As imagens desta apresentação estão disponíveis no site:   http://www.micro.magnet.fsu.edu/primer/java/scienceopticsu/powe...
Daquilo que é infinitamente grande  até àquilo que nos é comum.
Estamos a  10 milhões de anos-luz ( 10 23 m )  de distância da Terra. Vê-se a Via Láctea.
 
Estamos a  1 milhão de anos-luz ( 10 22 m ). A nossa galáxia está perfeitamente visível.
 
Estamos a  100.000 anos-luz ( 10 21 m ). Pormenor de um dos seus “braços”.
 
Estamos a  10.000  anos-luz ( 10 20 m ).
 
Estamos a  1.000 anos-luz ( 10 19 m ).
 
Estamos a  100 anos-luz ( 10 18 m ).
 
Estamos a  10 anos-luz ( 10 17 m ).
 
Estamos a  1 ano-luz ( 10 16 m ). Uma estrela como as outras?
 
Estamos a  1 bilião de quilómetros ( 10 15 m ).  O Sol um  pouco maior.
 
Estamos a  100 mil milhões de quilómetros ( 10 14 m ).  O Sistema Solar começa a aparecer.  As linhas coloridas não estão ...
 
Estamos a 10 mil milhões de quilómetros ( 10 13 m ). O Sistema Solar visto por inteiro.
 
Estamos a  mil milhões de quilómetros ( 10 12 m ). Órbitas de: Mercúrio, Vénus, Terra, Marte e Júpiter.
 
Estamos a 100 milhões de quilómetros ( 10 11 m ).  Órbitas de: Vénus e Terra.
 
Estamos a  10 milhões de quilómetros ( 10 10 m ). Terra e órbita da Lua.
 
Estamos a 1 milhão de quilómetros ( 10 9 m ). A Terra e a órbita da Lua.
 
Estamos a  100.000 quilómetros ( 10 8 m ). A Terra.
 
Estamos a  10.000 quilómetros ( 10 7 m ). Continente Americano, oceanos Atlântico e Pacífico.
 
Estamos a  1.000 quilómetros ( 10 6 m ). EUA-Flórida. Foto típica  de satélite.
 
Estamos a  100 quilómetros ( 10 5 m ).
 
Estamos a 10 quilómetros ( 10 4 m ). Vista típica de avião. Distinguem-se as cidades.
 
Estamos a  1 quilómetro ( 10 3 m ). Distinguem-se as ruas e as casas.
 
Estamos a  100 metros ( 10 2 m ). Vista típica de helicóptero. Distinguem-se as pessoas.
 
Estamos a  10 metros ( 10 1 m ). Vista do alto de um prédio.
 
Estamos a  1 metro ( 10 0 m ). Com o braço esticado conseguimos lá chegar.
Daquilo que nos é comum até ao infinitamente pequeno.
10 centímetros ( 10 -1 m ) . Podemos tocar nas folhas.
1 centímetro ( 10 -2 m ).  É possível sentir o cheiro da folha.
1 milímetro ( 10 -3 m ). Os vasos da folha aparecem.
100 micrómetro ( 10 -4 m ). Distinguem-se as células.
10  micrómetro  ( 10 -5 m ).  Pormenores das células – estomas.
1 micrómetro ( 10 -6 m ). O núcleo das células fica visível.
100 nanómetros ( 10 -7 m ). Os cromossomas aparecem.
10 nanómetros ( 10 -8 m ). O  ADN pode ser identificado.
1 nanómetro ( 10 -9 m ). Os nucleótidos.
1 angstrom  ( 10 -10 m ). Nuvem electrónica num átomo de carbono.
10 picómetros ( 10 -11 m ). A caminho do núcleo.
1 picómetro ( 10 -12 m ). Espaço vazio entre o núcleo e as orbitais dos electrões.
100 fermis ( 10 -13 m ).  O núcleo ainda mais próximo.
10 fermis ( 10 -14 m ). O núcleo de um átomo de carbono.
1 fermi  ( 10 -15 m ). Face a face com um protão.
0,1 fermi ( 10 -16 m ).  Um quark.  Fim   conhecido  da viagem.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Potências de 10 - Viagem Fantástica

8.167 visualizações

Publicada em

Potências de 10 - Viagem Fantástica.

Do infinitamente grande ao infinitamente pequeno.

http://atomoemeio.blogspot.com/

Publicada em: Educação
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.167
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4.355
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
119
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Potências de 10 - Viagem Fantástica

  1. 1. As imagens desta apresentação estão disponíveis no site: http://www.micro.magnet.fsu.edu/primer/java/scienceopticsu/powersof10 Esta é uma viagem que começa e termina com distâncias que apenas se tornam possíveis de serem entendidas com recurso às potências de base 10. Vamos começar a viagem a 10 milhões de anos-luz (10 23 m) de distância do nosso planeta e terminaremos a 10 -16 m, bem no interior do átomo. Cada transição corresponde a um aumento de 10x . Boa viagem! http://atomoemeio.blogspot.com/
  2. 2. Daquilo que é infinitamente grande até àquilo que nos é comum.
  3. 3. Estamos a 10 milhões de anos-luz ( 10 23 m ) de distância da Terra. Vê-se a Via Láctea.
  4. 5. Estamos a 1 milhão de anos-luz ( 10 22 m ). A nossa galáxia está perfeitamente visível.
  5. 7. Estamos a 100.000 anos-luz ( 10 21 m ). Pormenor de um dos seus “braços”.
  6. 9. Estamos a 10.000 anos-luz ( 10 20 m ).
  7. 11. Estamos a 1.000 anos-luz ( 10 19 m ).
  8. 13. Estamos a 100 anos-luz ( 10 18 m ).
  9. 15. Estamos a 10 anos-luz ( 10 17 m ).
  10. 17. Estamos a 1 ano-luz ( 10 16 m ). Uma estrela como as outras?
  11. 19. Estamos a 1 bilião de quilómetros ( 10 15 m ). O Sol um pouco maior.
  12. 21. Estamos a 100 mil milhões de quilómetros ( 10 14 m ). O Sistema Solar começa a aparecer. As linhas coloridas não estão lá na realidade, claro!
  13. 23. Estamos a 10 mil milhões de quilómetros ( 10 13 m ). O Sistema Solar visto por inteiro.
  14. 25. Estamos a mil milhões de quilómetros ( 10 12 m ). Órbitas de: Mercúrio, Vénus, Terra, Marte e Júpiter.
  15. 27. Estamos a 100 milhões de quilómetros ( 10 11 m ). Órbitas de: Vénus e Terra.
  16. 29. Estamos a 10 milhões de quilómetros ( 10 10 m ). Terra e órbita da Lua.
  17. 31. Estamos a 1 milhão de quilómetros ( 10 9 m ). A Terra e a órbita da Lua.
  18. 33. Estamos a 100.000 quilómetros ( 10 8 m ). A Terra.
  19. 35. Estamos a 10.000 quilómetros ( 10 7 m ). Continente Americano, oceanos Atlântico e Pacífico.
  20. 37. Estamos a 1.000 quilómetros ( 10 6 m ). EUA-Flórida. Foto típica de satélite.
  21. 39. Estamos a 100 quilómetros ( 10 5 m ).
  22. 41. Estamos a 10 quilómetros ( 10 4 m ). Vista típica de avião. Distinguem-se as cidades.
  23. 43. Estamos a 1 quilómetro ( 10 3 m ). Distinguem-se as ruas e as casas.
  24. 45. Estamos a 100 metros ( 10 2 m ). Vista típica de helicóptero. Distinguem-se as pessoas.
  25. 47. Estamos a 10 metros ( 10 1 m ). Vista do alto de um prédio.
  26. 49. Estamos a 1 metro ( 10 0 m ). Com o braço esticado conseguimos lá chegar.
  27. 50. Daquilo que nos é comum até ao infinitamente pequeno.
  28. 51. 10 centímetros ( 10 -1 m ) . Podemos tocar nas folhas.
  29. 52. 1 centímetro ( 10 -2 m ). É possível sentir o cheiro da folha.
  30. 53. 1 milímetro ( 10 -3 m ). Os vasos da folha aparecem.
  31. 54. 100 micrómetro ( 10 -4 m ). Distinguem-se as células.
  32. 55. 10 micrómetro ( 10 -5 m ). Pormenores das células – estomas.
  33. 56. 1 micrómetro ( 10 -6 m ). O núcleo das células fica visível.
  34. 57. 100 nanómetros ( 10 -7 m ). Os cromossomas aparecem.
  35. 58. 10 nanómetros ( 10 -8 m ). O ADN pode ser identificado.
  36. 59. 1 nanómetro ( 10 -9 m ). Os nucleótidos.
  37. 60. 1 angstrom ( 10 -10 m ). Nuvem electrónica num átomo de carbono.
  38. 61. 10 picómetros ( 10 -11 m ). A caminho do núcleo.
  39. 62. 1 picómetro ( 10 -12 m ). Espaço vazio entre o núcleo e as orbitais dos electrões.
  40. 63. 100 fermis ( 10 -13 m ). O núcleo ainda mais próximo.
  41. 64. 10 fermis ( 10 -14 m ). O núcleo de um átomo de carbono.
  42. 65. 1 fermi ( 10 -15 m ). Face a face com um protão.
  43. 66. 0,1 fermi ( 10 -16 m ). Um quark. Fim conhecido da viagem.

×