Escola Básica e Secundária Padre Manuel Álvares 
2014/2015 
Separar e purificar 
Realizado por: Manuel Gouveia 10ºD 
Rodri...
2 
Introdução Teórica: 
Na aula de físico-química foi-nos proposta uma atividade experimental. Para 
que pudessemos dar in...
3 
Material: 
 Água 
 Azeite 
 Cloreto de Sódio 
 Mistura inicial 
 Gobelé 
 Suporte Universal 
 Noz 
 Argola 
 A...
4 
Procedimento Experimental: 
Para a separação A - Decantação: 
1. Foi-se buscar o material de laboratório necessário par...
5 
Para a separação B - Destilação Simples: 
6. Foi-se buscar o material de laboratório necessário para a destilação simpl...
6 
Interpretação de Resultados: 
Na separação A (líquidos não miscíveis), a decantação foi bem sucedida, 
obtendo assim o ...
7 
Conclusão: 
Esta atividade experimental demostra como devemos proceder para 
separar uma mistura de líquidos não miscív...
8 
Bibliografia: 
http://pt.wikipedia.org/wiki/Mistura 
http://www.notapositiva.com/pt/trbestbs/quimica/misturas_hom_het_d...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Misturas homogéneas e heterogéneas

401 visualizações

Publicada em

version 2.0

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
401
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Misturas homogéneas e heterogéneas

  1. 1. Escola Básica e Secundária Padre Manuel Álvares 2014/2015 Separar e purificar Realizado por: Manuel Gouveia 10ºD Rodrigo Miguel 10ºD 21 de Outubro de 2014
  2. 2. 2 Introdução Teórica: Na aula de físico-química foi-nos proposta uma atividade experimental. Para que pudessemos dar início a esta experiência, era necessario sabermos as técnicas de separação adequadas a cada tipo de situação. Depois de avaliarmos as misturas que tínhamos que separar (água, azeite e cloreto de sódio), chegamos à conclusão que:  A água e o azeite são líquidos não miscíveis com densidades diferentes, sendo a água, o líquido com maior densidade.  A água com cloreto de sódio, é uma solução homogénea, na qual se obtém um soluto (o cloreto de sódio) e um solvente (a água), com pontos de ebulição muito distantes.  Para separar líquidos de líquidos não miscíveis (água e azeite), usamos uma decantação, sendo preciso que ambos líquidos estejam em repouso e separados visivelmente, para depois, abrir lentamente a torneira da ampola de decantação.  Para separar uma mistura homogénia, recorre-se a uma destilação simples, este processo é usado quando as substâncias a separar possuem pontos de ebulição diferentes. Consiste então, este proc esso, em aquecer a mistura até à ebulição controlada. A água transforma-se em vapor, passando pelo condensador, onde passa novamente ao estado líquido, ficando assim cada substância num recipiente diferente. Objectivos: Temos uma mistura de água, azeite e cloreto de sódio em que se pretende separar os três componentes. Assim os objectivos são: 1. Separar a água com cloreto de sódio do azeite, utilizando uma decantação simples. 2. Depois, para separar a água do cloreto de sódio, recorrendo a uma destilação simples.
  3. 3. 3 Material:  Água  Azeite  Cloreto de Sódio  Mistura inicial  Gobelé  Suporte Universal  Noz  Argola  Ampola de Decantação  Manta de aquecimento  Gobelé de recolha de destilado  Condensador Liebig  Mangueira  Suporte Universal com garra e noz  Balão de fundo redondo
  4. 4. 4 Procedimento Experimental: Para a separação A - Decantação: 1. Foi-se buscar o material de laboratório necessário para a decantação. 2. Num gobelé colocou-se a mistura de água, cloreto de sódio e azeite. 3. Lentamente, foi passada a solução do gobelé inicial para dentro da ampola de decantação. 4. Esperamos que a solução repousa-se uns minutos para que os dois líquidos não miscíveis ficassem claramente separados. 5. Abriu-se, lentamente, a torneira da ampola de decantação até que a água com cloreto de sódio saisse completamente da ampola de decantação e passa-se para um outro gobelé.
  5. 5. 5 Para a separação B - Destilação Simples: 6. Foi-se buscar o material de laboratório necessário para a destilação simples, e montou-se a estrutura para a separação. 7. Colocou-se a solução obtida no ponto 5 dentro do balão de de fundo redondo. 8. Ligou-se a manta de aquecimento á eletricidade para aquecer a solução que estava dentro do balão de fundo redondo para desencadear a ebulição da mesma. 9. Abriu-se um pouco a torneira, (quando o balão de destilação e o condensador se encontravam com vapor). 10. Foi-se esperando até á separação estar finalizada.
  6. 6. 6 Interpretação de Resultados: Na separação A (líquidos não miscíveis), a decantação foi bem sucedida, obtendo assim o resultado esperado, tendo ficado o azeite separado da água com cloreto de sódio. Na separação B (mistura homogénea água-cloreto de sódio), a destilação também foi bem sucedida obtendo ambos componente em recipientes diferentes.
  7. 7. 7 Conclusão: Esta atividade experimental demostra como devemos proceder para separar uma mistura de líquidos não miscíveis e uma mistura colodial onde os componentes têm pontos de ebulição diferentes. Começamos a nossa experiência tendo como base que iríamos proceder a duas técnicas de separação, a decantação e a destilação simples. Iniciámos a separação dos líquidos não miscíveis com uma decantação, um processo no qual é preciso precição e atenção para separar corretamente os componentes. Ao fazer a decantação o resultado pode não ser muito preciso visto que ao abrir e fechar a torneira da ampola de decantação um pouco de agua poderá ter ficado dentro da ampola tal como um pouco de azeite poderia ter passado para o gobelé. Terminámos a atividade experimental com a destilação simples, uma técnica de separação de componentes com pontos de ebulição distantes. Este procedimento fez com que no balão de destilação ficasse o c loreto de sódio e a água passa-se do balão de destilação pelo condensador de Liebig, para o gobelé, sendo um processo muito demorado pois mistura tem de entrar em ebulição controlada e a água tem de passar ao estado gasoso condensar nas paredes do condensador e passar pela alonga para chegar ao gobelé.
  8. 8. 8 Bibliografia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Mistura http://www.notapositiva.com/pt/trbestbs/quimica/misturas_hom_het_d.htm Manual – Química em contexto – Química 10º ano

×