Fundamentos de ciencias 2013 final

983 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
983
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
166
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fundamentos de ciencias 2013 final

  1. 1. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA - ISEOL 1Plano de Ensino CURSO: PEDAGOGIA HABILITAÇÃO: DISCIPLINA: Fundamentos de Ciências CÓDIGO: C.H. SEMANAL: 2h C.H. ANUAL: 36h/aula SÉRIE: 1° / 1º semestre Nº CRÉDITOS: 2 PROFESSOR: SANDRA L.R. DOS SANTOS OBJETIVOS Geral: Destacar o que é ciência, sua natureza e especificidades, analisar seu caráter político e a relevância de seu papel na transformação da sociedade. Específicos:  Definir o que é ciência e suas metas;  Relacionar ciência e política;  Refletir sobre a natureza das ciências;  Identificar o pensamento idealista em ciência;  Analisar a importância do conhecimento científico;  Discutir o papel da ética nas ciências. EMENTA Estudos voltados para a definição do que é ciência, sua natureza, objetividade e principais características; evidenciando a sua importância enquanto conhecimento acumulado, percebendo que o objetivo da ciência será sempre o conhecimento científico e tecnológico como atividade de caráter histórico, e que, portanto, a ciência não é neutra, remetendo-nos à discussão sobre equívocos e impasses sofridos e os novos rumos que se busca para que não seja considerada desumanizadora; dando-lhe, assim, o caráter político que realmente tem.
  2. 2. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA - ISEOL 2Plano de Ensino CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1- Como nasceu a ciência. Linha do tempo. Visão histórica da pesquisa científica. 2- Natureza da ciência. Para que se faz “Ciência”. Quais os objetivos. 3- Conhecimento científico e senso comum. 4- Ciência e política. Qual a relação do conhecimento científico com as políticas públicas. 5- Ciência e poder. A Ciência realmente é neutra? 6- A importância da ciência para a nação. METODOLOGIA A disciplina será desenvolvida através de:  Aulas expositivas e dialogadas;  Trabalhos assistidos em pequenos grupos, com discussão e debates no grupo maior;  Discussão de filmes e documentários;  Leitura, análise e interpretação de textos. AVALIAÇÃO Os alunos serão avaliados de acordo com as normas regimentais e critérios específicos da disciplina, de forma processual, priorizando a formação, observando-se os conteúdos conceituais, atitudinais e procedimentais, podendo ser utilizadas provas dissertativas, objetivas, pesquisas, apresentação de seminários e análise critica de textos. Também serão considerados os critérios: frequência e participação nas aulas; realização de trabalhos durante o curso; pontualidade na entrega das atividades propostas. O exame final não obrigatório envolverá toda teoria e prática abordada no programa e será levado a efeito, ao término das aulas em data pré-fixada conforme calendário anual disponível no site da instituição aos alunos que obtiveram a média final superior a 4,00 (quatro) e inferior a 6,00 (seis) e que tenham 75% de freqüência.
  3. 3. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA - ISEOL 3Plano de Ensino BIBLIOGRAFIA BÁSICA CHASSOT, A. A ciência através dos tempos. São Paulo: Moderna, 1994. CHIBENI, S.S. O que é Ciência? Disponível em http://www.unicamp.br/~chibeni/textosdidaticos/ciencia.pdf. acesso em 10.02.2013 Dante, M. Visão histórica da pesquisa científica. Disponível em http://www.hottopos.com/videtur15/dante.htm - acesso em 04.02.13. BIBLIOGRAFIA COMPLETMENTAR LUNGARSO, C. O que é ciência. São Paulo: Brasiliense, 1989. MAYOR, F. Ciência e poder. Campinas, SP: Papirus; Brasília:UNESCO, 1998. MAIA, N. F. A ciência por dentro. Petrópolis: Vozes, 1991. CHALMERS, A. F, 1939 – A fabricação da ciência. São Paulo: Fundação Editora UNESP, 1994. TRINDADE, D. F. Educação e ciências. São Paulo: Madras, 2004.
  4. 4. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA - ISEOL 3Plano de Ensino BIBLIOGRAFIA BÁSICA CHASSOT, A. A ciência através dos tempos. São Paulo: Moderna, 1994. CHIBENI, S.S. O que é Ciência? Disponível em http://www.unicamp.br/~chibeni/textosdidaticos/ciencia.pdf. acesso em 10.02.2013 Dante, M. Visão histórica da pesquisa científica. Disponível em http://www.hottopos.com/videtur15/dante.htm - acesso em 04.02.13. BIBLIOGRAFIA COMPLETMENTAR LUNGARSO, C. O que é ciência. São Paulo: Brasiliense, 1989. MAYOR, F. Ciência e poder. Campinas, SP: Papirus; Brasília:UNESCO, 1998. MAIA, N. F. A ciência por dentro. Petrópolis: Vozes, 1991. CHALMERS, A. F, 1939 – A fabricação da ciência. São Paulo: Fundação Editora UNESP, 1994. TRINDADE, D. F. Educação e ciências. São Paulo: Madras, 2004.
  5. 5. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA - ISEOL 3Plano de Ensino BIBLIOGRAFIA BÁSICA CHASSOT, A. A ciência através dos tempos. São Paulo: Moderna, 1994. CHIBENI, S.S. O que é Ciência? Disponível em http://www.unicamp.br/~chibeni/textosdidaticos/ciencia.pdf. acesso em 10.02.2013 Dante, M. Visão histórica da pesquisa científica. Disponível em http://www.hottopos.com/videtur15/dante.htm - acesso em 04.02.13. BIBLIOGRAFIA COMPLETMENTAR LUNGARSO, C. O que é ciência. São Paulo: Brasiliense, 1989. MAYOR, F. Ciência e poder. Campinas, SP: Papirus; Brasília:UNESCO, 1998. MAIA, N. F. A ciência por dentro. Petrópolis: Vozes, 1991. CHALMERS, A. F, 1939 – A fabricação da ciência. São Paulo: Fundação Editora UNESP, 1994. TRINDADE, D. F. Educação e ciências. São Paulo: Madras, 2004.
  6. 6. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA - ISEOL 3Plano de Ensino BIBLIOGRAFIA BÁSICA CHASSOT, A. A ciência através dos tempos. São Paulo: Moderna, 1994. CHIBENI, S.S. O que é Ciência? Disponível em http://www.unicamp.br/~chibeni/textosdidaticos/ciencia.pdf. acesso em 10.02.2013 Dante, M. Visão histórica da pesquisa científica. Disponível em http://www.hottopos.com/videtur15/dante.htm - acesso em 04.02.13. BIBLIOGRAFIA COMPLETMENTAR LUNGARSO, C. O que é ciência. São Paulo: Brasiliense, 1989. MAYOR, F. Ciência e poder. Campinas, SP: Papirus; Brasília:UNESCO, 1998. MAIA, N. F. A ciência por dentro. Petrópolis: Vozes, 1991. CHALMERS, A. F, 1939 – A fabricação da ciência. São Paulo: Fundação Editora UNESP, 1994. TRINDADE, D. F. Educação e ciências. São Paulo: Madras, 2004.

×