INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA - ISEOL                                        1Plano de Ensino    CURSO: PE...
INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA - ISEOL                                            2Plano de Ensino         ...
INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA - ISEOL                                             3Plano de Ensino   Para ...
INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA - ISEOL                                      4Plano de Ensino   BAURU. Prefe...
INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA - ISEOL                                      4Plano de Ensino   BAURU. Prefe...
INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA - ISEOL                                      4Plano de Ensino   BAURU. Prefe...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Conteúdo e metod.matemática ii 2013 final

544 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
544
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
199
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Conteúdo e metod.matemática ii 2013 final

  1. 1. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA - ISEOL 1Plano de Ensino CURSO: PEDAGOGIA HABILITAÇÃO: DISCIPLINA: Conteúdos e Metodologia da CÓDIGO: Matemática II C.H.SEMANAL: 2 horas/aula C.H. SEMESTRAL: 36 h/aula SÉRIE: 3º / 5º Semestre Nº. CRÉDITOS: 2 PROFESSOR: SANDRA L. R. DOS SANTOS OBJETIVOS Gerais:  Fundamentar a aplicação de conceitos matemáticos relacionados a espaço e forma em atividades didáticas e de experimentação pedagógica;  Refletir sobre o processo que a criança realiza na construção dos conceitos espaciais, de localização e interação com o ambiente escolar e o meio onde vive;  Sensibilizar o aluno quanto à necessidade de planejar o ensino/aprendizagem desde as séries iniciais com vista à formação plena de indivíduos críticos e atuantes no seu meio.  Oferecer ao aluno instrumentos necessários para a operacionalização das aulas de Matemática.  Sensibilizar o aluno quanto a necessidade das aplicações práticas da matéria lecionada. Específicos:  Entender a questão do espaço e localização e sua relação com o conhecimento matemático e espacial da criança.  Contextualizar a matemática no ensino de geometria relacionada ao mundo espacial da criança e suas relações com o ambiente e experimentação do dia a dia  Estudar o processo de aprendizado em relação às formas geométricas, as dimensões espaciais e relacionar ao mundo que rodeia a criança  Estabelecer relações de figuras, dimensões espaciais e problemas relacionados.
  2. 2. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA - ISEOL 2Plano de Ensino EMENTA A disciplina tem como objetivo oferecer aos alunos subsídios teóricos e práticos para auxiliá-los na execução de seu trabalho. Os conteúdos desenvolvidos serão instrumentos úteis no apoio ao processo pedagógico, colaborando no planejamento das aulas, na reflexão sobre a prática educativa e análise de material didático. CONTEÚDO 1. O ensino de Geometria – pressupostos teóricos e práticos 2. Os princípios básicos da fundamentação geometria e sua evolução histórica 3. Geometria Básica 3.1 Geometria Básica - visualizando o mundo espacial 3.2 Geometria Plana 4. Geometria Espacial 4.1 O mundo em dimensões 4.2 Sólidos geométricos 5. Atividades de docência e experimentação matemática 5.1 A geometria do cotidiano 5.2 A construção do conceito geométrico 5.3 Confeccionando figuras geométricas 6. Estudo dos PCNs – Parâmetros Curriculares Nacionais – Matemática METODOLOGIA Apresentação dos conteúdos será através de aulas expositivas, seminários e discussões utilizando a bibliografia básica por meio de envio eletrônicos dos textos e artigos a serem trabalhados em sala de aula. Os livros textos relacionados na bibliografia sugerida, serão utilizados tanto para discussão dos conteúdos propostos, como fonte para as atividades disponibilizadas pelo professor.
  3. 3. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA - ISEOL 3Plano de Ensino Para resolução das atividades, os alunos trabalharão individualmente ou em grupos de até quatro pessoas e, ocasionalmente, o professor solicitará a entrega de alguns desses trabalhos e os mesmos estarão sujeitos a pontuação a ser negociada. Propostas interdisciplinares também farão parte das atividades que poderão ser realizadas, mediante a aplicação conceitos matemáticos específicos abordados na disciplina. Cabe ressaltar que muitas das iniciativas esboçadas anteriormente poderão ser realizadas com o auxílio de diversas mídias disponíveis sendo que o seu uso se justifica não apenas pelo fato de tornar as atividades didáticas mais atrativas e atuais, mas, sobretudo pela possibilidade de desenvolver raciocínio lógico/crítico/analítico. MATERIAL DIDÁTICO  Livro texto, textos para atividades complementares, quadro branco e pincel.  Projetor multimídia. OBS 1: o laboratório e o canhão multimídia serão utilizados quando o professor acreditar ser conveniente e houver disponibilidade para uso. Portanto, fica descartado o uso obrigatório, semanal e ininterrupto, do mesmo. OBS 2: sugere-se que o aluno disponha de, pelo menos, duas horas semanais para realização de exercícios e eventuais trabalhos solicitados pelo professor. Bem como, esteja atento aos conteúdos trabalhados em sala, permitindo um bom andamento das atividades didáticas. AVALIAÇÃO Os alunos serão avaliados de acordo com as normas regimentais e critérios específicos da disciplina, através de provas, trabalhos em grupo realizados em sala de aula e/ou como tarefas extra-classe.O exame final não obrigatório, envolverá toda teoria e prática abordada no programa e será levado a efeito, no término das aulas em data pré-fixada pela Secretaria aos alunos que obtiveram a média final superior a 4,00 (quatro) e inferior a 6,00 (seis) e que tenham 75% de freqüência. BIBLIOGRAFIA BÁSICA
  4. 4. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA - ISEOL 4Plano de Ensino BAURU. Prefeitura Municipal de Bauru. Secretaria de Educação de Bauru. Proposta Pedagógica de Educação Infantil do Município de Bauru. Bauru: Prefeitura Municipal, 1996. BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil /Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. — Brasília: MEC/SEF, 1998. BRASIL, MEC/SEF. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Secretaria de Educação Fundamental -Brasília . 1997. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR BIEMBENGUT, M. S.; HEIN, N. Modelagem matemática no ensino. São Paulo: Contexto, 2000. BORIN J. Jogos e Resoluções de Problemas: uma estratégia para as aulas de matemática. São Paulo : CAEM, IME-USP, 1996. GIARDINETTO, J. R. B. Matemática Escolar e matemática da vida cotidiana. Campinas: Autores Associados, 1999. KAMII, C. A criança e o número: implicações da teoria de Piaget para a atuação junto a escolares de 4 a 6 anos. 11ª ed., Campinas:Papirus, 1990. KOBAYASHI, M. C. M. A construção da geometria pela criança. Bauru: Edusc, 2001. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria da Educação Básica. Pró-letramento: Programa de formação continuada de professores dos anos/séries iniciais do Ensino Fundamental: Matemática. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria da Educação Básica, 2008.
  5. 5. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA - ISEOL 4Plano de Ensino BAURU. Prefeitura Municipal de Bauru. Secretaria de Educação de Bauru. Proposta Pedagógica de Educação Infantil do Município de Bauru. Bauru: Prefeitura Municipal, 1996. BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil /Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. — Brasília: MEC/SEF, 1998. BRASIL, MEC/SEF. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Secretaria de Educação Fundamental -Brasília . 1997. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR BIEMBENGUT, M. S.; HEIN, N. Modelagem matemática no ensino. São Paulo: Contexto, 2000. BORIN J. Jogos e Resoluções de Problemas: uma estratégia para as aulas de matemática. São Paulo : CAEM, IME-USP, 1996. GIARDINETTO, J. R. B. Matemática Escolar e matemática da vida cotidiana. Campinas: Autores Associados, 1999. KAMII, C. A criança e o número: implicações da teoria de Piaget para a atuação junto a escolares de 4 a 6 anos. 11ª ed., Campinas:Papirus, 1990. KOBAYASHI, M. C. M. A construção da geometria pela criança. Bauru: Edusc, 2001. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria da Educação Básica. Pró-letramento: Programa de formação continuada de professores dos anos/séries iniciais do Ensino Fundamental: Matemática. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria da Educação Básica, 2008.
  6. 6. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA - ISEOL 4Plano de Ensino BAURU. Prefeitura Municipal de Bauru. Secretaria de Educação de Bauru. Proposta Pedagógica de Educação Infantil do Município de Bauru. Bauru: Prefeitura Municipal, 1996. BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil /Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. — Brasília: MEC/SEF, 1998. BRASIL, MEC/SEF. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Secretaria de Educação Fundamental -Brasília . 1997. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR BIEMBENGUT, M. S.; HEIN, N. Modelagem matemática no ensino. São Paulo: Contexto, 2000. BORIN J. Jogos e Resoluções de Problemas: uma estratégia para as aulas de matemática. São Paulo : CAEM, IME-USP, 1996. GIARDINETTO, J. R. B. Matemática Escolar e matemática da vida cotidiana. Campinas: Autores Associados, 1999. KAMII, C. A criança e o número: implicações da teoria de Piaget para a atuação junto a escolares de 4 a 6 anos. 11ª ed., Campinas:Papirus, 1990. KOBAYASHI, M. C. M. A construção da geometria pela criança. Bauru: Edusc, 2001. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria da Educação Básica. Pró-letramento: Programa de formação continuada de professores dos anos/séries iniciais do Ensino Fundamental: Matemática. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria da Educação Básica, 2008.

×