Eae aula 1 - inaugural - eae

4.688 visualizações

Publicada em

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.688
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
204
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Eae aula 1 - inaugural - eae

  1. 1. AS ESCOLAS INICIÁTICAS DO PASSADO E A ESCOLA DE APRENDIZES
  2. 2. São duas as formas de iniciação espiritual.A primeira é:INICIAÇÃO ESOTÉRICA ( VOLTADA PARA INTERIOR,O SER INDIVIDUALIZADO, OU SEJA, A REFORMAPARA SI, A BUSCA DO EU )A segunda é:INICIAÇÃO ESPÍRITA ( VOLTADA DO INTERIORPARA O EXTERIOR, PARA O PRÓXIMO, REFORMAPARA O PROGRESSO UNIVERSAL, DIVINO )
  3. 3. OS GRANDES INICIADOS Obra de 1889• ÉDOUARD SCHURÉ - que nasceu em 1841 e desencarnou em 1929.• Descreve que "a alma é uma luz velada; quando a negligenciamos, ela se obscurece e se apaga, mas quando é versado o óleo santo do amor, ela se ilumina como uma lâmpada imortal."
  4. 4. Enfatiza a importância da união da Religião e da Ciência,como caminho do auto-conhecimento e da libertação.Nos estudos das Ciências modernas, o autor constata quedesde Descartes, elas tendem a voltar aos dados da antigateosofia. Sem abandonar a hipótese dos átomos, a físicamoderna chegou a identificar a idéia da matéria com aidéia de força, o que é um passo na direção do dinamismoespiritualista, uma vez que para explicar a Luz, omagnetismo, a eletricidade, os sábios tiveram que admitiruma matéria sutil e absolutamente imponderável,enchendo o espaço e penetrando todos os corpos.
  5. 5. •Para Édouard Schuré, um tempo de regeneraçãointelectual e de transformação social virá quando aciência souber, a religião puder e o homem agir comnova energia. A arte da vida e todas as artes sópodem renascer com esse acordo.
  6. 6. OS GRANDES INICIADOS • RAMA
  7. 7. • Rama é um dos discípulos extrafísicos de Ramatís. Desdepriscas eras, vem trilhando o caminho espiritual e segue amesma linha universalista de seu mestre. É um verdadeiro"iniciado espiritual", tendo trilhado, através de váriasvidas, o caminho iniciático das principais escolas esotéricasda antiguidade. Foi monge na China, hierofante no Egito,iogue na Índia, poeta-iniciado na Grécia e companheiro deRamatís na Atlântida.O seu trabalho consiste em resgatarpara os espiritualistas modernos as antigas técnicas decrescimento espiritual que eram ensinadas nos gruposespiritualistas do passado.( fonte RIBERO, Eunice; "Perfume do Invisível )Hierofante: Cultor de Ciências ocultas, adivinho.
  8. 8. KRISHNAAssim como o ocidente tem na figurade Jesus aquele que incorporou aconsciência do Cristo, os hindus têmem Krishna o seu grande avatar, ouseja, a encarnação da divindade.Assim como Jesus, Krishna foi umhomem que viveu aqui na Terra emcarne e osso.
  9. 9. • Viveu na Índia antiga há cinco mil anos, ou seja, trêsmil anos antes de Cristo. E hoje o que temos sobre suahistória está envolto num clima muito grande de magiae lenda. Não é um deus cósmico (como Shiva, Brahmaetc) e sim um homem histórico, apesar de suasrepresentações artísticas lembrarem muito dos outrosdeuses hindus.•Comparando-o com Jesus, Krishna também tem seu“evangelho”, um livrinho poderoso e muito conhecidoem todo mundo (dizem ser ele o segundo depois dabíblia) chamado Bhagavad Gita, que significa “Cançãodo Senhor” (Gita=canção, Bhagavad=do Senhor).
  10. 10. INICIAÇÃO NO ORIENTE ( HINDUS )BASE DO PROCESSO DE INICIAÇÃO ERA DESENVOLVIMENTOMEDIÚNICO E A ÊXTASE E A MEDITAÇÃO, E OS SACRIFÍCIOSCORPORAIS COMO O IOGA, E OS FAQUIRES. 5 GRAUS DE INICIAÇÃO
  11. 11. •1O. GRAU: DISCÍPULO CHELA ( O HOMEM ERRANTE ) NÃOHÁ RIGOR ELIMINATÓRIO, TAREFA DE EVANGELIZAÇÃOo PROBATÓRIO ( ASPIRANTE PARA ADQUIRIRAS QUALIDADES NECESSÁRIAS )o ACEITO ( INCLUÍDO NO GRUPO POR TERQUALIDADES )
  12. 12. • 2o. GRAU: DISCÍPULO KENTICHAKA (QUE CONSTRÓI SUACABANA ). JÁ INSTRUÍDO PELA BASE E APRENDIZADOSSUCESSIVOS•CONQUISTAS:1) CONHECIMENTO DA VERDADE2) IMPASSIBILIDADE ( SUPERAÇÃO DOS IMPULSOS )3-A ) DOMÍNIO DOS DESEJOS ( SAMA )3-B) RENÚNCIA MATERIAL ( UPARATI )3-C) DISCIPLINA DO CORPO ( DAMA )3-D) ABNEGAÇÃO, DOMÍNIO DO EGOÍSMO ( TITIKSHA )3-E) PODER DE INTERAGIR ENTRE O MUNDO EXTERNO E INTERNO( SAMADHANA )4) CONFIANÇA TOTAL NO MESTRE E EM SI ( SRADHA )
  13. 13. 3O. GRAU: DISCÍPULO STAMSA ( PÁSSARO QUEVOA NO ESPAÇO ) PARA BUDISTAS NÃO MAISRENASCEM4O. GRAU: DISCÍPULO SANTO ( QUE ESTÁ ALÉMDO EU ) ESTÁ ACIMA DO MUNDO MATERIALPARA BUDISTAS É ARHAT ( VENERÁVEL )5o. GRAU: SER DE VIDA LIVRE ( JIMAVUKTA ) – OQUE NÃO TEM MAIS NADA A PRENDER – ACESSOLIVRE AO NIRVANA
  14. 14. OS GRANDES INICIADOS MOISÉS ( ISRAEL )O grande legislador hebreu saturou-se de todos osconhecimentos iniciáticos, no Egito antigo, onde o seu espíritorecebeu primorosa educação, à sombra do prestígio daprincesa Termútis, cuja caridade fraterna o recolhera.Na qualidade de mensageiro do Divino Mestre, concentra seupovo para a grande jornada em busca da Terra da Promissão.Médium extraordinário, realiza grandes feitos ante os seusirmãos e companheiros maravilhados. Recebe, de emissáriosdo Cristo, no Sinai, os dez sagrados mandamentos que, atéhoje, representam a base de toda a justiça do mundo.Lega à posteridade as suas tradições no Pentateuco, iniciandoa construção da mais elevada ciência religiosa de todos ostempos.
  15. 15. O Pentateuco MosaicoGênesis: Trata da origem da Criação, do mundo terreno edo homem.Êxodo: Descreve os principais episódios da libertação dopovo hebreu, após a escravidão de quatrocentos anos noEgito.Levítico: Contém as instruções destinadas à orientação doscultos entre os seguidores de Moisés e Deus.
  16. 16. Números:Relata parte da história da peregrinação dos hebreus nodeserto em direção a Canaã, a terra prometida e trazinformações sobre um censo realizado apurando as pessoasque fizeram a viagem depois da fuga do Egito.Deuteronômio:É um código de leis promulgadas por Moisés com afinalidade de reorganizar a vida social do povo. Neste livro,entre inúmeras outras leis incompatíveis com os povos dehoje, encontramos a proibição referente ao contato com os"mortos". Tal prática era comum entre os egípcios,realizadas de forma desrespeitosa e fútil. O legislador achoupor bem proibir essas atividades. Mais tarde, porém, opróprio Moisés, autor dessa proibição, na condição de"morto", aparece e conversa com Jesus, no episódio datransfiguração, sobre o Monte Tabor.
  17. 17. OS GRANDES INICIADOS• ORFEU• PITÁGORAS• PLATÃO •GRÉCIA
  18. 18. Orfeu usufruia em toda a cultura helênica, e que sóse explica pela existência de um fundadorcarismático e pela difusão do seu movimentoreligioso. Eurípedes, Platão, Heródoto, Aristófanese Aristóteles nos deixaram escritos sobre o orfismo,e sabemos o quanto Platão deve aos mistériosórficos em sua filosofia, especialmente no queconcerne à doutrina da reencarnação. É bemprovável que o homem Orfeu tenha tido uma forteinfluência mística na cultura grega no início doséculo VI a.C.
  19. 19. Pitágoras: Fundador da escola pitagórica, nasceuem Samos pelos anos 571-70 a.C. Em 532-31 foipara a Itália, na Magna Grécia, e fundou emCrotona, colônia grega, uma associação científico-ético-política, que foi o centro de irradiação daescola e encontrou partidários entre os gregos daItália meridional e da Sicília. Pitágoras aspirava - etambém conseguiu - a fazer com que a educaçãoética da escola se ampliasse e se tornassereforma política; isto, porém, levantou oposiçõescontra ele e foi constrangido a deixar Crotona,mudando-se para Metaponto, aí morrendoprovavelmente em 497-96 a.C.
  20. 20. •Platão: (427 - 347 a. C) filósofo grego nascido emAtenas, foi profundo admirador de seu mestreSócrates. Seu verdadeiro nome era Aristócles.•Após a morte de Sócrates peregrinou durante dozeanos, quando retornou a Atenas com quarenta anos.Especula-se que teria, antes disso, ido ainda até aJudéia e chegado às margens do Ganges, onde teriaaprendido a meditação mística dos hindus. Deixouescritos em forma de diálogos.•Para Platão, a inspiração e a intuição verdadeira nãose conseguem quando se está consciente, com a razão .
  21. 21. OS GRANDES INICIADOS• JESUS
  22. 22. • Iniciado junto aos Essênios• Documentos arquivados no Mosteiro de Lhassa, noTibete ( oriundos da Índia, Nepal e Tibete ),guardados entre os escritos das culturas Brâmanes eBudistas. A VIDA DE SANTO ISSA.• O santo Issa, um sábio israelita que, tendo vividomuitos anos entre os sacerdotes brâmanes e budistas,voltou para seu país, onde foi condenado à morte porordem do governador romano Pôncio Pilatos, depoisde ter sido duas vezes absolvido por um tribunalcomposto de sábios e anciãos da Judéia.( Jesus dos 13 aos 30 anos –Francisco Klörs Werneck )
  23. 23. CRISTIANISMO - JESUSJoão, 10:João 10:7 Tornou, pois, Jesus a dizer-lhes: Em verdade, em verdade vos digo: eusou a porta das ovelhas.João 10:8 Todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores; mas asovelhas não os ouviram.João 10:9 Eu sou a porta; se alguém entrar a casa; o filho fica entrará e sairá, eachará pastagens.João 10:10 O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim paraque tenham vida e a tenham em abundância. ( Jesus aos discípulos )
  24. 24. CRISTIANISMO - JESUSJoão, 10:João 10:11 Eu sou o bom pastor; o bom pastor dá a sua vida pelasovelhas.João 10:14 Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elasme conhecem,João 10:15 assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai; e doua minha vida pelas ovelhas. ( Jesus aos discípulos )
  25. 25. Iniciação Essênia3 anos de estágio preliminar ( Juramento de vidamoral superior ) – Santuário externoPrimeiro Grau: 2 anos ( voto do bom uso das mãosno mundo profano ) – Círculo InternoSegundo Grau: ( ver, ouvir e falar corretamente )Grau Superior: ( Compromisso espiritual daInstituição )Cada grau em Sete estágios ( existem outras versões )
  26. 26. PRINCÍPIOS ESSÊNIOS• Os Essênios ensinavam a piedade, santidade, vidafamiliar e vida civil.• Ensinavam a não jurar e não mentir.• Criam que o homem é a causa de todo bem e denenhum mal.• O amor da virtude compreende desprendimento dariqueza e estabilidade de tudo o que assegure bonscostumes.•O amor aos homens exige benevolência, igualdade econcórdia.• Ninguém possuía uma casa que não pudesse sercomum.
  27. 27. PRINCÍPIOS ESSÊNIOS• As vestes podiam ser usadas por todos; o alimento paratodos era igual.• Os doentes sem recursos não ficavam sem cuidados. Elestinham, em comum, o que é necessário para tratá-los.• Respeitavam os velhos e deles cuidavam com suas própriasmãos, como filhos gratos, ainda mesmo quando não eramseus próprios pais.•Alguns trabalhavam na terra e outros nas artes, tornando-seúteis a si e aos seus vizinhos. Não se preocupavam emajuntar prata nem ouro, nem grandes parcelas de terra paraaumentar os ganhos, contentando-se com o que lhes forneçao necessário para a vida.• Consideravam grande abundância o ter-se poucos desejos efáceis de serem satisfeitos.
  28. 28. PRINCÍPIOS ESSÊNIOS• Entre eles não haviam escravos; todos eram livres; unsajudavam os outros. Condenavam a escravidão, não apenasporque destrói a igualdade, mas porque atenta contra o direitoda natureza que, como boa mãe, faz os homens irmãos, nãoapenas de nome, mas na realidade.• Desprezavam a lógica e as palavras complicadas comoinutilidades para adquirir virtudes. Preocupavam-se, noentanto, com a física e com a astronomia, quando estasensinavam a existência de Deus e a origem do Universo.• Tinham grande cuidado com a moral, tomando como guia asleis dos antepassados.• Um lia livros e o outro, entre os mais preparados, explicavaaquilo que não foi facilmente compreensível, dada àsimbologia usada nos ensinamentos.
  29. 29. INICIAÇÃO NO ESPIRITISMO • KARDECSEM SEGREDOS NEMHIERARQUIA RIGOROSA
  30. 30. ESPIRITISMO - KARDEC799. De que maneira pode o Espiritismo contribuir para o progresso? “Destruindo o materialismo, que é uma das chagas da sociedade, ele faz que os homens compreendam onde se encontram seus verdadeiros interesses. Deixando a vida futura de estar velada pela dúvida, o homem perceberá melhor que, por meio do presente, lhe é dado preparar o seu futuro. Abolindo os prejuízos de seitas, castas e cores, ensina aos homens a grande solidariedade que os há de unir como irmãos.” Kardec – Livro dos Espíritos627. Uma vez que Jesus ensinou as verdadeiras leis de Deus, qual a utilidade doensino que os Espíritos dão? Terão que nos ensinar mais alguma coisa? “Jesus empregava amiúde, na sua linguagem, alegorias e parábolas, porque falava de conformidade com os tempos e os lugares. Faz-se mister agora que a verdade se torne inteligível para todo mundo. Muito necessário é que aquelas leis sejam explicadas e desenvolvidas, tão poucos são os que as compreendem e ainda menos os que as praticam. A nossa missão consiste em abrir os olhos e os ouvidos a todos, confundindo os orgulhosos e desmascarando os hipócritas: os que vestem a capa da virtude e da religião, a fim de ocultarem suas torpezas. ... Kardec – Livro dos Espíritos
  31. 31. ESPÍRITAS E O FUTUROOra, o verdadeiro espírita vê as coisas deste mundo de um ponto de vista tãoelevado; elas lhe parecem tão pequenas, tão mesquinhas, a par do futuro que o aguarda;a vida se lhe mostra tão curta, tão fugaz, que, aos seus olhos, as tribulações não passamde incidentes desagradáveis, no curso de uma viagem. Kardec – Livro dos Espíritos, Introdução Demonstrando a existência e a imortalidade da alma, o Espiritismo reaviva a fé no futuro, levanta os ânimos abatidos, faz suportar com resignação as vicissitudes da vida. O progresso da Humanidade tem seu princípio na aplicação da lei de justiça, de amor e de caridade, lei que se funda na certeza do futuro. Por meio do Espiritismo, a Humanidade tem que entrar numa nova fase, a do progresso moral que lhe é consequência inevitável. Kardec – Livro dos Espíritos, Conclusão 625. Qual o tipo mais perfeito que Deus tem oferecido ao homem, para lhe servir de guia e modelo? - “Jesus.” Kardec – Livro dos Espíritos
  32. 32. ESPÍRITAS - KARDEC4. Bem compreendido, mas sobretudo bem sentido, o Espiritismo leva aos resultadosacima expostos, que caracterizam o verdadeiro espírita, como o cristão verdadeiro,pois que um o mesmo é que outro. O Espiritismo não institui nenhuma nova moral;apenas facilita aos homens a inteligência e a prática da do Cristo, facultando féinabalável e esclarecida aos que duvidam ou vacilam.Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforçosque emprega para domar suas inclinações más. Enquanto um se contenta com o seuhorizonte limitado, outro, que apreende alguma coisa de melhor, se esforça pordesligar-se dele e sempre o consegue, se tem firme a vontade. Kardec – Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. XVII932. Por que, no mundo, tão amiúde, a influência dos maus sobrepuja a dos bons? “Por fraqueza destes. Os maus são intrigantes e audaciosos, os bons são tímidos. Quando estes o quiserem, preponderarão.” Kardec – Livro dos Espíritos
  33. 33. ESPÍRITAS - MISSÃO 4. Não escutais já o ruído da tempestade que há de arrebatar o velho mundo e abismar no nada o conjunto das iniqüidades terrenas?Ah! bendizei o Senhor, vós que haveis posto a vossa fé na sua soberana justiça e que,novos apóstolos da crença revelada pelas proféticas vozes superiores, ides pregar o novo dogma da reencarnação e da elevação dos Espíritos,conforme tenham cumprido, bem ou mal, suas missões e suportado suas provasterrestres. Não mais vos assusteis! As línguas de fogo estão sobre as vossas cabeças. Kardec – Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. XX Ver.4280. De que natureza são as relações entre os bons e os maus Espíritos? “Os bons se ocupam em combater as más inclinações dos outros, a fim de ajudá-los a subir. É sua missão.” Kardec – Livro dos Espíritos
  34. 34. INICIAÇÃO NO ESPIRITISMO• ARMOND•ISMAEL ORIENTOUESCOLA INICIÁTICA EM3 GRAUS ( FEESP )•APRENDIZ, SERVIDOR EDISCÍPULO
  35. 35. EAE -ARMOND PLANO CONVITE DA ESCOLA DE APRENDIZES DO EVANGELHO1) A gravidade da hora que passa, na expectativa de profundas modificações na vida do homemsobre a Terra e os avisos que nos são dados continuamente, do Alto, no sentido de se preparar omundo para futuros dias tormentosos, exigem a formação de bases firmes para apoio da fé, daesperança e da caridade entre os homens.2) A transição para o Terceiro Milênio, já tão próxima e que prenuncia maiores sofrimentos einquietações, exige a formação de núcleos espirituais poderosos na superfície terrena, paraque as verdades eternas permaneçam vivas, resistam aos cataclismos destruidores e à confusãoque vai imperar no coração dos homens.3) É urgente a formação de legiões de trabalhadores de boa vontade para agirem nosmomentos oportunos como instrumentos conscientes, humildes e disciplinados, dos EspíritosDiretores do mundo, auxiliares do Cristo.4) Em certas épocas, como a atual, o esforço individual isolado, por mais sincero que seja, nãobasta nem corresponde às necessidades gerais: somente organismos coletivos poderosos,fortificados na fé, dotados de espírito de renúncia e de sacrifício e apoiados pelo Alto poderãofazer frente às necessidades humanas, inspirar confiança e auxiliar a evolução. Edgard Armond (15/10/1950) In Iniciação Espírita, Reapresentação.
  36. 36. O Plano Convite da EAE:• exigem a formação de bases firmes para apoio da fé, da esperança e da caridade entre os homens. • exige a formação de núcleos espirituais poderosos na superfície terrena, • É urgente a formação de legiões de trabalhadores de boa vontade ...instrumentos conscientes...auxiliares do Cristo • somente organismos coletivos poderosos...e apoiados pelo Alto poderão ...inspirar confiança e auxiliar a evolução.
  37. 37. APRENDIZ• 1º GRAU
  38. 38. APRENDIZ: 1aS. TENTATIVAS, DEPURAÇÃOPESSOAL ( VIVENCIADOS NA EAE )• NÃO PODE HAVER PUREZA ESPIRITUAL EMCORPO POLUÍDO, NECESSIDADE DEELIMINAÇÃO DE VÍCIOS: FUMO, ÁLCOOL, GLUTONARIA,SENSUALIDADE, AVAREZA, BRUTALIDADE,ETC. CUIDAR DA ALIMENTAÇÃO: FRUGAL ESIMPLES.
  39. 39. SERVIDOR• 2º GRAU
  40. 40. SERVIDOR: SERVIÇO AO PRÓXIMO,CONSTRUINDO SUA FELICIDADE ( VIVENCIADOSNA EAE ) TRABALHO DE DEFEITOS: ORGULHO,EGOÍSMO, HIPOCRISIA, MALEDICÊNCIA, ETC.; PRATICAR VIRTUDES OPOSTAS SOBORIENTAÇÃO ENCARNADA E DESENCARNADA; SERVIDORES QUE CONCLUEM A EAE SÃOASPIRANTES A DISCÍPULOS ( EQUIVALENTESAOS PROBATÓRIOS );
  41. 41. DISCÍPULO3º GRAU
  42. 42. DISCÍPULO: QUE ASSUMIU O COMPROMISSODOS ENSINAMENTOS DO CRISTO (ÉVIVENCIADO NA FDJ ) O MESTRE NÃO FAZ O DISCÍPULO, ESTE É QUE SEFAZ A SI MESMO; O MESTRE SOMENTE APONTA O CAMINHO; A CADA UM SEGUNDO SUAS OBRAS; MUITOS SERÃO OS CHAMADOS, POUCOS OSESCOLHIDOS; O ADEPTO JÁ NASCEU ADEPTO; AMBIENTES DE REALIZAÇÃO: ÍNTIMO, FAMÍLIA, SOCIEDADE
  43. 43. EAE – INICIAÇÃO ESPÍRITA DISCIPULO SERVIDOR APRENDIZ INICIAÇÃO ALUNO ASSISTIDO SIMPATIZANTESDOUTRINA ESPÍRITA – EVANGELHO DE JESUS
  44. 44. EAE – GRAUS DA INICIAÇÃO TESTEMUNHO E TRABALHO E DISCIPULO RENOVAÇÃO E SERVIDOR CONHECIMENTO E APRENDIZ INICIAÇÃO EQUILÍBRIO E ALUNOPRESENÇA ASSISTIDO SIMPATIZANTES DOUTRINA ESPÍRITA – EVANGELHO DE JESUS
  45. 45. DISCÍPULOS - JESUSJoão 8:31-32 ... Se vós permanecerdes na minha palavra,verdadeiramente sois meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade voslibertará. Jesus ao Povo – Ensinando no TemploJoão 13:35 Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outrosJoão 15:8 Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos. Jesus aos Discípulos – Sermão do Cenáculo – Lava PésMateus 5:13 Vós sois o sal da terra; mas se o sal se tornar insípido, com que sehá de restaurar-lhe o sabor? para nada mais presta, senão para ser lançado fora, eser pisado pelos homens.Mateus 5:14 Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidadesituada sobre um monte;Mateus 5:16 Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para quevejam as vossas boas obras, e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus. Jesus aos Discípulos – Sermão do Monte
  46. 46. DISCÍPULO - EMMANUEL “Nos variados climas do mundo, há quem se nutra de tristeza, de insulamento, de prazer barato, de revolta, de conflitos, decálculos, de aflições, de mentiras... O discípulo de Jesus, porém −aquele homem que já se entediou das substâncias deterioradas da experiência transitória −, pede a luz da sabedoria, a fim de aprender a semear o amor em companhia do Mestre...” Emmanuel - Vinha de Luz, Introdução
  47. 47. FDJ - RAZIN
  48. 48. FDJ - RAZIN1) Na casa dos quinhentos, em memória do último dia da Galiléia, nós prepararemos na iniciação primária os candidatos à Verdade. Solicitar- lhes-emos de pronto o exercício da luta, na dualidade do bem e do mal, para que a primeira vença àquela e o homem se liberte do animal; para que o espírito conquiste a fera que existe dentro dele e, depois de domá-la, parta feliz para o2) lar bendito dos setenta, aqueles que ouviram de mais de perto o “Ide e Pregai”, onde então atingirão os primeiros sentimentos de dar sem saber porque dá; do servir sob a benção e alegria de servir, sintonizar de perto com as vibrações melhores e nas delicadas vibrações coloridas do bem, da virtude do sentimento, marcharem o próximo degrau da perfeição,3) no colégio apostólico dos doze discípulos, em cujo seio a palavra do Senhor se manifestará mais tarde, chamando-os de bem amados e elegendo-os escolhidos para as tarefas mais difíceis, onde aqueles que estiverem escravos do pecado, ou os que não estiverem exercitados no sacrifício, não poderão pugnar, porque serão vencidos e derrotados nas primeiras instâncias da luta! Razin; médium: Divaldo Pereira Franco - São Paulo, 22/04/1954
  49. 49. DISCÍPULO - RAZIN APRENDIZ EXERCÍCIO DA LUTA,NA DUALIDADE DO BEM E DO MAL, SERVIDORO QUE DÁ SEM SABER PORQUE DÁ, DISCIPULOPARA AS TAREFAS MAIS DIFÍCEIS,
  50. 50. EAE – ALVO O MUNDO ALUNO CASA EAE ESPÍRITA TRA MIRA PRÓXIMA BAL SERVIDOR SER OS H VIR AE MUN DO CASA EAE ESPÍRITA TRA BAL HOS ALUNO TEA MS IS D TEM DISCÍPULO IUÍC F NHMIRA MAIS DISTANTE EAS IR AE FDJ
  51. 51. FDJ -ARMOND“Se tudo terminasse na Escola de Aprendizes do Evangelho,haveria dispersão, insegurança, domínio personalista, influênciaindividual, negligência, esmorecimento no esforço e nasconvicções;tudo isto deixa de existir se o discípulo sabe que estáapoiado, sustentado, amado como sempre e pronto para serorientado e acudido em qualquer circunstância.” Edgard Armond 10/12/1981 In Edgard Armond Meu Pai, pág. 180
  52. 52. JESUS PLANO DE EXPANSÃOMarcos 6:7E chamou a si os doze, e começou a enviá-los a dois e dois,e dava-lhes poder sobre os espíritos imundos;8 ordenou-lhes que nada levassem para o caminho, senão apenas um bordão;nem pão, nem alforje, nem dinheiro no cinto;9 mas que fossem calçados de sandálias, e que não vestissem duas túnicas. Jesus aos 12 Discípulos – Ide e PregaiLucas 10: 1,2,3Depois disso designou o Senhor outros setenta, e os enviou adiante de si, dedois em dois, a todas as cidades e lugares aonde ele havia de ir.E dizia-lhes: Na verdade, a seara é grande, mas os trabalhadores são poucos;rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara.Ide; eis que vos envio como cordeiros ao meio de lobos. Jesus aos 72 Discípulos – Ide e Pregai1.ª Cor. 15:5 Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, … Jesus Fala a quinhentos na Galileia
  53. 53. JESUS PLANO DE EXPANSÃO 2 12 2 12 2 12 2 12 2 12 2 12 2 12 2 12 2 12Jesus 12 2 12 2 12 2 12 2 12 2 12 2 12 2 12 2 12 2 12 12 + 72 = 84 + 432 = 516
  54. 54. DISCÍPULOS COMPROMETIDOS C/: 2x ESCOLA DE APRENDIZES 2x MOCIDADE ESPÍRITA 2x EVANGELIZAÇÃO INFANTILEAE 2x CURSO DE MÉDIUNS 2x ASSISTENCIA ESPIRITUAL 2x ASSISTENCIA SOCIAL 12
  55. 55. FDJ – TRABALHOS MAIS DIFÍCEISMateus 9: 12. 1312 Jesus, porém, ouvindo isso, respondeu: Não necessitam de médico os sãos,mas sim os enfermos.13 Ide, pois, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifícios.Porque eu não vim chamar justos, mas pecadores. Jesus aos Fariseus – Ensinando no TemploMateus 28: 19. 20Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai,e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a observar todas as coisas que euvos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumaçãodos séculos. Jesus Ressurge aos 11 Discípulos – Na Galiléia
  56. 56. META PARA FDJ – ARMOND“Trouxemos para cá as responsabilidades que assumimos na Terracontinuamos liderando a Fraternidade dos Discípulos de Jesuspara que ela se torne a maior força vibratória capaz de deter umaguerra fratricida.Continuemos vibrando pela paz, continuemos unindo os nossoscorações.” Edgard Armond 13-03-2003 In RGA 2003 Mensagem – Medium Martha Gallego Thomaz
  57. 57. FDJ -ARMOND“Conversava com Armond da sua ousadia de, em tempos idos,elaborar um projeto de vanguarda. ...O momento é hoje, omomento é agora!Ousem meus amigos, ousem!Colocai à vossa dianteira, a bandeira do Cristo.Sejais o exemplo para que outros se espelhem para avançaremconosco.A união é peça fundamental para poder avançar.O próprio nome – ALIANÇA – pede sustentação mútua, amparopara que se avance. Não vos esqueçais da Aliança! Américo Montagnini 10/12/1981 In RGA 2003 Mensagem – Medium Antonio Carlos
  58. 58. DISCÍPULOS - JESUSJoão 4:35 Ora, eu vos digo: levantai os vossos olhos, e vede os campos, que já estãobrancos para a ceifa. Jesus aos Discípulos – Junto a mulher SamaritanaAtos 1:6, 7, 8Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntavam-lhe, dizendo: Senhor, é nessetempo que restauras o reino a Israel?Respondeu-lhes: A vós não vos compete saber os tempos ou as épocas, que o Paireservou à sua própria autoridade.Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas,tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samária, e até os confins da terra. Jesus aos Discípulos – Monte das Oliveiras - Ascensão João 17: 15 Não rogo que os tires do mundo, mas que os guardes do Mal. Jesus ora pelos Discípulos – Monte das Oliveiras
  59. 59. TEMA DE REFLEXÃO Entendi que na busca da evolução espiritual pelo processo iniciático espírita cabe-me trabalhar pelo próximo e consequentemente pela humanidade, em nome do Cristo ? 2 minutos para pensar...Qual meu principal projeto futuro como Discípulo deJesus, lembrando que aos Discípulos são reservados ostrabalhos mais difíceis ? 3 minutos para responder...

×