Pse tuberculose

924 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
924
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
368
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pse tuberculose

  1. 1. PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABAIANINHA SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA AGRAVOS NEGLIGENCIADOS TUBERCULOSE WALTER MARCELO OLIVEIRA DE CARVALHO
  2. 2. TUBERCULOSE
  3. 3. TUBERCULOSE • Doença infecto-contagiosa, causada por bactéria, chamada Mycobacterium tuberculosis.
  4. 4. Características do Agente Etiológico • Chamado de Mycobacterium tuberculosis ou bacilo de Koch, pois foi descoberto por Robert Koch em 1882.
  5. 5. Figura 1: Mycobacterium tuberculosis (Bacilo de Koch)
  6. 6. • É uma espécie aeróbia estrita; • Habitam principalmente nos pulmões, porém podem ter localização extrapulmonar. Características do Agente Etiológico
  7. 7. Patogenia Contágio • Por inalação de aerossóis durante o ato da tosse, da fala e espirro de pessoas eliminadoras de bacilos de Koch.
  8. 8. Patogenia Contágio • Os pacientes não bacilíferos e os que apresentam a forma extrapulmonar não oferecem riscos significativos de contaminação.
  9. 9. Patogenia Possibilidade de infecção, depende de: • número de bacilos inalados, • virulência da bactéria e • susceptibilidade do hospedeiro. Bacilo poderá ficar em estado de dormência podendo reativar-se tardiamente, de acordo com as condições imunológicas do hospedeiro.
  10. 10. Aspectos ClínicosAspectos Clínicos • Tuberculose Pulmonar é a forma mais freqüente.Tuberculose Pulmonar é a forma mais freqüente. • Tuberculose miliar: infecção extra-pulmonarTuberculose miliar: infecção extra-pulmonar causada pela evolução do granuloma pulmonarcausada pela evolução do granuloma pulmonar devido ao crescimento bacteriano excessivo,devido ao crescimento bacteriano excessivo, atingindo a corrente sangüínea, ocorrem, poratingindo a corrente sangüínea, ocorrem, por exemplo, na pleura, no fígado, baço, ossos eexemplo, na pleura, no fígado, baço, ossos e articulações, meninges, no cérebro.articulações, meninges, no cérebro.
  11. 11. Sinais e sintomas • Infecção primária: normalmente sem sintomasInfecção primária: normalmente sem sintomas • Com a progressão das lesões aparecem: febre,Com a progressão das lesões aparecem: febre, perda de peso, sudorese noturno, dor no peito,perda de peso, sudorese noturno, dor no peito, insuficiência respiratória, tosse ( com poucoinsuficiência respiratória, tosse ( com pouco escarro) e se quando há o rompimento de umescarro) e se quando há o rompimento de um vaso sangüíneo a tuberculose pulmonar podevaso sangüíneo a tuberculose pulmonar pode causar hemoptise.causar hemoptise.
  12. 12. Tratamento • Padronizado no Brasil: medicamentos distribuídos pelo sistema de saúde, através de seus postos municipais de atendimento. • RHZ: rifampicina(R), isoniazida(H) e pirazinamida(Z). Obs.: OMS  combinação de 4 medicamentos, além dos citados acima indica a estreptomicina ou etambutol.
  13. 13. Por que utilizar quatro antibióticos? • Porque o bacilo cresce fora e dentro da célula de defesa. Quando está fora, ele se multiplica muito rápido e adquire resistência também muito rapidamente. Por isso, são indicadas três drogas a fim de impedir seu crescimento e divisão fora da célula.
  14. 14. • Dentro da célula de defesa, ele cresce mais lentamente. Isso requer uma droga que penetre na célula a fim de bloquear o crescimento da bactéria em seu interior, ou seja, os medicamentos agem em lugares diferentes, de maneira sinérgica. Por que utilizar quatro antibióticos?
  15. 15. • Suspensão do Tratamento = Problema de Saúde Pública. Problema de Saúde Pública
  16. 16. Qual o problema da interrupção do tratamento? • Seleção de colônias de bactérias resistentes aos medicamentos.
  17. 17. Motivos da interrupção do tratamento • Melhora dos sintomas • Álcool • Efeitos colaterais como prurido (isoniazida) e enjôos ( medicamento em jejum = maior absorção)
  18. 18. Tratamento e Gestação • No caso de gestação, o tratamento não deve ser alterado.
  19. 19. Outros Tratamentos • Além do esquema de tratamento existem outros esquemas (com outras combinações de medicações) que podem ser utilizados em situações especiais ou nos casos de falência com o tratamento de primeira linha (preferencial).
  20. 20. Profilaxia • Vacinação • ( contra as formas mais graves) • Quimioprofilaxia
  21. 21. Vacina • 1921 – Calmette e Guérin produzem a vacina. • 1928 – Aceitação internacional. • 1929 – Acidente de Lubeck. • 1948-1951 – Campanhas internacionais. • 1992 – Cobertura Global.
  22. 22. Vacina É a única vacina de medida profilática, e é a mais antiga e mais expandida das vacinas em utilização. A vacina é produzida através de subcepas vivas atenuadas de Mycobacterium bovis.
  23. 23. Quimioprofilaxia • Quimioprofilaxia primária: pacientes não-infectados. • Quimioprofilaxia secundária: pacientes com tuberculose infecção.
  24. 24. Diagnóstico  Sugerido pelos sinais e sintomas clínicos  Raio X do tórax  Teste de tuberculina  Esfregaço de catarro pelo método de Ziehl-Neelsen

×