Aula de missiologia basico em theologia

3.683 visualizações

Publicada em

Curso Basico de Missiologia

Publicada em: Educação
1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.683
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
479
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula de missiologia basico em theologia

  1. 1. MISSIOLOGIA INSTITUTO SOCIAL E CULTURAL MARANATA BÁSICO EM THEOLOGIA
  2. 2. INSTITUTO SOCIAL E CULTURAL MARANATA PROF: SANDRO VALENTIN VALENTIN.SANDRO@GMAIL.COM 31- 8353-9579 / 9581-6544 Bacharel Em Theologia Pela FUV (Faculdade Unida de Vitória) Conferencista,Palestrante, Membro da Assembleia de Deus.
  3. 3. INTRODUÇÃO  Quando o Senhor enviou os seus primeiros discípulos a pregar o Evangelho por todo o mundo, deu-lhes instruções acerca dos novos convertidos. Aos apóstolos foi ordenado claramente que fossem por todas as nações a ensinar (Mt 28.19), ou que fossem por todo o mundo a pregar o evangelho a toda a criatura (Mc 16.15,16), e que também o arrependimento e a remissão de pecados deveriam ser pregados em seu nome, entre todas as nações, começando por Jerusalém (Lc 24.47). Assim sendo, não há dúvidas de que os apóstolos foram comissionados a anunciar o evangelho da salvação a todas as nações e a cada ser humano. O trecho de Mateus 28.20, declara francamente que depois de os recém-convertidos haver sido batizados em água, em nome do Pai, em nome do Filho e do Espírito Santo, deveriam ser ensinados a observar tudo quanto Ele lhes havia ensinado.
  4. 4.  Portanto, a ordem de evangelizar o mundo, que foi originalmente dada aos primeiros discípulos, saída dos lábios de Jesus, deveria ser transmitida pelos discípulos a cada novo convertido. Isso quer dizer que nós como seus convertidos remotos, somos semelhantemente instruídos a pregar o evangelho a todas as nações e a toda a criatura. De fato, o Senhor nos tinha em vista em sua oração sumo-sacerdotal; ao dizer: “Não rogo somente a estes, mas também por aqueles que vierem a crê em mim, por intermédio da sua palavra” (Jo 17.20).
  5. 5. ÍNDICE I. MISSÕES ................................................................................. II. O QUE É MISSÕES ................................................................ 03 03 III. PARA QUE MISSÕES ........................................................... IV. ONDE FAZER MISSÕES ...................................................... 04 04 V. COMO FAZER MISSÕES ...................................................... 05 VI. QUALIDADES DE UM MISSIONÁRIO .............................. 05 VII. A CHAMADA E CONFIRMAÇÃO DO MISSIONÁRIO .... 05 VIII. QUEM DEVE FAZER MISSÕES .......................................... IX. A IGREJA E A OBRA MISSIONÁRIA.................................. 07 07 CONCLUSÃO .................................................................................... 08 BIBLIOGRAFIA ............................................................................... 09 GLOSSÁRIO ..................................................................................... 09 QUESTIONÁRIO .............................................................................. 10
  6. 6. I - MISSÕES  CONCEITO: A palavra “missão” deriva-se do latim “mito”, que significa “enviar, mandar, remeter”; e de “missione”, com os seguintes sentidos:  a. Função ou poder que se confere a alguém para fazer algo; encargo, incumbência.  b. Função especial da qual um governo encarrega diplomata(s) ou agente(s) junto a outro país; comissão diplomática.  c. O conjunto de pessoas que receberam um encargo religioso, científico, etc.  d. Ofício, ministério.  e. Obrigação, compromisso, dever a cumprir.  f. Estabelecimento, instituição ou instalação de missionários para pregação da fé cristã.
  7. 7. II - O QUE É MISSÕES  No Novo Testamento a palavra grega é “apostello”, que tem o mesmo significado. A tarefa de todo aquele que é membro da igreja de Deus é testificar aos outros da sua própria experiência, do amor perdoador revelado na vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo. Uma das razões que nos faz enfatizar “missões” hoje em dia é que a igreja do século XX tem algumas vezes ignorado e se esquecido daquilo que é requerido para a igreja realizar. Em primeiro lugar, Deus ordena sua igreja ser testemunha, isto é, fazer conhecido Jesus Cristo até aos confins da Terra.
  8. 8. A igreja de Cristo permanece até agora no mundo como a luz verdadeira que alumia nas trevas, como disse João Batista. Essa igreja que tem atravessado séculos, é a única agência no mundo defensora das verdades fundamentais divinas. Por esta razão, a igreja deve defender tudo aquilo que implica em verdade, e não existe verdade mais concreta que Jesus Cristo é a única salvação para o mundo inteiro. Assim, missões é a propagação das Boas Novas ao que perece.
  9. 9. 1. É LEVAR O EVANGELHO PARA TODOS OS POVOS  a. O termo “missão” significa “enviar”. Ou seja, a igreja sendo enviada ao mundo. Porém, foi apenas a partir do século XVI que a palavra “missão” começou a ter esse sentido.  b. Mateus 24.14 “E este evangelho será pregado em todo mundo”. Nunca, em toda história da cristandade, houve tanto esforço missionário como nos últimos tempos. A Bíblia já está traduzida em mais de 2000 línguas e dialetos.  c. Romanos 10.14-17 “Como crerão se não há que pregue?” Eis aí a razão de se enviar missionários para anunciar as Boas Novas de Salvação (Rm 10.15).
  10. 10. 2. É LEVAR A MENSAGEM DA SALVAÇÃO A TODOS OS HOMENS  A visão missionária da igreja deve abranger todo o mundo:  a. “Todas as sinagogas” - Mt 9.35;  b. “Todas as gentes” - Mc 13.10;  c. “Todas as nações” - Mt 28.19;  d. “Todas as cidades e aldeias” - Mt 9.35;  e. “Todo o mundo” - Mc 16.15;  f. “Os confins da terra” - At 1.8;  g. “Em todo lugar” - At 17.30.
  11. 11. III - PARA QUE MISSÕES ?  “Como crerão naquele de quem nunca ouviram?”, (Rm 10.14b). A reposta para esta interrogação de Paulo é: “missões”.  a. Para evangelizar, pois as almas só poderão crê depois que ouvirem a Palavra, (Rm 10.11-14).  b. Para anunciar as Boas Novas ao mundo:  1. Porque está escrito - Rm 1.16;  2. Porque o Senhor ordenou - Mc 16.15,16; Mt 28.19;  3. Porque somos testemunhas de Jesus - At 1.8;  4. Porque o mundo está perdido - Lc 19.10.
  12. 12. IV - ONDE FAZER MISSÕES Em todos os lugares da Terra o evangelho deve ser pregado. Isto está provado em Mateus 28.19: “Portanto ide, ensinai todas as nações”.
  13. 13. 1. VISÃO GERAL - ATOS 1.8  a. Jerusalém - Trabalho realizado em casa, na escola, no trabalho, com os vizinhos, na rua onde reside, etc.  b. Judéia - Trabalho realizado nas vilas e bairros próximos.  c. Samaria - Trabalho realizado nas cidades distantes (Missões Nacionais).  d. Confins da terra - Trabalho realizado em todo o mundo (Missões Estrangeiras).
  14. 14. 2. MISSÕES NACIONAIS  a. Para os próprios compatriotas - Mt 4.12-17; 11.1.  b. Para os estrangeiros residentes na nossa pátria. Exemplos bíblicos: Atos 10 (Cornélio); Atos 8.26-38 (O eunuco de Candace).  No caso do Brasil, segundo dados recentes do Instituto Cristão de Pesquisas, os muçulmanos são atualmente cerca de dois milhões. Só no Estado de São Paulo vivem trezentos mil, sendo cento e vinte mil na Capital. São Bernardo do Campo - SP, é considerada a “capital do Islamismo” no Brasil, pois lá se encontra o centro de divulgação do Islã na América Latina.  Os japoneses são outro vasto seguimento da seara estrangeira em nosso País. Formam grandes colônias em São Paulo e no norte do Pará. A Sociedade Bíblica já dispõe de Novos Testamentos e do Evangelho de João em japonês para evangelizá-los.  Os coreanos devem ser outro alvo da igreja no Brasil. E o que dizer de outros povos que vivem conosco e não estão sendo alcançados pelo evangelho, como os judeus, os italianos, os eslavos, os portugueses, os chineses e os indígenas que são também de nossa responsabilidade?
  15. 15. 3. MISSÕES TRANSCULTURAIS OU ESTRANGEIRAS  Cultura é o complexo dos padrões de comportamento, das crenças, das instituições e outros valores espirituais e materiais transmitidos coletivamente, característicos de um povo ou de uma sociedade.  a. A cultura brasileira tem três vertentes principais:  1. A influência da colonização portuguesa;  2. A presença dos escravos africanos;  3. As tradições dos índios que aqui viviam quando o País foi descoberto.
  16. 16. b. Transculturação: 1. É o processo de transformação cultural caracterizado pela influência de elementos de outras culturas, com a perda ou alteração dos já existentes; 2. Evangelização transcultural não é substituir valores de uma cultura por outros de uma cultura diferente. O que importa, em Missões estrangeiras ou transculturais, são os princípios bíblicos, os quais podem exercer influências e alterar situações contrárias à fé cristã.
  17. 17. V - COMO FAZER MISSÕES Para se realizar Missões, além de se aplicar princípios, é preciso haver a prática de três ações básicas, que são:  a. Orar - Is 62. 10,11; Lc 18.1; b. Contribuir - II Co 9.7; c. Ir - Is 6.8; Mt 8.9.
  18. 18. 1. CINCO RAZÕES PARA FAZER MISSÕES  a. Obediência a ordem de Cristo - Mc 16.15; At 1.8;  b. A gratidão pela obra de Cristo - II Co 5.14,15;  c. A responsabilidade pela comissão de Cristo - I Co 3.12,15;  d. A urgência no tempo de Cristo - Ef 5.14,18; Jo 9.4;  e. Amor ao mundo sem Cristo - II Co 4.3-7; Pv 24.10-12;
  19. 19. 2. COMO TRABALHAM OS MISSIONÁRIOS a. Com o coração - amor - (Sl 10.4; Fp 1.9); b. Com os joelhos - Lc 11.1-4; At 6.4; At 12.5; c. Com as mãos - Jo 9.6; d. Com a boca - Mc 5.19,20; e. Com os pés - Sl 126.5,6.
  20. 20. 3. QUATRO CHAVES PARA CONQUISTAR O MUNDO a. Uma igreja missionária e discipuladora; b. Mensagens cristocêntricas; c. Visão 100% bíblica; d. Um exército de missionários preparados.
  21. 21. VI - QUALIDADES DE UM MISSIONÁRIO Se fôssemos fazer uma lista de todas as qualidades que um missionário deve possuir, com certeza discorreríamos longas páginas para descrever cada uma de suas qualidades.
  22. 22. 1. MENTALIDADE APOSTÓLICA Consciência clara do que Deus requer baseado no estudo das Sagradas Escrituras, conhecimento da situação, sensibilidade ao Espírito e experiência prática. Que sejas zeloso na propagação do Evangelho pela vontade de Deus e não por vaidade humana.
  23. 23. 2. CAPACIDADE PARA COMUNICAR A FÉ E VIDA CRISTÃ Que comunique não somente palavras e experiências, mas que tenha preparação minuciosa na linguagem. Que seja hábil suficiente para ouvir e apreciar tão bem quanto testificar e declarar a Palavra de Deus.
  24. 24. 3. PROFUNDIDADE ESPIRITUAL Compromisso e dedicação suficiente para ganhar o respeito dos cristãos e não-cristão. Que seja capaz de ajudar as pessoas irem além de si mesmas e alcançarem as respostas e soluções que procuram. O missionário precisa estar ligado diretamente com Deus.
  25. 25. 4. FÉ INABALÁVEL  O missionário deve imitar os campeões de Deus mencionados no livro de Hebreus cap. 11. A partir do momento em que se desloca para fazer o trabalho de Deus, a sua fé deve estar acima de qualquer dificuldade que possa aparecer, isto é, ver na dificuldade a possibilidade. As falhas precisam ser vencidas. O propósito da missão deve ser principalmente trazer as nações de volta àquele que as colocou na face da Terra.
  26. 26. VII - A CHAMADA E CONFIRMAÇÃO DO MISSIONÁRIO  1. UMA FORTE CONVICÇÃO  Atos 22.21 “Vai, porque eu ti enviei para longe, aos gentios”. Paulo foi um missionário exemplar.  2. CONFIRMAÇÃO  Atos 13.2 “Separai-me agora a Barnabé e a Saulo para a obra que os tenho chamado”.  A chamada missionária deve ser confirmada. A muito tempo Saulo recebera a chamada para fazer uma obra missionária. Servindo ao Senhor na igreja de Antioquia da Síria, o Espírito Santo confirmou essa chamada.
  27. 27. 3. UM MINISTÉRIO APROVADO Atos 15.25,26,35. Antes de partir para a obra missionária, Saulo e Barnabé serviram cerca de um ano na Igreja de Antioquia, sendo submissos ao ministério local, com toda a obediência e mansidão, dedicando-se ao ensino da Palavra. 4. DISPOSIÇÃO PARA O SACRIFÍCIO Atos 9.16. O sacrifício é parte da vida missionária. Eis alguns:
  28. 28.  a. Diferença de cultura (choque cultural): os uruguaios, paraguaios, argentinos, chilenos, bolivianos, africanos, etc., pensam e agem diferentes dos brasileiros.  b. Privação dos amigos e dos parentes: ficará muito tempo sem revê-los. Sentirá saudades.  c. Privação financeira: poderão ocorrer mudanças no sistema monetário do país original ou onde o missionário está, causando atrasos nas remessas de valores ou a desvalorização da moeda.  d. Privação da saúde: em virtude dos novos climas e da diferença de alimentação ou altitude.  e. Privação de liberdade: muitos países ainda têm religiões oficiais. Outros não concedem liberdade para movimentos estrangeiros. Alguns proíbem a mensagem da fé cristã.  f. Perseguições: as perseguições poderão surgir do governo, da sociedade, de denominações, e até de outros missionários.
  29. 29. 5. O CONHECIMENTO DO CAMPO MISSIONÁRIO a. Língua - At 21.37,40; At 22.2; b. Costumes - At 17.22; c. Tradições - I Pe 1.18; d. As leis do País - I Pe 2.13-18; e. Religiões existentes - At 17.22,23.
  30. 30. 6. ESTABELECENDO IGREJAS  O modelo bíblico é levantar igrejas locais, estabelecendo diáconos e presbíteros nativos para administrá-las.  a. A igreja em Icônio, Listra e Derbe - At 14.21-23;  b. A igreja em Filipos - At 16.12-15; Fl 1.1;  c. A igreja em Creta - Tt 1.5;  d. A igreja em Cuba - A Assembleia de Deus em Cuba foi uma das poucas denominações que sobreviveram as perseguições comunistas, pois contavam com obreiros e finanças locais, crescendo com sucessos até hoje.
  31. 31. VIII - QUEM DEVE FAZER MISSÕES  A Igreja é a verdadeira agência missionária, responsável pelo envio e coordenação de qualquer projeto missionário.  Em Atos 13. 1-3, temos uma amostra desse processo. Vejamos:  a. Saulo e Barnabé exerciam um ministério - v. 1;  b. Tinham chamada divina - v. 2;  c. A igreja jejuou e orou antes de enviá-los - v. 3a.;  d. Houve imposição de mãos - v. 3b.;  e. A igreja os despediram - v. 3c.
  32. 32. IX - A IGREJA E A OBRA MISSIONÁRIA  a. A igreja deve falar sobre o assunto - At 15.3  b. A igreja deve orar para Deus levantar missionários - Mt 9.38; At 13.1-3  c. A igreja deve enviar os chamados - At 13.3; 15.40,41  d. A igreja deve sustentar financeiramente o missionário - I Co 9.4-14; Mt 10.10  e. A igreja deve orar pelo missionário - At 14.23-26; 15.40; Ef 6.18,19  f. A igreja deve investir parte de seus recursos financeiros na obra missionária - Pv 11.24,25; Lc 6.38  g. A igreja não deve desanimar pelo fato de algumas portas estarem fechadas para o evangelho. Outras estão abertas - At 13.45-51; 14.3- 6,20,21  h. O missionário deve fazer relatórios do trabalho que está sendo feito e enviá-los a igreja de origem - At 15.3,4,12-14; 14.27; 21.19.
  33. 33. CONCLUSÃO  Os primeiros discípulos estavam diante da grande tarefa de “pregar o evangelho a toda a criatura” (Mc 16.15), e necessitavam de um poderoso despertamento da visão missionária. Eles ainda não tinham compreendido a grandeza da obra realizada por Jesus. Esta só se tornou clara quando o Espírito Santo lhes foi concedido no dia de Pentecoste, pois receberam uma nova visão a respeito do que lhes havia sido dito pelo Senhor, quando ainda estava com eles.  Quando Jesus evangelizou a mulher de Samaria, “maravilharam-se de que estivesse falando com uma mulher”, então Jesus lhes disse: “Levantai os vossos olhos, e vede as terras” (Jo 4.27-35).
  34. 34. BIBLIOGRAFIA  - O GUIA DO PASTOR - Ralph M. Riggs - Editora Vida - 3ª Edição - 1980  - CURSO DE MISSÕES POR CORRESPONDÊNCIA - Lição 1 - EMAD - Rio de Janeiro - RJ  - LIÇÕES BÍBLICAS - MATURIDADE CRISTÃ - 2º Trimestre/92 - Gesiel Gomes - CPAD  - LIÇÒES BÍBLICAS - MATURIDADE CRISTÀ - 1º Trimestre/93 - Geremias do Couto - CPAD  - MANUAL DO SENEP - Centro de Evangelismo Continental - Rio de Janeiro - RJ  - MISSIOLOGIA - “IDE E PREGAI” - 2ª Edição - Gary L. Royer - EETAD - Campinas - SP  - NOVO DICIONÁRIO AURÉLIO DA LÍNGUA PORTUGUESA - Editora Nova Fronteira - 2ª Edição  - BÍBLIA SAGRADA - Edição Almeida Revista e Corrigida - 40ª Edição - Casa Publicadora Batista  - MISSIOLOGIA - “A MISSÃO TRANSCULTURAL DA IGREJA” - Larry D. Pate  - CURSO MISSIOLOGIA - Hermes M. Barros  - APOSTILA MISSÕES - Nelson de Oliveira Cardoso - SETAD  - ORGANIZADO POR: - Francisco Cândido de Oliveira  - Secretaria de Elaboração da ETEBAD
  35. 35. GLOSSÁRIO  CRETA - Nome de uma grande ilha situada a sudoeste da Grécia, no Mar Mediterrâneo e que hoje tem o nome de Cândia.  FILIPOS - Cidade da Macedônia na época de Paulo; antes pertencera a antiga Trácia.  ICÔNIO - Nome de uma cidade da Ásia Menor, descrita como sendo a última cidade da Frígia indo para o oriente.  LISTRA - Nome de uma cidade da Licaônia, e colônia romana. Hoje o lugar da antiga Listra se chama Zoldera, a quatro kilomêtro de Icônio.  DERBE - Nome de uma cidade a sudeste da Licaônia, na Ásia Menor, localizada provavelmente, a 86 km de Icônio, um local ainda incerto.  CUBA - País Comunista da América Central.  INCUMBÊNCIA - Ato ou efeito de incumbir; encargo; missão ou negócio que se confia a alguém.  DIPLOMATA - Pessoa que tem por profissão a diplomacia; representante de um País junto a outro.  ENCARGO - Responsabilidade; incumbência, oubrigação, ocupação; cargo.  COLETIVAMENTE - Que abrange ou compreende muitas coisas ou pessoas.  COLONIZAÇÃO - Ato de transformar em colônia; invadir um país ou região e adaptá-la ao sistema e costume dos invasores. Exmplo: Os portugueses colonizaram (exploraram) o brasil.  CRISTOCÊNTRICO - Tendo Cristo como o centro; Ele é o tema central.  ANTIOQUIA - Cidade metropolitana da Síria. Hoje em seu lugar existe uma pequena povoação chamada de Antoquia.  SISTEMA MONETÁRIO - Técnica de controle governamental que rege a economia de um país.

×