Irmãos gêmeos

293 visualizações

Publicada em

LITERATURA INFANTIL

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
293
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Irmãos gêmeos

  1. 1. Young So Yoo ' if Young M1' Park _mI-FNLJ) " fo l 4 : É 20l5 Z , P311 “E35 na¡ sima ¡MInIsao-Io da O 2: s- -«° › z ~_, L'; 'i'¡'¡ l
  2. 2. Irmãos gêmeos Young So Yoo Young Mi Park
  3. 3. h . . íI'. "_ r s . E › I A . .l ›. | _ q' >VÁ> ' - "a 7r4'f'T7; , TIM- E E _': '., '_, '_Vâ+àm' 74- A r r ü_ T - Í ía F Í Ii AI * 1 I ; N ' q ¡ a -r . I4.-/ I _ __. a T í vv: I Lo I . ~ A ~. « E ¡ _. . , I Esse é o Marco. Eu sou o Daníe1. Nós somos irmãos e temos a mesma idade. Somos gêmeos! Mas somos bastante diferentes. . -E, -E-ã' ' L , L. 'I . .
  4. 4. la. Meu cabelo é comprido, o do Marco é curto. A minha bicicleta é verde, a dele é amare
  5. 5. .v- O Marco sempre teima: "Eu sou o mais velhol Por isso, me respeiteI". Eu respondo: "Temos a mesma idade e eu sou o mais alto. Como você pode dizer que é mais velho? " Nós sempre brigamos por causa disso, nunca chegamos a uma solução. E pior, acabamos
  6. 6. Outro dia, mamãe estava Cozinhando e deixou a farinha cair. Marco e eu fizemos uma aposta para ver quem limparia mais rápido a farinha que estava no chão: "Vamos limpar logo, antes que alguém pise e fique tudo sujo! Rápido! Rápido! " Como a farinha é pó, não conseguíarnos pegar uma por urna. Então, juntamos um punhado com as duas mãos e colocamos cada um na sua bandeja.
  7. 7. cu Iixrn I , II / . . .a I . _ z . I _ . e . , , I , . 4/ I. . . J lu. , I( II ÍJ_ . . À I _ I . E e _a _ e s . ..DE 4 _ Á. , a . , a , , e _e . .E x_ E , xx M u . v x . . , A Ir. , x . , . . i. e i, ._ . à . ./. N. . É. . .I, I.rI I II p t1! . III A/ s 1 , a . y . .f, E _ A , _ E I, I . . . . _ , W z, w . a7. . .Íp I e . a __ , __ . .I r L xx_ _
  8. 8. Eu peguei MU ITO mais farinha! Mas Marco insistiu: _ Mentira, eu peguei ANAIS farinha que o Daniel. - Não mesmo! Fui eu que peguei . *°-? farinha! Ai, eu dei um chute nele e ele me bateu.
  9. 9. .o
  10. 10. . 7/ A z *r* I I I I . . . I' 7 * - '~ _ . _ | j. . N v. _V / a . _, »( - , sz x . ,E Ao ver nossa briga, mamãe falou: - Parem de brigar e venham aqui. Vamos medir a farinha. Mamãe foi tirando a minha farinha com uma xícara e despejando em uma tigela. Um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete, oito! Obal Eu juntei oito xícaras de farinha.
  11. 11. Mamãe também contou a farinha do Marco com a xícara e colocou em uma tigela. Um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete, oito! ' -Viram? A quantidade é V L! p j _x Í 'a Agora chega de briga! L/ I _ 1 I ' V; Í I" I' a v . . , j/ .. * r: E -s . L rá Elm-IL' ex" 'f 'f _*ñ _ A _ -. _|. V 7-- l _ í_/ ' À-É J z »__, _.2' _ _- *E E a" "à ~ x_ -r-r" _ . QA j/ *T ~ 1;_ ~ x _ g/ ,z f / K / ' à / E
  12. 12. “í _/ ' ' _Ir er!
  13. 13. »---x. Era dia de macarrão. Estávamos preparando a massa, quando vi mamãe dando I . '- massa para Marco. Fiquei com vontade de chorar! - A massa do Marco é C; RA N D : Í e larga. . Por que a minha massa é PEC) LJ F NA. e comprida? A. ..
  14. 14. Explique para a criança que se dividirrnos a massa de farinha igualmente, ainda que o forr-trato mude, a quantidade continuará sendo a mesma.
  15. 15. Explique para a criança que se dividirrnos a massa de farinha igualmente, ainda que o forr-trato mude, a quantidade continuará sendo a mesma.
  16. 16. / ' ' “'- v"h'°"', "~. .,. _.. .a-' " A 'Tm : ... .._. -p«-: '”'f/ É mesmo! Antes uma tinha um formato largo, e a outra, um formato comprido, mas a quantidade de massa era a ; un í Six/ IA!
  17. 17. !R Ontem, nós brigamos por causa do leite. Mamãe também tinha dado mais leite para meu irmão. Eu pedi para ele trocar o leite dele com o meu. Mas Marco não quis. Eu bati nele. E ele também me bateu. Eu chorei, gritando: _ Por que eu tenho N. E N O9 leite?
  18. 18. 'H . "mu. O mesmo acontece com líquidos. Faça a criança perceber que a mesma** quantidade de leite pode parecer maior ou menor se colocada em copos de formatos diferentes. :
  19. 19. Papai trouxe dois copos iguais. E -- Crianças, olhem! Vocês têm , . t o mesmo volume de leite. _/ T ~-e_/ v” 'x Papai pos o leite de Marco em ur** / “ f" copo e o meu, em outro. ' “ _, 4 - V”, _ Glub, _» « _ ' x . - V, k / ' . .K , › , " c l i 7 ' v k f , . - , f ' V t I A I, › E, , Í! 'x I V _r ' I. t_ T _- 'xe I o 'r' ' x. ; r w r, g / / . 7, __ , “ 7 , NJ “se, _ lr!
  20. 20. Verdade! As quantidades só pareciam DI FF . R I* N 'I L' Sã porque estavam em copos de formatos diferentes, mas o volume de leite era ! G UAL!
  21. 21. .é f: .. ni . Hoje, brigamos quando estávamos desenhando com areia: passamos cola no desenho e jogamos areia em cima. E, de novo, Marco tinha muito mais areia que eu. Eu pedi um pouco mais de areia para mim, mas ele não quis me dar. Então, eu fui pegar à força e acabamos brigando. Eu fiquei bravo e gritei: - Mas eu tenho . '/ 'Í . W105 areia!
  22. 22. m/ .àuz. n_ - A quantidade de areia é a mesrr Querem ver? Mamãe colocou a minha areia TlL. potinho vazio. E colocou a areia de Marco em outro potinho vazio. o' _. / A I' I / ._ r ' “v, *"'~~----« . g I ›: fr_ ~~ . Fiada . V- , ~_ / ~ . _/ _, r X/ j; _a , ›.. ,.l, *~_/ 1T _ "C. '~~ l ( E p» E ' a , . , E j às; A (KA ' -,
  23. 23. Olha, é verdade. O Marco tinha a mesma quantidade de areia que eu!
  24. 24. Eu resolvi pegar areia no parquinho. MUITO MAIS que o Marco! BEM MAIS, para ter uns dez potinhos cheios. Quando eu estava correndo para o parquinho, apareceu um cachorro enorme na minha frente! - mmcím . aí _ lhhh, é o cachorro do Rodrigo. Ele é bravo. ..! O pai do Rodrigo não estava perto. ..!
  25. 25. ;namo Nessa hora, Marco, que estava me seguindo, gritou para o cachorro: - Ei, sai pra lá! Fique longe do meu irmãozinhc O cachorro ficou corn medo do vozerão do Marc: que parecia um trovão. 0 pai do Rodrigo aparece , e levou o cachorro embora. z e I ' , . :a - ~ - _y *x . ,_, _, x . _, ,r 7 *X K _r a' I j. I N. ' . _ ~" E¡ , .I ; já , . [I , '. __ V ma) í ¡~ " 1/ 'A '. y › . z ~ '~
  26. 26. Mas Marco tinha ficado muito assustado! Eu cheguei perto, só encostei, e ele começou a chorar. - Não chora, irmão.
  27. 27. _ s, 7 _ , í / ~ , --r _ V_ f 7/ , . "T z' el' ", _ I A I 1 I . . I' I› T' . "kk . . _ L - s' É_ . 3*_ Í . J Nós somos irmãos da mesma idade. Somos gêmeos! Somos um pouco diferentes, l mas tudo que comemos, usamos e brincamos, nós dividimos. Afinal somos grandes amigos.
  28. 28. Qual será que tem MAIS? Marco ia beber leite com Daniel e colocou a mesma quantidade em dois copos. Para testar Daniel, ele pôs o leite em copos de formatos diferentes. Dantvem N ' tomarleite! ] Ah, tem MENOS leite no meu copo. Vamos trocar? I v I . ,E " ' _ , Olha, colocando E *ma-W I em copos iguais, fica igual. Se colocarmos J em copos iguais, ~ ~ t_ podemos ver que ^~ o volume é o mesmo! n l o I o o o o u . o o o u o o a I o o o o o o o o a a o o o n u o a o o o n o o o o o u a U o o o o u o o o o n a o a n u o c o a . o a o n n o o o o o n o o . o o o u o o o u u c o o u o n I
  29. 29. Comparando volumes Marco trouxe areia para brincar com Daniel. z ~ - E Daniel não conseguia saber qual balde 44"” p tinha mais areia. ' iguais? Qual balde tem _E l; mais areia? a If ç j, í. É' / “V, 'I : as r I ! Êr3›; :(; ;'ô› mu: : ' i* 1-* _ . t. , w_ _ g -- , - ›» i , k _. -c s_ a í, E ai? Agora você percebeu? Para comparar as quantidades basta coloca-las em recipientes iguais!
  30. 30. Também podemos comparacza- oawráawatñoiaoães ele ÁGUA! !! Ao ver jarras com quantidades diferentes de água, Marco perguntou: - Quanto de água a jarra da esquerda tem a menos que a jarra da direita? Marco pegou a água da jarra da esquerda, colocou em copinhos e contou. Um copo, dois copos, três copos. .. No total são seis copinhos.
  31. 31. Distribuiu também a água da jarra da direita : em copinhos. Quanto de água a jarra da 'direita tem a mais que a jarra da esquerda? Cí: e e s* A 'L/ ;lí Tx l QJ 'ÍQ 2._ MI ITM# C T ' “ I'. "I I' u? às? R¡ = k “ ai i3 ta! Farinha e grãos de arroz também podem ser medidos com copinhos. 5 kit* I›[: .»= :› ! I w i l; .. íJ , _ a: o n - o . o - . . . . . . . . . - . . - - . . . . . ,_ ' ' ' - - - . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . - . .
  32. 32. I. . . i › I c_ : d: c v- II; .I, I A' Guia para pais e educadores lrmãos gêmeos ensina a comparar quantidades de substâncias como leite, areia, farinha, utilizando unidades não-convencionais de medida, uma vez que os elementos que as compõem não podem ser contados um a um. Esta é uma etapa importante antes de se realizar com as crianças atividades de medida utilizando unidades padronizadas, como litro e grama, ou instrumentos convencionais, corno a. balança. Ao comparar volumes e quantidades continuas (ou seja, quantidades que não podem ser contadas unidade a unidade), as crianças podem ter dificuldades para antecipar os resultados apenas por meio da observação dos elementos. Por exemplo, se observarem um rolinho e uma bolinha feitos com a mesma quantidade de massa, podem achar que o objeto de formato mais comprido (o rolinho) tem mais massa do que o outro. Construir o conceito de conservação das quantidades implica compreender que o formato dos corpos pode se alterar sem que a quantidade, o peso e o volume se alterem. Mostre à criança que, no dia a dia, para comparar volumes e quantidades, c' preciso estabelecer um J/ "VEN 4 padrão. Ajude-a a compreender  o conceito de conservação com repetidas w - -t c' experiências.
  33. 33. o 'r 'I Sugestão de axçrwrã . Ê.C2°: Objetivos da brincadeira: estimar e comparar quantidades. brincando com massinha. Material para a brincadeira: 3 copos de farinha, II: copo de óleo. 1 tigela, 1 colher, 1 copo de água quente, tinta ou corante, 1 copo de sal refinado. Misture bem a farinha e o sal, c acrescente O ("ea ¡, Coloque a tinta, ou o corante, na água quente e mexa-a bem com a colher. f¡ j. Misture a massa de farinha com a tinta, ou o corante. e amasse bem até incorporar o sal, de modo que ele não , seja mais sentido nas mãos. Então, você ' Dwma a massmha ¡gummente e terá uma massinha de modelar que não faça 2 bohnhas Mostre à cñança gmda "as mã°s' que as duas quantidades de massinha são iguais. bolinha, respectivamente, e modelam o fonnato que desejarem: pessoas, Depois de modelar, compare como as anirrnais e até carros. duas quantidades de massinha se transformaram em coisas diferentes. Amasse as massínhas novamente, formando duas bolinhas iguais. g Os adultos e a criança pegam uma / 9
  34. 34. Esta é a história de dois garotos que teimam muito, sentem ciúmes um do outro e vivem disputando quem pega mais farinha do chão. quem tem mais massa de macarrão, quem tem mais leite no copo etc. Mas não brigam o tempo todo. Como irmãos. eles também sc preocupam um com o outro. A autora Young So Yoo é graduada e pós-graduada pela. faculdade Feminina de soung Shin Ganhou prêrhio de ( Natividade em histórias infantis c prémio dc arto c literatura infantil pela MBC (canal de televisão coreano) Na Coreia do sul, já publicou mais de (inco titulos. A ilustradora Young Mi Park c especialista em gravuras e. .iluulmenle, trabalha corno ilustrador: : de livros infantis. Ela sempre gosta do olhar as ilustrações dos livros que lê e busca fazer desenhos cada vcz mais bonitos nos que ilustra, Os livros da coleção Tam Tan ensinam conceitos matemáticos para crianças. por meio de histórias divertidas. ln-nãos gêmeos apresenta a comparação de volumes e quantidades. nun 'na 4:57 uma seu¡ *|11| llllllilílllllll ¡nar- ¡nanzl n

×