IBADEP HERESIOLOGIA CAPITULO 4

185 visualizações

Publicada em

A QUARTA AULA DE HERESIOLOGIA E QUE FALA DA SEITAS OCULTISTAS E SECRETAS QUE FALA DAS SEGUINTES SEITAS: NOVA ERA, ESPIRITISMO: CARDECISMO, LEGIÃO DA BOA VONTADE CULTOS AFRO-BRASILEIROS, MAÇONARIA E ROSA CRUZ

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
185
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

IBADEP HERESIOLOGIA CAPITULO 4

  1. 1. HERESIOLOGIA CAPÍTULO 4 SEITAS OCULTISTAS E SECRETAS
  2. 2. NOVA ERA
  3. 3. DEFINIÇÃO O Movimento Nova Era (MNE) é a reunião de várias correntes esotéricas diferentes que, agora falando a mesma língua, almejam, segundo seus adeptos, o fim da chamada Era de Peixes e a instauração da Era de Aquários. Essa Era de Peixes, que desejam extinguir, significa o Reino de Cristo na História, o cristianismo!
  4. 4. HISTÓRIA DA NOVA ERA Surgiu na década de 60. Sua malévola ideologia vem desde a queda do Éden (Gn. 3.1-9). Sua origem está ligada a Sociedade Teosófica; partindo daí, a filosofia ocultista hindu chegou ao Ocidente. O hinduísmo arroga para si o privilégio de ser a religião mais antiga da Terra. Portanto, sua filosofia não tem nada de novo.
  5. 5. OBJETIVO Assumir a liderança da humanidade em suas mais diversas áreas: 1. Politica; 2. Econômica; 3. Saúde; 4. Educadores; 5. Religião; Culminando assim com a implantação de um governo mundial e uma só religião.
  6. 6. CRONOLOGIA Classificam a história em quatro eras: 1. Infantil (de touro, da força bruta, 4304 a 2154 a.C.); 2. Adolescência (de carneiro ou áries, que marca o surgimento dos hebreus e da Bíblia, 2154 a.C.); 3. Mocidade (de peixes, que tem como ponto central o surgimento do cristianismo, 4 a.C. a 2146 d.C.); 4. Maturidade (que é a próxima, a de aquário, onde o homem se tornará deus, 2146 a 4296). Em 4296, terá início a era de capricórnio;
  7. 7. DOUTRINAS DA NOVA ERA
  8. 8. DEUS O seu conceito de divindade é resgatado dos antigos conceitos orientais, que negam a idéia de um Deus pessoal. Essa rejeição de um Deus pessoal se refere ao fato de sua doutrina ser baseada no PANTEISMO, (tudo é deus e deus é tudo). Também ensinam que coisas e objetos têm poder ou representam algo espiritual – ANIMISMO. Nós cristãos acreditamos que só existe um Deus verdadeiro e Senhor de tudo: “eu sou o SENHOR, e fora de mim não há salvador” (Is. 43.11).
  9. 9. HUMANIDADE No Movimento da Nova Era o homem é o centro. Ele é visto como divino e como a esperança de um futuro de paz e harmonia. Esta doutrina se disfarça de humanismo e antropologia, mas na verdade é uma idolatria do próprio ser humano. Como acreditam que tudo é Deus, o homem se torna à expressão máxima da evolução divina na dimensão física. Nós cristãos sabemos que o homem é pecador e inferior a Deus, “nisto não tens razão, eu te respondo; porque Deus é maior do que o homem” (Jó. 33.12).
  10. 10. MAL Para a Nova Era o mal é consequência da não evolução da pessoa. Acreditam na existência de um ser superior a todos os outros em nível de evolução. Alguns adeptos chamam esse ser de Lúcifer, alguns utilizam outros nomes como ‘o cara lá de cima’ (Xuxa), Consciência cósmica, Grande Arquiteto do Universo (Maçonaria), etc. Hoje existem muitos templos de adoração a Lúcifer. Nós cristãos acreditamos que o mal existe, porque “ladrão vem somente para roubar, matar e destruir” (Jo. 10.10).
  11. 11. JESUS CRISTO É visto apenas como alguém de grande evolução espiritual, devido a este grau de evolução inaugurou a Era de Peixes, assim como Maitréia (o messias esperado pelos aquarianos), abriu a Nova Era (Era de Aquário). Com a mudança da era de Peixes para a Era de Aquários, Jesus Cristo saiu de cena. Para eles Jesus era uma pessoa normal que apenas se evoluiu espiritualmente ou recebeu um espírito evoluído. Nós cristãos acreditamos que “ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai” (Fl. 2.10,11).
  12. 12. SALVAÇÃO A Nova Era ensina que para ser salvo não é preciso nenhum compromisso com igreja ou religião, basta apenas buscar o próprio aprimoramento da alma chamado de evolução. Com isso acreditam na evolução do homem vindo do macaco e até mesmo em extraterrestres como seres mais evoluídos. Esta evolução pode ser conseguida através da prática da mediunidade, obras de caridade e principalmente pela reencarnação. Nós cristãos acreditamos que só Jesus salva (At. 16.31) e que “aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo” (Hb. 9.27).
  13. 13. CONCLUSÃO 2 Jo. 1.7 “muitos enganadores têm saído pelo mundo afora” O movimento da Nova Era não tem fundador, data de fundação e nem liderança humana a que esteja subordinado ou que lhe trace as diretrizes. Os verdadeiros líderes reconhecidos pelos adeptos são seres espirituais, a quem chamam de espíritos, anjos, e extraterrestres. A Nova Era na verdade consiste em uma campanha contra o cristianismo. Algumas doutrinas da Nova era, como: a evolução, reencarnação, desenvolvimento espiritual à divindade, o deus impessoal e distante do homem, não existência do pecado, panteísmo ou crença de que tudo que existe é divino e correto. As doutrinas da Nova Era promovem uma mistura de várias religiões com a finalidade de alcançar seus adeptos. Até mesmo no meio evangélico muitas destas crenças como o animismo já se infiltraram.
  14. 14. ESPIRITISMO
  15. 15. DIVERSOS GRUPOS ESPIRITAS Além do espiritismo kardecista, podemos citar as seguintes ramificações: 1. Legião da Boa Vontade (LBV); 2. Ordem Rosa Cruz; 3. Racionalismo Cristão; 4. Circulo Esotérico da Comunhão do pensamento; 5. Cultos Afro Brasileiros; Estes últimos não se consideram espíritas, mas Allan Kardec define como espírita todo aquele que crê nas manifestações dos espíritos.
  16. 16. KARDECISMO
  17. 17. IRMÃS FOX As Irmãs Fox foram três mulheres que, nos Estados Unidos da América tiveram um importante papel na gênese do Moderno Espiritualismo Ocidental. As irmãs eram Katherine "Kate" Fox (1837–1892), Leah Fox (1814–1890) e Margaret "Maggie" Fox (1833–1893). As irmãs fizeram sucesso por muitos anos como médiuns que diziam possibilitar espíritos a se manifestarem por batidas (tiptologia). Em 1888 Margaret alegou que as batidas eram uma farsa e no ano seguinte se retratou de tal alegação, dizendo que na verdade eram manifestações mediúnicas mesmo. Este quadro de "confissão" seguido de retratação tem fornecido argumentos para os espiritualistas e materialistas defenderem suas posições sobre o caso, de modo que a controvérsia nunca termina.
  18. 18. IRMÃS FOX
  19. 19. ALLAN KARDEC Hippolyte Léon Denizard Rivail foi um influente educador, autor e tradutor francês. Sob o pseudônimo de Allan Kardec, notabilizou-se como o codificador do Espiritismo, também denominado de Doutrina Espírita. Lançou a sua primeira obra: “O Livro dos Espíritos”, em 1857. Influenciado por um amigo passou a frequentar reuniões espíritas, e por fim tornou-se médium. Em 1858, organizou em Paris a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas
  20. 20. ALLAN KARDEC
  21. 21. NO BRASIL Luís Olímpio Teles de Menezes Fundou a 17 de setembro de 1865 em Salvador, o Grupo Familiar do Espiritismo, primeira agremiação doutrinária no Brasil, (primeiro centro espírita). No ano seguinte (1866) publicou o opúsculo "O Espiritismo - Introdução ao Estudo da Doutrina Espírita“. Em 1873 foi fundada no Rio de Janeiro a sociedade espírita da qual surgiu outros grupos, e 10 anos mais tarde lançaram a revista O Reformador.
  22. 22. Luís Olímpio Teles de Menezes
  23. 23. SAUL E A MÉDIUM DE EN-DOR Eles reinvindicam o texto de 1 Samuel 28, para substanciar suas crenças, porém Alguns textos bíblicos são suficientes para provar que não era Samuel quem estava conversando com Saul naquela sessão espírita: 1. 1Crônicas 10:13-14 – Deus condenou a atitude de Saul de participar daquela reunião com o suposto “espírito” de Samuel. Se fosse o servo de Deus quem tivesse falado com o rei Saul, o Senhor não se importaria; 2. 1Samuel 28:3 – Samuel estava morto e, na morte, a pessoa está inconsciente – Eclesiastes 9:5, 6 e 10; 3. 1Samuel 28:6 – Deus não mais falava com Saul porque ela havia ido longe demais. Portanto, quem apareceu a Saul naquela reunião espírita não foi o servo de Deus, Samuel, que jamais agiria contra a decisão do Criador; 4. 1Samuel 28:12, 14 – a Bíblia não diz que o “espírito” de Samuel se fazia presente, mas sim que Saul ENTENDEU que era Samuel; 5. 1Samuel 28:15 – o suposto espírito de Samuel contradisse a Bíblia, que afirma em Jó 7:9, 10 que os mortos não podem subir, antes da ressurreição (João 5:28, 29); 6. 1Samuel 28:16 – o “espírito” jogou Deus contra Saul, dizendo que o Senhor o havia desamparado. Não é verdade! Foi o rei quem se afastou de Deus; 7. 1Samuel 28:20- a mensagem do “espírito” causou desespero em Saul. 8. Portanto, não foi o “espírito” de Samuel quem se comunicou com Saul (mediante a todos os argumentos levantados fica claro que era Satanás a comunicar).
  24. 24. ELIAS E JOÃO BATISTA Os espíritas tem feito grandes alardes com relação a esta passagem para justificar a falsa doutrina da reencarnação. Eles não se dão em conta de que Moisés morrera cerca de 1400 anos antes, reaparecendo o mesmo Moisés, e não como uma reencarnação. Elias sequer morreu (2 Rs. 2.11). João Batista veio na virtude e espírito de Elias (Lc. 1.17), pois se vestia como Elias, veste de pelo e cinto de couro (2 Rs. 1.8; Mt. 3.4) Ambos eram homens do deserto (1 Rs. 19-9-10; Lc. 1.8), eram de igual modo contundentes em suas palavras e pregaram contra reis e ímpios, (1 Rs. 21.20-27; Mt. 14.1-4). O próprio João consciente de sua identidade e missão (Jo. 1.26-33), disse que não era Elias (Jo. 1.21)
  25. 25. ESPIRITISMO x CRISTIANISMO Allan Kardec ensina que o espiritismo é a terceira revelação de Deus à humanidade. Segundo ele, Moisés foi a primeira, Cristo a segunda e Kardec a terceira. Na Bíblia, porém, há um abismo intransponível entre o espiritismo e o cristianismo
  26. 26. REENCARNAÇÃO No mundo do ocultismo, outras palavras e expressões são usadas para designar a reencarnação: 1. Transmigração; 2. Renascimento; 3. Metempsicose;
  27. 27. POPULARIDADE DA CRENÇA Hoje, a crença na reencarnação tornou-se muito popular, e isso devido que ela segundo o que dizem visa aperfeiçoar a humanidade
  28. 28. SOFRIMENTO HUMANO Orgulham-se por ter explicação para o sofrimento humano. Quem nasce com problema físico é porque está incluso na lei do carma “lei de causa e efeito”, segundo eles essa pessoa estaria pagando o que fez em outra encarnações.
  29. 29. RESPOSTA BÍBLICA A Bíblia diz que reencarnação não existe (Hb. 9.27), e que consultar mortos é violar as leis de Deus (Lv. 19.31; 20.27). Quando os discípulos de Jesus lhes perguntaram quem havia pecado, se o cego ou seus pais, a resposta de Jesus foi clara, destruindo completamente o argumento espírita: “nem ele pecou, nem sue pais” (Jo. 9.3). Os que alegam terem vivido noutras encarnações entram em várias contradições.
  30. 30. LEGIÃO DA BOA VONTADE
  31. 31. As mensagens dos programas dessa instituição parecem evangélicas, mas o Jesus deles não é o mesmo revelado no novo testamento
  32. 32. DOUTRINAS Negam a personalidade do Espírito Santo e a infalibilidade da Bíblia, o parto de Maria e portanto, a humanidade de Cristo. Por causa de sua crença na reencarnação, negam a deidade de Cristo e a doutrina do inferno.
  33. 33. CULTOS AFRO-BRASILEIROS
  34. 34. ORIGEM Composta por uma mescla de raças: 1. Elementos indígenas-pajelança, bebidas, ervas para banhos, charutos, etc.; 2. Elementos africanos, candomblé; 3. Elementos brancos, imagens do catolicismo romano (orixás);
  35. 35. UMBANDA Os cultos afro-brasileiros chegaram ao Brasil através dos escravos africanos, na era colonial. Eles não se consideram espíritas. O chamado alto espiritismo não lida com adivinhações, como búzios, quiromancia, nem com cartomancia e outras formas de adivinhação
  36. 36. CANDOMBLÉ É um ramo tipicamente africano. Há variedade em suas práticas, porque vieram de varias regiões da África, Umbanda e Candomblé são chamados Xango, em alguns estados do Nordeste. Como Alagoas e Pernambuco, , e no agreste nordestino são conhecidos como Catimbó.
  37. 37. QUIMBANDA É a magia negra. O deus principal deles é Exu, Lúcifer, Belzebu e o próprio satanás. O culto deles é prestado direto a satanás. Diferentemente da Umbanda e do Candomblé, este adoram Satanás, mas de uma maneira disfarçada
  38. 38. CONCLUSÃO Os adeptos dos cultos afro-brasileiros são mais receptíveis ao evangelho de Jesus do que os Kardecistas. Os chamados, “alto espiritismo” são arrogantes e presunçosos. Eles acham que pelo fato de já ter o evangelho segundo Allan Kardec, não precisam de Jesus.
  39. 39. QUESTIONÁRIO Pg. 110 ASSINALE COM X AS ALTERNAIVAS CORRETAS 1. D) Propõe uma pequena mudança na história humana 2. C) Moisés 3. B) Quimbanda. MARQUE “C” PARA CERTO E “E” PARA ERRADO 4. C 5. E
  40. 40. MAÇONÁRIA
  41. 41. INTRODUÇÃO O termo maçonaria é de origem francesa, e significa construção. O termo maçom portanto é a versão em português do francês e significa pedreiro; maçonaria por extensão significa “associação de pedreiros”.
  42. 42. INTRODUÇÃO A maçonaria é uma sociedade secreta e ritualística, incluindo em sua filosofia a auto salvação do homem. É pagã quando analisada à luz das Escrituras Sagradas. Ainda que não seja uma igreja como conhecemos, constitui- se num movimento religioso e sincretista.
  43. 43. INTRODUÇÃO Os maçons estruturam-se e reúnem-se em células autônomas, designadas por oficinas, ateliers ou lojas, todas iguais em direitos e honras, e independentes entre si. Existem, no mundo, aproximadamente 6 milhões de integrantes espalhados pelos 5 continentes. No Brasil existem aproximadamente 150 mil maçons e 4.700 lojas.
  44. 44. ORIGEM Alguns historiadores afirmam que a maçonaria veio dos antigos mistérios pagãos religiosos do velho Egito e da antiga Grécia. Outros admitem que ela tenha se originado por ocasião da construção do templo de Jerusalém, no reinado de Salomão, rei dos israelitas (1082-975 a.C.), e apontam como fundador, Hiram Abif, suposto arquiteto do citado templo.
  45. 45. ORIGEM A maioria dos escritores maçons, porém, é de opinião que a maçonaria deve sua origem e existência a uma confraria de pedreiros, criada por Numa, em 715 a.C., que viajava pela Europa e mais tarde construiu basílicas. Com o passar dos tempos, porém, essa sociedade perdeu o seu caráter primitivo e muitas pessoas estranhas à arquitetura nela foram admitidas.
  46. 46. SÍBOLOS DA MAÇONÁRIA Apesar da aceitação de pessoas estranhas à arquitetura na maçonaria, instrumentos da arte de construir foram conservados como símbolos, dentro da entidade. Entre os instrumentos da simbologia maçônica, destacam-se: o compasso, a régua, o esquadro, o nível, o prumo, o escopo, o malhete, a alavanca e tantos outros usados pelos mestres da arquitetura.
  47. 47. OBJETIVOS DA MAÇONÁRIA A maçonaria alega ter como objetivo a busca da Verdade, o estudo da Moral e da Solidariedade Fraternal. Diz trabalhar para o aperfeiçoamento moral, intelectual e social da humanidade, a fim de que os seus componentes sejam mais felizes ou menos sofredores, graças a maior compreensão mútua, pela prática constante da Fraternidade.
  48. 48. DOUTRINS MAÇONICAS
  49. 49. DOUTRINA DE DEUS O Ensino da Maçonaria: Todos os membros devem acreditar em uma divindade. Diferentes religiões (Cristianismo, Judaísmo, Islamismo, etc.) reconhecem o mesmo Deus, apenas O chamam de nomes diferentes. A Maçonaria convida pessoas de todas as religiões a crerem que, mesmo se usarem nomes diferentes para o "Ser sem nome de uma centena de nomes", estão ainda orando ao único Deus e Pai de todos.
  50. 50. DOUTRINA DE JESUS Ensino da Maçonaria: Não há exclusividade em Jesus Cristo ou no Deus Trino, que é o Pai, o Filho e o Espírito Santo; portanto, não há a doutrina da divindade de Jesus Cristo. É considerado não-maçônico invocar o nome de Jesus ao orar ou mencionar o seu nome na Loja Maçônica. Sugerir que Jesus é o único caminho para Deus contradiz o princípio da tolerância. O nome de Jesus tem sido omitido dos versículos bíblicos usados em rituais maçônicos. Jesus está no mesmo nível que outros líderes religiosos.
  51. 51. DOUTRINA DO HOMEM E PECADO O Ensino da Maçonaria: Através de símbolos e emblemas, os maçons ensinam que o homem não é pecador, apenas “rude e imperfeito por natureza”. Os seres humanos são capazes de melhorar seu caráter e comportamento de várias formas, inclusive por atos de caridade, vida moral e cumprimento voluntário do dever cívico. A humanidade possui a capacidade de mover-se da imperfeição à perfeição total. A perfeição moral e espiritual encontra-se dentro dos homens e mulheres.
  52. 52. MAÇONÁRIA E SALVAÇÃO A salvação maçônica fundamenta-se na prática das boas obras que o homem possa praticar. Por isso a maçonaria estimula seus adeptos a progredir até atingirem um padrão moral tal que, ao morrerem, estejam em condições de habitar na glória.
  53. 53. MAÇONÁRIA E SALVAÇÃO Refutação: A salvação não está baseada em méritos humanos, ou sacrifícios de homem, ou pagamento de valores monetários (I Pe. 1: 18, 19; Ef. 2: 8, 9)
  54. 54. UMA INSTITUIÇÃO PAGÃ Albert Pike, uma das maiores autoridades da maçonaria, em seu livro afirma que o início da maçonaria se deu nas religiões místicas da antiguidade, bem como a continuação dos símbolos, ensinos e princípios de misticismo na maçonaria hoje em dia. Além disso a maçonaria abre os trabalhos em nome do seu patrono “São João da Escócia” ou “São João de Jerusalém”.
  55. 55. UMA INSTITUIÇÃO PAGÃ Refutação: Algumas referências bíblicas contra religiões pagãs (Ex. 20: 3, 23; Ex. 23: 13, 24; Sl. 115: 1-8.)
  56. 56. RELIGIOSAMENTE SINCRETISTA A maçonaria aceita em seu seio adeptos de outras religiões, gerando assim uma fusão de cultos e doutrinas religiosas distintas. E embora incorpore alguns dos ensinos de Jesus nas suas doutrinas, não é uma religião centralizada em Jesus Cristo..
  57. 57. RELIGIOSAMENTE SINCRETISTA Jorge Buarque Lira, em sua defesa da maçonaria, no seu livro Maçonaria e o Cristianismo, não esconde o fato de que “o que a maçonaria não admite é que as doutrinas de Cristo com referência à vida de além túmulo, bem como qualquer doutrina sobre esse assunto, sejam pregadas nos seus templos”.
  58. 58. NIVEIS NA MAÇONARIASEGUNDO O RITO ESCOCÊS 1) Aprendiz Maçom 2) Companheiro Maçom 3) Mestre Maçom 4) Mestre Secreto 5) Mestre Perfeito 6) Secretário Íntimo ou Mestre por Curiosidade 7) Preboste e Juiz 8) Intendente dos Edifícios 9) Cavaleiro Eleito dos Nove 10) Cavaleiro Eleito dos Quinze 11) Sublime Cavaleiro dos Doze 12) Grão-mestre Arquiteto 13) Cavaleiro do Real Arco 14) Prefeito e Sublime Maçom 15) Cavaleiro Do Oriente 16) Príncipe de Jerusalém (Grande Conselheiro) 17) Cavaleiro do Oriente e do Ocidente 18) Cavaleiro Rosa-Cruz ou Cavaleiro Águia Branca 19) Grande Pontífice ou Sublime Escocês 20) Soberano Príncipe da Maçonaria ou Mestre "ad vitam" 21) Cavaleiro Prussiano ou Noaquita 22) Cavaleiro Real Machado ou Príncipe do Líbano 23) Chefe do Tabernáculo 24) Príncipe do Tabernáculo 25) Cavaleiro da Serpente De Bronze 26) Príncipe da Mercê ou Escocês Trinitário 27) Grande Comendador do Templo 28) Cavaleiro do Sol ou Príncipe Adepto 29) Grande Cavaleiro Escocês de Santo André da Escócia ou Patriarca das Cruzadas 30) Grande Inquisitor, Cavaleiro Kadosh ou Cavaleiro da Águia Branca e Negra 31) Grande Juiz Comendador ou Inspetor Inquisidor Comendador 32) Sublime Cavaleiro do Real Segredo ou Soberano Príncipe da Maçonaria 33) Soberano Grande Inspector-Geral.
  59. 59. ROSA CRUZ
  60. 60. 1. A ordem Rosacruz é um grupo que pode ser chamado de “esotérico”, um termo utilizado tanto em sentido restrito quanto em sentido geral. 2. Em sentido restrito, ele se aplica a algumas filosofias e escolas gregas. 3. Já em sentido geral, que é o aplicado ao âmbito das seitas e novos movimentos religiosos, 4. o termo “esotérico” significa “secreto”, “oculto”, “só para iniciados”. 5. Nesse tipo de grupo, há uma distinção entre um “saber vulgar”, que é popular, superficial e pouco adentrado na verdadeira natureza do real, e um “saber autêntico”, que é único, reservado aos eleitos, aos sábios.
  61. 61. A ORDEM ROSA CRUZ Segundo um dos seus ramos, a ordem Rosacruz “é uma organização fraternal, não sectária, de homens e mulheres, dedicada à pesquisa, estudo e aplicação prática das leis naturais e espirituais. O propósito da organização é permitir que todos vivam em harmonia com as forças cósmicas criadoras e construtivas, para atingir a saúde, a felicidade e a paz” (cf. revista El Rosacruz, 5, X – 1957).
  62. 62. RESUMO HISTÓRICO Existem várias organizações que se proclamam como “os autênticos rosa- cruzes”. Por exemplo, a Antiga e Mística Ordem da Rosa Cruz (AMORC), a Sociedade dos Rosa-Cruzes e a Christian Rosenkreuz.
  63. 63. RESUMO HISTÓRICO A AMORC é a mais conhecida na América Latina e se considera continuadora de uma sociedade que teria tido origens numa escola iniciática do antigo Egito, durante a XVIII Dinastia. Trata-se da dinastia que governou o Egito entre os anos de 1550 a.C. a 1295 a.C., época considerada de máximo esplendor da civilização faraônica.
  64. 64. A ROSA E A CRUZ 1. Desde tempos muito antigos, mesmo antes da morte de Cristo, a cruz era usada como símbolo solar. O homem primitivo, em seus primeiros cultos ao sol, o contemplava de braços abertos. A cruz também representou os quatro pontos cardeais. É ainda das forças masculinas da natureza, equivalendo ao “yang” da filosofia chinesa (cf. P. Damian, Francmasones y Rosacruces, Madri, 1981, 15-35; F. Sampedro – J. Escobar, Las sectas… núm. 4, 478). 2. A rosa simboliza o ideal de beleza e delicadeza; a mulher, o princípio de fecundidade, a mãe natureza. A rosa que começa a se abrir é a personalidade que começa a brotar para iluminar e dar realidade à cruz. 3. A conjunção de ambos os símbolos é o encontro de duas forças geradoras, opostas, da natureza. É a soma do par de contrários que originam a criação, a união dos polos masculino e feminino. A rosa equivale ao “ying” da filosofia chinesa (cf. ibid.).
  65. 65. DEUS • É a “Alma” universal, que tem mente, inteligência e poder. É a consciência. A alma de um ser animado não é independente, mas parte da alma universal. A alma pessoal é manifestação da universal; está no corpo físico e alcança a sua libertação quando se romper o cordão de prata que a une ao corpo. Com a morte, consegue-se a libertação do físico. • O Deus rosa-cruz é a “meta universal” que encontramos no pensamento de Pitágoras. Equivale à natureza, ao universo, o que nos leva ao panteísmo. Os rosa-cruzes também falam do Pai, do Filho e do Espírito Santo, mas de modo diferente do cristianismo. O Pai é o iniciado mais elevado entre a humanidade do período saturnino. O Filho é o iniciado mais elevado do período solar. O Espírito Santo é o iniciado mais elevado do período lunar (cf. ibid., 475-476). • Para os rosa-cruzes, existiriam sete mundos inter-relacionados, pelos quais as pessoas passam. São períodos de renascimento. Trata-se de Saturno, Solar, Lunar, Terrestre, Júpiter, Vênus e Vulcano. Não são planetas, mas períodos de renascimento, de acesso à divindade, de percurso para ser igual a Deus, onipotente e onisciente (cf. ibid.).
  66. 66. JESUS Segundo os rosa-cruzes, Jesus teve várias encarnações. O espírito de Cristo era um raio cósmico que entrou em seu corpo. Jesus é o maior ciclo de evolução do homem, é a luz que conduz ao reino. Ele não só escolheu e formou discípulos, como ainda preparou um grupo secreto de 120 pessoas que foram doutrinadas em conhecimentos esotéricos aprendidos por Jesus no Egito e com os essênios (cf. J. Cabral, Religiones, núm. 4, 79-81).
  67. 67. O HOMEM Para eles o homem passa por sete períodos de renascimento. Em cada período, evolui um pouco mais. Ao chegar ao último período será divino. Noutras palavras, isto é reencarnacionismo espírita, foi com esta mentira que a serpente tentou Eva no Éden, “sereis como Deus” (Gn. 3.5)
  68. 68. SECRETISMO Defendem o segredo nas suas reuniões, de formar que o que acontece não pode jamais ser divulgado. Nos cultos cristãos tudo é feito as claras, a vista de todos, o secretismos choca com o cristianismo. (Is. 45.19; 48.16; Jo. 7.26)
  69. 69. O CRISTÃO PODE SER ROSA CRUZ? A Rosacruz não exalta e não serve a Cristo, ou seja a uma grande incompatibilidade entre ambos. Ser cristão e Rosacruz e viver em contradição. Infelizmente a muitos “crentes”, e até mesmo “pastores envolvidos com eles, mas a Bíblia é bem clara nessa situação. (Sl. 106.35; 119.63; Am.3.3; 1Co15.33; 2 Co. 6.14)
  70. 70. QUESTIONARIO PG. 122 ASSINALE COM X AS ALTERNAIVAS CORRETAS 6. A) Sabedoria, força e beleza 7. D) Profano 8. C) Ensina que a vida moral e irrepreensível, não é suficiente para a salvação MARQUE “C” PARA CERTO E “E” PARA ERRADO 9. C 10. C
  71. 71. A TODOS MUITO OBRIGADO http://pt.slideshare.net/RubensSohn1

×