 4). Dessa maneira, dividiam as igrejas, concernente à fé (vv. 19a, 22) e quanto à conduta (vv. 4, 8, 16). Judas descreve esses homens vis como "ímpios" (v. 15), que "não têm o Espírito" (v. 19).O possível relacionamento entre Jd e 2 Pe 2.1-3.4 depende do fator data do primeiro. O mais provável é que Judas tinha conhecimento de 2 Pedro (vv. 17,18) e, daí, sua epístola se situaria posteriormente, i.e., entre 70-80 d.C. Não está esclarecido sobre os destinatários, mas podem ter sido os mesmos de 2 Pedro (ver introdução de 2 Pedro). Prof: Sandro Valentin
  58. 58. JUDAS ( Y’HUDAH )  Semelhança entre II Pedro e Judas.  Existe uma semelhança entre II Pedro e Judas no seu conteúdo. Seria bom observar as semelhanças.  1. Aviso contra os hereges.  2. Converteram em dissolução a graça de Deus. II Pedro 2:2 e Judas 4.  3. Introduziram-se encobertamente. II Pedro 2:1 e Judas 4.  4. Seu motivo é avareza. II Pedro 2:3, 15 e Judas 11.  5. Desprezaram a autoridade. II Pedro 2:10 e Judas 8.  6. Arrogantes e vaidosos. II Pedro 2:18 e Judas 16.  7. Ignorantes. II Pedro 2:12 e Judas 10.  8. Arruinara os cultos. II Pedro 2:13 e Judas 12.  9. Comparados a Balaão. II Pedro 2:5 e Judas 11.  10. Vazios das coisas de Deus. II Pedro 2:17 e Judas 12.  11. Exemplos do castigo de Deus – anjos, Sodoma e Gomorra. II Pedro 2:4-6 e Judas 6-7. Prof: Sandro Valentin
  59. 59. JUDAS ( Y’HUDAH )  Ocasião do livro.  Exortar para “Batalhar pela fé”. Judas 3-4.  Visão Panorâmica  Seguindo-se à saudação (vv. 1,2), Judas revela que sua primeira intenção era escrever sobre a natureza da salvação (v. 3a). Em vez disso, ele foi movido a escrever sobre o assunto que se segue, por causa dos mestres apóstatas que estavam pervertendo a graça de Deus e, ao agirem assim, corrompiam a verdade e o caminho da retidão nas igrejas (v. 4). Prof: Sandro Valentin
  60. 60. JUDAS ( Y’HUDAH )  Judas os acusa de impureza sexual (vv. 4, 8, 16, 18), liberais como Caim (v. 11), cobiçosos como Balaão (v. 11), rebeldes como Coré (v. 11), arrogantes (vv. 8, 16), enganosos (vv. 4a, 12), sensuais (v. 19) e causadores de divisões (v. 19). Afirma a certeza do julgamento divino contra todos que vivem em tais pecados e ilustra esse fato com seis exemplos do AT (vv. 5-11). Os doze fatos descritivos da vida deles revelam que a medida do seu pecado está cheia para o julgamento divino (vv. 12-16). Os crentes são despertados a crescer na fé e a ter compaixão com temor, no tocante àqueles que estão vacilando na fé (vv. 20-23). Judas termina com palavras de louvor a Deus, de grande inspiração, ao impetrar a sua bênção (vv. 24,25). Prof: Sandro Valentin
  61. 61. JUDAS ( Y’HUDAH )  Características Especiais  Quatro características principais estão nesta epístola. (1) Contém a incriminação mais vigorosa e direta do NT sobre os falsos mestres. Chama a atenção de todas as gerações para a gravidade do perigo constante da falsa doutrina contra a genuína fé e a vida santa. (2) Exemplifica o caso de ilustrações tríplices, e.g., três exemplos de julgamento tirados do AT (vv. 5-7), uma descrição tríplice dos falsos mestres (v. 8) e três exemplos de homens ímpios, tirados do AT (v.11). (3) Sob a plena influência do Espírito Santo, Judas fez menção de vários escritos: (a) as Escrituras do AT (vv. 5-7, 11); (b) as tradições judaicas (vv. 9.14,15); e (c) 2 Pedro, citando diretamente 2 Pe 3.3, que ele confirma como procedente dos apóstolos (vv. 17,18). (4) Contém a bênção mais sublime do NT. Prof: Sandro Valentin
  62. 62. CONCLUSÃO  As Cartas Gerais tem uma grande importância do Cânon Novo Testamento. Em Hebreus vemos a superioridade de cristo. Na carta de Tiago vemos a prática da vida cristã. Em 1 Pedro a perseverança em meio as tribulações, na 2 epistola advertência contra a falsa doutrina. João descreve em sua 1 carta a segurança do cristão, na 2 e 3 obedecer a verdade. A ultima epístola gera, Judas fala da apostasia dos falsos mestres.  Os ensinamentos dessas Cartas são tão atuais quanto do tempo em que foram escritas. Podemos ver que realmente elas foram divinamente inspiradas. Prof: Sandro Valentin

×